• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:

Sectet realizará levantamento de demandas de qualificação profissional em Santa Izabel do Pará

Sectet - ter, 06/12/2016 - 11:19
06/12/2016

Dialogar com diferentes atores sociais para elaborar diagnósticos acerca do mundo do trabalho e realizar levantamentos de demandas de qualificação profissional às potencialidades locais. Esse é o objetivo da oficina “Educação Profissional x Cadeias Produtivas: demandas e ofertas”, que ocorrerá nesta quarta-feira, 7, no município de Santa Izabel do Pará.

A oficina é uma realização da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), em parceria com a União de Centro Comunitário, Cooperativados e Associativados, Associações de Moradores, Entidades Populares e Ambientalista de Santa Izabel do Pará (UCAMEPASIPA), e conta com o apoio da Câmara Municipal de Santa Izabel do Pará. A iniciativa integra as ações do Programa Pará Profissional.

Empresários, membros de sindicatos, de ONGs, de Secretarias Municipais e representantes das comunidades locais podem participar gratuitamente do evento. “Queremos um levantamento que seja o mais próximo da realidade das cadeias produtivas do município, visando à empregabilidade e o autoemprego para contribuir no melhoramento dos indicadores socioeducacionais do Pará”, explica a coordenadora de qualificação profissional da Sectet, Sonia Mendes.

Serviço

Oficina “Educação Profissional x Cadeias Produtivas: demandas e ofertas

Realização: 07 de dezembro de 2016, das 9h às 14h

Local: Câmara Municipal de Santa Izabel do Pará (Rua Valentim José Ferreira, 1320)

Mais informações: (91) 3744-1296 ou 98704-2253

Texto: Igor de Souza (Ascom Sectet)

Categorias: Notícias

Conselho de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica tem a última reunião do ano

Sectet - sex, 02/12/2016 - 14:08
02/12/2016

Ocorreu, na manhã desta sexta-feira (02), a última reunião do ano do Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Consectet), cujo objetivo é prestar assessoramento superior à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica na elaboração e execução de políticas públicas para o setor. O Conselho é composto por representantes de vinte e cinco instituições ligadas ao setor, entre elas secretarias de estado, universidades, instituições de pesquisa e outros órgãos afins.  

O encontro contou com um balanço com as principais ações desenvolvidas, em 2016, pela Secretaria e pelas instituições vinculadas a ela.   A Sectet foi a primeira a apresentar seus principais programas e projetos desenvolvidos este ano. O titular da Sectet e presidente do Conselho, Alex Fiúza de Mello, apontou como os principais destaques a aprovação da Lei Estadual de Inovação, da Lei do Programa Pará Profissional e a inauguração do Espaço Inovação. 

 A secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enriquez, apresentou o Programa Inova Pará, cujo objetivo é fomentar a implantação e consolidação ambientes e ferramentas de inovação voltados ao desenvolvimento das principais cadeias produtivas do estado.  “Dependendo das potencialidades de cada região, buscaremos dar as condições para que sejam implantados sistemas regionais de inovação, seja por meio de editais específicos, implantação de parques tecnológicos, escritórios de transferência de tecnologia, incubadoras de empresas ou outros meios ajustados a cada realidade”, destacou a secretária. 

O Programa Pará Profissional foi o tema da apresentação do diretor de Educação Profissional e Tecnológica da Sectet, Luis Blasques. Na ocasião ele apontou os avanços que a nova lei traz em seu arcabouço e seis diferenciais ao tornar a oferta de cursos profissionais e tecnológicos algo mais dinâmico e flexível. 

A diretora da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação (Prodepa), Leila Daher, falou sobre a expansão da internet de banda larga do Navegapará. “Nossos maiores investimentos em 2016 foi na expansão da rede fibra óptica em virtude da enorme potencialidade dela na transmissão de dados.  Captamos parceiros e estamos dividindo custos e aumentando o número de beneficiados com internet de qualidade e barata”. 

O diretor da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), Alberto Arruda, falou sobre as ações da Fapespa, enfatizando os editais lançados ao longo do ano, como os do Programa InterPará, que contemplaram especificamente quatro regiões do estado.  

Na sequência, o diretor-presidente da Fundação Guamá, Antonio Abelém, apresentou os avanços no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá em função da inauguração, em junho, do Espaço Inovação. Segundo ele, o ambiente já está com oito startups e seis instaladas, além dos Laboratórios seis laboratórios, os quais já estão prestando serviços à sociedade.

Participaram da reunião do Consectet representantes das seguintes instituições:  Secretarias de Estado de Turismo (SETUR), de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (SEDEME), de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (SEDAP); Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG); Universidade do Estado do Pará (UEPA); Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Instituto Evandro Chagas (IEC), Banco da Amazônia (BASA); SOBER; Fundação das Associações de Municípios do Pará (FAMEP); Embrapa; Emater, Sebrae, Fiepa, Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá). 

Texto: Ana Carolina Pimenta (Ascom Sectet)

 

Categorias: Notícias

Especialização

Sectet - qua, 30/11/2016 - 10:35
30/11/2016

Sectet e EGPA ofertarão pós-graduação para servidores da secretaria e orgãos afins

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) estabeleceu parceria com a Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA) para ofertar pela primeira vez no estado a pós-graduação lato sensu em Gestão de Ciência e Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica. O curso de especialização é destinado aos servidores públicos graduados em nível superior pertencentes ao quadro de servidores da Sectet e outros órgãos do governo que atuam em áreas afins. 

O curso terá 25 vagas e contará com conteúdos variados destinados a aperfeiçoar as habilidades dos servidores para que eles possam estar aptos a elaborar projetos, realizar a gestão de programas específicos para o setor de Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I) de Educação Profissional e Tecnológica (EPT). As disciplinas serão ofertadas em três módulos, que juntos somarão 360 horas/aula. Os módulos I e II serão comuns a todos os servidores, já o terceiro é o momento de o servidor eleger qual é a área em que pretende realizar o instrumental: ou em CT&I e EPT.
 As disciplinas serão ofertadas no período das 8h às 14h, em horários específicos de acordo com a disponibilidade dos professores de cada disciplina. A coordenadora do Curso pela Sectet, Tânia Santos, explica como funcionará na prática. “As disciplinas são de 20 h. Cada professor ministrará de acordo com sua disponibilidade de horário, em acordo com a turma. Assim, por exemplo, uma disciplina poderá ser ofertada das 8h às 12h, cinco dias numa só semana. Outra poderá ser ofertada em duas semanas, das 10h às 12h.”, explica.  

Espera-se que, após o cumprimento do conteúdo, os técnicos da Sectet e dos mais órgãos estatais que lidam com C&T estejam mais preparados para a gestão das políticas públicas específicas do setor, como capacitados a analisar e formular projetos capazes de atrair investimentos para esta área de atuação, que representa a base para a construção de um futuro mais promissor para todos os paraenses", ressalta o secretário de estado Alex Fiúza de Mello. 

A pós-graduação está prevista para ter início no dia 15 de janeiro de 2017.

Categorias: Notícias

Doador Voluntário

Sectet - qua, 23/11/2016 - 13:33
23/11/2016

Servidores da Sectet participam de campanha de doação de sangue no Hemopa 

Doze servidores da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) participaram hoje, 23, da campanha “Instituição Cidadã”, promovida pela Fundação Hemopa em alusão ao Dia Nacional do Doador Voluntário. A campanha tem o objetivo de incentivar a doação de sangue dos servidores públicos estaduais para o abastecimento do banco de sangue do Hemopa. 

A ida dos servidores à Fundação foi viabilizada pela Coordenadoria de Gestão de Pessoas, que efetuou a inscrição dos interessados e disponibilizou transporte. 

“Decidi doar sangue porque já precisei da doação de outras pessoas para meu pai, que estava muito doente na ocasião. Foi minha primeira experiência como doadora de sangue e pretendo continuar com esse ato, pois percebi a importância dele”, conta a servidora Luciana Alvarez, lotada no Gabinete da Sectet. 

A campanha do Hemopa continuará até o dia 25 de novembro, e os interessados podem realizar a doação na sede da Fundação (Tv. Padre Eutíquio, 2109), das 8h às 18h.

Texto: Igor de Souza – Ascom Sectet  

 

Categorias: Notícias

Governador sanciona leis para dinamizar a economia paraense durante Feira do Empreendedor

Sectet - qui, 17/11/2016 - 11:22
17/11/2016

O governador Simão Jatene sancionou na noite desta quarta-feira (16) dois importantes instrumentos que vão impulsionar e dinamizar a economia paraense: a Lei do programa Pará Profissional e a Lei Estadual de Inovação. A assinatura ocorreu durante a abertura da 8ª Feira do Empreendedor, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. Na ocasião, o chefe do Executivo Estadual também fez a entrega do Estatuto da Micro e Pequena Empresa aos representantes do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Pará (Sebrae/PA).

"Essas três ferramentas contribuem para o dinamismo do mercado e para que cada um possa desenvolver todo o seu potencial, que possa ser um protagonista do seu tempo. E em um momento como esse que estamos vivendo, de crise, isso é fundamental. Certamente, quando conseguirmos sair dela estaremos mais preparados para enfrentar e aproveitar a fase de retomada do crescimento", afirmou Simão Jatene.

O Pará Profissional busca a qualificação de jovens e adultos por meio da educação profissional e tecnológica. A base do ensino levará em consideração as demandas sociais existentes, as vocações produtivas regionais, a superação das desigualdades, a promoção da inclusão social, entre outros fatores que garantam maiores oportunidades de trabalho, emprego e renda para os cidadãos.

Para o governador, o processo de qualificação profissional tem que ter agilidade, mas tem que se adaptar às demandas do momento. "Como ainda não se tinha uma estrutura ágil, que valorizasse a expertise de alguns profissionais em detrimento da fomação de pessoas, muitas vezes acabava se perdendo a chance de gerar um novo posto de trabalho que pudesse ser ocupado por alguém daqui. E com esse programa você trabalhará a capacitação de acordo com a necessidade do mercado local, se adaptando aos ciclos da economia", explicou o governador.

Entre os objetivos específicos estão a promoção de cursos profissionalizantes nas modalidades de ensino técnico subsequente e a formação inicial e continuada; formação de parcerias que potencializem, em termos técnicos e financeiros, as ações do programa; interiorização da educação profissional e tecnológica por meio de parcerias com municípios e demais atores locais e regionais; e o maior alcance de pessoas por meio da implantação de um sistema eficaz de educação a distância. O programa prevê ainda a oferta de cursos de capacitação aproveitando, além das escolas tecnológicas estaduais, espaços como as escolas estaduais e municipais de ensinos Fundamental e Médio ou ambientes adequados oferecidos por empresas.

Oportunidades - Outro dispositivo para o desenvolvimento do Estado é a Lei Estadual de Inovação. A legislação facilitará a cooperação entre os setores público, privado e a academia, incentivando a pesquisa, extensão científica, inovação e desenvolvimento de produtos mais competitivos diante do mercado nacional e mundial.

"A ciência só tem sentido se for colocada à serviço da população. Esse processo de produção científica e de transformação do conhecimento em algo prático, em uma ferramenta ou equipamento que melhore a vida das pessoas, é um caminho complexo. E o que o programa de inovação busca é incentivar que esse processo para que o caminho a ser percorrido seja mais curto, mais rápido e possa atender a maioria da população", destacou Simão Jatene, lembrando que, ao direcionar recursos para projetos inovadores, o governo estimulará a competitividade e o desenvolvimento econômico e social no estado.

Durante a cerimônia, o governador fez ainda a entrega do Estatuto da Micro e Pequena Empresa, uma iniciativa do Fórum Estadual das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Pará – FEMEP. O documento assegura benefícios como a ampliação da participação do setor nas compras governamentais, facilidade no acesso ao crédito e estímulo à inovação e à educação empreendedora, além da simplificação de procedimentos.

"O Estatuto abre possibilidades de negócios na relação do privado com o Estado, mas, particularmente, dando uma atenção especial para o micro e pequeno empreendedor que, apesar de ter menos chance de competir, têm um papel fundamental na nossa economia. Então e Estatuto permite que eles possam cada vez mais, com apoio do Estado e de políticas públicas, ampliar o seu potencial", frisou Jatene.

Segundo dados do Sebrae-PA, em 2015, as pequenas e micro empresas responderam por 96,6% dos empreendimentos e por 31,4% do total de empregos formais gerados no estado, percentual superior à média nacional, de 95%. "Este Estatuto é um dos mais modernos do Brasil, principalmente no quesito de compras públicas. Nesse momento delicado da economia, flexibilizar esse acesso dá mais competitividade e uma melhor condição para que essas pequenas empresas tenham mais acesso a recursos, alcancem um desenvolvimento mais acelerado e gerem mais emprego e renda", pontuou diretor superintendente do Sebrae-PA, Fabrizio Guaglianone.

Tanto o Pará Profissional quanto o Estatuto fazem parte das 17 medidas assinadas pelo governador Simão Jatene, em junho deste ano, durante o lançamento oficial do programa Pará 2030, planejamento estratégico para o desenvolvimento econômico e social do estado que tem como base a sustentabilidade. Ainda segundo o governador, as três iniciativas estão em consonância com os desafios e a própria essência do projeto.

“O Pará 2030 procura identificar aquelas cadeias produtivas que tem maior potencial de geração de renda, emprego e de articulação com outras atividades para dinamizar a economia. Mas, para isso, é necessário que, primeiro, você tenha pessoas capacitadas para trabalhar nessas atividades, daí o programa de formação, e para isso é importante que tenhamos programas que projetem os resultados das descobertas científicas para melhorar a qualidade dos produtos nessas cadeias. Da mesma forma, é importante que todos os atores tenham a chance de participar desse processo, entre eles as micro e pequenas empresas", reiterou o governador.

Feira do Empreendedor – Com o tema “Negócios que pulsam no ritmo das oportunidades”, a 8º edição da Feira do Empreendedor busca fomentar a criação de um ambiente favorável para a geração de oportunidades de negócio, incentivando o surgimento, a ampliação e a diversificação de empreendimentos sustentáveis. Na programação, palestras, seminários, encontros de negócios, rodadas e oficinas distribuídas em 15 salas e três auditórios, totalizando cerca de 300 eventos de capacitação. A expectativa é que mais de 17 mil pessoas visitem a feira durante os quatro dias de programação.

"Nós teremos algo em torno de 20 mil vagas de capacitação em diversos temas e segmentos. Isso faz muita diferença, pois hoje o consumidor tem mais informação, é mais exigente e cobra mais das pequenas empresas. Por sua vez, elas estão atentas a essas mudanças e se preparando para se reposicionar", destacou Fabrizio Guaglianone.

A feira deste ano conta com mais de 100 estandes onde os visitantes terão acesso a máquinas, equipamentos, produtos e serviços que os auxiliem a iniciar, expandir e diversificar seus negócios. As secretarias estaduais ligadas ao setor produtivo, de saúde e de meio ambiente também participam do evento compondo o estande da RedeSimples - Integrador Pará. O serviço permitem ao empreendedor que já estiver em dia com a documentação da sua empresa, legalizá-la em tempo reduzido e receber orientações das instituições envolvidas no processo em um único lugar.

Entre as instituições presentes estão a Secretaria de Meio Ambiente (Semas), Secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Divisão de Polícia Administrativa (DPA), Vigilância Sanitária/Secretaria de Saúde (Sespa), Junta Comercial do Pará (Jucepa), Receita Federal do Brasil, Secretaria de Estado de Fazenda (Sefa), Corpo de Bombeiros, prefeituras de Belém, Ananindeua e Marituba.

"Hoje o esforço do Sebrae-PA não é apenas prestar serviço para o micro e pequeno empreendedor, mas fazer com que essas empresas se tornem cada vez mais produtivas e competitivas. Temos consciência de que exercemos um papel fundamental no desenvolvimento do estado. Acreditamos que fomentar os pequenos negócios é um dos caminhos para que o país possa superar a crise", comentou o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae, Fernando Yamada.

E os números confirmam isso. Segundo Yamada, cerca de 95% das empresas brasileiras são micro e pequenos empreendimentos e respondem por 60% dos empregos gerados no país."E nessa crise elas têm feito toda a diferença. Em 2004, 84% dos novos empregos foram gerados por elas. E em nosso Estado não é diferente. Cerca de 93% das empresas daqui são micro e pequenas, então é muito mais do que nossa obrigação apoiá-las", completou Fernando Yamada.

Em sua última edição, em 2012, a Feira recebeu mais de 12 mil visitantes e reuniu 120 estandes distribuídos em uma área de 8.500 m². O evento também contou com mais de cem eventos que integraram a programação com orientação empresarial, palestras, encontros, oficinas, rodadas de negócios e workshops. A Feira do Empreendedor 2016 segue até o dia 19, no Hangar, com entrada franca.

Também participaram da cerimônia de abertura o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho; o prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro; o titular da Sedeme, Adnan Demachki; o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes; a presidente da Junta Comercial do Pará, Cilene Sabino; o vice-presidente da Federação do Comércio de Bens e Serviços do Pará, Omar Fernandes; o presidente da Associação Paraense de Supermercados, Jorge Portugal; o presidente da Associação Comercial do Pará, Fábio Lúcio Costa; o superintendente do Sebrae no Amapá, João Carlos Calage Alvarenga, entre outros secretários de estado, autoridades locais e conselheiros do Sebrae no Pará.

Texto: Lidiane Sousa - Agência Pará

Categorias: Notícias

Inscrições seguem abertas para 400 vagas gratuitas em cursos de qualificação profissional

Sectet - qui, 10/11/2016 - 16:16
10/11/2016

Quinze cursos de qualificação profissional, ofertados pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), tiveram seus prazos de inscrições prorrogados, conforme edital de prorrogação divulgado hoje, 10, no Diário Oficial do Estado (DOE). Ao todo são 400 vagas gratuitas destinadas a jovens e adultos de diversos municípios do Pará. 

São Miguel do Guamá, Tucuruí, Acará, Barcarena, Cametá e Belém são algumas das cidades que possuem capacitações, as quais objetivam promover a qualificação da mão de obra regional no âmbito do Programa de Educação Profissional e Tecnológica do Estado do Pará – Pará Profissional, contribuindo, assim, para a geração de emprego e renda em todas as regiões de integração do Estado. Os cursos serão executados pelas Unidades de Ensino do Senai/PA, contratadas pela Sectet. 

Além da prorrogação, o edital prevê a alteração do período de realização de oito cursos que já tiveram suas inscrições encerradas, tendo em vista o atendimento às necessidades de logística de alguns municípios. As capacitações teórico-práticas ofertadas são presenciais e variam de acordo com as demandas do setor produtivo de cada município. Um dos diferenciais na oferta destes cursos é que a parte prática será ensinada no ambiente de indústrias e empresas parceiras, que disponibilizarão seus espaços para que as aulas alcancem os objetivos esperados, que é tornar os participantes aptos a trabalhar.

Em Barcarena, por exemplo, são 25 vagas para o curso de “Técnicas de reparação de sistemas de injeção eletrônica de motocicletas” e de “Técnicas de manipulação de produtos químicos (N2)”. Já em Itaituba, as capacitações são voltadas para o aperfeiçoamento profissional daqueles que trabalham do setor da construção civil do município, com o curso “Técnicas de aplicação de revestimento cerâmico e porcelanato” e “Técnicas de segurança na operação de trator”. 

Inscrição – Os interessados podem efetuar a inscrição gratuita pelo site: http://ead.sectet.pa.gov.br/inscricoes/. Após seleção interna, a efetivação da matrícula ocorrerá com apresentação dos documentos do candidato às Unidades de Ensino do Senai/PA nos municípios ofertantes. O edital completo da prorrogação, contendo os cursos, número de vagas e municípios atendidos, pode ser acessado neste link. Mais informações pelo email: para.profissional2016@gmail.com ou pelo telefone: 4009-2559.

Texto: Igor de Souza - Ascom Sectet

Categorias: Notícias

EDITAL Nº 006, DE 09 DE NOVEMBRO DE 2016. ALTERAÇÃO DOS PERÍODOS DE REALIZAÇÃO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA, NA MODALIDADE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PREVISTOS NO EDITAL SECTET Nº 002, DE 07 DE OUTUBRO DE 2016

Sectet - qui, 10/11/2016 - 16:10
Data do Edital: 10/11/2016

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (SECTET), no uso de suas atribuições legais, torna pública a ALTERAÇÃO dos Períodos das datas de início e termino de cursos de Qualificação Profissional, e dos prazos de inscrições, originalmente previstos no Edital SECTET Nº 002, de 07 de outubro de 2016.

AnexoTamanho Edital_nº06.pdf394.09 KB
Categorias: Notícias

Sectet oferta curso para formar profissionais da cadeia pecuária

Sectet - qui, 10/11/2016 - 10:08
10/11/2016

A pecuária tem se firmado como um dos pilares da economia paraense. O Pará é o quarto maior produtor de carne do Brasil, com o quinto maior rebanho. Para elevar esse potencial e fortalecer a cadeia da indústria frigorífica, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) oferta pela primeira vez no Estado o curso de Magarefe, profissional responsável pelo preparo adequado da carne. A formação inicial e continuada integra o Programa Pará Profissional e é ofertada em Paragominas, no nordeste paraense, e Rondon do Pará, no sudeste.

Ao final de dois meses, os 80 alunos capacitados em quatro turmas, duas em cada município, estarão aptos a trabalhar com o abate adequado de bovinos e aves, o manejo de máquinas específicas para a função, a separação e limpeza de carcaças de animais (aves, bovinos, caprinos, ovinos e suínos), o tratamento de vísceras, o preparo, desossa e identificação de carnes para comercialização, entre outras funções relacionadas.

O conteúdo é ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e está em conformidade com as normas e procedimentos técnicos e de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental. A parte prática será ministrada nos ambientes industriais cedidos pelas empresas Fortefrigo e Frical, parceiras da Sectet. A expectativa é que ambos os frigoríficos possam empregar uma parte dos alunos formados e que os outros possam ser empregados em outras empresas da região.

O diretor de Educação Profissional e Tecnológica da Sectet, Luís Blasques, explica que, além do curso de Magarefe, a secretaria oferta ainda neste semestre, no âmbito do Pará Profissional, 55 cursos de diferentes modalidades, em 20 municípios. “Assim, esperamos contribuir para aumentar os índices de empregabilidade em todas as regiões do estado”, destaca.

O Programa Pará Profissional é coordenado pela Sectet e tem como principal finalidade ampliar, flexibilizar e dinamizar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica em todo o Estado. O programa leva em conta as demandas sociais existentes, as vocações produtivas regionais e a necessidade de se criar maiores oportunidades de emprego para os cidadãos. O programa integra o Plano Estratégico de Desenvolvimento do Estado Pará 2030, que traça diretrizes elevar os índices de desenvolvimento social a partir do incentivo à verticalização das cadeias produtivas do Estado.

Texto: Ana Carolina Pimenta - Ascom Sectet

Categorias: Notícias

Indicação Geográfica

Sectet - qua, 09/11/2016 - 10:53
09/11/2016

Universitec abre inscrições para minicursos sobre Indicação Geográfica 

A Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec) promove uma série de minicursos sobre Propriedade Intelectual até o final de novembro. Um dos temas a serem abordados é a relevância da Indicação Geográfica. 

Com o titulo “Indicação Geográfica – Qual a importância desse registro para o desenvolvimento da economia do Estado?”, o minicurso visa esclarecer do que se trata o conceito de Indicação Geográfica e como ele pode influenciar no desenvolvimento de uma região, estimular o turismo e economia local/regional com a valorização e reconhecimento de produtos oriundos de determinada região, e que tenham se tornado conhecidos devido à sua forma de produção, extração ou fabricação. A advogada e assessora de Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual, Magáli Coelho, informará os participantes sobre o assunto.

Você pode se inscrever nos minicursos presencialmente na secretaria da Universitec. O investimento para cada minicurso é de R$10,00 e o valor para o combo com os cinco eventos é de R$40.00.

Serviço:
Minicurso “Indicação Geográfica – Qual a importância desse registro para o desenvolvimento da economia do Estado?”
Quando? Dia 11 de novembro, as 14h30.
Inscrição: taxa de R$10,00 - presencialmente, na secretaria da Universitec.
Local: Auditório da Universitec UFPA – Campus Profissional (próximo a ponte do Vadião).

Texto: Ascom Universitec

Categorias: Notícias

Prodepa e os projetos que priorizam tecnologia e sustentabilidade

Prodepa - seg, 07/11/2016 - 00:00
11/07/2016 - 09:30

O conceito de sustentabilidade está cada vez mais presente nas ações de desenvolvimento tecnológico. Os projetos de inovação precisam estar associados aos cuidados com o meio ambiente. Com base nessa diretriz, desde 2014 a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa) vem trabalhando para unir tecnologia à preservação dos recursos naturais.

“Estávamos percebendo que a nossa área verde estava se perdendo por conta das invasões. Como este terreno tem 94 mil m² de floresta nativa, não podíamos deixá-lo abandonado. Foi aí que implantamos, no nosso plano de gestão anual, ações voltadas para a manutenção do verde”, informa Roberto Lopes Valente, responsável pelo Setor de Qualidade da Prodepa.

No começo, as medidas eram simples, como reduzir o uso de papel, incentivar a leitura digital, economizar energia elétrica e plantar mudas. Com o aumento da participação dos colaboradores, as ações foram ampliadas. “Não tem como trabalhar esta conscientização sem contar com a participação da comunidade do entorno da Prodepa. Então, os convidamos para participar das ações. Abraçamos estes moradores, principalmente, os alunos das escolas próximas”, destaca Roberto Lopes.

Conhecimento

Atualmente, a gestão de sustentabilidade da empresa conta com sete grandes ações. Uma delas é a trilha ecológica, formada por 20 caminhos traçados na área verde do terreno onde fica a Prodepa (na Avenida Augusto Montenegro), que receberam nomes em homenagem à fauna e à flora da Amazônia. Todos são identificados com placas, e as árvores contam com um QR Code acoplado ao tronco. O usuário pode acessar as informações da planta de qualquer dispositivo móvel que possuir o aplicativo do leitor.

“O TIC Verde, nome desse projeto, é consequência da criação de um inventário florístico. Fizemos a catalogação dos vegetais, criando um sistema completo com todas as suas características. Pretendemos, agora, fazer o mesmo com os animais”, explica o responsável pelas ações.

Escolas e universidade

Outros projetos já realizados incluíram palestras nas escolas, com oficiais do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA); levantamento da situação de solos, em parceria com a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), e reciclagem dos papéis recolhidos na empresa, em conjunto com a ONG Noolhar. “Estamos com a ideia de ampliar essa proposta de reciclar para as comunidades, e fazer com que elas mesmas aprendam esta prática”, adianta Roberto Lopes.

Para os próximos meses, mais metas já estão traçadas. A Prodepa quer implantar um serviço de compostagem do material orgânico oriundo dos restaurantes da unidade, criar uma sementeira para o próprio enriquecimento da área e instalar um serviço de reaproveitamento da água da chuva.

Parcerias

Muitas ações da Prodepa são possíveis graças às parcerias com várias instituições. Uma delas é o Movimento República de Emáus, em Belém, que desenvolve esse trabalho conjunto desde 2010. A Empresa de Tecnologia fornece à entidade, por meio do Programa Navegapará, internet para o prédio onde funcionam os cursos profissionalizantes na área de informática, além de suporte técnico aos alunos na instalação de softwares e na manutenção das máquinas, quando necessário.

A Prodepa também já realizou uma campanha interna de doação de equipamentos sem funcionamento para o Centro de Recondicionamento de Computadores da República de Emaús. “Aqui, nós temos dois objetivos: receber os equipamentos, arrumá-los, doá-los para instituições e dar capacitação aos jovens das comunidades próximas”, ressalta Jomar de Deus, coordenador de Recondicionamento de Computadores.

Entre os anos de 2010 e 2012, 390 alunos foram capacitados pelo Movimento República de Emaús. No período de 2013 a 2015, devido a problemas internos, a contabilidade não feita, recomeçando agora, em 2016. Este ano, 91 jovens, entre 15 e 26 anos, estão inscritos nos cursos.

Douglas Rodrigues, 19 anos, é um deles. Aluno do 3º ano do Ensino Médio na Escola Estadual Maria Luisa, no bairro do Bengui, em Belém, ele é adepto das novas tecnologias de informação, e decidiu aproveitar a oportunidade para aprender mais sobre computadores. “Quero me especializar nesta área. Sempre gostei de mexer em máquinas. Agora, estou tendo essa chance”, conta Douglas.

O programa já propiciou a reforma de 464 computadores, que foram entregues a várias comunidades na Região Norte, entre 2010 e 2012. Como o projeto também conta com a parceria do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Telecomunicação, a lista de comunidades beneficiadas com os equipamentos respeita uma ordem feita pelo próprio órgão federal.

Assim como a Prodepa recuperou e doou os computadores, qualquer cidadão pode fazer o mesmo. É só levar os equipamentos até a República de Emaús, na Rua Yamada, nº 17, no Bairro do Bengui, em Belém. Se não tiver como transportar, é só telefonar para (91) 3015-4056 e 4141-0457, que o transporte será providenciado. É possível doar monitores, peças, telas e acessórios.

“Com todas essas ações, o que queremos mesmo é chamar a atenção de todos para este importante movimento de conservação e valorização do meio ambiente”, destaca Roberto Lopes.

Agência Pará

Tags: projetos; tecnologia; sustentabilidade
Categorias: Notícias

Governo do Estado realiza primeiro curso técnico no Pará em açúcar e álcool

Sectet - sex, 04/11/2016 - 15:21
04/11/2016

Atender a demanda por mão de obra no setor de produção sucroalcooleira no município de Ulianópolis é o objetivo do curso técnico em açúcar e álcool, ofertado pela primeira vez no Estado por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). Com 40 vagas ofertadas, a capacitação, que iniciou na tarde de ontem (3), está sendo executada pela Unidade de Ensino do SENAI/PA de Paragominas e conta com a parceria da empresa Pagrisa - Pará Pastoril e Agrícola S/A.

A capacitação marca as primeiras ações dentro do Programa Pará Profissional, cujo projeto de lei foi aprovado recentemente pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa). O objetivo do Programa é qualificar jovens e adultos por meio da educação profissional e tecnológica, tendo em vista as demandas sociais existentes, as vocações produtivas regionais, a superação das desigualdades, a promoção da inclusão social, a melhoria de renda e a garantia de maiores oportunidades de trabalho e emprego para os cidadãos.

O curso surgiu a partir um convênio de cooperação técnica assinado entre a Sectet e a empresa Pagrisa. Juntas, as instituições irão programar e executar ações de fomento voltadas ao avanço de processos e de tecnologias para a Educação Profissional e Tecnológica com o objetivo de impulsionar a cadeia produtiva da indústria sucroalcooleira no Estado.

“O mercado de açúcar é extremamente competitivo, e a mão de obra do tecnólogo é importantíssima nesse setor. O Governo do Pará entende que, melhorando a qualificação desse tecnólogo, abre-se a oportunidade de fazer com que esse profissional ascenda junto com o setor em si dentro do nosso Estado”, enfatizou a secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enriquez, durante a aula inaugural do curso. Além da secretária adjunta, estiveram presentes o secretário de educação de Ulianópolis e presidente do 1º Comitê Intersetorial de Educação Profissional de Ulianópolis, Aurelino Gomes, o diretor-presidente da Pagrisa, Marcos Zancaner, entre outras autoridades. 

O curso tem carga horária total de 1.200 horas e terá sua parte prática sendo ministrada nos laboratórios da própria Pagrisa, que se responsabilizará por toda a infraestrutura necessária para a realização das atividades práticas. A assistente administrativa da Pagrisa, Paloma Souza, resolveu fazer o curso para adquirir novos conhecimentos e poder ampliar suas possibilidades dentro da empresa. “Espero que ao final destes dois anos me torne uma técnica de álcool e açúcar e possa aplicar meus novos conhecimentos em prol do meu crescimento profissional e o do desenvolvimento da própria empresa”, ressaltou. 

“O curso de Ulianópolis é um modelo a ser seguido dentro do Pará Profissional, pois conta com a parceria do setor produtivo e do Sistema S, fortes aliados para o sucesso desse Programa”, explicou o diretor de educação profissional e tecnológica da Sectet, Luís Blasques, durante a abertura do curso.  

Como a oferta do curso está diretamente relacionada com a demanda identificada no próprio município de Ulianópolis, o qual abriga atividades do setor sucroalcooleiro, a expectativa é que todos os egressos do curso tenham reais oportunidades de melhoria da renda e da qualidade de vida, sejam aqueles já vinculados à Pagrisa ou os que estão em busca de recolocação no mercado de trabalho.

Texto: Igor de Souza – Ascom Sectet

 

Categorias: Notícias

Primeiro curso técnico no Pará em açúcar e álcool no tem aula inaugural nesta quinta-feira

Sectet - ter, 01/11/2016 - 15:32
01/11/2016

Iniciam nesta quinta-feira, 3, as aulas do curso técnico em açúcar e álcool, ofertado pela primeira vez no Estado por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). Com 40 vagas ofertadas, a capacitação será executada pela Unidade de Ensino do SENAI/PA de Paragominas e conta com a parceria da empresa Pagrisa - Pará Pastoril e Agrícola S/A. O objetivo do curso é o de atender a demanda por mão de obra no setor de produção sucroalcooleira no município de Ulianópolis.

A abertura do curso se dará às 17h, na sede da Pagrisa, e contará com a presença do secretário de educação de Ulianópolis e presidente do 1º Comitê Intersetorial de Educação Profissional de Ulianópolis, Aurelino Gomes, do diretor-presidente da Pagrisa, Marcos Zancaner, da secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enriquez, entre outras autoridades. 

O curso surgiu a partir um convênio de cooperação técnica assinado entre a Sectet e a empresa Pagrisa. Juntas, as instituições irão programar e executar ações de fomento voltadas ao avanço de processos e de tecnologias para a Educação Profissional e Tecnológica com o objetivo de impulsionar a cadeia produtiva da indústria sucroalcooleira no Estado.

“Recentemente a Assembleia Legislativa aprovou uma importante política voltada para a educação profissional no Estado, que é o Programa Pará Profissional, uma iniciativa do Governo do Pará para qualificar jovens e adultos por meio da educação profissional e tecnológica, tendo em vista as demandas sociais existentes e as vocações produtivas regionais. O curso de Ulianópolis é um modelo a ser seguido dentro do Pará Profissional, pois conta com a parceria do setor produtivo e do Sistema S, fortes aliados para o sucesso desse Programa”, explica o diretor de educação profissional e tecnológica da Sectet, Luís Blasques. 

O curso tem carga horária total de 1.200 horas e terá sua parte prática sendo ministrada nos laboratórios da própria Pagrisa, que se responsabilizará por toda a infraestrutura necessária para a realização das atividades práticas. Como a oferta do curso está diretamente relacionada com a demanda identificada no próprio município de Ulianópolis, o qual abriga atividades do setor sucroalcooleiro, a expectativa é que todos os egressos do curso tenham reais oportunidades de melhoria da renda e da qualidade de vida, sejam aqueles já vinculados à Pagrisa ou os que estão em busca de recolocação no mercado de trabalho.

Texto: Igor de Souza – Ascom Sectet

 

Categorias: Notícias

Propriedade Intelectual

Sectet - ter, 01/11/2016 - 13:14
01/11/2016

Agência de Inovação da UFPA promove minicursos sobre propriedade intelectual

A Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec) promove uma série de minicursos sobre Propriedade Intelectual, os quais ocorrerão até o final de novembro. Os minicursos têm o objetivo de esclarecer os participantes sobre os mecanismos e procedimentos da Propriedade Intelectual, tanto em noções gerais quanto em situações específicas.

O minicurso "Como proteger o software?", que será ministrado pela coordenadora de Propriedade Intelectual Rosângela Cavaleiro, tem o objetivo de explicar como funciona o procedimento para proteção de programas de computador. Entre as propostas do minicurso, está a apresentação de noções sobre o registro de software e de quando e como proceder quando é possível patentear o programa.

Rosângela também ficará à frente de outro minicurso, "Direito Autoral, como defender?". O tema envolve a autoria de obras intelectuais nos campos artístico, científico e literário. A proteção a essas obras está relacionada com a questão da criação e necessita que elas estejam em um suporte material. O minicurso, além de apresentar as noções básicas sobre o Direito Autoral e quais produções se encaixam nessa classificação, também pretende orientar sobre o procedimento para proteção.
 
A palestra "Mecanismos da Propriedade Intelectual – Módulo II" será uma continuação de sua primeira edição, que ocorreu em agosto deste ano e abordou os temas referentes à Propriedade Industrial. Magáli Coelho, advogada e assessora de Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual da Universitec, será a palestrante e apresentará questões gerais sobre Propriedade Intelectual, tais como os mecanismos da Proteção Sui Generis, que envolvem o Conhecimento Tradicional, o Cultivar e a Topografia de Circuito Integrado, além de abordagens introdutórias sobre Direito Autoral.
 
A relevância da Indicação Geográfica também será um tema abordado na Trilha de Qualificação da Universitec. O minicurso "Indicação Geográfica – Qual a importância desse registro para o desenvolvimento da economia do Estado?" explica do que se trata esse conceito e como ele pode influenciar na economia. Trata-se de produtos oriundos de determinada região (país, cidade ou alguma localidade desses territórios) que tenham se tornado conhecidos devido à sua forma de produção, extração ou fabricação. Magáli Coelho orientará os participantes sobre o assunto.
 
O minicurso "Qual a importância da Marca para o meu negócio?" finaliza a Trilha de Qualificação, trazendo um tema importante principalmente para empresários. Também ministrado por Magáli Coelho, o minicurso abordará aspectos referentes à funcionalidade da marca para um empreendedor. A marca permite uma identificação do produto pelo consumidor, que o diferencia de outros produtos do mesmo tipo. Uma vez que o prazo de proteção de uma marca pode ser renovado indefinidamente, ela precisa de um olhar atento por parte do empresário, pois tende a ser o maior patrimônio de uma empresa.
 
Você pode se inscrever nos minicursos através do formulário (acesse aqui). O investimento para cada minicurso é de R$10,00 e o valor para o combo com os cinco eventos é de R$40.00.
 
A Propriedade Intelectual -
A convenção da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) define esse conceito como a soma dos direitos referentes às obras, produtos e serviços de invenção, criação e inovação. Além disso, prevê a proteção a esses direitos e contra a concorrência desleal. A Propriedade Intelectual no Brasil está dividida em três ramos de direitos: Direito Autoral, Propriedade Industrial e Proteção Sui Generis. A Universitec atua na área de propriedade intelectual por meio da Coordenadoria de Propriedade Intelectual, fornecendo orientação e atendimento para toda a comunidade universitária na realização dos procedimentos legais e administrativos necessários para a proteção.
 
A Universitec busca, também, qualificar estudantes e jovens empreendedores para que atinjam um melhor desempenho no mercado e, por isso, os minicursos citados trazem questões do conhecimento especialmente importantes para quem trabalha com tecnologia e produção, seja na indústria ou no campo da cultura.

Texto: Divulgação / Universitec
Foto: Alexandre Moraes

Categorias: Notícias

EDITAL Nº 005 - PRORROGAÇÃO DO PRAZO DAS INSCRIÇÕES EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA, NA MODALIDADE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PREVISTOS NO EDITAL SECTET Nº 002, DE 07 DE OUTUBRO DE 2016

Sectet - seg, 31/10/2016 - 10:09
Data do Edital: 31/10/2016

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (SECTET), no uso de suas atribuições legais, torna pública a PRORROGAÇÃO dos prazos de inscrições e das datas de início de cursos de Qualificação Profissional, originalmente previstos no Edital SECTET Nº 002, de 07 de outubro de 2016. 

AnexoTamanho EDITAL N.5 - PRORROGAÇÃO DE INSCRICOES PARÁ PROFISSIONAL (1).pdf301.04 KB
Categorias: Notícias

EDITAL Nº 004 - Curso de Educação Profissional e Tecnológica, na modalidade Qualificação Profissional, intitulado “Aprimoramento de Práticas Educativas com uso de Instrumentos Didáticos para a Dinâmica Produtiva”

Sectet - seg, 31/10/2016 - 10:07
Data do Edital: 31/10/2016

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), por meio do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX), abriu inscrições para o preenchimento de 30 vagas para o curso de qualificação profissional “Aprimoramento de Práticas Educativas com uso de Instrumentos Didáticos para a Dinâmica Produtiva”. O curso é dirigido aos trabalhadores em Educação de Jovens e Adultos (EJA), com vínculo efetivo na rede de ensino público dos Municípios de Altamira, Anapú, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moz, Senador José Porfirio, Uruará e Vitória do Xingu. A capacitação é presencial e será realizada no município de Altamira, de 05 a  09 de dezembro deste ano.

AnexoTamanho EDITAL PDRSX FASE 1 2016 _ ALTAMIRA.pdf627.19 KB
Categorias: Notícias

Assembleia Legislativa aprova projeto de lei do Programa Pará Profissional

Sectet - qui, 27/10/2016 - 18:58
27/10/2016

A Assembleia Legislativa aprovou, nesta quarta-feira (26), o Projeto de Lei 182/ 2016, que institui o Programa Pará Profissional, cujo objetivo é qualificar jovens e adultos por meio da educação profissional e tecnológica, tendo em vista as demandas sociais existentes, as vocações produtivas regionais, a superação das desigualdades, a promoção da inclusão social, a melhoria de renda e a garantia de maiores oportunidades de trabalho e emprego para os cidadãos.

O programa pretende atender cidadãos de todas as regiões de integração do Pará, permitindo que, após os cursos, os egressos tenham maiores possibilidades de acesso ao emprego ou de criação do próprio negócio. Entre os objetivos específicos do Pará Profissional estão a promoção de cursos profissionalizantes nas modalidades de ensino técnico subsequente e formação inicial e continuada; o estabelecimento de parcerias que potencializem, em termos técnicos e financeiros, as ações do programa; a interiorização da educação profissional e tecnológica por meio de parcerias colaborativas com os municípios paraenses e demais atores locais e regionais; e o maior alcance de pessoas por meio do estabelecimento de um sistema eficaz de educação a distância.

“O Pará Profissional é uma política pública original, inexistente em outras unidades da federação, e que dará um salto na formação profissional no Estado, respondendo aos desafios do Pará 2030”, diz o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello. O programa prevê ainda a oferta de cursos aproveitando, além das escolas tecnológicas estaduais, outros espaços, como as escolas estaduais e municipais de ensinos fundamental e médio ou ambientes adequados oferecidos por empresas.

Outro destaque previsto é a flexibilização na contratação de instrutores, o que facilitará a oferta de cursos específicos para atender às necessidades de cada realidade regional. Por exemplo, se determinada localidade estiver com carência de profissionais na área de logística em função da instalação de algum grande empreendimento, o governo não precisará criar uma estrutura complexa para a oferta do curso, incluindo concursos públicos e aquisição de equipamentos e materiais para atividades práticas, dentre outras.

"Este maior dinamismo e a flexibilização da oferta dos cursos são justamente os diferenciais do Programa Pará Profissional, uma vez que, em contraste com a educação básica ou mesmo a educação superior, a educação profissional e tecnológica tem uma dinâmica diferente e própria, pois deve qualificar pessoas para que sejam inseridas em atividades produtivas que, em geral, não podem esperar o tempo estabelecido pelo Estado ou pelos ofertantes de cursos em geral", destaca o diretor de Educação Profissional e Tecnológica da Sectet, Luís Blasques.

Texto:  Ana Carolina Pimenta - Ascom Sectet

Categorias: Notícias

Cursos gratuitos de qualificação profissional ofertados pela Sectet têm inscrições prorrogadas

Sectet - qui, 27/10/2016 - 11:00
27/10/2016

Jovens e adultos de diversos municípios do Pará têm mais uma oportunidade para se inscreverem gratuitamente em 45 cursos de qualificação profissional ofertados pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). As matrículas foram prorrogadas até o dia 31 de outubro e podem ser feitas por meio do site: http://ead.sectet.pa.gov.br/inscricoes/.

Santarém, Dom Eliseu, São Miguel do Guamá, Tucuruí, Paragominas, Altamira e Belém são alguns dos municípios que possuem capacitações que objetivam promover a qualificação da mão-de-obra regional no âmbito do Programa de Educação Profissional e Tecnológica do Estado do Pará – Pará Profissional, contribuindo, assim, para a geração de emprego e renda em todas as regiões de integração do Estado. Os cursos serão executados pelas Unidades de Ensino do Senai/PA, contratadas pela Sectet. 

As capacitações teórico-práticas ofertadas são presenciais e variam de acordo com as demandas do setor produtivo de cada município.  Um dos diferenciais na oferta destes cursos é que a parte prática será ensinada no ambiente de indústrias e empresas parceiras, que disponibilizarão seus espaços para que as aulas alcancem os objetivos esperados, que é tornar os participantes aptos a trabalhar.

Em Bragança, por exemplo, são 30 vagas para o curso “Técnicas de confecção de sacolas em tecido – Eco Bag”, o qual foi elaborado para atender, principalmente, membros de associações e comunidades que trabalham com a confecção de artesanatos e biojoias no município. “A nossa associação existe há 20 anos e agrega homens e mulheres que trabalham com a pesca artesanal e a extração de escamas e coro de peixes para a produção de biojoias e sacolas. Essa ação do Governo do Estado é uma oportunidade única para que nós possamos melhorar a qualidade dos nossos produtos e aumentar a nossa renda”, afirma Mônica Oliveira, pertencente à Associação dos Ruralistas e Pescadores da Vila do Castelo, em Bragança. 

Em Belém serão destinadas 30 vagas para o curso “Boas práticas na manipulação higiênico-sanitária de alimentos - açaí” e 30 vagas para o de “Boas práticas na manipulação higiênico-sanitária de carnes frescas e temperadas”. Já em Itaituba, os cursos oferecidos vêm para atender às demandas específicas geradas pela implantação da infraestrutura do Porto de Miritituba. 

Após seleção interna, a efetivação da matrícula ocorrerá com apresentação dos documentos do candidato às Unidades de Ensino do Senai/PA nos municípios ofertantes. Para comprovar a escolaridade, os inscritos podem utilizar a autodeclaração que consta aqui. O edital completo da prorrogação, contendo os cursos, número de vagas e municípios atendidos, pode ser acessado aqui. Mais informações pelo email: para.profissional2016@gmail.com ou pelo telefone: 4009-2559.

Texto: Igor de Souza - Ascom Sectet

 

Categorias: Notícias

Sectet abre curso para capacitação de professores da educação de jovens e adultos do Xingu

Sectet - qua, 26/10/2016 - 14:35
26/10/2016

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), por meio do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX), abriu inscrições para o preenchimento de 30 vagas para o curso de qualificação profissional “Aprimoramento de Práticas Educativas com uso de Instrumentos Didáticos para a Dinâmica Produtiva”. O curso é dirigido aos trabalhadores em Educação de Jovens e Adultos (EJA), com vínculo efetivo na rede de ensino público dos Municípios de Altamira, Anapú, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moz, Senador José Porfirio, Uruará e Vitória do Xingu. A capacitação é presencial e será realizada no município de Altamira, de 05 a  09 de dezembro deste ano.

Promovido pela Diretoria de Educação Profissional e Tecnológica (Detec), o curso tem por objetivo promover o acesso à formação continuada de trabalhadores de EJA no aprimoramento de práticas educativas aliadas às necessidades da dinâmica sócio-produtiva da Região do Xingu. “Com o curso queremos que os professores estejam aptos a ministrar conteúdos relacionados mais diretamente ao contexto produtivo em que os alunos estão inseridos, focando em recursos didáticos dinâmicos e criativos para que esse específico processo de ensino-aprendizagem se concretize”, acredita o diretor da Detec, Luis Blasques. 

A capacitação tem carga horária total de 40 h/aula, distribuídas em 8 h/dia, durante cinco dias. As inscrições são gratuitas e vão até o dia 14/11/2016. Os alunos capacitados terão a oportunidade de se tornarem agentes multiplicadores contratados para capacitar outros trabalhadores em educação de jovens e adultos na região do Xingu, numa segunda edição do curso, prevista para atender mais pessoas.  

O candidato deverá enviar para o email coordenadoriaprojeto227pdrsx@gmail com os documentos comprobatórios digitalizados, a ficha de inscrição e o termo de compromisso, devidamente assinado, no qual assume o compromisso de ser agente multiplicador. Para ler o edital na íntegra, clique aqui. Mais informações pelos telefones: (91) 4009-2508/2567/2559 e (91) 98145-5646 ou pelo referido email.

Texto: Ana Carolina Pimenta - Ascom Sectet

Categorias: Notícias

Projeto da Lei Estadual de Inovação é aprovado pela Assembleia Legislativa

Sectet - qua, 26/10/2016 - 12:04
26/10/2016

O Projeto de Lei nº 181/ 2016, do Poder Executivo, foi aprovado em redação final na sessão plenária da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, na manhã desta terça-feira (25). O projeto, conhecido como Lei Estadual de Inovação, dispõe sobre os incentivos à inovação, à pesquisa científica e tecnológica e à engenharia não rotineira, visando ao desenvolvimento tecnológico, econômico, científico e social no contexto da competitividade e sustentabilidade do Estado do Pará.

Para o líder governista na Alepa, deputado Eliel Faustino, o Estado do Pará sai mais uma vez na frente ao tratar sobre a inovação. "Temos que enfatizar a inovação no nosso modelo de desenvolvimento econômico e social, estendendo isso também à educação escolar. O Estado busca aproximar o pensamento com a ordem jurídica e com ações práticas", disse.

O projeto da Lei Estadual de Inovação estabelece uma série de medidas de incentivo à inovação, à pesquisa científica e tecnológica e à engenharia não-rotineira, visando ao desenvolvimento tecnológico, econômico, científico e social. Em outras palavras, a legislação facilitará a cooperação entre os setores público e privado, e a academia, com o objetivo de incentivar a pesquisa, a extensão científica, a inovação e o desenvolvimento de produtos com vistas a tornar o Pará um estado mais competitivo diante do mercado nacional e mundial.

O projeto, entre outras coisas, prevê que o Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Consectet) será o órgão representativo do Sistema Paraense de Inovação (SPI), além de direcionar o SPI como responsável pelas articulações institucionais orientadas à proposição, ao planejamento e à viabilização de ações sinérgicas voltadas ao desenvolvimento do Estado, indutoras e facilitadoras da inovação.

O Sistema Paraense de Inovação tem por objetivo a criação de uma ambiência indutora e facilitadora da inovação, fundamentada na integração entre os agentes promotores da inovação e na construção compartilhada de um contexto, segundo aspectos científicos, tecnológicos, sociais e econômicos, jurídicos, políticos e fisíco-ambientais.

O SPI será formado pelos poderes municipal, estadual e federal; instituições de ciência e tecnologia do Pará; empresas do ramo e organizações do terceiro setor voltadas ao tema. O projeto de lei também vai incentivar que pesquisadores e estudantes que trabalhem essa temática participem das discussões, bem como a participação de inventores independentes. Caberá ao Consectet o credenciamento dos integrantes das redes propostas no âmbito do SPI.

Para o deputado Carlos Bordalo (PT), a aprovação do projeto é importante, pois permite que se crie um ambiente institucional, com uma política pública efetivamente estadual. “O que é fundamental é que esse parlamento cumpra seu papel. Venho aqui declarar o meu apoio a este projeto, um dos mais importantes para o Estado do Pará. Eu entendo que não é um projeto de Governo, é um projeto de Estado e como projeto de Estado servirá para este governo e servirá para os governos que ainda virão”.

De acordo com o projeto aprovado, o Poder Executivo regulamentará a Lei no prazo de 90 dias, a contar da data de sua publicação.

Texto: Silvia de Souza Leão - Ascom Alepa

Categorias: Notícias

Sétima edição da Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação apresenta balanço positivo

Sectet - sex, 21/10/2016 - 12:55
21/10/2016

De 17 a 19 de outubro, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) realizou a VII Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. O evento contou com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), da Fundação Cultural do Estado do Pará/CENTUR, do Sebrae/PA e da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Foram mais de 20 exposições interativas e mais de 60 atividades educativas entre minicursos, palestras, oficinas ofertadas por diversas instituições de pesquisa e ensino do Estado, além de 35 sessões do Planetário Móvel da UEPA.

A Feira teve a participação de mais de sete mil pessoas, com um público formado, em sua maioria, por estudantes do ensino básico. Mas o evento atraiu, também, muitas famílias em busca de conhecimento. “Achei a Feira muito legal. Gostei de ‘visitar’ os planetas no Planetário Móvel e de ver os experimentos da física”, relatou o estudante Nicolas Lobo, de 10 anos, que veio visitar o evento com sua mãe.

Para a coordenadora do evento, Rosenilda Freitas, a Feira alcançou seu objetivo de despertar o interesse pela ciência e tecnologia nas crianças e jovens que participaram. Outro ponto positivo do evento foi o envolvimento de participantes de outros municípios, o que possibilitou ao público conhecer projetos de pesquisa e extensão desenvolvidos por alunos de fora da capital. “A Feira nos ajudou a cumprir nosso papel de contribuir com a formação de uma geração que busca no conhecimento superar os desafios para o desenvolvimento de nossa região”, destacou a coordenadora.

Aprendizado que fica - Além das escolas que vieram por conta própria ao evento, várias escolas foram apoiadas com o transporte de cerca de 3 mil alunos da rede pública. O esforço foi compensado pela satisfação dos professores e estudantes. “A gente precisa muito de espaços assim, já que não contamos com laboratórios no ensino das ciências. Na Feira temos a possibilidade de aprendermos juntos com os alunos e colocarmos a teoria em prática”, destacou a professora da Escola Estadual Professora Anésia, Vera Sarmento.

O estudante do quarto ano, Diego Suárez (10), participou dos três dias da Oficina de Robótica ministrada por um Grupo de Extensão de professores Igarapé-Miri e destacou a importância que a capacitação representou pra ele.  "Sempre tive vontade de aprender robótica, mas não sabia como começar. Com a oficina, aprendi a programar robôs e ganhei um empurrãozinho para continuar aprendendo cada vez mais", relatou. 

Mesa redonda – A Feira inclui em sua programação a mesa redonda “Ciência, Tecnologia e Inovação alimentando o mundo de forma sustentável”. O evento ocorreu no dia 19 de outubro, e teve como principal objetivo debater como a ciência, a tecnologia e a inovação podem contribuir para ampliar a produção sustentável de alimentos no estado do Pará, a partir do conhecimento científico e do desenvolvimento de práticas inovadoras.

A mesa reuniu representantes de diversas instituições ligadas ao setor de alimentos e que utilizam de forma sustentável os recursos naturais do Pará. Entre os convidados presentes, estavam presentes a diretora-executiva do Instituto Paulo Martins, Joanna Martins, que falou sobre sua empresa “Manioca”, abordando os desafios da produção e comercialização sustentável da mandioca e derivados; a Coordenadora de Produção Animal da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), Edith Mello, que falou sobre experiências ligadas ao queijo do Marajó; o professor da UFPA, Hervé Rogez, que fez um balanço de seu trabalho com o açaí; o chef Fábio Sicilia, que falou um pouco sobre o movimento internacional conhecido como slow food cujo princípio é o direito ao prazer da alimentação, por meio de produtos artesanais, de qualidade espaciel, produzidos de forma que respeitam o meio ambiente e o produtor.

A secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enriquez, atuou como mediadora e destacou a importância do evento. “Reunimos no evento alguns dos maiores especialistas de suas áreas para poder levantar possibilidades de desenvolvimento do setor de alimentos no estado do Pará, em consonância com o Programa Pará-2013”.

Parceiros - Participaram da Feira as seguintes instituições: Universidade Federal do Pará (UFPA); Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Universidade do Estado do Pará (UEPA); Centro de Ciências e Planetário do Pará; Parque de Ciência e Tecnologia Guamá; Instituto Evandro Chagas (IEC); Secretaria de Estado de Educação (Seduc); Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (SEDAP); Secretaria de Estado de Comunicação (Secom);  Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará – Ideflor; Secretaria Municipal de Educação (Semec); Secretaria Municipal de Educação de Igarapé-Miri (Semed); Prefeitura Municipal de Soure; Pará Instituto Nacional de Perícias e Ciências Forenses (Infor); Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebra-Pa); Rede Paraense de Tecnologias Sociais - RTS/PA; Instituto Paulo Martins, Empresa Nayah Sabores da Amazônia, Museu Paraense Emílio Goeldi.

Texto: Ana Carolina Pimenta - Ascom/Sectet

 

Categorias: Notícias

Páginas