• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 1 hora 48 minutos atrás

Programa de empreendedorismo e inovação do Governo do Estado ganha nova edição

sex, 22/10/2021 - 13:15
22/10/2021

Serão mais de R$ 7 milhões em investimentos para empreendedores que queiram contribuir com o desenvolvimento sustentável do Pará
 
Após uma primeira edição de sucesso, o Governo do Estado, por iniciativa da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) e da Secretaria de Planejamento e Administração (Seplad), com apoio técnico da Fundação Guamá, lançou nesta quinta-feira (21) o edital da segunda chamada do StartUp Pará.

“Nós temos muito orgulho, e falo em nome da equipe Sectet e Fapespa, de liderar uma iniciativa do governo, idealizada pelo Secretário Carlos Maneschy, que é condutor dessa política, estimulando e apoiando soluções que permitam dinamizar nossa economia, sendo mais inovadora e gerar empregos qualificados. E é nesse ambiente, que a tecnologia se torna uma poderosa aliada. Na primeira edição conseguimos ajudar os empreendedores paraenses na realização de seus sonhos e mudar a realidade das suas famílias, além de contribuir na transformação da nossa economia. E isso nos incentivou a continuar com o programa”, afirmou Maria Trindade, coordenadora do Startup Pará, na Sectet.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, acredita ainda que estimular esse tipo de negócios, além de mudar a vida das pessoas, também contribui para o avanço da economia no estado. “Nós precisamos fazer com que o Pará avance no sentido de estimular e proporcionar oportunidades para que empreendedores possam fazer de suas ideias um instrumento de negócios. O que se espera é que, em um curto espaço de tempo, possamos encontrar grandes empreendedores e assim vamos chegar a tempos muitos melhores para a economia do estado”, afirmou.

Para Walter Oliveira, um dos participantes da modalidade Aceleração na primeira edição, a conquista ampliou as oportunidades da Startup Navtech Solutions, que tem o intuito de desenvolver tecnologias eficientes e sustentáveis, por meio de soluções de alto impacto, explicou. “O StartUp Pará foi uma oportunidade única para podermos fazer a diferença na área naval e colocar em destaque a nossa pesquisa sobre tecnologias. O concurso abriu portas no mercado. Agora, com a nossa participação, estamos iniciando uma nova fase”.

A 2ª edição do StartUp Pará veio com novidades, uma delas é a quantidade de projetos selecionados que receberão o investimento financeiro, serão classificadas ao final do programa 60 propostas, 40 para a Modalidade Novos Negócios e 20 na Modalidade Aceleração (empresa). Assim, com recursos no valor global de R$7.200.000,00 (sete milhões e duzentos mil reais).

 As startups terão que passar por três etapas: enquadramento, seleção e execução do programa. Na última etapa, restarão 80 startups, as quais passarão por uma avaliação e as 60 propostas classificadas terão a possibilidade de receber o apoio financeiro de até R$ 80 mil reais cada para novos negócios (ideação) e até R$ 200 mil reais cada para a modalidade aceleração (empresas).

 A modalidade “Novos Negócios” é direcionada a projetos de processos ou produtos inovadores, com potencial para se transformar em empreendimentos que incorporem novas tecnologias. Já a modalidade “Aceleração” é voltada para propostas que já tenham um produto ou que já disponham de clientes, mas que necessitam alavancar as vendas e/ou acelerar seu negócio a partir de assistência técnica especializada.

 O programa irá oferecer aos participantes selecionados, de forma gratuita e de acordo com as etapas e o cumprimento das obrigações previstas no edital, capacitação, mentoria e acompanhamento do negócio, promovidas por uma empresa aceleradora, de atuação nacional, que será escolhida também por meio de edital.

As startups interessadas em participar devem atuar em pelo menos umas das seguintes áreas temáticas: a) Educação; b) Energia; c) Mineração; d) Saúde e qualidade de vida do cidadão; e) Govtech (Inovação na Administração Pública); f) Agrotech, com destaque para Agroindústria e Piscicultura; g) Biotecnologia; h) Tecnologia da Informação e Comunicação; i) Inteligência Artificial; j) Logística.

Startup Pará
O programa tem o objetivo de apoiar projetos, ainda que em fase de ideação, voltados à criação e implementação de soluções, métodos e processos de base tecnológica, que explorem a inovação e a cultura empreendedora como instrumento estratégico para contribuir com o desenvolvimento sustentável do Estado, viabilizando o surgimento de novas empresas inovadoras capazes de promover a geração de negócios de maior valor adicionado, descortinando alternativas de emprego com melhores salários e a possibilidade da formação, atração e fixação de recursos humanos mais bem qualificados.
 “Inovação é encontrar novas formas de impactar a vida dos cidadãos, construindo caminhos para integrar a população no desenho conjunto do futuro. Buscamos superar estruturas antigas, trazer tecnologia e novas ideias. Os desafios são muitos, mas dispomos hoje de condições e oportunidades ímpares na história desse Estado. Nossa expectativa é que o StartUP Pará possa crescer ainda mais”, concluiu Marcel Botelho, presidente da Fapespa.

Serviço:
Os interessados em participar do programa devem acessar o edital de seleção no site http://www.startuppara.com.br a partir do dia 21 de outubro. Para dirimir dúvidas referentes à elaboração da Proposta/projeto, os interessados poderão entrar em contato por meio do site (fale conosco) ou pelos telefones: 3321-8907/4009-2514.

Texto: Rosane Linhares (Ascom/Fapespa - com colaboração da Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Estudantes de São João de Pirabas participam de reunião pública sobre o Forma Pará

qui, 21/10/2021 - 14:24
21/10/2021

Alunos do Programa Forma Pará em São João de Pirabas, Manuelle Pinheiro e Marcelo Augusto da Silva pretendem ir além do curso de graduação e seguir uma carreira acadêmica em suas áreas, fazendo mestrado e doutorado. Os dois compuseram a mesa da reunião pública com os alunos dos cursos de Administração e História realizada nesta quarta-feira (20), na quadra da Escola Municipal Guajarina Menezes Silva.

A intenção de Manuelle e Marcelo vem ao encontro de um dos objetivos do Programa Forma Pará, desenvolvido pelo governo do estado, que é incentivar os estudantes a investirem em carreiras científicas e se tornarem pesquisadores, aumentando o número de mestres e doutores no estado.

“Eu me sinto feliz e realizada em saber que estamos conseguindo instigar o espírito científico dos alunos. O Forma Pará é a prova concreta de que dando oportunidades de educação para a nossa gente, nosso estado vai crescer ainda mais em desenvolvimento social e humano”, comemora a gestora do programa, Edilza Fontes, secretária adjunta da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), que desenvolve o Forma Pará.

Realização – Quando tomou conhecimento de que o curso de Administração seria ofertado em seu município, Marcelo da Silva, 38 anos, viu que poderia realizar o sonho de fazer o curso superior na área em que trabalha, pois é agente administrativo da prefeitura. “Foi a oportunidade de unir o útil ao agradável, pois me identifiquei muito com essa área”, diz o aluno da Universidade Federal do Pará (UFPA), que ofertou o curso na chamada 2019 do Forma Pará.

Ele conta que já está identificando as linhas de pesquisa para um futuro mestrado na área e faz um intercâmbio com a Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em Minas Gerais. “O curso está superando as minhas expectativas. Somos uma turma unida e estamos empenhados em concluir a graduação”, garante o estudante, que é representante da turma.

Manuelle Pinheiro, 38, também é representante de turma e, igual a Marcelo, tem o objetivo de seguir a carreira acadêmica, chegando ao doutorado. Ela é da turma de História, o outro curso ofertado pela UFPA/Forma Pará em São João de Pirabas. Ela vê nos estudos a oportunidade de transformar sua vida. 

“Dizer que vivenciar a grandiosidade de estudar numa universidade como a UFPA é uma experiência que transforma vidas pode até parecer clichê, mas nós somos o exemplo disso”, enfatiza a estudante. Ela destaca que a turma é dedicada, participativa e todos estão focados no objetivo de se formar. Como Marcelo, Manuelle ressalta que a pandemia não teve grande impacto nas turmas e que não houve alto índice de evasão.

Reunião – Representantes da gestão pública de São João de Pirabas, da Sectet, alunos dos cursos de História e Administração da UFPA e estudantes do ensino médio participaram da reunião pública que discutiu o andamento do Forma Pará no município. A secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes, destacou durante o seu pronunciamento a relação pessoal que tem com o município e em vários momentos se emocionou ao constatar o entusiasmo nos alunos com os cursos e o interesse dos estudantes de nível médio nas ofertas do Forma Pará.

“Eu sou cidadã de Pirabas, recebi esse título e o coloco com muito orgulho no meu currículo. Há alguns anos participei da implantação aqui do curso de Pedagogia e em 2019, quando começamos a implantação do Forma Pará, decidimos que um dos municípios contemplados seria este”, contou Edilza. 

Ela ressaltou que o programa é o resultado do empenho do governo em levar cursos de nível superior aos municípios de acordo com a demanda de cada local. “Isso só é possível pelo esforço do governo do estado, com o empenho pessoal do governador Helder Barbalho e do secretário Carlos Maneschy. E contamos com o empenho também das prefeituras e das instituições de ensino superior”, explicou a adjunta da Sectet.

Edilza informou quais cursos serão ofertados pela chamada 2021 do programa que terá editais divulgados no dia 28 de outubro. Apesar de São João de Pirabas não estar diretamente contemplado nessa chamada, a gestora destacou cursos em municípios próximos e deixou aberta a possibilidade de ofertar novo curso na cidade na chamada de 2022, prevista para ser lançada em dezembro próximo.

Interesse - Os secretários municipais presentes demonstraram interesse em ter novo curso superior pelo Forma Pará em Pirabas. O secretário municipal de educação, Fernando Silva, falou da importância dos estudantes terem a oportunidade de fazer um curso superior sem sair de Pirabas e depois de formados continuarem no município ocupando os espaços do mercado de trabalho, que carece de mão de obra qualificada.

“Eu vejo no Forma Pará a oportunidade de transformação para melhorar a nossa realidade. É a qualificação da mão de obra das pessoas que são a base da pirâmide social. Nas turmas de Administração e História a maioria é de moradores daqui, filhos de trabalhadores, de professores, de servidores. Essa é a essência do Forma Pará, qualificar aqueles que mais precisam de oportunidade”, ressaltou o secretário, informando que irá procurar a Sectet para formalizar a intenção de conseguir mais cursos para o município.

Texto e fotos: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Forma Pará realiza aula inaugural de Gastronomia em Salinópolis

qua, 20/10/2021 - 11:02
20/10/2021

A oferta do curso de Gastronomia por uma Instituição de Ensino Superior (IES) pública foi a resposta do governo do estado, por meio do Programa Forma Pará, a uma demanda de localidades que têm o turismo como principal apelo econômico.

"O curso de Gastronomia da Universidade do Estado do Pará é o primeiro da região Norte ofertado por uma instituição pública. Veio atender à necessidade de qualificar os profissionais dessa área" , disse o coordenador do curso, Wanderson Dantas, na aula inaugural realizada nesta terça-feira (19), para os alunos da turma de Salinópolis.

O professor ressaltou que a Uepa criou o curso a partir da demanda feita pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), que coordena o Forma Pará,  programa do governo do estado que leva cursos de nível superior aos municípios.

Profissionalização - Era a oportunidade que Gilvanildo Costa Dias, 43 anos, esperava há muito tempo.  Ele trabalha na cozinha de um hotel em Salinas há 14 anos e sentia falta de acrescentar maior conhecimento à sua prática profissional.

"Quando eu soube do curso, por intermédio de um amigo,  eu fiquei muito entusiasmado e muito feliz. Essa é uma oportunidade única e eu abracei com todas as forças. Só tenho que agradecer", declarou o calouro de Gastronomia.

Quem também agarrou a chance de se profissionalizar foi Samara Senado, 19 anos.  Ela conta que era estudante do curso de Matemática, mas sentia que não tinha aptidão para a área. Durante a pandemia ela se encontrou na culinária ao fazer tortas regionais que passou a vender. A mãe dela, Hellem Senado, 41, entrou no negócio e as duas passaram a trabalhar juntas. Hoje são colegas de turma.

"Fizemos vários cursos livres na área de confeitaria e agora temos a oportunidade  de crescer mais ainda em conhecimento.  A culinária paraense é rica e podemos alcançar outros patamares" disse a jovem. "A oferta desse curso aqui em Salinas foi uma sacada de mestre. Temos o conhecimento tradicional e precisamos nos capacitar para fazer pratos mais elaborados", complementou Hellem.

Vocação - Certificando-se de que a maioria dos 50 alunos é de Salinas ou da região, ao se dirigir à turma o titular da Sectet,  Carlos Maneschy, falou da essência do programa Forma Pará que é  levar oportunidade de formação superior de qualidade aos municípios.

"O governo não vai ao município ofertar qualquer curso. É uma oferta que busca observar a vocação e o interesse do município. Por isso trouxemos pra cá o curso de Gastronomia. Porque este lugar é absolutamente vocacionado para a atividade turística", enfatizou o secretário destacando as belezas da natureza de Salinas.

Ele ressaltou ainda que o Forma Pará, criado pelo governo Helder Barbalho, agora é um programa de Estado, ao ser previsto em lei.

A secretária adjunta da Sectet, Edilza Fortes, gestora do programa, falou sobre o ineditismo do curso em IES pública. "Havia a demanda por Gastronomia, mas nenhuma instituição pública ofertava o curso. A Uepa nos atendeu e hoje temos três turmas no Forma Pará. Além de Salinas, temos em Mosqueiro e em Icoaraci", disse.

O reitor da Uepa,  Clay Chagas, destacou o potencial turístico de Salinas em que as peculiaridades da culinária paraense podem ser exploradas. "Esse curso não foi pensado para Salinas aleatoriamente.  Foi pensado porque aqui tem um potencial muito grande. Potencial de empregabilidade,  de empreendedorismo, enfim, um conjunto de características fazendo com que esta cidade se abra ao turismo cada vez mais", enfatizou o reitor.

A diretora da Escola Estadual de Ensino Médio Dr. Miguel Santa Brígida, onde as aulas são realizadas, Elenise Souza Araújo, deu as boas vindas aos alunos e se colocou à disposição de toda a equipe da Uepa e da Sectet. No encerramento da programação, a professora Vanessa Alencar fez a demonstração de como finalizar uma torta doce regional, que fez parte do coquetel servido a todos.

O próximo curso do Forma Pará a ser ofertado em Salinas é Turismo, que faz parte da chamada 2021. Os editais dessa chamada serão lançados no próximo dia 28 de outubro.

Texto e fotos: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Calouros do Curso de Gastronomia do Forma Pará assistem à aula inaugural

ter, 19/10/2021 - 11:04
19/10/2021

No final da tarde desta segunda-feira (18), o titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Maneschy, esteve no distrito de Icoaraci, em Belém, para dar as boas vindas aos calouros do curso de gastronomia, promovido pelo Forma Pará. O programa estadual, coordenado pela Secretaria, leva educação superior aos moradores dos municípios e distritos que possuem dificuldade para ter acesso a uma Instituição de Ensino Superior (IES) pública.

Durante o evento, além do Secretário, participaram da mesa de abertura da aula inaugural do curso a adjunta da Sectet, Edilza Fontes; o reitor da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Clay Chagas; a pró-reitora de graduação da Uepa, Célia Virgulino; o coordenador de educação técnica e tecnológica da Sectet, José Pereira Neto; o coordenador do curso de gastronomia, Wanderson Dantas; e o diretor da Escola de Ensino Técnico do Estado do Pará (Eetepa) de Icoaraci, Davi Cordeiro.

Na oportunidade, o diretor da escola (onde ocorreu a cerimônia e serão realizadas as aulas do curso) destacou que aquele momento representava a realização de um sonho para os moradores do distrito. “Apesar de Belém ser pequena perto de outras capitais, há uma dificuldade muito grande dos moradores de Icoaraci terem acesso à universidade. Estamos muito felizes por ter esta primeira IES pública aqui”, comemorou.

O reitor da Uepa aproveitou para relatar que vivenciou a dificuldade expressada pelo diretor quando foi morador de Icoaraci. “Lembro-me da dificuldade em pegar o ônibus para a universidade. Trazer a universidade e os cursos para perto dos jovens é um estímulo a mais. Essa é uma ação espetacular da Sectet e do Governo do Pará. Política pública que leva educação a lugares em que as IES não ‘têm pernas’”, explicitou Clay Chagas.

O curso

Este será o primeiro curso de gastronomia a ser ofertado por uma universidade pública no estado, no caso a Uepa, o que só foi possível por meio do Forma Pará. O titular da Sectet, Carlos Maneschy, explicou que a oferta dos cursos pelo programa não ocorrem ao acaso. “Não estamos levando qualquer curso. Icoaraci é um importante ambiente de visitação turística. Os cursos ofertados pelo Forma Pará atendem à vocação econômica de cada região”, explicou.

O Secretário ainda estimulou os estudantes a aproveitarem a oportunidade única que estão tendo e usou de sua história para falar da importância da educação na mudança de vida das pessoas. “Minha família é de Mocajuba e somos exemplo de ter oportunidades pela educação. O governo do Pará, por meio de um compromisso de campanha do governador Helder Barbalho, está oferecendo esta oportunidade de pessoas terem acesso às universidades. Oportunidade essa que a grande maioria de brasileiros não teve. Se vocês a tem, precisam agarrar e não desistir”, enfatizou.

Após a cerimônia de abertura, os calouros ainda assistiram à palestra “Tendências modernas no mercado profissional da gastronomia”, ministrada pelo professor Bruno Morais,  e à aula show realizada pela professora Vanessa Alencar.

Forma Pará

O curso de gastronomia em Icoaraci faz parte da chamada 2020 do Programa Forma Pará, cujas provas do processo seletivo ocorreram no dia 4 de julho deste ano devido às limitações provocadas pela pandemia. O mesmo curso, executado pela Uepa, grande parceira do programa, também foi ofertado no município de Salinópolis e terá aula inaugural nesta terça-feira (19). Os editais de inscrições da chamada 2021 do Forma Pará serão divulgados no próximo dia 28 de outubro e a prova está prevista para o dia 5 de dezembro. Com a chamada 2022, o programa vai superar a meta inicial de 4 mil vagas e chegará à oferta de 5 novas vagas de curso superior no estado em 4 anos.

Ensino Técnico

Aproveitando a presença na Eetepa de Icoaraci, o Secretário Carlos Maneschy, e o coordenador de Ensino Técnico e Tecnológico da Sectet, José Pereira Neto, reuniram-se com os professores da escola para ouvir reivindicações e sugestões a respeito do novo momento pela qual passa o ensino técnico no estado, sob a gestão da Sectet há pouco mais de um ano. Maneschy destacou que a Sectet tem se dedicado pela das Eetepas e que está de portas abertas para manter a comunicação frequente com funcionários e alunos.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet) 

Fotos: Ascom/Uepa

Categorias: Notícias

Fórum de Bioeconomia

seg, 18/10/2021 - 12:05
18/10/2021

Biotec-Amazônia apresenta o genoma do açaí no Fórum Mundial de Bioeconomia

O Fórum Mundial de Bioeconomia 2021 é um evento híbrido, com transmissão também, ao vivo, de Belém. O evento inaugural foi sediado, concomitantemente, em Belém, Brasil e em Helsinki, na Finlândia.

Fórum de Negócios da Sociobiodiversidade da Amazônia é um evento paralelo ao Fórum Mundial de Bioeconomia. O Diretor Técnico-Científico da Organização Social BioTec-Amazônia, Artur Luiz da Costa da Silva, participa como painelista do PAINEL 3: Cadeia do Açaí, que acontece dentro do Fórum de Negócios, e que tem como mediadora Kelly Castro, da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) e a presença de Fernanda Stefani – 100% Amazônia (Presencial) e João Thiago Rodrigues de Sousa – Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) (On-line). O objetivo da mesa é discutir os desafios, políticas, oportunidades e bioprodutos da cadeia. O painel acontece nesta segunda-feira, dia 18 de outubro, das 16h às 18h.

O pesquisador Artur Silva, diretor técnico-científico da BioTec-Amazônia e coordenador do Laboratório de Engenharia Biológica (Engbio), presente no painel da Cadeia do Açaí, vai realizar o estudo do genoma do açaí. No encontro vai poder explicar como será realizada a pesquisa que vai trazer informações até então desconhecidas de uma fruta tão importante para Amazônia e para o mundo, por conta da internacionalização de produtos a base do açaí brasileiro e por ser o açaí um importante componente da alimentação e, portanto, da subsistência da população de baixa renda da Amazônia.

A partir de um mapa metabólico da célula, é possível entender como funciona a anatomia fisiológica molecular de uma espécie do fruto. O Engbio é um laboratório de pesquisa, instalado no Parque de Ciência e Tecnologia – PCT Guamá, e faz parte do grupo de laboratórios da Universidade Federal do Pará – UFPA que dão suporte à BioTec-Amazônia para ações estratégicas de coordenação e elaboração de pesquisas com recursos do Governo do Estado. A Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) vinculada a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), assinou convênio com a Associação BioTec-Amazônia, para execução do projeto Genoma do Açaí. 

O Fórum de Negócios é um talkshow com debates intersetoriais que mesclam academia, setor produtivo, comunidades tradicionais, investidores, gestores, etc. Organizado pela Universidade Federal do Pará, Universidade Federal do Oeste do Pará e Governo do Estado do Pará, tem como público-alvo a sociedade civil, PCT’s, acadêmicos, empreendedores de negócios sustentáveis, investidores, estudantes e jornalistas especializados.

Abertura do Fórum – O Diretor – Presidente da Associação BioTec-Amazônia, Professor José Seixas Lourenço, participa do Fórum Mundial de Bioeconomia, que será realizado em Belém (PA), e vai até quarta-feira, 20 de outubro, na Estação das Docas. A BioTec-Amazônia é uma organização social qualificada pelo Governo do Estado do Pará, via Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), para promover o uso sustentável da biodiversidade estadual e regional.

É a primeira vez que o Fórum Mundial de Bioeconomia ocorre fora da Europa. O Diretor – Presidente da Organização Social BioTec-Amazônia participa das atividades oficiais do evento desde a Cerimônia oficial de abertura do Fórum que conta com a presença de Helder Barbalho, do Governador do Estado do Pará; Mária Alexandra Moreira Lopes, Secretária Geral da Organização do Tratado de Cooperação Amazônia; Governador Flávio Dino de Castro e Costa, Presidente do Consórcio de Governadores e Hamilton Mourão, Vice Presidente do Brasil.

O Diretor – Presidente da Associação BioTec-Amazônia participa da mesa Bioeconomia: Pessoas, Planeta e Políticas com a Palestra de abertura Visão geral sobre bioestratégias globais; do Painel 1 Bioestratégias em todo o mundo, tendo como painelista Dr. Arturo Louis Luna Tapia – Responsável por parcerias do ICGEB, Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação da Colômbia, Ignasi Rodríguez Galindo – Responsável pelas relações exteriores, Ministério da Agricultura, Pecuária, Pesca e Alimentação Governo da Catalunha, entre outros.

Também ocorre o discurso principal: Status da economia global realizado por Joaquim Vieira Ferreira Levy Diretor de Estratégia Econômica e Relações com Mercados do Banco Safra no Brasil e o Painel 2 Financiamento Sustentável, com o painelista Gustavo Montezano – Presidente do Banco Brasileiro de Desenvolvimento BNDE; Mary Lystad – Líder do setor global, investimentos em produtos florestais The International Financing Corporation IFC; Ana Yang – Diretor Executivo do Hoffmann Center em Chatham House e Sergio Rial – CEO Santander da América Latina.

O Fórum Mundial de Bioeconomia 2021 é um evento híbrido, com transmissão também, ao vivo, de Belém. O evento inaugural foi sediado, concomitantemente, em Belém, Brasil e em Helsinki, na Finlândia. Neste evento o organizador, anfitrião e parceiros deram suas boas-vindas, seguidos de palestrantes brasileiros notórios, incluindo o ganhador do prêmio Nobel, Dr. Carlos Nobre.

Quando se trata de bioeconomia, não há um critério fixo, mas sim diferentes bioeconomias, cada qual com seus pontos fortes. Esta é uma das razões principais pelas quais o Fórum Mundial de Bioeconomia 2021 (World BioEconomy Forum) ocorre no Brasil. O Fórum Mundial de Bioeconomia busca apresentar Belém e o estado do Pará como um verdadeiro foco da bioeconomia circular em 2021, e compartilhar sua história com a sociedade global de bioeconomia circular.

Texto: Sílvia Leão (Ascom/Biotec-Amazônia)

Categorias: Notícias

IFPA iniciou nesta sexta (15) inscrições para vagas não preenchidas no Forma Pará 2020

sab, 16/10/2021 - 06:51
16/10/2021

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA) abriu nesta sexta-feira (15) o prazo de inscrição no processo de seleção para o preenchimento de vagas remanescentes da chamada 2020 do Forma Pará, programa do governo do estado desenvolvido pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet). 

Disponível no site da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), responsável pelo processo de seleção, o edital prevê vagas nos cursos de Licenciatura em História (Marituba), Licenciatura em Física (Muaná), Bacharelado em  Agronomia (Cachoeira do Piriá), Tecnológico em Rede de Computadores (Dom Eliseu) e Licenciatura em Ciências Biológicas (Novo Repartimento).

A seleção não terá prova específica e o candidato será avaliado pelo desempenho escolar com base nas notas de aprovação nas disciplinas de Português e Matemática durante o ensino médio. As notas/conceitos devem ser comprovadas pelo histórico escolar, ou boletim ou por declaração da escola.

Os interessados no processo seletivo podem se inscrever até o dia 28 de outubro. A taxa de inscrição é de R$ 80,00 e deve ser paga até o dia 29 de outubro. Candidatos com direito à isenção da taxa de inscrição devem fazer a solicitação até o dia 21/10. 

Ufra – A Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) também está com inscrições abertas para vagas remanescentes do Forma Pará. Os interessados têm até a próxima quinta-feira (21/10) para acessar o formulário de inscrição. Os cursos ofertados Agronomia, em Ourém, e Licenciatura em Computação, em Mosqueiro, distrito de Belém.

Acesse os editais e as fichas de inscrição aqui: IFPA e UFRA

Texto: Jeniffer Galvão

Categorias: Notícias

Forma Pará lançará editais da chamada 2021 no final do mês de outubro

sex, 15/10/2021 - 16:24
15/10/2021

Inicialmente previstos para serem divulgados nesta sexta-feira (15) os editais da chamada 2021 do Programa Forma Pará, do governo do estado, serão publicados a partir do dia 28 de outubro. A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), coordenadora do Programa, informa que o adiamento foi necessário para ajustes no cronograma do processo de seleção.

Os editais das Instituições de Ensino Superior (IES) estarão disponíveis nos sites da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) e do Centro de Processos Seletivos (Ceps) responsáveis pela seleção especial das instituições de ensino que fazem parte da chamada 2021 do Forma Pará. A realização da prova específica está prevista para o dia 5/12/2021.

Nesta terceira chamada, o Forma Pará oferta 1.900 vagas em 25 cursos de nível superior em 37 municípios/distritos por meio das seis IES públicas do estado: Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Instituto Federal do Pará (IFPA).

Texto: Jeniffer Galvão

 

Categorias: Notícias

Cursos do Forma Pará são apresentados em Tracuateua e Bonito

qui, 14/10/2021 - 16:17
14/10/2021

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) participou de audiências públicas para anúncio dos cursos do Programa Forma Pará nos municípios de Tracuateua e Bonito, região oeste do Pará.

Em Tracuateua, a audiência pública foi realizada nesta quarta-feira (13), no Ginásio Pinheirão, onde foi apresentado a estudantes do município o curso de Licenciatura em Educação Física, que fará parte da chamada 2021 do Forma Pará, programa do governo do estado desenvolvido pela Sectet. O curso será ofertado em parceria com a Universidade do Estado do Pará (Uepa) e prefeitura de Tracuateua.

Para os estudantes de Bonito, o curso apresentado em audiência pública realizada nesta quinta-feira (14) foi Engenharia de Pesca, que será realizado em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA) e prefeitura municipal. Também será disponibilizado na chamada 2021 do Forma Pará. 

Os editais das Instituições de Ensino Superior (IES) públicas parceiras do programa estão previstos para serem divulgados no dia 28 de outubro no site da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), responsável pelos processos seletivos especiais. A previsão para a realização da prova nos municípios envolvidos é dia 05/12/2021.

Texto: Jeniffer Galvão

Categorias: Notícias

Consectet realiza 1ª Reunião Ordinária entre os novos membros

qui, 14/10/2021 - 13:30
14/10/2021

Na tarde desta quarta-feira (13), ocorreu, no auditório da Escola de Governança do Estado do Pará (EGPA), a 1ª Reunião Ordinária do Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Consectet), presidido pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

Entre outras competências, o Consectet tem a função de opinar, obrigatoriamente, sobre a política estadual de ciência e tecnologia do estado; editar normas e definir diretrizes para a implantação da Política de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica; além de avaliar e sugerir planos e programas na área de ciência, tecnologia, inovação e educação superior, profissional e tecnológica.

Durante a reunião, o presidente do Conselho e titular da Sectet, Carlos Maneschy, falou da necessidade de se criar uma rotina de reunião do Consectet e da importância de receber sugestões de seus membros. “Vamos aqui provocar boa parte do Conselho”, pontuou.

Ele informou ainda sobre a publicação da Lei do Forma Pará, Lei 9.324/2021, sancionada pelo governador Helder Barbalho na última semana. O programa passa a ser de Estado e não mais de Governo, garantindo a sua continuidade ao longo do tempo.

O Secretário comentou ainda sobre a Lei nº 9.104/2020, que transfere a gestão das escolas de ensino técnico do estado do Pará da Secretaria de Educação (Seduc) para a Sectet. Na oportunidade, Maneschy informou que a Sectet está se dedicando a fazer intervenção na estrutura física dessas escolas e realizar demais melhorias que forem necessárias.

Em seguida, o Secretário Carlos Maneschy mencionou sobre o Programa StartUp Pará, lançado em 2019, que terá seu segundo edital lançado no próximo dia 21 de outubro. Ele explicou como ocorreu a primeira chamada, em fase de encerramento. Além disso, ressaltou que a gestão do Programa será realizada pela Fundação Guamá, selecionada em Chamamento Público. Ele destacou ainda outras ações da Secretaria previstas para a área de inovação como Inova TerPaz e StartUp para Mulher.

O Secretário também chamou a atenção para a Lei Complementar 133/2020, que trata sobre os recursos da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem) voltados ao desenvolvimento da ciência, tecnologia, inovação tecnológica, assim como da formação profissional no estado, além de ser voltado à promoção e apoio das startups, micro e pequenas empresas inovadoras e/ou de base tecnológica.

Na ocasião, o representante da Assembleia Legislativa do Estado (Alepa), deputado Dirceu Ten Caten, elogiou os investimentos e ações do Governo do Pará voltadas a ciência, tecnologia e inovação. “Eu considero que o governo acerta muito ao deixar um legado positivo para o tempo pós-mineração, tendo em vista que o recurso mineral é finito”, considerou.

Encerrada a fase de informes e apresentações, o titular da Sectet passou a palavra aos demais membros do Conselho que, de maneira unânime, mostraram-se satisfeitos com o retorno das reuniões do Consectet, assim como puderam contribuir e sugerir novos projetos e ações.

Membros – Os atuais membros do Consectet tomaram posse no último dia 5 de agosto, no auditório David Mufarrej, da Universidade da Amazônia (Unama). Além da Sectet, fazem parte do Conselho a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa), a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme); a Secretaria de Estado de Turismo (Setur), o Instituto Federal do Pará (IFPA), a Universidade do Estado do Pará (Uepa), a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), a Universidade Federal do Pará (UFPA), a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), a Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), o Banco da Amazônia, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), a Federação das Associações de Municípios do Pará (Famep), a Federação do Comércio do Estado do Pará (Fecomércio), a Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), o Instituto Evandro Chagas, Associação Biotec-Amazônia, o Instituto Senai em Inovação em Tecnologias Minerais (Senai - ISI – TM), o  Museu Emílio Goeldi, o  Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Pará (Sebrae-PA) e a Universidade da Amazônia (Unama).

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Ufra está com inscrições abertas para vagas remanescente do Forma Pará 2020

qua, 13/10/2021 - 15:22
13/10/2021

A Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) está com inscrições abertas até o dia 21 de outubro para o preenchimento de vagas remanescentes da chamada 2020 do Forma Pará, programa do governo do estado desenvolvido pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet). O edital está publicado no site da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), responsável pelo processo de seleção, que não terá prova específica. 

Segundo o edital, o candidato será avaliado “pelo seu desempenho escolar com base nas notas/conceitos de aprovação nas disciplinas de Português e Matemática obtidas no 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio ou em ensino equivalente, comprovadas por meio de Histórico Escolar, ou Boletim Escolar de Notas, ou por Declaração Escolar em que constem as notas/conceitos obtidos nas disciplinas, ou por documento de conclusão do Ensino Médio ou ensino equivalente as notas/conceitos finais das disciplinas de Português e Matemática, anexando neste momento, os documentos comprobatórios de cada ano”.

A Ufra oferta vagas em turmas do curso de Agronomia, em Ourém, e para o curso de Licenciatura em Computação, em Mosqueiro, distrito de Belém. Os interessados no processo seletivo podem acessar o formulário de inscrição no site da Fadesp até o dia 21 de outubro. A taxa de inscrição é de R$ 80,00 e deve ser paga até o dia 22 de outubro. 

Unifesspa – A Universidade Federal do Sul e do Sudeste do Pará (Unifesspa) também está com inscrições abertas para vagas remanescentes do Forma Pará até amanhã (14). Os cursos ofertados são: Ciências Contábeis, em Bom Jesus do Tocantins; Administração, em Abel Figueiredo; Pedagogia, em Itupiranga; e Zootecnia, em Ourilândia.

Confira o número de vagas disponíveis em cada município e demais detalhes dos processos nos editais: UFRA e UNIFESSPA.

Texto: Jeniffer Galvão

Categorias: Notícias

Programa Forma Pará é instituído como lei pelo Governador do Estado

sex, 08/10/2021 - 13:23
08/10/2021

Fomentar a expansão da oferta de cursos superiores no estado como importante instrumento de superação das desigualdades inter-regionais. Essa é a principal finalidade do Programa Forma Pará que nesta sexta-feira (8) passou de programa de governo a programa de Estado com a publicação da Lei 9.324/21no Diário Oficial do Estado (DOE). O projeto foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado no dia 28 de setembro e sancionado pelo governador Helder Barbalho, nesta quinta-feira (7).

“Ao ser instituído por lei, o Forma Pará passa a ser um programa de Estado. Desta forma se garante a continuidade do programa nas próximas gestões de governo, que terão de manter o investimento na ampliação do número de vagas de ensino superior no estado”, explica o titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Maneschy, idealizador do programa que é executado pela pasta.

Ele ressalta ainda que o Forma Pará faz parte do programa de governo de Helder Barbalho. “Sem a visão estratégica do governador, o programa ficaria no campo das ideias. É necessário ação para que ideias virem realidade e foi isso que o governador fez apostando que o investimento na educação e na formação da nossa gente é um dos caminhos mais promissores para o desenvolvimento social e econômico do Pará”, enfatiza o secretário.

Democratização - A Lei 9.324/21 estabelece que o Forma Pará siga sob a coordenação da Sectet, com auxílio da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa). O Programa tem como objetivos expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação superior, em todos os níveis, nas modalidades presencial, semipresencial e à distância, considerando as potencialidades locais, as demandas sociais identificadas e as vocações produtivas sub-regionais.

A legislação ressalta como prioridade a formação de profissionais para os diferentes setores da economia, contribuindo para a promoção da inclusão social, a melhoria de renda, a geração de oportunidades de trabalho e emprego. O Programa visa ainda realizar e estimular o desenvolvimento científico e tecnológico, a pesquisa aplicada e o empreendedorismo no Pará.

Executado de maneira inovadora, o Forma Pará une esforços do governo do Pará, Instituições de Ensino Superior (IES), prefeituras e organizações sociais. Em 2021, o programa chegou a três anos de execução, ofertando cerca de 4.000 vagas em cursos de graduação em áreas de licenciatura, bacharelado e tecnológico em mais de 50 municípios em 11 das 12 regiões de integração do estado.

“É o maior programa de extensão do ensino superior fora de sede do Brasil e que tem uma amplitude social muito grande ao dar oportunidade às pessoas que desejam fazer um curso superior e não têm condições de sair de seu município. Ter esse programa garantido por lei é um grande avanço para o nosso estado”, comemora a secretária adjunta da Sectet e gestora do programa, Edilza Fontes.

Texto: Fernanda Graim e Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

StarUP Pará

ter, 05/10/2021 - 08:40
01/10/2021

Sectet e Fundação Guamá firmam contrato de gestão para execução do StartUP Pará

Programa prevê o lançamento de até dez novos editais 

Com o objetivo de apoiar projetos e empreendimentos voltados à criação ou implementação de soluções de base tecnológica com perfil inovador, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) e a Fundação Guamá firmaram um contrato de gestão para a execução do Programa StartUP Pará. 

A assinatura do contrato é resultado do edital 006/2021, aberto pela Sectet para selecionar a organização responsável pela execução de serviços técnicos especializados.

“Acreditamos que a Fundação Guamá, selecionada do Chamamento Público, irá contribuir na execução das metas estabelecidas no programa. Essa exteriorização de ações com a Fundação Guamá mostra-se muito importante no cenário atual de conciliação entre ciência, tecnologia, inovação e o crescimento econômico”, afirma a coordenadora do StartUP Pará, Maria Trindade. 

Idealizado pelo titular da Sectet, Carlos Edilson de Almeida Maneschy, o Programa SartUP Pará estabelece a Estratégia Estadual para o Empreendedorismo de Base Tecnológica, bem como os procedimentos relacionados ao apoio do Governo do Pará a iniciativas inovadoras. 

“Os editais planejados farão grande diferença às empresas e instituições de ciência e tecnologia, com a forte perspectiva de consolidar um novo modelo de desenvolvimento econômico com base em inovação. Levaremos ao StartUP Pará a tecnologia e a experiência da Fundação Guamá em ações de estímulo ao empreendedorismo regional, adquiridas nos vários programas que já executamos”, pontua o diretor presidente da Fundação Guamá, Rodrigo Quites.

Histórico

O ciclo do primeiro edital do programa, lançado em 2020, está sendo finalizado. Nos próximos dias, o Governo deve anunciar as 20 startups que receberão subvenção econômica do Estado, ou seja, aplicação de recursos públicos que não precisam ser reembolsados.

A primeira edição foi uma realização da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa),  Secretaria de Planejamento e Administração (Seplad) e Sectet. Em junho de 2021, a Fundação Guamá assumiu a execução técnica através de um chamamento público.

O lançamento do segundo edital, já inserido no contexto do novo convênio firmado com a Fundação Guamá, está previsto para o mês de outubro.

Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCTGuamá)

Categorias: Notícias

Biotec-Amazônia

ter, 05/10/2021 - 08:21
05/10/2021

Ciência e Tecnologia a serviço da Bioeconomia

A nova natureza científica e tecnológica da Organização Social BioTec-Amazônia propicia a possibilidade de desenvolver pesquisas avançadas, como é o caso do estudo do genoma do açaí e a pesquisa de prestação de serviço dentro da área de tecnologia supercrítica.

O Conselho de Administração da Associação BioTec-Amazônia aprovou dispositivo da Lei Estadual nº 8.4126/2016, da Resolução Nº 027/2021, que inclui no Estatuto da BioTec-Amazônia o status de instituição científica e tecnológica (ICT) para fins de desenvolvimento da inovação, da extensão tecnológica e de engenharia não rotineira em bioeconomia.

A BioTec Amazônia se firma então como Instituição Científica e Tecnológica no Pará - ICT/PA, de natureza privada, habilitada a executar atividades de pesquisa básica ou aplicada, de caráter científico ou tecnológico, ao desenvolvimento, à inovação e à extensão tecnológica, e à engenharia não rotineira, em ambiente de produção, possuindo ou não atividades voltadas à formação superior de recursos humanos.

A nova natureza científica e tecnológica da Organização Social BioTec-Amazônia propicia a possibilidade de desenvolver pesquisas avançadas, como é o caso do estudo do genoma do açaí. O projeto vai trazer informações, até então, desconhecidas de uma fruta tão importante para Amazônia e para o mundo, por conta da internacionalização de produtos a base do açaí brasileiro. A partir de um mapa metabólico da célula, é possível entender como funciona a anatomia fisiológica molecular de uma espécie do fruto.

O pesquisador Artur Silva, diretor técnico-científico da BioTec-Amazônia e coordenador do Laboratório de Engenharia Biológica (Engbio) é quem vai realizar o estudo. O Engbio é um laboratório de pesquisa, instalado no Parque de Ciência e Tecnologia – PCT Guamá, e faz parte do grupo de laboratórios da Universidade Federal do Pará – UFPA que dão suporte à BioTec-Amazônia para ações estratégicas de coordenação e elaboração de pesquisas com recursos do Governo do Estado.

Outro exemplo de pesquisa, é que vem acontecendo no Laboratório de Tecnologia Supercrítica (LabTecs), instalado no Parque de Ciência e Tecnologia – PCT Guamá, e que também faz parte do grupo de laboratórios da UFPA, que dão suporte à BioTec-Amazônia. Até então o LabTecs não existia dentro do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, onde hoje encontra-se instalado e em funcionamento.

Foi através desse convite, e de um protocolo junto a Universidade Federal do Pará (UFPA) e do próprio PCT Guamá, que foi criado um convênio para instalação da infraestrutura física do LabTecs. “Ai nós começamos a montar o Laboratório de Tecnologia Supercrítica, conhecido como LabTecs”, explicou o coordenador do Laboratório de Tecnologia Supercrítica (LabTecs), Professor Raul Nunes de Carvalho Junior.

Hoje o laboratório está desenvolvendo pesquisa e prestação de serviço dentro da área de tecnologia supercrítica. São extratos de tucumã, açaí, jambu, bacaba, cipó-pucá. Um dos produtos gerados pela extração supercrítica, torta desengordurada tem alto valor agregado, pois é livre de solvente, obtida por processos com condições amenas que minimizam a ocorrência de degradação dos compostos bioativos.

As atividades da BioTec-Amazônia estão voltadas para subsidiar a Política Pública para Pesquisa e Desenvolvimento de Cadeias Produtivas da Biodiversidade Paraense, procurando potencializar sua capacidade de governança inovadora e de articulação estratégica, como o braço do Estado do Pará dotado de expertise e credibilidade internacional e em todas as esferas da União, como articuladora com o setor empresarial e centros de inteligência, permitindo acesso e governança democrática e eficiente de tecnologia de ponta, fundamental para o desenvolvimento das instituições de ciência e tecnologia, indústrias e empresas da Região.

“A própria iniciativa de qualificar uma Organização Social a fim de promover o desenvolvimento regional a partir do uso sustentável da biodiversidade amazônica já é um marco de inovação no estado do Pará. Um dos grandes problemas da gestão pública é a falta de continuidade das ações e o modelo de governança inovadora da OS permite dar sequência a ações mesmo com as mudanças de governo, possibilitando a conclusão das metas estabelecidas nos eixos estratégicos que norteiam as ações da BioTec-Amazônia”, explicou o Diretor-Presidente, José Seixas Lourenço.

A Associação BioTec-Amazônia completou cinco anos de atividades, neste 4 de outubro de 2021. Uma associação que teve a aprovação do seu Estatuto Social e nasceu com a vocação para crescer como uma organização social destinada a desenvolver as atividades dirigidas ao ensino, à pesquisa científica, ao desenvolvimento tecnológico, à proteção e preservação do meio ambiente, à cultura e à saúde, atendidos aos requisitos previstos na legislação.

Foi qualificada pelo Estado do Pará como Organização Social, para atuar na área de Desenvolvimento Tecnológico e Científico, em conformidade com a legislação estadual, com quem estabeleceu, através da sua Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET, o contrato de gestão para executar e gerir o Programa Paraense de Incentivo ao uso sustentável da Biodiversidade Amazônica, o BIOPARÁ.

O programa paraense busca desenvolver políticas públicas que possibilitem a agregação de valor às cadeias produtivas da biodiversidade estadual e regional, por meio de pesquisa e desenvolvimento e de prospecção de negócios inovadores no setor, para o desenvolvimento de uma economia dinâmica fundada no uso sustentável da biodiversidade, com base científica e tecnológica.

Recentemente teve o contrato prorrogado por um ano, até 30 de novembro de 2022, por intermédio da Sectet. O contrato de gestão com a Associação BioTec-Amazônia, selecionada, por meio do edital de chamamento público em 2017, é a consolidação de um modelo de desenvolvimento sustentável, ancorado pelo conhecimento, pela produção e por novas formas de gestão e governança. A assinatura ocorreu na sede da Secretaria e contou com a presença de seu titular, Secretário Carlos Maneschy e do Diretor-Presidente da BioTec-Amazônia, Professor José Seixas Lourenço.

O Secretário Carlos Maneschy ressaltou no encontro o papel da BioTec-Amazônia em promover a biodiversidade paraense. “A BioTec-Amazônia como Organização Social contratada pela Sectet para trabalhar na prospecção de novos negócios, é um braço que pode agilizar o Governo nesse aspecto, em particular. Essa é a função primordial da relação entre BioTec e o Estado de maneira direta”. Mais recentemente, o titular da Sectet também parabenizou a BioTec-Amazônia pela iniciativa de implementação do Centro de Desenvolvimento Regional – CDR no Estado do Pará.

“Quero parabenizar o Professor Seixas Lourenço, parabenizar e desejar todo o sucesso no encaminhamento da gestão do Centro de Desenvolvimento Regional e toda a equipe da BioTec e dizer que o Governo do Estado, na pessoa do Governador Helder Barbalho, já está com toda a disposição, já anunciou, manifestou de maneira muito clara a sua intenção de aprovar esse projeto. Eu tenho certeza que em pouco tempo a gente pode construir aqui um caminho novo, um novo processo de produção do Estado, um patamar distinto de qualificação no que diz respeito aos bens que aqui são produzidos . Creio que esse é um passo seguro e importante nessa direção”, disse Carlos Maneschy, quando participou da 1ª Oficina do Centro de Desenvolvimento Regional Pará Região Metropolitana de Belém.

Texto: Sìlvia Leão (Ascom/Biotec-Amazônia)

Categorias: Notícias

Unifesspa recebe inscrições para vagas remanescentes do Forma Pará em quatro municípios

seg, 04/10/2021 - 16:34
04/10/2021

A Universidade Federal do Sul e do Sudeste do Pará (Unifesspa) abriu inscrições para o reenchimento das vagas remanescentes do processo seletivo especial da chamada 2020 do Programa Forma Pará, coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

Os interessados podem se inscrever até o dia 14 de outubro e concorrer a vagas nos curso de Ciências Contábeis, em Bom Jesus do Tocantins; Administração, em Abel Figueiredo; Pedagogia, em Itupiranga; e Zootecnia, em Ourilândia.

Para concorrer às vagas não será necessário fazer prova específica, pois a seleção ocorrerá com base no desempenho escolar dos candidatos aferido por meio das

notas ou conceitos do ensino médio ou ensino equivalente, das disciplinas de Português e Matemática.

A taxa de inscrição é de R$ 80,00 e deve ser paga até o dia 15 de outubro. Confira o número de vagas disponíveis em cada município e demais detalhes do processo no edital disponível AQUI.

Categorias: Notícias

Governo Estadual incentiva empreendedorismo e inovação com o Programa StartUp Pará

seg, 04/10/2021 - 14:02
04/10/2021

20 startups venceram o programa e agora poderão receber apoio do Governo Estadual.

Ser empreendedor é um sonho que passa na cabeça de grande parte dos brasileiros. Segundo dados do Registro Mercantil da Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa), até agosto deste ano já foram registradas mais de 8.073 novas empresas no Pará, um aumento de 15,56% em relação ao mesmo período de 2020.

Pensando nesses dados que vem crescendo a cada ano e no desenvolvimento do Pará, o Governo estadual, por iniciativa da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) e da Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad), com apoio técnico da Fundação Guamá, lançou o Programa StartUP Pará, estabelecendo a estratégia estadual para o empreendedorismo de base tecnológica, apoio e criação de ambientes para iniciativas inovadoras.

“Desde o início da gestão, o governador (Helder Barbalho) colocou como absolutamente importante o apoio à inovação e ao empreendedorismo como mola propulsora do desenvolvimento do Estado. O programa busca estimular a criação ou consolidação de negócios de base tecnológica e sustentáveis no Pará, gerando produtos e serviços com maior valor agregado e potencial para a geração de emprego e renda”, disse Marcel Botelho, titular da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa).

O programa, que iniciou a fase de inscrições em 2020, contou com mais de 100 propostas inscritas nas modalidades Novos Negócios e Aceleração. As startups tiveram que passar por três etapas: enquadramento, seleção e execução do programa. Durante o processo, 80% das propostas foram enquadradas e passaram para a próxima fase. Na última etapa, restaram 27 startups, as quais passaram por uma avaliação.

“Fazer parte do Startup Pará já é positivo para esses empreendedores, uma vez que, durante o programa, receberam oficinas, workshops, assessorias coletivas e individuais para melhorar suas ideias e empresas. Com a conclusão da etapa de Aceleração, a qual envolve benéficos qualitativos, o Programa StartUP Pará cumpre um de seus objetivos que é apoiar a criação ou consolidação de negócios de base tecnológica e sustentáveis no Pará, gerando soluções com maior valor agregado e potencial para a geração de empregos”, explica Maria Trindade, coordenadora do Programa Startup Pará, na Sectet.

Depois de meses de mentoria, palestras, workshops e muito trabalho, 20 startups, dez de cada modalidade, foram selecionadas e terão a possibilidade de receber o apoio financeiro de até R$ 80 mil reais para novos negócios (ideação) e até R$ 200 mil reais para aceleração (empresas). Um investimento financeiro, exclusivamente estadual, de R$ 2,8 milhões de reais para que os empreendedores desenvolvam mais suas iniciativas já existentes ou transformem suas ideias em negócios de sucesso.

O resultado preliminar foi divulgado nesta segunda-feira, 04, no Diário Oficial nº 34.722. Na modalidade Novos Negócios, foram classificados: Biomimética de Jonas Cunha da Silva, Agro Katu de Wilson Antônio Ferreira Costa, Mahá Biocosméticos de Gabriela Bianchi dos Santos, Memory Life de Kátia Maki Omura, Neuroprotect de Walace Gomes Leal, Ver-o-Fruto de Ingrid Monique Oliveira Telles, Unaí de  Washington Ferreira Nascimento Filho, Estação Inteligente de Monitoramento de Poluição de Oscar Bruno Maciel de Abreu, iAmazon de Mauro Antônio Cavaleiro de Macedo Rodrigues e Radar Naval de Gilberto Luís Sousa da Silva.

Já as 10 propostas na modalidade Aceleração foram: Otimize Seus Negócios de Vitor Pinheiro Alves, Focatec Soluções e Desenvolvimento de Elimar Pinheiro Xavier, Inteceleri Labs Tecnologia de Walter dos Santos Oliveira Júnior, Medbolso Software de Ernani de Oliveira Sales, Jambulabs Software de Marcelo Rocha de Sá, Navtech Solutions de Rhuan Fracalossi Melo, Bioactive Inovações e Pesquisas de Maria Cristina Andrade Saiani, Notifica Direto de Willys do Socorro Almeida de Campos, BRFlor Consultoria em Sistemas de Informação de Sabrina Brasil Freitas e Amazon Tech de Elionai Gomes de Almeida Sobrinho.

Para Vítor Alves, um dos finalistas na modalidade aceleração, o programa foi de grande ajuda profissional e intelectual. “O Startup Pará foi um verdadeiro MBA de alto nível, considerando os profissionais, conhecimentos e as experiências que tivemos ao longo da aceleração'', destacou.

Walace Gomes Leal, um dos beneficiários na modalidade Novos Negócios, pretende transformar a sua startup em uma empresa para disponibilizar produtos no mercado. “Estou desenvolvendo uma substância no programa Startup na Neuroprotect, (minha startup) uma substância que protege o cérebro de pessoas que tiveram AVC (Acidente Vascular Cerebral), um bioproduto derivado da flora amazônica, um neuroprotetor natural. Participar do StartUp Pará foi muito gratificante, um aprendizado muito grande. Quero parabenizar o Governo do Pará por este programa incrível. Tivemos a oportunidade de nos aproximar de grandes centros como São Paulo onde se investe muito em inovação e de países desenvolvidos como Estados Unidos e Alemanha”, avalia Walace.

O presidente da Fapespa, Marcel Botelho, explica como será o processo até o resultado definitivo das 20 propostas e parabeniza todas as startups que participaram dessa primeira edição do programa. “Nesta segunda-feira, 04, divulgamos o resultado preliminar das startups que poderão receber o apoio financeiro. Agora entramos na fase dos recursos, onde as startups terão um prazo de 10 dias úteis para recorrer. Quero dar parabéns a todas as startups envolvidas, pela dedicação e enorme evolução durante o processo.Temos a certeza que demos um passo importante para o desenvolvimento do nosso Pará”, concluiu o titular.

Startup Pará

O programa foi criado em 2019 com o objetivo de apoiar projetos, ainda que em fase de ideação, voltados à criação e implementação de soluções, métodos e processos de base tecnológica, que explorem a inovação e a cultura empreendedora como instrumento estratégico para contribuir com o desenvolvimento sustentável do Estado, viabilizando o surgimento de novas empresas inovadoras capazes de promover a geração de negócios de maior valor adicionado, descortinando alternativas de emprego com melhores salários e a possibilidade da formação, atração e fixação de recursos humanos mais bem qualificados.

O programa contou com duas modalidades, Novos Negócios e Aceleração. E as startups interessadas em participar deveriam atuar em pelo menos umas das seguintes áreas temáticas:

Educação; energia; mineração; saúde e qualidade de vida do cidadão; govtech (Inovação na Administração Pública); agrotech, com destaque para agroindústria e piscicultura; biotecnologia; tecnologia da informação e comunicação; inteligência artificial e logística.

 

Texto: Rosane Linhares (Fapespa)

Categorias: Notícias

Inova Amazônia

sab, 02/10/2021 - 10:42
02/10/2021

Sai resultado preliminar do Inova Amazônia. Veja AQUI.

Categorias: Notícias

Projeto de Lei

sex, 01/10/2021 - 10:05
01/10/2021

Alepa aprova projeto que institui a Lei do Forma Pará

A Assembleia Legislativa do Estado do Pará aprovou, na sessão da última terça-feira, o projeto de lei no 244/2021 que institui o Forma Pará, programa do governo do estado, coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet)

O Programa foi idealizado pelo titular da Sectet, professor Carlos Maneschy, com a finalidade de fomentar a expansão da oferta de cursos superiores no Estado do Pará, abrangendo a especialização profissional tecnológica, o mestrado profissional e o doutorado profissional, nos termos das diretrizes curriculares nacionais para a educação profissional e tecnológica do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Incluído pelo governador Helder Barbalho em seu plano de gestão, o Forma Pará conta com a parceria das Instituições de Ensino Superior (IES) presentes no estado, assim como associações e prefeituras municipais. A instituição do Forma Pará como lei o transforma em um programa de Estado, não mais de Governo, o que garante a sua continuidade ao longo do tempo. A lei do Forma Pará entra em vigor a partir de sua publicação que deve ocorrer nos próximos dias após a sanção do governador Helder Barbalho.

Gerido pela secretária adjunta da Sectet, professora Edilza Fontes, o Programa lança no próximo dia 15 de outubro os editais da terceira chamada, chegando a um total de cerca de 4.000 vagas ofertadas em três anos alcançando mais de 50 municípios paraenses.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Eetepa Dr. Celso Malcher comemora três anos com diversas atividades nesta terça-feira (28)

ter, 28/09/2021 - 16:28
28/09/2021

A Escola de Ensino Técnico do Estado do Pará (Eetepa) Dr. Celso Malcher integra a rede de unidades sob a gestão da Sectet, desde 2020

“Aqui eu amadureci, aprendi a ter pensamentos grandes, eles me fizeram acreditar que tudo eu posso fazer, basta eu querer”. Assim, a estudante Jennyfer Coelho definiu a sua relação com a Escola de Ensino Técnico do Estado do Pará (Eetepa) Dr. Celso Malcher, que completou três anos em meio a um dia repleto de comemorações e atividades nesta terça-feira (28).

Prestes a completar 18 anos e moradora do bairro da Terra Firme, em Belém, Jennyfer considera que a escola Dr. Celso Malcher foi um espaço de amadurecimento, assim como um aprendizado para a vida universitária. “Ela (a escola técnica) mostra como a faculdade é, os professores trouxeram como a faculdade vai lidar com os alunos”, ressalta a aluna, contando sobre a vida estudantil envolta a cobranças, trabalhos e cursos. Ela explica que conclui o curso técnico em informática no próximo ano e já vai realizar a prova do Enem 2021, além de ter planos para fazer outros cursos na escola, como enfermagem, administração e robótica.

Aclamada pelos alunos, durante a cerimônia de abertura das comemorações, a professora de sociologia, Vitória Dias, também declarou toda sua paixão pela escola, pelos alunos e pela profissão. “Vocês são os amores da minha vida, a escola é a minha vida, agradeço por estar representando os profissionais maravilhosos que aqui trabalham”, falou emocionada a professora, com 37 anos de profissão.
O clima de festa e união durante o dia mostrou a dedicação dos profissionais e alunos para garantir o desenvolvimento da escola e o aumento das atividades realizadas, o que se configura com grandes chances para os estudantes que se qualificam na escola.

“Aproveitem as oportunidades que a vida oferece. Não tenham dúvidas de que fizeram a escolha certa estando aqui. A educação é a melhor forma de crescer”, destacou o professor Salin Correa, que já foi vice-diretor da Eetepa Celso Malcher.

Para a atual diretora, Izabel Lopes, o momento foi de muita alegria e de matar a saudade da sala de aula, algo que se tornou difícil com a pandemia. “A palavra resiliência cabe bem nos dias atuais. Estamos reaprendendo a aprender. Que toda esta resistência que existiu agora cause o desejo de buscar o novo, lutar contra as dificuldades e que nossos alunos saiam como excelentes profissionais e que retratem essa equipe maravilhosa de professores”, desejou a diretora.
A cerimônia no ginásio da escola teve ainda uma apresentação cultural e o tradicional “parabéns para você”. O dia seguiu ainda com diversas atividades para marcar a data, entre elas uma apresentação dos alunos do curso técnico em segurança do trabalho que mostraram técnicas de combate a incêndio e a apresentação do novo laboratório de robótica da escola. 

A Eetepa Dr. Celso Malcher faz parte da rede de escolas que estão sob a gestão da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) desde 2020. Com isso, o Governo do Pará consegue ampliar o olhar sob o ensino técnico no estado, intensificando a integração do ensino médio regular a uma educação profissional e tecnológica, dentro da rede de escolas técnicas já existente, buscando ainda ampliar a rede, alcançando mais municípios, ajudando a fomentar a vocação econômica das diversas regiões paraenses.

Eetepa e o PCT Guamá
A Eetepa Dr. Celso Malcher está localizada na área do Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá. Segundo o diretor presidente da Fundação Guamá, organização responsável pela gestão do parque tecnológico, a possibilidade de integração entre a escola e as iniciativas residentes é um ponto positivo na formação dos alunos.

“Temos a intenção de promover uma integração forte com as empresas que atuam no parque, principalmente as que trabalham com o desenvolvimento de software, considerando que informática é uma das áreas temáticas da escola. Temos planejado o início de algumas atividades de capacitação para os alunos e, no futuro, a gente imagina eles possam atuar nos projetos das empresas e laboratórios do Parque”, afirma Rodrigo Quites.

Desde 2019, quatorze alunos da Dr. Celso Malcher já participaram de projetos de iniciação científica. Um dos exemplos recentes é o projeto “Práticas gerenciais de mulheres empreendedoras”, promovido pela Faculdade de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Pará (Facicon/UFPA).

“Como além de ser professora da UFPA eu sou residente do PCT Guamá, nós optamos por solicitar aqui na escola a seleção de duas bolsistas Pibic Ensino Médio para o projeto. Vamos trazer essas alunas pro mundo da pesquisa científica, fazendo essa interação entre a pesquisa e a realidade social”, conta a professora Marcia Athayde, coordenadora do projeto.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet) e Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá)
Fotos: PCT Guamá

Categorias: Notícias

Forma Pará divulga edital para preenchimento de vagas não ocupadas na chamada de 2020

ter, 28/09/2021 - 13:19
28/09/2021

São ofertados cursos em nove municípios e para concorrer o interessado não fará prova específica, a seleção será por análise do histórico escolar do candidato

O Programa Forma Pará, do governo do Estado, lança, nesta sexta-feira (1º), o edital para o preenchimento de vagas remanescentes do processo seletivo especial referente à chamada 2020. São vagas em cursos ofertados em nove municípios e para concorrer os interessados não precisarão fazer prova específica, pois a seleção será feita por meio da análise documental do histórico escolar dos candidatos.

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), responsável pelo desenvolvimento do programa, informa que as vagas não ocupadas no processo seletivo já realizado são de ampla concorrência, podendo se inscrever qualquer pessoa interessada nos cursos.

As vagas disponíveis são em Administração/Unifesspa, em Abel Figueiredo; Agronomia/IFPA, em Cachoeira do Piriá; Agronomia/Ufra, em Ourém; Ciências Biológicas/IFPA, em Novo Repartimento; Ciências Contábeis/Unifesspa, em Bom Jesus do Tocantins; Licenciatura em Física/IFPA, em Muaná; Licenciatura em História/IFPA, em Marituba; Pedagogia/Unifesspa, em Itupiranga e Rede de Computadores/IFPA, em Dom Eliseu. 

O edital será publicado no site da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) com os detalhes sobre quem pode se inscrever, a forma de seleção e o número de vagas disponíveis.

O Programa Forma Pará é uma iniciativa do governo do Pará que visa a aumentar e descentralizar a oferta de vagas no ensino superior, garantindo o acesso às universidades públicas em municípios onde não há campus universitário ou onde o curso demandado pela população não seja ofertado. Desde a sua criação, em 2019, foram realizadas duas chamadas do programa, que já conta com 43 turmas em 31 municípios das várias regiões do estado. 

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Programa Forma Pará, do governo do Estado, recebe reconhecimento de estudantes de Jacundá

seg, 27/09/2021 - 10:59
24/09/2021

Sem condições de sair de seu município para frequentar as aulas, Carine Dias teve de abrir mão da vaga conquistada em dois processos seletivos de instituições de ensino superior. Moradora de Jacundá, no sudeste paraense, ela terminou o ensino médio em 2006, e hoje é aluna do curso de Psicologia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), ofertado pelo Programa Forma Pará, do governo do Estado, desenvolvido pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

A universitária falou sobre a felicidade de fazer a graduação durante palestra do titular da Sectet, Carlos Maneschy, realizada na noite da última quarta-feira (22), no polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB), onde ocorrem as aulas do curso. “Eu passei em dois cursos, mas não pude assistir às aulas por causa dos custos de deslocamento. Hoje, faço a minha graduação praticamente dentro de casa”, frisou Carine, que mora a poucos metros de distância do local onde estuda.

Outra aluna, Poliana de Oliveira, contou ter sentido na pele as dificuldades de sair do local onde mora para estudar em outra cidade. “Fazer aqui um curso de tamanha importância, e numa universidade pública federal, é surreal”, definiu a estudante, que faz sua segunda graduação.

Agradecimento – “Agradecemos pelo incentivo à educação proporcionado pelo Projeto Forma Pará”, dizia a mensagem exposta numa faixa, feita pela turma para recepcionar as equipes do governo do Estado e da Unifesspa.

A secretária de Educação de Jacundá, Iara Alves Meireles, ressaltou que o “Forma Pará” representa um divisor de águas no município, e agradeceu a oportunidade de ofertar o curso de Psicologia aos moradores. “Nunca poderíamos imaginar ter aqui um curso dessa envergadura. Agradeço ao governo do Estado e à Unifesspa por estarmos hoje aqui realizando sonhos”, acrescentou Iara Meireles.

O secretário Carlos Maneschy ressaltou que a importância dos profissionais de Psicologia ficou ainda mais evidente durante a pandemia de Covid-19, e incentivou a turma a não desistir. “Daqui a cinco anos, quero vir aqui entregar o diploma para cada uma e cada um”, disse o titular da Sectet.

Investimento - Segundo ele, o “Forma Pará” só existe “porque o governador Helder Barbalho apostou na proposta que apresentamos. A ideia virou ação porque o governador acredita que o maior investimento que uma gestão pode fazer é na formação da sua gente”, reiterou.

O reitor da Unifesspa, Francisco Ribeiro, deu as boas-vindas aos estudantes que estão iniciando o curso com aulas híbridas - metade da turma de 35 alunos estava assistindo à apresentação de forma virtual. “Essa é uma oportunidade única, que vai melhor a vida de vocês e trazer benefícios para o município e para a região”, disse o reitor.

Marcel Botelho, presidente da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), ressaltou a eficiência do “Forma Pará” em expandir a oferta de vagas em cursos de nível superior no Estado, chegando a locais que outros programas de expansão não conseguem alcançar.

Texto e fotos: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Páginas