• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 14 minutos 1 segundo atrás

Sectet finaliza curso de aperfeiçoamento da comunicação no trabalho

qua, 18/03/2020 - 11:44
18/03/2020

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), por intermédio de sua Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica, finalizou a primeira edição do curso “Aperfeiçoamento da Linguagem para comunicação no mundo do trabalho”, na modalidade a distância, com a formação de 32 cursistas para atuarem de forma mais eficiente no ambiente organizacional quanto ao emprego de habilidades comunicativas.

O cursista e engenheiro Arlindo Tavares de Souza Junior avaliou a experiência como positiva. "O curso tem grande relevância por fornecer os fundamentos da comunicação efetiva no mundo do trabalho. A maior responsabilidade pela comunicação cabe ao emissor e em menor grau ao interlocutor, portanto, esses fundamentos dão suporte para nossas solicitações, comandos, sugestões e compreensão. Parabenizo todos os envolvidos. É imensamente gratificante para os cidadãos ter uma oportunidade assim”, destacou.

Para tanto, as aulas também abordaram a interpretação e elaboração de textos. A todo o momento, esses conhecimentos são necessários, por exemplo, para enviar um e-mail, receber uma instrução, liderar uma equipe. O curso consiste em uma ação concreta de incentivo à educação e à qualificação profissional, sobretudo, considerando a alta taxa de desemprego atual. Além disso, o modelo EAD se mostra mais adequado para esse tipo de curso, considerando o contexto do profissional da atualidade.

Os cursistas aprovados receberão seus certificados por e-mail, e em breve o curso será ofertado novamente. Os interessados deverão ficar atentos a este site.

Texto: Equipe de EAD da Sectet

Categorias: Notícias

Sectet prorroga indicações para Comci 2020 nas redes sociais

qua, 18/03/2020 - 10:16
18/03/2020

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), diante das últimas informações e recomendações de combate ao Coronavírus no Pará, informa que estão prorrogadas, por tempo indeterminado, as indicações para a Comenda Mulher Cientista (Comci) 2020. O prazo para o público indicar as possíveis agraciadas se encerraria na próxima quarta-feira (25), porém agora os seguidores das redes sociais da Sectet terão mais tempo para sugerir a Jovem Talento e a Cientista Master que receberão a honraria este ano.

Porém a cerimônia de entrega da comenda, prevista para o dia 29 de abril, está temporariamente adiada. Um novo cronograma deve ser discutido, por meio de aplicativo de mensagens, conjuntamente com as pesquisadoras indicadas pelas instituições de ensino e pesquisa para compor a Comissão Científica de Avaliação da Comenda Mulher Cientista.

A Comci foi criada em 2019 no intuito de incentivar o envolvimento feminino com a produção científica no Pará. Ela ocorre em duas etapas. A primeira se realiza por meio das redes sociais da Secretaria, onde os seguidores podem indicar os nomes de profissionais e estudantes que tenham desenvolvido pesquisas científicas e projetos de inovação tecnológica de comprovada relevância social no estado. A segunda fase é a avaliação dos nomes indicados pela Comissão.

Em 2019, a Comissão de Avaliação elegeu a estudante Francielly Rodrigues Barbosa na categoria Jovem Talento para receber a Comenda. Já, na categoria Master, houve um empate e as agraciadas foram as pesquisadoras Maria Paula Cruz Schneider e Ima Célia Guimarães Vieira.          

Seleção - As indicações poderão ser enviadas por meio de mensagens para as páginas da Sectet no Facebook e Instagram  (/sectetpa e @sectetpa).

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Roda de conversa mobiliza comunidade e alunos no território do Icuí-Guajará

sex, 13/03/2020 - 12:18
13/03/2020

Com uma significativa participação de moradoras e moradores, gestores do Projeto Meu Endereço, membros da Escola Fazendária da Secretaria da Fazenda do Pará e a dinâmica participação dos alunos da Escola Maria de Nazaré Marques Rio, localizada na Rua São Pedro, no bairro Icuí-Guajará, em Ananindeua, ocorreu na última quinta-feira, 12 de março, pela parte da manhã, mais uma Roda de Arte, Cultura e Diálogos.

A atividade envolveu encenações teatrais, músicas autorais e narrativas artísticas que articulam uma dinâmica de reflexão sobre a intimidação, estigmas e conflitos no direito à moradia, além de debater temas como IPTU, união estável, direito de passagem, direito de propriedade, violência urbana e a importância da participação da comunidade em defesa dos seus direitos e no cumprimento dos seus deveres.

A Roda é uma ação do Projeto “Meu Endereço: lugar de paz e segurança social”, que integra o Programa TerPaz do Governo do Estado do Pará, coordenado pela Secretaria de Estado de Articulação da Cidadania (SEAC). Para a moradora do bairro Flávia do Socorro, a roda de conversa foi uma experiência muito animada.

“Aprendi muitas coisas que ficarão marcadas para mim pelas jornadas da vida, em especial os conflitos de vizinhança. Moro num cômodo de alvenaria, dividido no meio, e com um banheiro no interior. Tenho dois filhos. Perto da minha casa tem muito som alto. Essa realidade afeta o sono e demonstra falta de respeito com os vizinhos. É muito ruim. A questão do IPTU também foi importante, pois ficou claro que quem pode menos, paga menos. Quem pode mais, paga mais. Fiquei feliz em participar”, destacou com um sorriso de alegria.

Texto e fotos: Kid Reis/Ascom CRF-UFPA

Categorias: Notícias

Divulgados os candidatos aptos à segunda fase de seleção do curso técnico em saúde bucal

sex, 13/03/2020 - 09:01
13/03/2020

Foram divulgados, nesta sexta-feira (13), os nomes dos 60 selecionados para participarem de entrevista que vai definir os nomes dos 40 alunos do curso técnico em saúde bucal, oferecido pela Secretaria de Ciência, e Educação Profissional e (Sectet). O curso será executado pela Universidade Federal do Pará (com interveniência da Fundação de Amparo ao Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp)por meio do Convênio de Cooperação Técnica assinado entre as instituições.

No total foram realizadas 1.513 inscrições, no período de 4 a 6 de março, para as 40 vagas ofertadas. As justificativas que mais se enquadravam aos objetivos do curso totalizaram essas 60 pessoas que agora passarão por entrevistas com os professores da Faculdade de Odontologia da UFPA.

O curso, de caráter teórico-prático, tem o objetivo de proporcionar a educação profissional em saúde bucal, no nível habilitação profissional de Técnico de Saúde Bucal. São 1.200 horas de carga horária, das quais 150 serão destinadas a estágios de aprendizagem, orientados e supervisionados pela Universidade.

As aulas serão divididas em quatro módulos no período de 18 meses. O conjunto de módulos corresponderá à habilitação profissional, com direito a diploma de Técnico em Saúde Bucal de Nível Médio, desde que comprovada a conclusão do Ensino Médio, em estabelecimento de ensino regular legalmente reconhecido.

Confira a lista com os nomes AQUI.

Serviço: Os selecionados nesta primeira fase deverão aguardar o contato da Faculdade de Odontologia que marcará dia, horário e local das entrevistas.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Encontro no Sebrae Lab esclarece dúvidas sobre o programa StartUp Pará

ter, 10/03/2020 - 16:54
06/03/2020

Na última quinta-feira (5), aconteceu, no Sebrae Lab, em Belém, um encontro para esclarecer dúvidas sobre o programa StartUp Pará – Estratégia Estadual para o Empreendedorismo de Base Tecnológica, desenvolvido pelo Governo do Estado em Parceria com a Fapespa, Sectet e Seplad. As inscrições para o programa vão até o dia 3 de abril.

No encontro, o edital do programa foi apresentado por Maria Trindade, Coordenadora do StartUp Pará, e por Renato Araújo Coelho, analista técnico do Sebrae no Pará, para que os participantes interessados em se inscrever pudessem tirar suas dúvidas.

Startup Pará - É um programa de apoio a projetos, mesmo que em fase inicial, voltados à criação e implementação de soluções, métodos e processos de base tecnológica, que explorem a inovação e a cultura empreendedora como instrumento estratégico para o desenvolvimento sustentável do estado.

As inscrições para o programa começaram no dia 24 de fevereiro e vão até o dia 3 de abril. O edital completo e outras informações sobre o Startup Pará podem ser encontrados na página: https://startuppara.fapespa.pa.gov.br/edital/

Sebrae Lab - É um espaço de estímulo à criatividade, à inovação, ao consumo de informações, à geração de novos conhecimentos, ao aprendizado contínuo e às múltiplas conexões nos negócios.

Um ambiente multifuncional, com pegada colaborativa, pensado para empreendedores inovadores e transformadores.

Texto: Elizandra Ferreira (Fapespa)

Categorias: Notícias

TerPaz leva projeto de empoderamento feminino à Cabanagem

dom, 08/03/2020 - 08:54
08/03/2020

O projeto "Ela Pode", voltado à capacitação de mulheres, está oficialmente integrado ao programa Territórios pela Paz (TerPaz), do Governo do Estado. O projeto foi apresentado numa roda de conversa sobre violência psicológica e autonomia financeira, realizada na tarde deste sábado (7), na Escola Estadual José Valente, no bairro da Cabanagem, em Belém. A programação teve o apoio da Diretoria de Comunicação Popular e Comunitária (DCPC) da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom). O Ela Pode é uma iniciativa do Instituto Rede Mulher Empreendedora, a maior rede de empreendedorismo feminino do Brasil, e está sendo desenvolvido no Pará pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) com apoio da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa).

A forte chuva que caiu durante boa parte do dia não foi empecilho para quem quis logo garantir a participação no projeto. As duas coordenadoras do "Ela Pode", Jana Borghi e Helen Gonçalves, abriram o diálogo falando um pouco sobre suas próprias experiências, e abrindo espaço para que as participantes também falassem.

Uma delas foi a vendedora de comida Elza Costa, moradora do Parque Verde, e que há dez anos se tornou uma empreendedora para poder se sustentar. "Toda vez que fico sabendo desse tipo de atividade eu corro para participar, porque eu também ajudo outras mulheres a criarem seus próprios negócios. Conheci várias outras incríveis aqui, é muito importante esse momento de troca, em que a gente cria novas redes", elogiou. 

O projeto 'Ela Pode' é voltado para a construção da autonomia financeira de mulheres, lançado por intermédio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), por meio de chamada pública. Cerca de 2 mil mulheres serão capacitadas nos próximos meses dentro dos sete territórios de paz. O “Ela Pode” vai oferecer conteúdos que vão desde redes de relacionamento, inclusão digital até autonomia financeira, liderança, entre outros pontos voltados para o empreendedorismo feminino.

Inspiração - Um pequeno show de talentos no meio da programação abriu espaço para que os filhos das mulheres participantes da roda pudessem mostrar um pouco de suas habilidades musicais. "A gente foi muito bem recebida aqui, e escolhemos essas duas temáticas justamente para trocar experiências e mostrar que não somos detentoras do conhecimento. A gente quer que elas saibam que têm espaço para falar. E já vimos que teve filha, mãe e avó da mesma família que vieram se inscrever", comemorou Helen. No domingo (8), a roda de conversa chega ao bairro do Guamá, e as capacitações já terão início na segunda quinzena deste mês.

Ivanilda Vieira dirige a escola e afirma que a abertura do espaço para as discussões voltadas ao empoderamento feminino, reforçam inclusive a necessidade de valorização da figura materna como mulher também por parte dos alunos. "Quem é que acompanha todo o desenvolvimento dos filhos, dentro e fora da escola? É a mãe, e elas merecem ser reconhecidas por isso e por todo o valor que elas têm", reforçou.

Ainda pela parte da tarde, a jornalista e doutoranda Nathália Kahwage esteve à frente de uma outra roda de conversa, dessa vez sobre a inserção da mulher no mercado de trabalho. "Acho que o empoderamento, o feminismo são questões que precisam estar presentes dos mais diferentes espaços, e não só de quem está perto de mim. É preciso sair da bolha e levar esse conhecimento a mulheres que estão à frente de comunidades, que por vezes passam por violências, para que conheçam, entendam e possam fazer algo sobre isso", avaliou.

A programação terminou com a fala da secretária de Estado de Cultura, Úrsula Vidal, sobre empoderamento feminino. “É preciso que nós, mulheres, fiquemos cada vez mais unidas, e possamos entender as nossas diferenças, seja de comportamento, seja de crenças. Nós queremos ocupar espaços, cargos e ter oportunidades, e só podemos fazer isso juntas e juntos!”, concluiu a secretária.

De acordo com a representante do TerPaz na Cabanagem, Marisa Lima, a ação deste sábado foi pensada para além dos serviços oferecidos. “Buscamos construir políticas públicas, criar um debate e capacitar cada uma das mulheres para que possamos construir um novo tempo nesse território”, discursou.

Presente - As atividades da Secom em meio às ações do TerPaz ocorrem nos sete bairros participantes do programa, e neste mês de março, por conta do Dia Internacional da Mulher, serão voltadas essencialmente ao empreendedorismo da mulher na periferia. Além da roda de conversa programada para esta segunda, dia 9, no Guamá, haverá ainda uma oficina de Jornalismo no bairro do Icuí, com a participação da jornalista Lorena Esteves. Há programada uma nova roda de conversas na Cabanagem no dia 16, acompanhada de uma oficina de marketing digital montada para mulheres. E entre os dias 23 e 27 de março, serão realizadas oficinas de fotografia e de produção de texto em Marituba.

Atendimento médico e cultura da paz - Os moradores do bairro da Cabanagem também receberam atendimento médico, encaminhamento para consultas, exames especializados, testes rápidos, vacinas, orientação com a Defensoria Pública e embelezamento. A ação foi organizada pelo programa Territórios Pela Paz (TerPaz).

ParaA dona de casa Maria de Jesus levou os três filhos para marcar exames e consultas para a família. “Cheguei bem cedo, mesmo com chuva e consegui tudo o que eu precisava, marquei consultas para os meus filhos, para mim, agora estou marcando uma avaliação com odontologista, é maravilhoso ter esses serviços mais próximos da gente”, disse.

Também foi realizada uma palestra e orientação com a defensora pública, Cassandra Gomes, do Núcleo de Atendimento Especializado a Criança e Adolescente (NAECA). “O objetivo dessa conversa é sensibilizar e fortalecer a rede de proteção das crianças e adolescentes, por isso, trabalhamos com a cultura de paz, considerada uma questão de saúde pela Organização Mundial da Saúde, buscamos incentivar o diálogo para solução de conflitos pela não violência destacando o respeito à diversidade”, informou a defensora.

Texto: Carol Menezes (Secom), com informações de Paulo Garcia (Seac) e Gabriel Marques (Secult)

Categorias: Notícias

Sectet concede pela segunda vez comenda que incentiva a produção científica feminina no Pará

sex, 06/03/2020 - 12:51
06/03/2020

No intuito de incentivar o envolvimento feminino com a produção científica no Pará, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) dará início no próximo domingo (8), Dia Internacional da Mulher, à primeira etapa para a seleção das mulheres que receberão a Comenda Mulher Cientista (Comci) 2020. Conforme ocorreu na primeira edição, realizada no ano passado, a escolha das homenageadas será feita em duas etapas e abrangerá duas categorias: Jovem Talento e Cientista Master.

A primeira etapa, que começa domingo, ocorrerá por meio das redes sociais da Secretaria, onde os seguidores poderão indicar os nomes de profissionais e estudantes que tenham desenvolvido pesquisas científicas e projetos de inovação tecnológica de comprovada relevância social no estado. A segunda fase será a avaliação dos nomes indicados pela Comissão Científica de Avaliação da Comenda Mulher Cientista, formado por mulheres cientistas indicadas por instituições de ensino e pesquisa do Pará.

“Nunca é demais destacar que a efetiva presença das mulheres no espaço oficial da ciência é muito recente em termos históricos, algo em torno de um século apenas. Essa inclusão exigiu das pioneiras coragem e perseverança para se defrontar com a tradição e os ambientes até então dominados pelos homens”, destaca a secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes.

Em 2019, a Comissão de Avaliação da Comci elegeu a estudante Francielly Rodrigues Barbosa na categoria Jovem Talento para receber a Comenda. Já, na categoria Master, houve um empate e as agraciadas foram as pesquisadoras Maria Paula Cruz Schneider e Ima Célia Guimarães Vieira.           

Seleção - A campanha pelas redes sociais da Sectet incentiva a indicação de mulheres que tenham realizado trabalhos relevantes para a ciência e inovação no estado do Pará. As indicações poderão ser enviadas em mensagens para as páginas da Sectet no Facebook e Instagram  (/sectetpa e @sectetpa) até o dia 25 de março de 2020. A entrega da Comenda será realizada em solenidade especial no dia 29 de abril.

Confira o EDITAL.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Aprovados no Forma Pará devem efetivar a matrícula nos dias 12 e 13 de março

sex, 06/03/2020 - 11:22
06/03/2020

Dias: 12 e 13/03/2020
Hora: 9h às 12h/ 14h às 17h
Local: Bagre e Curuçá

Os aprovados no Processo Seletivo especial do projeto Forma Pará para os municípios de Bagre e Curuçá devem estar atentos aos dias de matrícula e aos documentos necessários para garantir a vaga nos cursos. Em Bagre, a seleção foi para 50 vagas do curso de Ciências Naturais com Habilitação em Química. Já, em Curuçá foram 50 vagas para Enfermagem. Nos dois municípios, as matrículas se darão nos dias 12 e 13 de março, nos horários de 9h às 12h e de 14h às 17h. Os aprovados em Bagre devem se dirigir à Escola Estadual Maria de Nazaré Guimarães Macedo para efetivar a matrícula. Em Curuçá, esse processo se dará na Escola Rui Antônio Farias Lobato Filho.

Esta é a segunda edição do Forma Pará, projeto de expansão do ensino superior desenvolvido pelo governo do estado por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). Os cursos em Bagre e Curuçá são ofertados em parceria com a Universidade do Estado do Pará (Uepa). O processo seletivo foi organizado pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp). A prova de seleção foi realizada no dia 9 de fevereiro e o listão dos aprovados divulgado no dia 28/02.

Documentação - Nos dois municípios, os novos universitários devem levar os seguintes documentos: Declaração de Ocupação de Vaga Única impressa; Declaração de Integralização do Curso impressa; Carteira de Identidade; Cadastro de Pessoas Físicas (CPF); Certidão de Nascimento ou Casamento; Certificado de Alistamento Militar (candidatos do sexo masculino); 01 (uma) foto 3x4 recente (colorida); Título de Eleitor, acompanhado do comprovante de votação na última eleição, ou Declaração de Regularidade, emitida pelo site do Tribunal Regional Eleitoral; Histórico Escolar do Ensino Médio; Certificado de Conclusão do Ensino Médio; Laudo Médico Original, expedido até 90 (noventa) dias antes do dia da matrícula; e Comprovante de Residência (recente que contenha CEP).

A turma de Bagre funcionará no regime intervalar intensivo, com o início das aulas previsto para junho deste ano. A de Curuçá terá regime regular intensivo e início das aulas previsto para este mês de março.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Projeto “Ela Pode” chega aos bairros do TerPaz

sex, 06/03/2020 - 11:06
06/03/2020

O programa Territórios Pela Paz (TerPaz), do governo do estado, lança neste sábado (7), no bairro da Cabanagem, o projeto “Ela Pode”, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em colaboração com a Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp). O “Ela Pode” é uma iniciativa do Instituto Rede Mulher Empreendedora, maior Rede de Empreendedorismo Feminino do Brasil, com o apoio da Google, que visa capacitar duas mil mulheres nos sete bairros que compõem o TerPaz nas cidades de Belém, Ananindeua e Marituba até o final do ano.

Dados do Dieese Pará mostram que cerca de 40% das famílias paraenses são chefiadas por mulheres. “Uma boa parte delas trabalha por conta própria ou têm uma atividade autônoma extra para conseguir fechar as contas de casa. O ‘Ela Pode’ vem aprimorar a capacitação que essas mulheres já têm, prioritariamente nos bairros do TerPaz”, explica a secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes.

Uma das coordenadoras do “Ela Pode”, Jana Borghi, conta que as ações do projeto visam capacitar mulheres que moram nas periferias das cidades de Belém e região metropolitana para torná-las mais confiantes e preparadas, ajudando a criarem suas próprias oportunidades de negócio ou impulsionarem as atividades que já desenvolvem seguindo um caminho de construção de sua autonomia financeira.

A coordenadora acrescenta que, durante as capacitações, as mulheres aprenderão a apresentar seus produtos e serviços, atribuir preços, negociar, imprimir suas marcas pessoais e ter liderança. “O mais importante, contudo, é que aprendam a confiar em si mesmas e sintam que podem empreender, gerir seus negócios e alcançar sucesso”, enfatiza Jana. As participantes do projeto também formarão redes de negócios, impulsionando entre si a venda de produtos e serviços.

Territórios – O primeiro bairro a conhecer o projeto será a Cabanagem. Neste sábado (7), a equipe estará na Escola Estadual José Valente, às 15h. Até o dia 15 de março, o projeto será apresentado nos demais bairros e, na segunda quinzena do mês, iniciam as capacitações. A ação deste sábado está dentro da programação que o Governo do Pará preparou, por meio do TerPaz, em alusão ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março, domingo. O objetivo é unir esforços das secretarias para proporcionar às mulheres uma série de serviços que incentivem a independência financeira, valorizem e promovam discussões importantes acerca dos desafios sociais e culturais enfrentados por elas. A ação possui apoio também das Secretaria de Estado de Cultura (Secult), de Comunicação (Secom), de Saúde Pública (Sespa), Fundação ParáPaz e do Banco do Estado do Pará (Banpará).

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Foto: Ascom/Projeto Ela Pode

Categorias: Notícias

O projeto “Meu Endereço” realiza Rodas de arte e cultura nos bairros do TerPaz

qua, 04/03/2020 - 16:12
04/03/2020

O “Meu Endereço: lugar de paz e segurança social” realiza nesta quinta-feira (5), no bairro da Cabanagem, a “Roda de Arte, Cultura e Diálogos”, uma nova fase do projeto, que é desenvolvido no Programa Territórios Pela Paz (TerPaz) pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em parceria com a Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF/UFPA). A Roda terá início às 8h30, na Escola Estadual José Valente Ribeiro, localizada na Estrada do Benjamin.

Myrian Cardoso, coordenadora do “Meu Endereço”, explica que a “Roda de Arte, Cultura e Diálogos” visa conscientizar sobre a realidade vivenciada realidade vivenciada por mulheres vítimas de intimidação, estigmas e conflitos de vizinhança que violam o direito à moradia nas cidades. Segundo ela, as rodas reforçam o trabalho de inclusão social da comunidade para reduzir conflitos por meio de ações de segurança pública e de cidadania.

A primeira ação dessa nova fase foi realizada nesta quarta-feira (4), no bairro da Terra Firme, na sede do Boi Marronzinho. A atividade envolve encenação teatral, músicas e narrativas artísticas que articulam uma dinâmica de reflexão sobre os conflitos no direito à moradia. 

Parcerias - As rodas contam com a parceria do Programa de Educação Fiscal da Secretaria da Fazenda do Pará (Sefa) e do Projeto Ela Pode, uma ação do Instituto Rede Mulher Empreendedora, realizado pelo governo por meio da Sectet nos bairros do TerPaz.

Myrian informa ainda que serão realizadas seis rodas até junho deste ano e todas foram produzidas no Laboratório MultiverCidades, formado por colaboradores que trabalham com as temáticas sobre as cidades e os desafios da gestão pública e privada na Amazônia e que está vinculado ao  grupo de pesquisa Saber e Conviver/UFPA. As próximas ações serão no Guamá, Benguí, Jurunas e Nova União, em Marituba.

Outras ações - O vice-coordenador do “Meu Endereço”, Renato Neves, adianta que entre abril e junho serão realizadas oficinas temáticas sobre Ética, Cidadania e Direito e o Direito de Vizinhança.  Haverá ainda o curso livre sobre Educação Fiscal e Regularização Fundiária, que será ministrado pela Escola Fazendária da Sefa. Outra ação do projeto será a Feira do Saber e Conviver, que terá palestras, balcão de atendimento e entrega dos primeiros Kits Meu Endereço.

Texto: Fernanda Graim/Ascom Sectet (com informações de Kid Reis/Ascom CRF-UFPA)
Fotos: equipe do projeto Meu Endereço

 

Categorias: Notícias

Sectet abre inscrições para curso técnico em saúde bucal

ter, 03/03/2020 - 17:25
03/03/2020

A Secretaria de Ciência, e Educação Profissional e (Sectet) abriu, nesta terça-feira (3), as inscrições para o curso técnico em saúde bucal, de caráter teórico-prático, com o objetivo de proporcionar a educação profissional em saúde bucal, no nível habilitação profissional de Técnico de Saúde Bucal. São ofertadas 40 vagas do curso presencial que será executado pela Universidade Federal do Pará (com interveniência da Fundação de Amparo ao Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp)por meio do Convênio de Cooperação Técnica assinado entre as instituições.

O Curso tem carga horária total de 1.200 horas, das quais 150 serão destinadas a estágios de aprendizagem, orientados e supervisionados pela UFPA. Os alunos participarão de quatro módulos no período de 18 meses. O conjunto de módulos corresponderá à habilitação profissional, com direito a diploma de Técnico em Saúde Bucal de Nível Médio, desde que comprovada a conclusão do Ensino Médio, em estabelecimento de ensino regular legalmente reconhecido.

Para se inscrever, os interessados devem ter idade mínima de 18 anos completos no momento da conclusão do curso; possuir o Ensino Médio completo no momento da inscrição, devidamente certificado; e não deverão possuir outra certificação de nível técnico. Os candidatos farão uma pré-seleção de acordo com critérios definidos no edital.

As inscrições ocorrem até a próxima sexta-feira (6) e podem ser realizadas preenchendo ficha de inscrição, disponíveis  no edital, e encaminhando para o e-mail tsbufpasectet@gmail.com, com o assunto “Inscrição Curso TSB”. A lista dos Aprovados será divulgada nos ditos sites da Sectet e da Fadesp no dia 26 de março de 2020.

Serviço: Confira o edital completo em AQUI.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Foto: Alexandre de Moraes (Fonte: página da Faculdade de Odontologia da UFPA)

Categorias: Notícias

Dúvidas sobre Startup Pará serão esclarecidas em reunião

ter, 03/03/2020 - 13:13
03/03/2020

Dia: 05/03/2020
Hora: 19h
Local: Sebraelab

Os interessados em se inscreverem no programa Startup Pará – Estratégia Estadual para o Empreendedorismo de Base Tecnológica terão a oportunidade de tirar todas as dúvidas sobre o edital de seleção na próxima quinta-feira (5), às 19 horas, no Sebraelab. O programa é desenvolvido pelo governo do estado por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) e da Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad).

O Startup Pará é um programa de apoio a projetos, mesmo que em fase inicial, voltados à criação e implementação de soluções, métodos e processos de base tecnológica, que explorem a inovação e a cultura empreendedora como instrumento estratégico para o desenvolvimento sustentável do estado.

Serão selecionadas dez propostas em cada uma das duas modalidades do programa. Os responsáveis pelos projetos receberão capacitação, treinamento, mentoria e apoio financeiro.  A modalidade “Novos Negócios” é voltada a projetos de processos ou produtos inovadores, com potencial para se transformar em empreendimentos que incorporem novas tecnologias. A modalidade “Aceleração” abrange propostas que já tenham um produto ou que já disponham de clientes, mas que necessitam alavancar as vendas e/ou acelerar seu negócio a partir de assistência técnica especializada.

Os recursos investidos para execução do programa totalizam aproximadamente R$ 3,5 milhões, sendo que R$ 2,8 milhões serão voltados diretamente para as propostas. Para a modalidade “Aceleração”, as propostas devem ter valor de até R$ 200 mil e para a modalidade “Novos Negócios”, as propostas devem ter valor de até R$ 80 mil.

As inscrições para o programa começaram no dia 24 de fevereiro e vão até o dia 3 de abril. O edital completo e outras informações sobre o Startup Pará podem ser encontrados AQUI .

Serviço: O Sebraelab fica na sede do Sebrae Pará em Belém, localizado na Rua Municipalidade, 1461.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Candidatos a bolsistas participam de oficina do projeto Mapas Digitais

seg, 02/03/2020 - 17:32
02/03/2020

Francilene Pompeu e Dyonatas Almeida estavam entre os cerca de 100 candidatos a bolsistas que participaram da oficina do projeto Mapas Digitais no último sábado (29), no campus da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Ananindeua. O projeto é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em parceria com a Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento da UFPA, dentro do programa Territórios Pela Paz (TerPaz), do Governo do Estado.

Moradora da Cabanagem, Francilene acredita que o projeto trará benefícios para o bairro, melhorando a qualidade de vida das pessoas ao identificar logradouros que precisem de intervenção do poder público, partindo de informações da comunidade. “Como moradores, pra gente é mais fácil identificar os problemas. O projeto é muito interessante porque ele tá se moldando a fazer isso e a gente contribui para a nossa melhoria de vida”, avalia a estudante de Geoprocessamento da UFPA.

Para Dyonatas, morador do Jurunas e estudante de Geografia do Instituto Federal do Pará (IFPA), o interesse em ser bolsista do projeto também passa pela oportunidade de ajudar a melhorar o bairro. “É também uma ótima oportunidade de adquirir mais conhecimentos na área que estudo”, destaca o universitário.

Seleção – O “Mapas Digitais” vai selecionar entre os inscritos 20 bolsistas que passarão por treinamento para auxiliar as atividades do projeto nos bairros que recebem as ações do TerPaz. Juntos com profissionais da área, os estudantes universitários irão fazer o levantamento de dados para a elaboração de dez mapas digitais por território.

Os candidatos se inscreveram em cada bairro onde foi feita a apresentação do projeto, no final do ano passado. Neste sábado, participaram da oficina, com duração de oito horas, onde tiveram as noções básicas necessárias para a realização do trabalho. “Todos irão receber material para estudar e no próximo sábado farão uma prova. Os vinte melhores colocados receberão a bolsa”, explica o coordenador do projeto, Paulo Melo, professor da UFPA.

Ele ressalta que os interessados que não conseguirem a bolsa, mas quiserem participar como voluntários do projeto poderão fazer todo o treinamento que será oferecido aos bolsistas e receberão certificados emitidos pela UFPA. “Todos passarão por um processo de capacitação contínua. No final de 12 meses, terão experimentado o ambiente universitário, conhecido nossos laboratórios, feito cursos de meio ambiente, de cartografia e de geoprocessamento”, enfatiza o coordenador.

Como os laboratórios da Faculdade têm limite para 40 alunos, o projeto poderá ter mais 20 voluntários participando do levantamento de dados e elaboração dos mapas, que serão disponibilizados para os moradores por meio de aplicativos para smartphones.

Texto: Ascom/Sectet

Categorias: Notícias

Forma Pará divulga listão de novos calouros em Bagre e Curuçá

seg, 02/03/2020 - 17:25
02/03/2020

O listão dos aprovados no Processo Seletivo especial do projeto Forma Pará para os municípios de Bagre a Curuçá está disponível no site da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp): www.portalfadesp.org.br (Concursos/Em andamento). Os cursos de Ciências Naturais com Habilitação em Química, em Bagre e Enfermagem, em Curuçá, são ofertados em parceria com a Universidade do Estado do Pará (Uepa).

As turmas são de 50 alunos cada e fazem parte do primeiro edital do projeto divulgado este ano. O Prosel foi realizado pela Fadesp com a realização de prova objetiva simultânea no dia 09/02/2020. Se inscreveram às vagas cerca de 1.400 candidatos. O edital do processo prevê um bônus de 10% na pontuação de quem cursou pelo menos um dos anos do ensino médio no município em que concorre à vaga. A comprovação deve ser feita no ato da matrícula, que terá o processo definido pela Uepa.

Confira o listão aqui.

 

Categorias: Notícias

Projeto “Mapas Digitais” seleciona bolsistas neste sábado (29)

qui, 27/02/2020 - 12:05
27/02/2020

Neste sábado (29), a partir das 8 horas, o campus da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Ananindeua, receberá mais uma ação do Programa Território pela Paz (TerPaz) do Governo do Estado. Desta vez, o projeto Mapas Digitais, realizado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em parceria com a Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento da UFPA, irá selecionar os bolsistas que ajudarão a desenvolver as atividades do projeto nos bairros atendidos pelo TerPaz.  

Serão 20 estudantes universitários escolhidos entre os próprios moradores dos bairros atendidos pelo TerPaz para trabalharem como bolsistas do projeto durante 12 meses, ajudando na elaboração dos mapas. Durante a seleção, todos os inscritos passarão por um curso de qualificação sobre georreferenciamento e elaboração de mapas e ainda receberão um certificado da UFPA. “Moradores que não forem selecionados para as bolsas poderão fazer o treinamento e participar do projeto como voluntários”, ressalta o coordenador do projeto, professor Paulo Melo.

Em cada um desses bairros serão elaborados dez mapas digitais, identificando a localização de pontos como: rede de escolas públicas e privadas; ruas sem pavimentação; praças e terrenos com potencial para implantação de projetos sociais e ambientais; quintais urbanos com potencial para a prestação de serviços ambientais; centros culturais e comunitários; hospitais e postos de saúde; linhas e paradas do transporte público; comércio e pequenas empresas. Dessa forma, o poder público consegue localizar os problemas dos territórios e providenciar soluções, assim como esses mapas servem de referência para a elaboração de políticas públicas eficientes nos bairros. 

Inscrição – Para participarem da seleção os universitários fizeram a inscrição para concorrer às bolsas do projeto após assistirem às apresentações do projeto Mapas Digitais, realizadas em seus respectivos bairros. Os inscritos no processo seletivo precisaram atender a alguns critérios como ser morador do bairro no qual atuará como bolsista; ser estudante de nível superior; ser aluno de baixa renda; além de não possuir vínculo empregatício ou ser bolsista em outro lugar. 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

“Meu Endereço” dá início ao trabalho de campo no Jurunas

qui, 20/02/2020 - 15:02
20/02/2020

O aposentado Sabino Teixeira da Silva, 76 anos, mora no bairro do Jurunas, em Belém, há 43 anos. Com o crescimento da família, foi dividindo o terreno para abrigar filhos e netos. Hoje são quatro residências num lote de cinco metros de frente por 38 metros de fundo. Seu Sabino recebeu nesta quarta-feira a visita da equipe do projeto “Meu Endereço: lugar de paz e segurança social”, desenvolvido no programa Territórios Pela Paz (TerPaz) por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA).

Com as visitas técnicas já em andamento nos demais bairros do TerPaz, o “Meu Endereço” deu início nesta quarta à ida até as residências das 73 famílias cadastradas no Jurunas, último território a receber as atividades do projeto. A primeira visita foi na casa da família do seu Sabino, que mora no local com mais 23 pessoas. “A minha expectativa e de toda a família é dividir o terreno em quatro lotes iguais e cada um ter a sua moradia legalizada. É uma esperança enorme”, diz o carpinteiro, que veio do Marajó quando tinha 16 anos de idade.

A família espera ainda alcançar outros programas sociais para fazer melhorias nas casas e drenar o terreno, que sofre com alagamentos nesse tempo de chuvas.  O geógrafo Cleison Costa, que faz parte da equipe do projeto, explica que durante as visitas serão levantados os dados familiares e as medidas dos lotes e das moradias. “Os dados são coletados por supervisores e assistentes do projeto que residem nas comunidades, facilitando o diálogo social. O nosso planejamento é realizar quatro visitas familiares por dia até atender todas as demandas no território jurunense”, detalha.

O “Meu Endereço” oferece assistência técnica profissional e inovação tecnológica no processo de regularização fundiária, acesso a políticas públicas e auxílio na resolução de conflitos. “Sabemos que é comum haver conflitos entre vizinhos e até mesmo entre familiares na disputa por lotes urbanos. Promovendo o diálogo e buscando o consenso, procuramos resolver essas questões para que todos vivam num ambiente de paz”, enfatiza a coordenadora do projeto, Myriam Cardoso.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet) com a cololaboração de Kid Reis (Ascom CRF/UFPA)
Fotos: Kid Reis (Ascom CRF/UFPA)

Categorias: Notícias

Sectet recebe agradecimento por apoio à Mostra de C&T realizada em Abaetetuba

qua, 19/02/2020 - 14:31
19/02/2020

Na manhã desta quarta-feira (19), o titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Maneschy, recebeu a visita do presidente do Instituto Açaí – Ciência e Cidadania na Amazônia, Gilberto Silva, como forma de agradecimento ao apoio do Governo do Estado, por meio da Sectet, à realização da décima edição da Mostra de Ciência e Tecnologia da Escola Açaí (MCTEA), organizada pelo instituto.

A mostra é um evento anual e, em 2019, foi realizada entre os dias 2 e 6 de dezembro no município de Abaetetuba. A MCTEA já se tornou referência para os jovens cientistas que residem no estado e buscam espaço para expor trabalhos e pesquisas inovadores da educação básica ao ensino superior.

As iniciativas apresentadas na mostra costumam ganhar repercussão nacional e internacional, com a participação em feiras da área de ciência e tecnologia, como a Feira Brasileira de Ciência e Engenharia (Febrace), no mês de março em São Paulo; a Feira Brasileira de Iniciação Científica (Febic), em agosto, no estado de Santa Catarina; assim como a Expo Ciência Jovem, de Barcelona.

O presidente do Instituto destacou que dando oportunidade a esses jovens, eles mudam completamente de vida e começam a se transformar, inclusive, em empreendedores também, porque muitos dos projetos que desenvolvem já necessitam, por exemplo, de patente para inseri-los no mercado. Silva considera o apoio do governo estadual de suma importância para a realização da mostra. Ele destaca que a MCTEA não é um evento que dura só uma semana, pois muda vidas, ajudando na solução de processos e problemas.

“Quando conseguimos mudar a vida desse jovem, também conseguimos mudar a visão da família desse jovem, da comunidade desse jovem, porque percebe que o governo realmente está investindo nele de forma positiva, porque com o projeto que eles desenvolvem transformam não só a sua comunidade, como o seu município, às vezes, seu estado e seu país, dependendo da pesquisa”, conclui Gilberto Silva.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Período de inscrição no programa Startup Pará inicia segunda-feira (24)

qua, 19/02/2020 - 12:23
19/02/2020

O prazo para submissão de propostas ao programa Startup Pará – Estratégia Estadual para o Empreendedorismo de Base Tecnológica – terá início na próxima segunda-feira (24). O programa é desenvolvido pelo governo do estado por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) e da Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad).

O Startup Pará irá selecionar dez propostas em cada uma das duas modalidades do programa. Os empreendedores selecionados receberão capacitação, treinamento, mentoria e apoio financeiro.  A modalidade “Novos Negócios” é voltada a projetos de processos ou produtos inovadores, com potencial para se transformar em empreendimentos que incorporem novas tecnologias. A modalidade “Aceleração” abrange propostas que já tenham um produto ou que já disponham de clientes, mas que necessitam alavancar as vendas e/ou acelerar seu negócio a partir de assistência técnica especializada.

Áreas temáticas - As propostas nas duas modalidades devem estar dentro das áreas temáticas do programa que são: educação; energia; mineração; saúde e qualidade de vida do cidadão; Govtech (Inovação na Administração Pública); Agrotech, com destaque para agroindústria e piscicultura; biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); inteligência artificial; e logística.

Todas as propostas inscritas participarão da primeira etapa do programa que é o “Enquadramento”, quando será avaliado se todos os pré-requisitos foram preenchidos. A partir daí será feita a “Seleção” que vai avaliar e classificar as propostas e 15 de cada modalidade passarão para a terceira fase que é a “Execução”. Nessa fase as pessoas envolvidas nos projetos receberão ações de assistência técnica como masterclass e workshops, sessões de mentoria e eventos de networking. No final da “Execução”, após cerca de três meses de atividades, será realizado o “Demo Day”, que reunirá potenciais investidores e clientes para as startups e quando será divulgado o resultado final da etapa.

Investimento – O desempenho dos empreendedores no “Demo Day” será avaliado pelo Comitê Gestor do Startup Pará, que elegerá as dez propostas de cada modalidade que receberão o investimento para iniciar seus projetos – no caso de “Novos Negócios” – ou alavancar suas startups – no caso da “Aceleração”.

Serão destinados recursos no valor global de aproximadamente R$ 3,5 milhões sendo investidos até R$ 2,8 milhões diretamente nas propostas. Para a modalidade “Aceleração”, as propostas devem ter valor de até R$ 200 mil e para a modalidade “Novos Negócios”, as propostas devem ter valor de até R$ 80 mil, perfazendo um total máximo de investimento de R$ 2,8 milhões. Os demais recursos financeiros serão utilizados no desenvolvimento do programa.

A coordenadora do Startup Pará, Maria Trindade, alerta para que os interessados “fiquem atentos para o modelo de negócio e o plano de negócio, na modalidade ‘Aceleração’ durante a inscrição, itens importantes também para o processo avaliativo”. O edital está disponível no site do Startup Pará (https://startuppara.fapespa.pa.gov.br/a/), onde as inscrições podem ser feitas até o dia 03 de abril.

Texto: Jeniffer Galvão

Categorias: Notícias

Projeto “Ela Pode” vai atuar em territórios atendidos pelo TerPaz

seg, 17/02/2020 - 15:51
17/02/2020

Na manhã desta segunda-feira (17), representantes da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) receberam a visita de Helen Gonçalves e Janaína Borghi, que são coordenadoras do Projeto “Ela Pode”, no Pará. A iniciativa utiliza metodologia realizada nacionalmente com parceria da Google, voltada para o empreendedorismo feminino a fim de garantir a independência financeira de mulheres em situação de vulnerabilidade socioeconômica. O projeto é mais uma das parcerias fechadas pelo Governo do Pará, por meio da Sectet, para integrar as ações do programa Território pela Paz (TerPaz).

“O ‘Ela Pode’ trabalha de forma a ajudar tanto a mulher que é empreendedora com ferramentas que possam auxiliar no dia a dia do seu negócio, quanto aquelas mulheres que estão buscando a inserção no mercado formal de trabalho. Trabalhamos desde ferramentas digitais à parte de liderança, comunicação, negociação, conteúdos que proporcionam essa autonomia no processo de tomada de decisão, principalmente, em busca da autonomia financeira”, explicou Helen Gonçalves.

As coordenadoras destacaram que a capacitação é a primeira etapa de um processo que busca a instalação de políticas públicas efetivas que favoreçam o empreendedorismo feminino. A partir das capacitações e da promoção de uma rede de contatos e consumo dentro dos próprios territórios serão gerados indicadores e outros mapeamentos que ajudam no desenvolvimento dessas mulheres e na concretização de políticas públicas.

Elas ressaltaram ainda que, a partir da parceria com o Governo do Pará, o trabalho do “Ela Pode” será capaz de se multiplicar a fim de capacitar uma quantidade maior de mulheres, pois já existe todo um cenário e um processo de mobilização, de articulação, de parcerias, além de programas que podem fortalecer e retroalimentar o programa. A expectativa é de que, em cinco meses, duas mil mulheres, a partir de 16 anos, sejam capacitadas em cursos com carga horária de 16 horas que devem começar no mês de março.

Para Janaína Borghi, a mobilização já iniciada pelas ações no TerPaz nos bairros facilitará a comunicação com as mulheres a serem capacitadas. “Vamos atuar nos sete territórios, distribuídos em Belém, Marituba e Ananindeua. Faremos um processo de inserção a partir da mobilização que já foi iniciada pelo TerPaz, entendendo como a realidade de cada bairro se apresenta e como conseguimos seguir o melhor caminho de mobilização das mulheres. Sempre em um contato muito próximo com a comunidade, vamos entrar desenvolvendo um olhar sensível, trabalhando o material para que essa linguagem seja próxima às mulheres para que elas consigam de fato acessar e compreender”, detalhou.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Equipes do Projeto Meu Endereço desenham plantas dos lotes dos territórios do Ter Paz

seg, 17/02/2020 - 12:37
17/02/2020

Sistematizar o levantamento das informações socioeconômicas e consolidar os dados físicos territoriais coletados em visitas técnicas de campo perante as 498 famílias inscritas no Projeto Meu endereço: lugar de paz e segurança social. A soma destas duas ações marcaram, durante a primeira quinzena de fevereiro, uma nova etapa da parceria entre a Universidade Federal do Pará (UFPA) e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional (Sectet) e implementa o trabalho dos estagiários de engenharia e  arquitetura na projeção das plantas de localização do imóvel, a planta de dimensão do lote e a confecção do memorial descritivo do lote, além de sistematizar o parecer das condições construtivas e de segurança estrutural de cada moradia. A informação é de Renato Neves, engenheiro pesquisador do Instituto de Tecnologia da UFPA e vice-coordenador do Projeto.

O Projeto Meu endereço: lugar de paz e segurança social foi lançado no segundo semestre do ano passado e oferece a assistência técnica profissional e inovação tecnológica em direito à cidade, além de trabalhar para promover, por meio do Programa TerPaz, a inclusão social visando reduzir os conflitos socioambientais urbanos por meio de ações de segurança pública e de cidadania nas áreas de habitação, educação, saúde, cultura, esporte e lazer nos bairros do Icuí-Guajará, em Ananindeua; bairro Nova União, em Marituba; Cabanagem, Benguí, Guamá, Jurunas e Terra Firme, em Belém.

Aprendizado por meio da realidade urbana - Para Flávio Roberto Bentes, estudante do 8º semestre de engenharia civil no Instituto de Tecnologia da UFPA e estagiário do Projeto, no bairro da Terra Firme, o aprendizado durante o trabalho de campo estimula uma reflexão crítica sobre as disparidades entre a teoria ministrada em sala de aula, a realidade dos bairros mais estruturados urbanisticamente da cidade e as casas construídas nas áreas periféricas dos sete territórios.

“O foco imediato da comunidade é o título para garantir o direito social à moradia e o cheque moradia para a melhoria da edificação. No entanto, nas casas que coletei as informações para projetar a planta do lote não tinha saneamento básico e a iluminação pública é inadequada, além dos riscos de desabamento da moradia e das perdas de móveis pelos alagamentos. Esta realidade me ensina ser um profissional mais consciente e compreender a função social da engenharia, assim como revela a ausência do poder público e dos investimentos privados em áreas carentes da cidade”, enfatiza Flávio.  

Por sua vez, a universitária Mariane Cristina Queiroz, do 4º período de curso de Serviço Social no Centro Universitário Leonardo Da Vinci (Uniasselvi), a experiência do primeiro estágio é gratificante. “A teoria na prática é diferente. A lei na prática é incompleta e é precisamos debater estes direitos constitucionais com as comunidades. O Serviço Social é uma ponte para compartilhar estes conhecimentos. É uma prática permanentemente de aprender e de ensinar nas relações comunitárias no bairro do Guamá” assinala Mariane.

Kit Meu endereço - Segundo Myrian Cardoso, professora da Faculdade de Engenharia Sanitária e Ambiental e coordenadora do Projeto Meu Endereço, os dados resultantes da somatória das informações socioeconômicas com as informações coletadas nas visitas técnicas são estratégicos para a elaboração do Kit Meu endereço, que  é composto pela planta de localização georreferenciada do imóvel, planta das dimensões do lote e memorial descritivo, parecer das condições construtivas e segurança estrutural, parecer de avaliação imobiliária com o valor do imóvel e recomendação à programas sociais do governo do Estado do Pará, ou às demais instituições que aderirem à Central de Atendimento Multiprofissional. A meta é entregar os primeiros kits durante a Feira do Saber & Conviver, a ser realizada neste semestre.

Andreia da Silva é moradora do bairro Nova União, em Marituba, e mãe de três filhos. Ela vive em união estável e a moradia possui uma cozinha, dois quartos, uma sala, um alpendre e uma baiuca, em construção na frente da casa, para gerar renda familiar com o artesanato. “A minha expectativa no kit é conseguir acesso ao cheque moradia ou a outra linha de financiamento para melhorar a casa para a minha família. Quando venta, o teto estala, balança e parece que vai cair em cima dos meus filhos. Quando chove, a casa alaga, a vala da rua transborda e o asfalto sonrisal vai desaparecendo. É um desafio viver assim. Quero realizar o sonho da minha família”, sinaliza.

Texto e fotos: Kid Reis - Ascom CRF/UFPA

Categorias: Notícias

Páginas