• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:

Rede Nutracêutica

Sectet - qui, 27/08/2020 - 12:35
27/08/2020

Rede Nutracêutica da UFOPA é apresentada na BioTec-Amazônia

A articulação busca recursos e parcerias para projeto integrado que envolve escolas técnicas, universidades e arranjos produtivos na região Oeste do Pará.

O Reitor da UFOPA, Professor Hugo Alex Diniz, foi recebido, no dia 26 de agosto de 2020, pelo Diretor-Presidente da BioTec-Amazônia, Professor José Seixas Lourenço, na sede da OS, para apresentar o Projeto Rede Nutracêutica, uma articulação da Universidade Federal do Oeste do Pará – UFOPA, com órgãos estaduais e outras instituições. O encontro contou, também, com a presença do Reitor da UFRA, Professor Marcel Botelho; Cauan Araújo, professor da UFOPA; Artur Silva, Diretor Técnico-Científico e Sérgio Alves, Diretor de Articulação Público-Privado.

Essa articulação da UFOPA busca recursos e parcerias para projeto integrado que envolve escolas técnicas (Etepas), universidade e arranjos produtivos do açaí, do mel, do pescado e de tubérculos na região Oeste do Pará. Nessa primeira fase, o projeto abrange municípios de Santarém, Monte Alegre, Oriximiná e Itaituba, e pode se expandir nas fases posteriores.

“O que nos trouxe aqui na BioTec é, primeiro, por saber que esse projeto é o mais importante da Ufopa nos próximos quatro anos e segundo porque sabemos da capacidade da BioTec em captação de recursos e articulação com os parceiros. A BioTec tem muito que contribuir e criar essas conexões”, explicou o reitor Hugo Diniz.

As pesquisas serão desenvolvidas em rede nos municípios de Santarém, Alenquer, Itaituba, Juruti, Monte Alegre, Óbidos e Oriximiná. Laboratórios de solo, microbiologia, bromatologia e qualidade de água serão instalados nas escolas técnicas pelo governo do estado. Uma rede de computadores conectará os campi da Ufopa e as Etepas para formar um banco de dados que contenha diversas frentes de investigação, interligar sistemas de sensores e coleta de dados, além de dar apoio à formação em ciência e tecnologia.

Parceria – A Organização Social BioTec-Amazônia é parceira da UFOPA desde maio de 2018, quando assinou Termo de Cooperação Técnica, durante a Reunião do Fórum das Instituições de Ciência e Tecnologia, que aconteceu na Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), em Belém. O Termo de Cooperação Técnica estabeleceu, entre as partes, apoio na criação e no fortalecimento de ambientes de inovação nas regiões de integração do Estado do Pará. Enquanto espaços destinados a dar suporte científico-tecnológico necessário às cadeias produtivas, consideradas estratégicas, as entidades parceiras da BioTec-Amazônia serão estratégicas nos setores de alimentos, nutracêuticos, fitofármacos, cosméticos, produtos florestais e agrícolas, pesca e aquicultura.

Parque de Ciência e Tecnologia do Oeste do Pará – A Rede Nutracêutica faz parte do Parque de Ciência e Tecnologia do Oeste do Pará, desenvolvido a partir de uma estratégia descentralizada. Tem como base a Universidade, com a Central Analítica da Ufopa implantada no Núcleo Tecnológico de Bioativos (NTB), fazendo parte do projeto da Cidade Universitária na Unidade Tapajós.

Nesse projeto, a Central Analítica da Ufopa fará a certificação dos produtos que contiverem substâncias nutracêuticas, inclusive atendendo a empresas do ramo alimentício que hoje precisam enviar amostras para laboratórios em Belém, Manaus ou São Paulo. A Rede também vai utilizar os laboratórios das Etepas e dos Campi da Ufopa para dar suporte aos empreendimentos da região, principalmente, os ligados à agricultura familiar.

 

Categorias: Notícias

Igualdade Feminina na Tecnologia

Prodepa - qua, 26/08/2020 - 13:07

 

Nesta quarta-feira, 26 é Dia Internacional da Igualdade Feminina, uma data simbólica pouco conhecida, mas que compreende as lutas feministas do passado e do presente por direitos a igualdade de gênero.
As lutas por igualdade abriram caminhos para a conquista de alguns direitos, como o voto e participação direta na política. Mas, a batalha vai muito além daquilo que foi garantido no passado pois, as mulheres estão cada vez mais determinadas a garantir essa igualdade, especialmente no mercado de trabalho. 

Tags: #Prodepa#Igualdade#Emponderamento
Categorias: Notícias

Governo do Pará leva mais oportunidades a jovens de todo o estado com a oferta de novas vagas de curso superior

Sectet - qua, 26/08/2020 - 10:42
26/08/2020

A manhã desta terça-feira (25) marcou o início de mais uma ação importante do Governo do Pará em prol da educação superior de qualidade no estado. Foi lançada, em cerimônia no Palácio dos Despachos, a segunda etapa do projeto Forma Pará, coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet). Nesta fase, serão oferecidas 1.200 novas vagas de curso superior, distribuídas em 21 turmas em 20 municípios paraenses.

A iniciativa, lançada em agosto de 2019, possibilita a união entre Governo, Instituições de Ensino Superior (IESs), Prefeituras e Associações Municipais no intuito de expandir a oferta de vagas dos cursos de graduação (bacharelado, licenciatura e tecnológica) nos municípios do estado que não possuem polos de universidades públicas ou onde não exista a oferta de determinado curso.

Para o titular da Sectet, Carlos Maneschy, o projeto proporciona mudança de perspectiva na vida dos moradores desses municípios. “Esta é uma oportunidade para que esses jovens sejam protagonistas de suas próprias vidas e para que consigam seguir em frente mesmo que o destino lhes imponha dificuldades. É uma oportunidade para que possam exercer sua cidadania da forma mais ampla e significativa possível”, conclui.

Durante a cerimônia, o governador Helder Barbalho destacou que a medida tem como objetivo interiorizar o acesso ao ensino superior considerando as características socioeconômicas de cada região e que busca mudar não só a vida dos alunos dos cursos e de seus familiares, mas de todo o entorno. “A intenção é que esta mão de obra formada possa ter um desdobramento extraordinário, não apenas na vida daqueles que estarão cursando e se formando, e de seus familiares, mas uma repercussão coletiva na transformação do ambiente municipal e regional”, explicou.

A meta do Projeto é ofertar 80 turmas com uma média de 50 vagas cada, distribuídas em até 40 municípios, o que permitirá a formação de cerca de 4.000 novos profissionais no período de quatro anos. Assim, o Forma Pará promove o desenvolvimento socioeconômico de diversas regiões do estado com a ampliação da mão de obra qualificada conforme as demandas dos próprios municípios.

Na cerimônia, o Governador do Pará, Hélder Barbalho, e o secretário Carlos Maneschy assinaram um protocolo de intenções com os reitores das IESs que realizarão os cursos nesta segunda etapa: Universidade do Estado do Pará (Uepa), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), Universidade do Oeste do Pará (Ufopa) e Instituto Federal do Pará (IFPA).

O reitor do IFPA, Cláudio Alex da Rocha, observou que levar os cursos aos rincões do estado é uma grande responsabilidade. “Além disso, é muito importante lembrar que estamos em um momento de pandemia, o que fez se elevarem os níveis de desigualdade já existentes e não há outra saída para mitigar este problema que não seja pela educação”, pontuou.

Nesta fase serão ofertados os seguintes cursos: Gastronomia, em Icoaraci (Belém) e Salinas; Agronomia, em Goianésia do Pará, Mocajuba, Ourém, Ulianópolis, Rurópolis e Cachoeira do Piriá; Licenciatura da Computação em Mosqueiro; Licenciatura em Física em Muaná, Licenciatura em História em Marituba; Rede de Computadores em Dom Eliseu; Licenciatura em Ciências Biológicas em Novo Repartimento; Ciências Contábeis em Bom Jesus do Tocantins; Engenharia Florestal em Tailândia; Administração em Abel Figueiredo; Pedagogia em Itupiranga; Medicina Veterinária em Piçarra; Psicologia em Jacundá; Zootecnia em Ourilândia do Norte; e Engenharia Sanitária e Ambiental em Novo Progresso.

A primeira fase do Forma Pará ofertou vagas em 10 turmas que iniciaram as aulas em setembro de 2019 e mais 10 que começaram em janeiro de 2020, totalizando 20 turmas. De acordo com as informações colhidas pela coordenação do Forma Pará, a taxa de evasão das turmas iniciadas em setembro do ano passado, até o momento, é de apenas 3,64%. Nessa primeira etapa, participam como parceiras a Universidade Federal do Pará (UFPA), além de Uepa e Unifesspa.

Com o lançamento dos novos cursos, o Forma Pará já contempla 30 municípios e 2 distritos no total. Os editais dos processos seletivos dos novos cursos serão lançados em setembro pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) e ficarão disponíveis também no site da Sectet.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Live

Sectet - ter, 25/08/2020 - 15:48
25/08/2020

O papel das terapias corporais durante a pandemia foi tema de live

Na manhã desta terça-feira (25), servidores da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) se reuniram em uma videoconferência com o tema “Como aliviar tensões durante a crise: o papel das terapias corporais”, conduzida pelo fisioterapeuta e mestre em saúde coletiva, Thiago Rodrigues.

O encontro virtual foi mais uma das lives quinzenais previstas no cronograma de atividades do Programa Amplo de Valorização do Servidor, iniciativa do Núcleo de Acolhimento Psicossocial da Coordenação de Gestão de Pessoas (CGepes), ligada à Diretoria de Administração e Finanças (DAF) da Sectet.

Thiago Rodrigues iniciou sua participação apresentando uma contextualização histórica sobre a origem das práticas de isolamento social e a quarentena que foram implementadas durante a atual pandemia provocada pelo novo coronavírus. O mestre em saúde coletiva ainda explanou sobre os aspectos sociais que a pandemia evidenciou, sendo além de uma crise de saúde, uma crise sanitária, econômica e ética.

O fisioterapeuta também evidenciou os impactos pessoais físicos e psicológicos que podem surgir durante períodos como esse. Thiago explica que a tensão em um momento de crise global é decorrente de nossos costumes educacionais que não nos prepara para lidar com as adversidades.

Desse modo, cuidar da mente por meio das terapias corporais é essencial para evitar o desenvolvimento ou agravamento de problemas de saúde. Em sua apresentação, Thiago elencou algumas das principais terapias utilizadas para aliviar a tensão: acupuntura, tai chi chuan, yoga, cromoterapia, aromaterapia, meditação, fitoterapia (chás, xaropes e cápsulas), o banho de ofurô (típico do Japão) e a massagem. Além desses métodos, o fisioterapeuta também evidenciou a medicina indígena, uma das mais conhecidas em nossa região, a exemplo dos banhos e dos chás de raízes, cascas de tronco e folhas.

No encerramento da live, Thiago conversou com alguns dos servidores da Sectet sobre a importância das medidas de isolamento ao mesmo tempo em que chamou atenção para o olhar mais atento aos cuidados que devemos ter conosco não somente durante os períodos de crise, como a pandemia.

Adriana Nascimento, psicóloga da Sectet, agradeceu a participação de todos os servidores e dos alunos do fisioterapeuta que estavam presentes. Para ela, esse momento de compartilhamento de informações e de acolhimento é muito importante não somente para o aprendizado, mas para uma aproximação humana durante a pandemia.

A próxima live está marcada para o dia 15 de setembro, quando será discutida a importância do exercício físico para a saúde mental e corporal.

Texto: Matheus Luz (Estagiário de Jornalismo da Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Estado prioriza investimentos em formação superior e tecnológica

Sectet - ter, 25/08/2020 - 13:47
25/08/2020

Nos últimos 600 dias, o Governo do Pará investiu em um conjunto de ações voltadas à formação superior e tecnológica. A Universidade do Estado do Pará (Uepa) é um dos alvos desse investimento, e vem desenvolvendo um projeto de saúde pública essencial: a pesquisa epidemiológica que traça o perfil de prevalência e infecção pelo novo coronavírus entre os paraenses. São 227 profissionais, entre acadêmicos de Enfermagem e profissionais da Biossegurança da Universidade, atuando na pesquisa que envolve 52 municípios, em oito regiões.

As equipes responsáveis pelo estudo, que está na sua segunda etapa, realizam o teste rápido em voluntários, escolhidos de forma aleatória, em conformidade com os setores censitários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A terceira e última fase deve ser iniciada em setembro. A meta é fazer 27 mil testes.

Já foram concluídas 8.587 entrevistas em todas as regiões de regulação do Estado. Os resultados apontaram que no Pará, um em cada cinco habitantes testou positivo para a Covid-19. O número equivale a cerca de 1,3 milhão de pessoas que já possuem anticorpos para a doença ocasionada pelo novo coronavírus, o que representa uma positividade global de 21%, e garante que grande parcela da população já foi infectada pela doença.

Estímulo - Para a Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA), a ênfase do trabalho é a inovação. Desde o início de 2019, a diretriz é ser exemplo e incentivar, em todos os setores de governo, o desenvolvimento de competências e habilidades dos servidores públicos por meio de cursos de qualificação livres e pós-graduação, ou por ações de valorização do servidores públicos, como o 1º Prêmio Inova Servidor, lançado neste ano.

“Dentro da nossa missão de formação, a inovação sempre precisou estar presente, e agora, mais do que nunca, tivemos a necessidade de nos reinventarmos”, destaca a diretora-geral da EGPA, Evanilza Marinho. Foi esse propósito que colaborou para que apenas no primeiro semestre de 2020 a EGPA formasse mais de 23 mil servidores públicos, mesmo em meio à pandemia, utilizando ferramentas digitais para a realização de oficinas e cursos a distância.

Cursos de graduação – Paralelamente, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) lançou oficialmente o Programa Forma Pará, ainda em 2019. A iniciativa possibilita a união do Estado, instituições de Ensino Superior (IESs), prefeituras e associações municipais com o objetivo de expandir a oferta de vagas dos cursos de graduação (bacharelado, licenciatura e área tecnológica) nos municípios que não possuem polos das universidades ou sem a oferta de determinado curso. A meta é ofertar 80 turmas com uma média de 50 vagas cada, distribuídas por até 40 municípios - permitindo a formação de até 4 mil novos profissionais até 2023. 

“Sabemos que as desigualdades são imensas e históricas. Uma das que mais me incomodam é a assimetria na Educação. Pode parecer pouco diante da demanda, mas com certeza é muito mais do que foi feito antes”, ressalta o titular da Sectet, Carlos Maneschy.

Atualmente, estão em andamento 21 turmas, e uma terá sua aula inaugural no próximo dia 8 de setembro, totalizando 999 alunos matriculados. Nessa primeira fase do Programa participam como parceiras a Universidade Federal do Pará (UFPA), a Uepa e a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). Nesta terça-feira (25), o “Forma Pará” entra na segunda fase, com a assinatura dos termos de compromisso entre o Governo do Estado, por meio da Sectet, e novamente a Uepa e a Unifesspa, além da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA) e Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), a fim de que sejam ofertadas mais 21 turmas, totalizando 955 vagas. Assim, serão 30 municípios e dois distritos contemplados.

Bioeconomia - Única organização social na Amazônia voltada à bioeconomia, a BioTec-Amazônia representa o empenho do Governo do Pará em estruturar uma organização que aplica a ciência e a tecnologia na busca de soluções em Biotecnologia e Genômica, na prospecção e uso de ativos a partir da biodiversidade, atraindo novos investimentos para o Estado, sobretudo em empresas de base tecnológica. 

Em parceria com a Sectet, a BioTec-Amazônia também articula projetos estruturantes, nas principais cadeias produtivas do Estado ligadas à bioeconomia, com outras secretarias de Governo, como a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme). Acordos de parceria e de confidencialidade foram firmados para atração de duas empresas para o Estado e para o desenvolvimento de um novo negócio de base tecnológica no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, em Belém.

Apesar do pouco tempo de existência da BioTec-Amazônia, os avanços são significativos, tanto em fazer do Estado uma porta de entrada para investimentos de empresas em biotecnologia na Amazônia, como no estabelecimento de parcerias estratégicas para o desenvolvimento de novos projetos com empresa locais, visando à verticalização de ativos da biodiversidade regional.

Texto: Carol Menezes (Agência Pará)

Fotos: Agência Pará

Categorias: Notícias

Sectet lança segunda etapa do Forma Pará e oferece 955 novas vagas em cursos de graduação

Sectet - seg, 24/08/2020 - 11:24
24/08/2020

Na próxima terça-feira (25), o Forma Pará dará início a 2ª etapa do projeto que possibilitará a oferta de 955 novas vagas distribuídas em 20 cursos de nível superior a serem implementados em 18 municípios e dois distritos paraenses. O Programa é uma iniciativa do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), que possibilita a união entre Governo, Instituições de Ensino Superior (IESs), Prefeituras e Associações Municipais no intuito de expandir a oferta de vagas dos cursos de graduação (bacharelado, licenciatura e tecnológica) nos municípios do Estado que não possuem polos das universidades ou onde não exista a oferta de determinado curso.

A meta do Projeto é ofertar 80 turmas com uma média de 50 vagas cada, distribuídas em até 40 municípios, o que permitirá a formação de cerca 4 mil novos profissionais no período de quatro anos. Assim, o Forma Pará promove o desenvolvimento socioeconômico de diversas regiões do estado com a ampliação da mão de obra qualificada conforme as demandas dos próprios municípios.

A 1ª fase ofertou vagas em 10 turmas que iniciaram as aulas em setembro de 2019 e mais 10 que começaram em janeiro de 2020, totalizando 20 turmas. De acordo com as informações colhidas pela coordenação do Forma Pará, a taxa de evasão das turmas iniciadas em setembro do ano passado, até o momento, é de apenas 3,64%. Nessa primeira etapa, participam como parceiras a Universidade Federal do Pará (UFPA), a Universidade do Estado do Pará (Uepa) e a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa).

O início da 2ª etapa se dará, no dia 25, com a assinatura dos termos de compromisso entre o Governo do Estado, por meio da Sectet, e novamente com a Uepa e a Unifesspa, além de Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e Instituto Federal do Pará (Ifpa). Com isso, em 2020, o Forma Pará alcançará 30 municípios e 2 distritos no total.  

Serviço: O lançamento da segunda etapa do projeto será transmitido ao vivo, às 11 horas, pelo canal oficial do Governo do Pará no Youtube.

Categorias: Notícias

StartUp Pará

Sectet - seg, 24/08/2020 - 10:45
24/08/2020

StartUp Pará encerra primeira etapa com 75 projetos pré-aprovados

A lista dos selecionados será divulgada pelo governo do Estado na próxima semana

Será divulgada na próxima semana, no Diário Oficial do Estado, a lista com os 75 primeiros selecionados do Edital StartUp Pará, estratégia do governo estadual para fomentar o empreendedorismo de base tecnológica, por meio da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa) e Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

Foram 106 inscritos nas modalidades "Novos Negócios" e "Aceleração". Tão logo a lista seja publicada, os selecionados serão convocados a enviar uma nova documentação, no prazo de três dias, para as novas etapas do certame. As propostas escolhidas na fase inicial são, principalmente, das áreas de Tecnologia da Informação (TI), Agrotecnologia, Biotecnologia e Saúde.

Paralelamente, Fapespa e Sectet estão fazendo o Mapeamento do Ecossistema de Inovação, que criará oportunidades para que todos os interessados se apresentem e mostrem suas demandas. Essa reunião de informações deve ser a base da elaboração de novas políticas públicas, editais e outras iniciativas de apoio e fomento.

"Com isso, queremos saber o grau de maturidade que temos no campo da inovação, como o Estado exerce essa dita 'nova economia'. A partir desses dados, poderemos ter uma maior confiabilidade para propor novas ações que venham a fortalecer e unificar esse ecossistema", explica a coordenadora do StartUp Pará, Maria Trindade.

Cenário - Para fazer parte do Mapeamento basta acessar o site startuppara.fapespa.pa.gov.br, no link "Mapeamento do Ecossistema de Inovação", que fica na aba Iniciativas. Será preciso informar localização, área e tempo de atuação do empreendimento, se é público ou privado, e outros dados. "Assim, nós saberemos quantas startups temos, quantos produtos chegaram ao mercado, de que forma esses serviços estão chegando à população, e são essas informações que ajudarão para que tenhamos uma política pública mais consolidada e popularizada em todo o Estado", reforça a coordenadora.

Toda e qualquer atividade que envolva inovação é alvo do Mapeamento. "Não serve necessariamente só para o pessoal de TI. Às vezes é sobre um processo de extração, às vezes é algo desenvolvido pelas universidades, que são o nosso local de capital intelectual. É todo esse cenário dos empreendedores, empresas juniores e espaços de coworking", exemplifica Maria Trindade.

Inicialmente, o Mapeamento estava previsto para terminar no final de agosto, mas deve ser prorrogado até setembro, para que a Sectet possa propor uma comunicação mais interativa com o público e estimular o cadastramento. 

Nova etapa - StartUp Pará recebeu 76 inscrições na categoria "Novos Negócios", das quais 60 preencheram os pré-requisitos - que neste momento são apenas de conformidade e legalidade. Na modalidade "Aceleração" foram 30 inscritos e 15 selecionados. Somente nas próximas fases ocorrerão as análises qualitativas.

Serão destinados à iniciativa R$ 3,5 milhões, sendo investidos até R$ 2,8 milhões diretamente nos projetos. Para a modalidade Aceleração, as propostas devem ser de até R$ 200 mil, e para a modalidade Novos Negócios, de até R$ 80 mil. Os demais recursos financeiros serão usados no desenvolvimento do programa.

O Edital StartUp Pará foi lançado pelo governo do Estado no início de fevereiro deste ano. Dúvidas podem ser encaminhadas para o e-mail startuppara@fapespa.pa.gov.br. A lista dos selecionados pode ser conferida AQUI.

Texto: Carol Menezes (Agência Pará)

Foto: Agência Pará

Categorias: Notícias

Programa Forma Pará chega na segunda fase com 955 novas vagas em cursos de ensino superior

Sectet - sex, 21/08/2020 - 09:51
21/08/2020

O governo do Pará, através da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Educação Superior Profissional e Tecnológica (Sectet), dá continuidade a segunda fase do programa Forma Pará. O lançamento oficial será no próximo dia 25 de agosto em uma live com o governador do estado, Helder Barbalho. Serão oferecidos cursos em convênios com a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), a Universidade do Estado do Pará (Uepa), a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e o Instituto Federal do Pará (Ifpa). Nesta etapa, 955 vagas serão ofertadas por todo o Pará.

O processo seletivo será realizado via Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa, Fadesp, por conta da pandemia. Os editais serão publicados em setembro e as provas devem ser realizadas em dezembro. O calendário pode sofrer alterações, de acordo com o cenário da Covid-19 no Pará, para garantir a segurança de todos os candidatos.

O programa Forma Pará foi lançado em 2019 e tem o objetivo de oferecer capacitação, através do acesso ao ensino superior. Foram contemplados, inicialmente, 14 municípios em convênios firmados com a Ufpa, Uepa, Unifesspa e Uepa. Nesta segunda etapa, a Sectet firmou convênio com a UFRA e IFPA.  “Com a segunda fase, vamos alcançar 21 novas turmas. E a previsão é que tenham novas chamadas a cada ano, com o objetivo de interiorizar vários cursos para que as pessoas tenham acesso. E cada região tem sua peculiaridade e encaixamos com os cursos correspondentes para a formação de mão de obra especializada para cada município”, explica a secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes.

Nesta fase serão ofertados os seguintes cursos e municípios: gastronomia, em Icoaraci e Salinas; Agronomia, em Goianésia do Pará, Mocajuba, Ourém, Ulianópolis e Cachoeira do Piriá; licenciatura da computação em Mosqueiro; licenciatura em física em Muaná, licenciatura em História em Marituba; rede de computadores em Dom Eliseu; licenciatura em ciências biológicas em Novo Repartimento; ciências contábeis em Bom Jesus do Tocantins; engenharia florestal em Tailândia; administração em Abel Figueiredo; pedagogia em Itupiranga; medicina veterinária em Piçarra; psicologia em Jacundá e zootecnia em Ourilândia do Norte.

Para o acadêmico de administração na UFPA em Bagre, a oportunidade do Forma Pará veio transformar a realidade da sua região, possibilitando acesso à universidade pública e contribuindo para a formação de mão de obra qualificada no município. "Vejo o programa como uma oportunidade de mudar de vida, atribuindo melhorias para o município e visando o bem estar da população. Para nós conterrâneos foi uma oportunidade de mudar de vida, estudar em faculdade pública, nos possibilitando conhecimento, para juntos mudarmos futuramente a gestão do nosso município", disse Jesus Malato.

Serviço: Lançamento dos novos cursos do Forma Pará dia 25/08, às 11h, nas redes sociais e agência oficial do Governo do Pará.

Texto: Larissa Noguchi (Secom)
Foto: Ascom/Sectet

Categorias: Notícias

Governo do Pará alcança um milhão de processos eletrônicos tramitados

Prodepa - qui, 20/08/2020 - 17:23

O Governo do Pará chegou a um milhão de processos administrativos eletrônicos tramitados pelo sistema PAE. A marca foi anunciada, nesta quarta-feira (19), durante cerimônia no Palácio dos Despachos, pelo governador Helder Barbalho, ao lado da secretária de Estado de Planejamento e Administração, Hana Ghassan, e do presidente da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado (Prodepa), Marcos Brandão.

Tags: #Prodepa#PAE#Seplad
Categorias: Notícias

Governo do Pará entrega escola técnica de Santana do Araguaia

Sectet - seg, 17/08/2020 - 08:50
17/08/2020

“Essa escola representa para mim a realização de um sonho que eu nunca pensei que um dia fosse se tornar realidade. Hoje entrar nesse espaço e ver o tamanho dessa estrutura dentro do nosso município é para se emocionar”, disse o jovem Gabriel Oliveira, durante o ato de entrega da Escola de Ensino Técnico (Eetepa) de Santana do Araguaia, no sul do Pará.

Com a presença do governador do Estado, Helder Barbalho, a escola, que teve suas obras retomadas no ano passado, foi entregue à população da cidade na tarde desta quinta-feira (13).

“Hoje estou realizando um desejo de muito tempo, entregando essa escola fantástica para o povo de Santana do Araguaia. Acompanhei esta obra parada, abandonada, e hoje, passado um ano e meio de governo, estou aqui para dizer que a escola Tecnológica está pronta e entregue ao município. Acima de tudo, estamos renovando o compromisso com Santana do Araguaia, que possamos trabalhar cada vez mais para que esse município possa crescer e se desenvolver, e olhar pela educação é resgatar compromissos. Fazer obras de infraestrutura faz com que Santana viva um novo momento” - governador do Estado, Helder Barbalho.

A unidade de ensino vai oferecer cursos profissionalizantes voltados para a vocação socioeconômica da região. O espaço é composto por 12 salas de aula, auditório, laboratórios de informática, laboratórios especiais, biblioteca, anfiteatro, quadra esportiva coberta, bicicletário e motário.

No bloco de vivência, os alunos vão dispor de área de recreio coberta, cozinha, despensa, despensa fria, vestiários, cantina, dentre outros espaços.

Além do governador, também estiveram presentes na cerimônia de entrega a secretária de Estado de Educação, Elieth Braga; o secretário de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica, Carlos Maneschy; o presidente do Banpará, Braselino Assunção; o presidente da Companhia de Habitação do Estado do Pará, Adler Silveira; e o deputado estadual, Alex Santiago.

“A conclusão desta obra significa a renovação da vida das pessoas. Uma escola como essa tem que ser abraçada pela comunidade, peço para que a população cuide deste espaço, pois ele significa transformação, educação e novas oportunidades. Essa escola tem toda estrutura, é um local diferenciado. Quero dizer que o governador Helder me deu como missão a conclusão desta obra, ele tem um carinho muito especial por este município. A educação é prioridade nesta gestão, por isso, parabenizo o governo do Estado por concluir o que estava esquecido” - Elieth Braga, secretária de Educação do Pará.

A estrutura física do prédio também conta com um bloco administrativo, que possui sala dos professores, sala de multimídia dos professores, diretoria, coordenação pedagógica, coordenação de estágio, sala de reprografia, almoxarifado, secretaria, auditório e banheiros.

A princípio, quando as aulas presenciais retomarem, o prédio será utilizado para atender os alunos da Escola Estadual Jorceli Sillva Sestari, que está passando por obras e tem previsão de ser entregue nos próximos meses. Nesse tempo, será elaborado o projeto pedagógico da escola tecnológica, inclusive ouvindo o município.

“Para mim foi muito gratificante acompanhar a conclusão dessa obra, foi uma responsabilidade muito boa, é algo que acrescentou na minha vida dentro da educação. Já trabalho há mais de 40 anos na área em Santana do Araguaia. Esta escola apareceu como uma benção, pois agora teremos um local maravilhoso para os alunos, eles vão ficar bem acomodados até a entrega da nossa Escola Jorceli e será muito melhor para o aprendizado deles. Eu agradeço imensamente ao nosso governador por ter permitido estarmos aqui. Os jovens de Santana do Araguaia há tempos lutam por outros cursos e mais opções, eles estão muito gratos e ansiosos pelas novas oportunidades que chegam juntamente com essa escola”, contou a diretora da Escola Estadual Jorceli Sillva Sestari, Aldenora de Carvalho.

A unidade possui capacidade para atender 1.440 alunos, que terão a oportunidade de se prepararem para o mercado de trabalho de acordo com a demanda da sua localidade.

“Esse é o um momento singular na história do município. Como professor, estou honrado por estar inaugurando uma escola. Para mim, é a cerimônia mais importante que acontece em qualquer cidade, pois é na escola que cultuamos o que é mais valoroso para o ser humano: o saber. Construir aqui uma escola profissional significa um novo tempo para esse município, pois precisamos capacitar e dar oportunidade aos jovens que aqui residem, eles precisam de opções para trabalhar e ter renda e emprego” - Carlos Maneschy, secretário de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica.

“Este é o cenário, nessa escola vamos olhar com importância e cuidado para o interesse do município. Queremos saber da população quais as necessidades, quais cursos eles querem, vamos em busca de alcançar o interesse da comunidade. Esse é o tempo de novas oportunidades no município. O compromisso do governador com a educação é claro e o nosso trabalho é para alcançar os melhores indicadores na educação do Estado”, completou o titular da Sectet.

O prefeito explicou que a região é muito próspera e essa oportunidade de profissionalizar os jovens acrescenta no potencial de Santana do Araguaia. “A entrega dessa escola é muito importante para nossa cidade, para o nosso jovem. Hoje, recebemos uma das maiores escolas estaduais do Pará. Isso nos orgulha muito, só engrandece o nosso município e garante oportunidade para todos, aos nossos alunos e aos pais deles. Agradeço ao governador, pois tenho 40 anos de Santana do Araguaia e nunca um Governo investiu tanto em nosso município”, pontuou o prefeito do município, Zé do Quinca.

Movimento Educa Pará

No início do ano passado, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) criou o movimento Educa Pará: todos juntos pela garantia de aprender. O programa busca a construção de laços colaborativos entre estado, municípios, gestores públicos e educadores, para implementar no Pará a Agenda da Aprendizagem.

O Educa Pará tem se materializado de três formas e uma delas é na infraestrutura. Essa é 37° escola que o governo do Estado entregou. São unidades de ensino reformadas, ampliadas ou reconstruídas.

“Eu não consigo descrever com palavras a importância dessa obra para nossa cidade. Andar nesses corredores, entrar nas salas, me fez ter vontade de voltar a estudar. Espero que logo eu possa voltar como aluno, para desfrutar de tudo que estará disponível e aprender bastante dentro desse espaço que foi construído para a população de Santana. Assim que essa escola foi anunciada, foi algo que nos deu uma esperança de tempos melhores para nós, jovens, mas logo depois a obra foi paralisada e nós passávamos aqui na frente e só dava tristeza, tudo ficou abandonado. Ano passado, a obra foi retomada, e hoje estou aqui para aplaudir de pé. O governo do Estado está de parabéns e estou muito grato”, acrescentou Gabriel Oliveira.

Auxílio Habitacional

Durante a agenda em Santana do Araguaia, o governo do Estado entregou para auxílio habitacional para 50 famílias, por meio do programa Sua Casa. Gerenciado pela Cohab, o benefício assegurou mais de R$ 405 mil para a construção e reforma de casas.

"Criado na gestão do governador Helder, o Sua Casa garante dois auxílios importantes: o primeiro voltado para compra de material de construção civil e o segundo para o pagamento da mão-de-obra. Desta forma, garantimos o cumprimento da promessa de campanha de levar melhoria aos lares paraenses, principalmente, de quem não conseguia construir tendo apenas o material" - Adler Silveira, presidente da Cohab.

Asfalto por Todo Pará

Outro investimento do Governo do Estado no município de Santana do Araguaia é o programa “Asfalto Por Todo Pará”. Cerca de 3 km de pavimentação asfáltica e drenagem superficial estão sendo executados na cidade.

 

Texto: Bianca Buenaño (COSANPA)

Foto: Agência Pará

 

 

Categorias: Notícias

Parceria entre Estado e Hydro garante conclusão da escola técnica em Barcarena

Sectet - qui, 13/08/2020 - 09:18
13/08/2020

O governo do Estado deu mais um passo importante para garantir formação profissionalizante de qualidade em todo o Pará. Em parceria com a empresa Hydro, foi firmado na noite desta quarta-feira (12) um termo de compromisso para a construção da Escola de Trabalho e Produção de Barcarena, no nordeste paraense, que representa um investimento de R$ 25 milhões. A previsão é de que a obra seja entregue à população em 2021.

O acordo foi a solução encontrada pelo governador Helder Barbalho para a conclusão de um projeto iniciado há quase 12 anos, com milhares de reais em recursos públicos investidos, mas que não foi concluído. O projeto executivo passará por aprovação da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), mas todos os custos serão arcados integralmente pela empresa, que mantém no município a refinaria Alunorte e a fábrica de alumínio Albras. O documento foi assinado por Helder Barbalho e pelo vice-governador, Lúcio Vale. Outras autoridades também testemunharam o ato de assinatura.

"Não é uma nova contratação, não envolve dinheiro público, não é o imposto do paraense. Amanhã, eu e Lúcio vamos a Santana do Araguaia, na divisa do Estado com o Mato Grosso e o Tocantins, entregar uma escola técnica. Mês que vem, entregamos a de Breves. E até o fim deste ano, a de Xinguara. Ano que vem teremos, além da de Barcarena, a de Novo Progresso, e daremos início às de Parauapebas e Tomé-Açu. Esta é uma pauta que não pode ficar em segundo plano. Um povo só se desenvolve pelo conhecimento", enfatizou o governador.

Estrutura - Pelo projeto idealizado pelo Governo do Pará, a escola contempla estruturas comuns de auditório, biblioteca, laboratórios, áreas de vivência, teatro de arena para ações culturais, quadra poliesportiva e refeitórios, em uma estrutura inclusiva e acessível, desenvolvida com padrão arquitetônico de alto nível.

Ainda de acordo com o governador, os investimentos em uma cidade como Barcarena, que tem o porto mais importante do Norte do País, precisam ter efeito duradouro. "Até 2022 começam as obras da ferrovia que fará ligação com a ferrovia Norte Sul, com o Brasil. Precisamos preparar esse lugar para um novo tempo. Para paraenses, barcarenenses e brasileiros. Para o hoje e para o amanhã", reiterou Helder Barbalho.

A construção da escola deve gerar cerca de 250 vagas de empregos temporários, e serão priorizadas as contratações de fornecedores e mão de obra no próprio município.

Justiça social - "A Hydro está empenhada em contribuir de forma relevante para uma sociedade mais justa e viável, e para o desenvolvimento sustentável dos territórios nos quais está inserida. Essa iniciativa está alinhada a nossa estratégia de Responsabilidade Social Corporativa, que é orientada pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ONU)", ressaltou Anderson Baranov, vice-presidente de Relações Governamentais da multinacional norueguesa. 

Para o vice-governador, é fundamental priorizar ações que resultem em maior qualidade da educação oferecida pelo Estado. "Em uma ação firme, o governador Helder Barbalho destravou algo parado há mais de uma década, e pelo qual a população tanto espera", frisou Lúcio Vale.

Emprego e renda - Titular da Sectet, o secretário Carlos Maneschy afirmou que a escola técnica em Barcarena sinaliza uma mudança na vocação da própria Secretaria. "É investir em educação, e de maneira mais especial, em educação profissional. Estamos falando de um município vocacionado para o sucesso, e que precisa formar sua gente para a oportunidade de emprego e renda. É um compromisso do governador oportunizar pela experiência na escola a formação profissional que transforma suas vidas pra melhor", reforçou.

O prefeito de Barcarena Paulo Alcântara (MDB), confirmou a inabilidade das gestões anteriores em entregar um instrumento de formação tão necessário. "O que foi feito acabou depredado, e muitos não puderam se formar, entrar no mercado de trabalho", acrescentou.

Deputado estadual com atuação na região de Barcarena, Renato Ogawa (PL) destacou a importância da Escola de Trabalho para a juventude do município. "E também para as famílias barcarenenses, pela possibilidade de formação e ingresso profissional em um município que tem possibilidades empresariais e de indústria", acrescentou.

Moradia – Na ocasião também foi entregue o benefício do Programa Sua Casa para 60 famílias de Barcarena. O programa habitacional gerenciado pela Companhia de Habitação do Pará (Cohab) investiu mais de R$ 357 mil na construção e reforça das casas dos beneficiários.

"O recurso que foi repassado será utilizado pelas famílias na conclusão da obra. Desta forma, o governo está cumprindo com a promessa feita diretamente para a melhoria das habitações. O nosso programa já chegou aos quatro cantos do Estado", frisou o presidente da Cohab, Adler Silveira.

Texto: Carol Menezes (Agência Pará)

Fotos: Ana Carla Lima (Parápaz-Agência Pará)

 

Categorias: Notícias

A produção e a disseminação de notícias falsas são discutidas em live promovida pela Sectet

Sectet - qua, 12/08/2020 - 11:44
12/08/2020

Nesta terça-feira (11), servidores da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) debateram sobre os prejuízos causados pelas chamadas fake news, notícias falsas ou retiradas de contexto, principalmente neste período de pandemia. A live, iniciada às 9h30, teve como mediadora a coordenadora da Assessoria de Comunicação (Ascom) da Sectet, a jornalista Fernanda Graim, e como expositores o coordenador de jornalismo da rádio CBN, Danilo Pires, e o tecnólogo em Processamento de Dados, Augusto Motta, da equipe de Tecnologia da Informação (TI), da Sectet.

A realização de lives quinzenais faz parte das atividades do Programa Amplo de Valorização do Servidor, iniciativa do Núcleo de Acolhimento Psicossocial da Coordenação de Gestão de Pessoas (CGepes), ligada à Diretoria de Administração e Finanças (DAF) da Secretaria. A servidora Cristina Quirino, da CGepes, deu as boas vindas aos participantes e ressaltou que as reuniões virtuais são uma forma de aproximar os servidores dos diversos setores da secretaria e falar sobre temas atuais, assuntos referentes à rotina de trabalho ou ainda questões que atingem a todos, mesmo em suas vidas privadas.

Fernanda Graim iniciou as discussões falando sobre como as informações falsas colocam em descrédito o jornalismo e propagam discursos de ódio por meio das redes sociais. “Sabemos que há iniciativas que estão pressionando os responsáveis pelas plataformas de redes sociais a combaterem as fake news, como empresas que deixam de fazer anúncios nesses sites. Mas como nós podemos identificar e agir diante delas?”, questionou a coordenadora da Ascom Sectet, chamando ao debate o jornalista Danilo Pires.

Características - O coordenador de jornalismo da rádio CBN explicou como funciona a rotina para checar informações numa redação e quais são as características de uma notícia falsa, dando dicas de como identificá-las. “Verificar a fonte, procurar o link original, identificar o período em que a informação foi divulgada e procurar ver se a informação tem base científica ou é apenas baseada em uma opinião”, destacou Danilo Pires. Ele deu como exemplos casos de informações sobre receitas caseiras que levariam à cura da Covid-19, baseadas em crendices e não em informações cientificamente comprovadas.

O debate também destacou os prejuízos que uma informação falsa pode causar a quem é levado a usar receitas erradas para combater uma doença e as consequências à vida das pessoas vítimas de fake news, como casos extremos de agressões físicas a indivíduos acusados injustamente de terem cometido crimes. Augusto Motta falou sobre a dificuldade de se retirar da internet as notícias falsas. “A disseminação de uma fake news é muito rápida. Mas, mesmo por determinação da Justiça, a eliminação dessas mensagens em milhões de servidores é muito lenta. E se alguém, que baixou a mensagem ou fez print, republicar, ela volta a viralizar”, lembrou Augusto.

Conscientização - Dessa forma, tanto Augusto como Danilo e Fernanda chamaram atenção para a conscientização das pessoas em não repassar mensagens das quais não tenham certeza da veracidade. Adriana Nascimento, psicóloga da Sectet, falou sobre a empatia, a capacidade de se preocupar com o outro. “É preciso se preocupar se a mensagem que se pretende compartilhar não vai prejudicar alguém, caso não seja verdadeira”, disse.

Depois de duas horas de debate, a live foi encerrada com os agradecimentos a todos que participaram. “Nossos agradecimentos a todos, especialmente ao Danilo, à Fernanda e ao Augusto e aos demais que fazem parte do desenvolvimento do programa de valorização do servidor da Sectet. Este é um espaço de diálogo aberto a todos”, frisou Rita Matini coordenadora da CGepes”.

A próxima live será no dia 25 de agosto, com a participação do fisioterapeuta Thiago Rodrigues, mestre em saúde coletiva, que irá falar sobre “Como aliviar tensões durante a crise: o papel das terapias corporais”. Adriana Nascimento ressalta que os servidores podem enviar sugestões de temas que podem ser debatidos durante as lives. “Todos que queiram sugerir temas e participar como expositores podem e devem nos procurar. Inclusive a participação é extensiva aos familiares dos servidores. Todos são muito bem vindos”, destaca Adriana.

 

Categorias: Notícias

Matrículas do curso técnico em saúde bucal serão realizadas de 17 a 21/08

Sectet - seg, 10/08/2020 - 10:30
10/08/2020

Os candidatos selecionados para fazer o curso Técnico em Saúde Bucal devem fazer a matrícula no período de 17 a 21 deste mês. O curso é ofertado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), em parceria com a Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Pará (UFPA), com a interveniência da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp).

Os 40 aprovados na seleção foram divididos em cinco grupos de oito pessoas para fazer a matrícula em cada dia da próxima semana, evitando aglomerações, como orienta o protocolo de prevenção contra a pandemia da Covid-19.

Os candidatos devem comparecer nas respectivas datas, no Serviço Integrado de Diagnóstico Oral e Atendimento Odontológico para Paciente Especial - Sidope, localizado na faculdade de Odontologia, Campus da UFPA, no horário de 8h às 14h, portando documento de identificação original com foto e usando máscara, obrigatoriamente. 
A não efetivação da matrícula implica em reconhecimento de desistência do aluno, que fica automaticamente eliminado. Mais informações podem ser obtidas pelo 3201-8366. Confira AQUI nomes e datas de matrícula.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Programa Meu Endereço completa um ano de atuação nos bairros do TerPaz

Sectet - sex, 07/08/2020 - 09:01
07/08/2020

Iniciativa assiste famílias com cursos, capacitações e quer entregar 6.400 kits Meu Endereço, conjunto de peças técnicas que inclui a planta do imóvel, localização e parecer de condições de moradia

O programa “Meu Endereço – lugar de paz e segurança social”, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) em parceria com Universidade Federal do Pará (UFPA), completou um ano de atuação nos sete bairros atendidos pelo programa Territórios pela Paz (TerPaz), do Governo do Pará. Ao todo, 1.300 famílias já foram ouvidas e participaram de ações propostas pelo programa.

Titular da Sectet, Carlos Maneschy explica que, em geral, as pessoas em vulnerabilidade social não têm informações sobre várias situações de direitos de cidadania, como o próprio endereço. “Muitas vezes, a sua moradia não tem registro, não há informações sobre limitações do seu próprio terreno e o programa tem a ideia de mapear tudo isso, dando o suporte de informações sobre direitos das condições de cidadania e convivência urbana".

As equipes do programa têm formação diversa, a exemplo de historiadores, engenheiros, advogados, geógrafos, sanitaristas, entre outros profissionais. Todos foram selecionados nos bairros atendidos pelo projeto, o que facilita a interação social e a confiança no relacionamento durante a coleta de dados na comunidade. As informações são sobre as demandas relacionadas com a assistência técnica, resolução de conflitos socioambientais, suporte tecnológico ao endereço certo, regularização fundiária e os encaminhamentos aos programas sociais do governo.

Segundo Myrian Cardoso, coordenadora do projeto e professora da Faculdade de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFPA, foi debatido com as comunidades a importância do direito à cidade, assim como, a importância do levantamento de informações para cumprimento de normas de ordem pública. 

"Nós fizemos um trabalho de orientação à comunidade, de acolhimento de demandas, rodas de conversa, de vistorias técnicas e temos uma lista de espera por atendimento na comunidade. Então, neste montante de procedimentos, alcançamos 1.300 famílias", observou a coordenadora.

 A expectativa é de que em quatro anos, o programa atenda 16 mil famílias com orientações, cursos e capacitações e 6.400 kits Meu Endereço, que é o conjunto de peças técnicas (planta do imóvel, localização e parecer de condições de habitabilidade de moradia e estrutural).

Texto: Larissa Noriguchi (Secom)
Fotos: Bruno Cecim e Marcelo Seabra (Agência Pará)

Categorias: Notícias

Prodepa disponibiliza plataforma de videoconferência

Prodepa - qua, 05/08/2020 - 12:37

A Prodepa adquiriu a licença de acesso para uma moderna plataforma de videoconferência sem limite de tempo e com possibilidade de participação de até 200 pessoas simultaneamente. A ferramenta é um avanço em relação às plataformas tradicionais gratuitas, que possuem limite de tempo e de participantes. A grande vantagem é que órgãos de segurança pública, saúde e de educação por exemplo, terão a possibilidade de ampliar a capilaridade das salas de videoconferência, com a participação de um número bem maior de integrantes e com mais tempo para discussão.

Tags: #Prodepa#TerPaz#Videoconferencia
Categorias: Notícias

Fapespa e Sectet iniciam o levantamento do Ecossistema Pará

Sectet - ter, 04/08/2020 - 14:19
04/08/2020

Teve início nesta segunda-feira (3) o levantamento de informações para a base de dados do Ecossistema de Empreendedorismo e Inovação do Estado do Pará - Ecossistema Pará, que faz parte do Programa Startup Pará, desenvolvido pelo governo do estado por meio da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa) e da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet). A coordenadora do Startup Pará, Maria Trindade, explica que o Ecossistema Pará irá concentrar informações sobre o ecossistema de inovação do estado que irá nortear as políticas públicas do governo para o setor.

“Ciência, tecnologia e informação são fundamentais para o desenvolvimento e crescimento econômico, além de gerar renda e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Nós não temos uma base de dados para mapear ações concretas de políticas públicas voltadas para isto, então, é nessa perspectiva que esse mapeamento vem trabalhar para servir de direcionamento para novas políticas públicas”, salienta a coordenadora.

Mapeamento - O projeto tem o objetivo de mapear as instituições de base tecnológica, ICTs (Instituições de Ciência e Tecnologia), instituições de ensino, parques de ciência e tecnologia, incubadoras, startups, aceleradoras, empresas iniciantes, investidores e hubs de inovação e demais empreendimentos que formam o ecossistema de inovação do estado.

Para fazer esse levantamento, o programa disponibiliza em seu site um questionário que precisa ser preenchido por empreendedores e representantes de startups e demais instituições que compõem o ecossistema de inovação do Pará.

“O Ecossistema Pará é parte das ações que buscam tornar o Pará um ambiente amigável para empreendedores, sendo estratégico para apoiar nossas decisões, tão necessárias para as políticas públicas”, destaca o Secretário Carlos Maneschy.

Iniciativa - Para Fábio Mendes, que trabalha com tecnologia e informação há 10 anos, todos os programas que incentivam o crescimento das iniciativas tecnológicas são fundamentais para a aceleração e crescimento de empresas da área tecnológica.

“Quando você vai a um banco, por exemplo, é difícil conseguir empréstimo, pois não tem crédito para startup. Então, todos esses programas são muito importantes para a gente. O governo precisa estar integrado com esse tipo de novas empresas. Se isso acontece, há o senso de integralidade”, ponderou o empreendedor.

Recentemente, a empresa de Fábio Mendes lançou um aplicativo chamado Pimpo, que tem o objetivo de guardar dados sobre a saúde das crianças. A plataforma permite que pais e médicos possam deixar registradas informações sobre consultas, medicamentos, calendário de vacina e detalhes sobre os filhos. Tudo isso para deixar as informações arquivadas de maneira mais prática e à mão no celular, informou o empreendedor.

Contribua com o Ecossistema Pará preenchendo o formulário aqui

Texto: Compilado pela Ascom Sectet a partir de publicações da Secom (Larissa Noguchi) e da Fapespa.
Foto: Agência Pará (Marcelo Seabra)

Categorias: Notícias

Chamamento CDR

Sectet - sex, 31/07/2020 - 10:52
31/07/2020

Chamamento para propostas de projetos

A BioTec-Amazônia passou a conduzir no estado do Pará a implantação do Centro de Desenvolvimento Regional – CDR/PARÁ, que será realizado em etapas, por cada região do Estado.

O CDR tem por objetivo mobilizar as competências disponíveis nas instituições de ciência e tecnologia, nos órgãos das esferas federal, estadual e municipal e nas entidades do setor produtivo para colocar em prática projetos que ficaram apenas no papel ou nas prateleiras dos laboratórios e que podem, se colocados em prática, impactar positivamente no desenvolvimento local.

Diante dessa constatação, a BioTec-Amazônia está mobilizando os  pesquisadores, grupos de pesquisa, empreendedores, profissionais e demais entidades interessadas, atuantes na área da bioeconomia, para, até o dia 14 de agosto de 2020, apresentarem propostas para a composição de uma carteira de projetos, conforme critérios e diretrizes que foram elaborados,  para que seus resultados sejam aplicados em favor da sociedade.

Abaixo, os links para o Chamamento e Formulário.

CHAMAMENTO PARA PROPOSTAS DE PROJETOS

Anexo – Formulário

Fonte: http://biotecamazonia.com.br/

Categorias: Notícias

'Pesquise na Quarentena' incentiva troca de conhecimento durante a pandemia

Sectet - qua, 29/07/2020 - 09:27
29/07/2020

Uma forma de fazer os pesquisadores continuarem a compartilhar os resultados de seus estudos motivou a criação da campanha "Pesquise na Quarentena", iniciativa da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa). A primeira etapa, envolvendo a adesão de bolsistas de cursos de graduação ao projeto, já foi encerrada, e uma nova deve se abrir em agosto para mestrandos e doutorandos.

De acordo com o coordenador de bolsas da Fapespa, Alexandre Diniz, a campanha surgiu da discussão sobre como disponibilizar o conteúdo produzido pelos profissionais de pesquisa. "Em vez de conteúdo por meio de artigo, que é mais demorado, exige criação de comissão, pensamos em fazer depoimentos por podcast, ainda mais agora em quarentena. Veio a ideia de algo voltado a esse momento", informou. Atualmente, cerca de 500 pesquisadores integram a iniciativa.

Com o apoio de pró-reitorias da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), que têm convênios com a Fundação pelo período 2019-2020, bolsistas de diferentes áreas do conhecimento foram contatados. Layane Sena, estudante do 8º semestre de Terapia Ocupacional na UFPA, foi uma das participantes da primeira etapa do "Pesquise na Quarentena", com um projeto voltado ao ensino de repertório de leitura, construção e escrita à mão para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

"Recebi um convite por e-mail, falando que estavam realizando essa campanha, e quis participar para mostrar o trabalho que tem sido desenvolvido, que não parou por causa da pandemia. Até porque eu conto com o apoio dos pais, que receberam treinamento antes da crise sanitária e desenvolvem as atividades em casa com os filhos, e me passam os resultados", contou a estudante.

Troca de conhecimento - O ponto alto da campanha é que na plataforma criada para o compartilhamento todos os pesquisadores têm acesso aos conteúdos dos demais bolsistas - inclusive por meio dos podcasts de um minuto, que resumem os resultados obtidos. "Isso foi muito importante. A troca é muito válida, porque a Universidade é muito grande, há vários projetos sendo desenvolvidos, e assim podemos conhecer um pouco melhor sobre", disse Layane Sena. "A gente parou o presencial, mas a pesquisa não para", reforçou a estudante.

"É muito legal criar a oportunidade de os estudantes se ouvirem. Nesta segunda etapa, a abordagem é diferente, porque são trabalhos que variam entre 24 e 48 meses de duração, e a ideia é mostrar o que já temos de resultados obtidos. A atuação em campo pode ter parado, mas todos os outros processos não: conferências, reuniões e defesas seguem no remoto. O ganho é circular a informação. Não é uma campanha desenvolvida para apresentar relatório, mas de estimular a disseminação da pesquisa", enfatizou Alexandre Diniz.

Estímulo – A estudante Flávia Alcântara Coutinho, do 8º semestre de Biomedicina do Centro Universitário Metropolitano da Amazônia (Unifamaz), desenvolve uma pesquisa sobre doença hemolítica do recém-nascido, pela Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa). Ela também integrou o grupo de estudantes de graduação que fez parte da primeira etapa do "Pesquise na Quarentena". "Achei muito importante, porque me incentivou a continuar pesquisando, buscando eventos on-line para submeter resultados que eu já tinha. Pelos podcasts deu para conhecer outros laboratórios, setores de outros bolsistas", contou Flávia, que desenvolve a pesquisa há um ano.

"O ganho, além da contribuição para minha formação pessoal e profissional, é divulgar a respeito de uma doença tão importante para a comunidade científica, não só para a hematologia, mas para a comunidade obstétrica e médica em geral", ressaltou.

Texto: Carol Menezes (Secom)

Fotos: Divulgação

Categorias: Notícias

Sectet divulga nomes dos 40 selecionados para a turma de Técnico em Saúde Bucal

Sectet - ter, 28/07/2020 - 16:21
28/07/2020

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) divulgou, na tarde desta terça-feira (28), os nomes dos 40 candidatos selecionados para o curso Técnico em Saúde Bucal, oferecido pelo órgão em parceria com a Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Pará (UFPA), que será executora do curso, e com interveniência da Fundação de Amparo ao Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp).

O curso, de caráter teórico-prático, tem o objetivo de proporcionar a educação profissional em saúde bucal, no nível habilitação profissional de Técnico de Saúde Bucal. São 1.200 horas de carga horária, das quais 150 serão destinadas a estágios de aprendizagem, orientados e supervisionados pela Universidade.

No total foram realizadas 1.513 inscrições, no período de 4 a 6 de março, para as 40 vagas ofertadas. Desses candidatos, primeiramente 60 foram selecionados para a etapa de entrevista com os professores da Faculdade de Odontologia da UFPA. Entretanto, devido ao isolamento social exigido para a contenção da pandemia de Covid 19, o processo seletivo ficou suspenso até meados do mês de julho quando mais 14 pessoas foram chamadas para participar da segunda etapa do processo de seleção.

Os nomes dos candidatos selecionados para integrarem a turma de técnico em saúde bucal pode ser encontrado AQUI. A Sectet divulgará na próxima semana as datas para matrículas e início das aulas.

 

Texto: Fernanda Graim – (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Casa da Cultura de Salinópolis: Governo valoriza patrimônio histórico e incentiva pesquisa

Sectet - seg, 27/07/2020 - 09:21
27/07/2020

O governador Helder Barbalho visitou, na manhã desta sexta-feira (24), as obras de construção da Casa da Cultura de Salinópolis. O espaço, que terá capacidade para promover eventos para mais de 500 pessoas, conta com auditório, sala de informática, biblioteca e salas de pesquisa. O projeto da Casa da Cultura é todo financiado pelo Estado e deve ser entregue ainda no segundo semestre deste ano.

“Salinas irá ganhar um rico espaço, a Casa da Cultura será um equipamento que trará para o município uma estrutura que fortalece a cultura, o acesso à informação e também amplia os ambientes de lazer e turismo para cidade”, comentou Helder Barbalho.

Durante a visita, o chefe do executivo destacou a dimensão da obra que além de valorizar a cultura, proporciona a geração de emprego e renda na região. “Neste espaço teremos ambiente de leitura, bibliotecas multifuncionais, teremos também espécies da fauna da nossa região, mostrando também a riqueza dos nossos peixes. Além disso, teremos um local adequado para estimular turismo de eventos, convenções, gerando emprego e desenvolvimento para região, além de embelezar ainda mais o município”, disse o governador.

A Casa da Cultura Fonte do Caranã vai funcionar no Espaço Fonte do Caranã, um local que vai incentivar, administrar e organizar atividades culturais no município, além de conservar o patrimônio histórico, artístico e cultural da cidade. 

Pesquisa - Também participaram da visita, o Secretário de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica, Carlos Maneschy, e o presidente da Companhia de Habitação do Estado do Pará, Adler Silveira.

“Teremos três grandes espaços para reuniões públicas, com capacidade para 500, 300 e 100 pessoas. Uma biblioteca para atender toda população e espaços de internet para que alunos possam fazer suas pesquisas. E é também um lugar para receber pesquisadores de várias áreas, que vão trabalhar em pesquisas voltadas ao interesse local. Aqui será um ambiente que completa o que é feito na academia, na experiência universitária”, explicou o secretário Carlos Maneschy.

“Essa obra é um exemplo que o governo do Pará investe na criação de espaços de cidadania, e busca fazer com que a população compreenda a importância do que representa a ciência, a tecnologia e a inovação para todos nós”, acrescentou Maneschy.

O arquiteto do projeto, João Castro Filho, contou que o prédio de quatro andares, instalado em uma área de 1.800 m², terá formato de peixe. “Vamos aproveitar a água da fonte do Caranã para fazer um lago aquário com peixes da região. Dentro desse lago irá emergir o prédio, no térreo terá um espaço para apresentações, no segundo andar terá um auditório multimídia e as salas para pesquisa, no terceiro andar será uma grande biblioteca e no quarto andar teremos o mirante que será parte da vista para cidade e outra para o mar”, detalhou o arquiteto.

O local será gerenciado pela Universidade Federal do Pará, por meio de convênio entre a instituição e o governo.

Fonte: Agência Pará

Categorias: Notícias

Páginas