• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 2 horas 7 minutos atrás

Governo coopera com municípios para fortalecer a rede de ensino tecnológico e profissionalizante

qui, 15/07/2021 - 14:15
15/07/2021

Promover um ambiente de cooperação entre o estado e os municípios para fortalecer a rede de ensino profissionalizante no Pará foi o objetivo principal da reunião realizada na tarde desta quarta-feira (14) entre a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) e representantes de prefeituras de municípios que sediam Escolas de Ensino Técnico do Estado do Pará (Eetepa’s) e Educação Profissional Tecnológica (EPT).

“Essa reunião é importante para estreitar a relação com os municípios e fazer com que a educação profissional ganhe o destaque e o protagonismo que deve ter na promoção do desenvolvimento do estado e não há como promover esse desenvolvimento sem investir na formação das pessoas”, destacou o titular da Sectet, Carlos Maneschy.

Presentes no auditório do Conselho Estadual de Educação, prefeitos e secretários de educação de dez municípios paraenses, professores e diretores de escolas técnicas, além da equipe da Sectet responsável pela gestão do ensino técnico na rede estadual. 

“Esse momento é muito importante, pois os municípios não têm condições de sozinhos custearem a formação profissional da população e o estado está nos dando a oportunidade de juntos definirmos a oferta de cursos de acordo com as necessidades imediatas de cada um”, disse a prefeita de Benevides, Luziane Solon.

Parceria – O secretário Carlos Maneschy ressaltou que a decisão do governador Helder Barbalho em transferir a gestão das Eetepa’s da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para a Sectet (o que ocorreu há um ano) teve o propósito de estabelecer um novo marco na educação profissional no estado. “Temos a convicção de que é possível criar um ambiente de cooperação para fazermos mais e melhor. Para tanto, a parceria com os municípios é fundamental”, declarou.

A secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes, enfatizou que os municípios precisam planejar o ensino profissionalizante. “Nesse planejamento é importante ouvir os estudantes, os comerciantes, empresários, enfim, dialogar com todos os setores locais para saber quais profissionais são necessários para o desenvolvimento local”, frisou Edilza Fontes.

O diretor de ensino técnico e tecnológico da Sectet, Leôncio Siqueira, chamou atenção para a adequação da oferta dos cursos à vocação econômica de cada município, trabalhando a conscientização dos estudantes desde o ensino fundamental. “É preciso mostrar aos estudantes que tipo de formação profissional vai promover o desenvolvimento futuro do município”, orientou Leôncio.

Rede – O coordenador de ensino técnico e tecnológico da Sectet, José Pereira Neto, apresentou a rede de escolas sob a responsabilidade da secretaria, mostrando o acréscimo de 15% na oferta de vagas em cursos técnicos este ano nas modalidades subsequente, integrado, proeja e concomitante. 

O coordenador destacou ainda a possibilidade de realização de cursos de Formação Inicial Continuada (FIC), que têm curta duração e promovem a profissionalização para imediata colocação no mercado de trabalho. “Estamos à disposição dos municípios para definirmos juntos a oferta de cursos que possam dar oportunidade aos jovens de ingressarem no mercado de trabalho e mudarem suas vidas e de duas famílias”, declarou José Neto.

Retorno – Outro assunto tratado na reunião foi a volta ao ensino presencial a partir de agosto. A representante do Conselho Estadual de Educação, Beatriz Padovani, explicou que o retorno será gradativo, com ensino híbrido em agosto e setembro. No primeiro mês serão 25% dos alunos presencialmente nas salas, em setembro, 50% até que em outubro 100% possam estar em sala de aula.

Para o retorno às aulas presenciais, a Sectet está garantindo às Eetepa’s toda a estrutura necessária para o cumprimento das medidas sanitárias previstas no protocolo de combate à pandemia de Covid-19. “A Sectet vai disponibilizar a cada Eetepa sob a nossa responsabilidade R$ 10 mil de suprimento de fundo para garantir o cumprimento das medidas sanitárias”, informou José Neto.

Respondendo às preocupações de professores e diretores quanto ao retorno do ensino presencial, o secretário Carlos Maneschy frisou que o governo também se preocupa com a saúde e segurança de todos. “A qualquer sinal de risco, poderemos voltar atrás. A decisão agora é promover o retorno ao ensino presencial e vamos cumprir à risca o protocolo, garantindo o necessário para voltar com segurança”, tranquilizou Maneschy.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

 

Categorias: Notícias

Pará regulamenta leis de fomento à ciência, tecnologia e inovação

ter, 13/07/2021 - 15:39
13/07/2021

O Pará é o primeiro estado da região Norte a dispor de legislação completa para o fomento de políticas públicas na área de ciência, tecnologia e inovação. Isso foi possível com a publicação no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira (13) do Decreto 1713/2021 que regulamenta a legislação federal e estadual indicando de que forma a administração pública deve agir para implementar a política estadual de ciência, tecnologia e inovação.

“Com a publicação do decreto 1713/2021 pelo governador Helder Barbalho agora temos maior segurança jurídica para colocar em prática ações que aproximam o Estado, as instituições de ciência e tecnologia e o mercado para gerar produtos e serviços que levem ao maior desenvolvimento sustentável do Pará”, explica o titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Maneschy.

Segundo o Núcleo Jurídico (Nujur) da Sectet, com a publicação do decreto os gestores têm maior autonomia para colocar em prática projetos que utilizam o conhecimento produzido nas Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT’s) para gerar novos negócios, trabalho e renda, ampliando a competitividade da economia paraense e o desenvolvimento social do estado.

“Essa adequação da legislação na área de ciência e tecnologia é um anseio do secretário Carlos Maneschy, que desde o início da gestão vem tomando iniciativas para promover essa segurança jurídica e tem sido atendido pelo governador”, destaca Nágila Sousa, procuradora autárquica e fundacional do estado lotada na Sectet.

O decreto prevê que os gestores de órgãos do estado possam editar medidas auxiliares que permitam a realização das políticas na área, além de prever a subvenção econômica e bônus tecnológico a empresas que assim poderão ter aporte financeiro do estado para colocar em prática ideias e projetos inovadores.

“O decreto simplifica a prestação de contas, tirando amarras burocráticas da gestão de ciência e tecnologia. É um grande avanço que vai nos permitir fazer muito mais em prol do desenvolvimento do estado e da nossa população”, acrescenta a secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes.

Confira a íntegra do Decreto AQUI.

Texto:Jeniffer Galvão
Foto: Priscila Castro

 

Categorias: Notícias

Sectet e Inteceleri lançam projeto para facilitar uso de novas tecnologias nas Eetepas

qui, 08/07/2021 - 08:27
08/07/2021

Na manhã desta quarta-feira (7), ocorreu no auditório do Conselho Estadual de Educação, o lançamento do projeto Sectet + Google for education, que consiste na cooperação entre Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) e a empresa Inteceleri, parceira da Google. O objetivo é possibilitar o uso de diversas ferramentas tecnológicas para facilitar o processo de ensino aprendizado da rede de Escolas de Ensino Técnico do Estado do Pará (Eetepas), sob gestão da Secretaria desde julho do ano passado.

Na oportunidade, o titular da Sectet, Carlos Maneschy, enfatizou a importância da transferência de gestão dessas escolas para a Secretaria que chefia, lembrando que significa a transformação de diversos componentes, como infraestrutura, pedagogia, assim como a tecnologia disponível. “A Sectet vai se esforçar para colocar à disposição de todos tudo aquilo que almeja com esse processo e, assim, melhorar os indicadores educacionais no estado”, sinalizou.

O secretário destacou ainda como fundamental o envolvimento tanto dos profissionais que atuam nas escolas, bem como dos alunos, no uso das tecnologias que serão disponibilizadas pelo processo. Ele lembrou que a utilização das ferramentas tecnológicas não deve diminuir o papel estratégico dos professores.

Para o coordenador de ensino técnico e tecnológico da Sectet, José Pereira Neto, o uso da tecnologia na educação é um caminho sem volta, por isso a Secretaria trabalha para levar aos professores e alunos das Eetepas o que há de melhor nesse sentido. “Me sinto orgulhoso pelo que está ocorrendo na gestão das escolas técnicas. A tecnologia é uma ferramenta fundamental nesse processo, principalmente no que diz respeito à base para entrada dos alunos no mercado de trabalho. Este é um avanço significativo na forma de ensinar e aprender”, pontuou.

Durante o evento, além do titular e do coordenador da Sectet, também estiveram presentes à mesa o diretor educacional da Inteceleri, Walter Oliveira; a líder da área pedagógica da empresa, Bárbara Chagas; a representante do Conselho Estadual de Educação, Beatriz Padovani; o professor da Universidade Federal do Pará, Yuri Santiago; e o coordenador de tecnologia da informação da Secretaria, Carlos Augusto Motta. Na plateia, de forma presencial, estavam servidores da Sectet e, de forma remota, participaram diretores e professores das Eetepas.

Nos próximos dias, tanto servidores como os profissionais da escolas técnicas participarão de treinamento, realizado pela equipe Inteceleri, para aprenderem a usar as ferramentas google no processo de ensino-aprendizado.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Forma Pará aplica prova da chamada 2020 no fim de semana

ter, 06/07/2021 - 13:48
06/07/2021

Foi realizada no último domingo (4) a prova do Processo Seletivo Especial (PSE) da chamada 2020 do  Forma Pará. Nesta etapa, o programa oferta 1.095 vagas em 22 municípios do estado. Executado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), o Forma Pará é o programa do Governo do Estado que visa reduzir o déficit paraense de acesso à formação superior.

Ele possibilita a união com Instituições de Ensino Superior (IES) Públicas, Prefeituras e associações municipais no intuito de expandir a oferta de vagas de nível superior (bacharelado, licenciatura e tecnológico) nos municípios onde não há campi dessas instituições ou onde não exista a oferta de determinado curso, porém, haja demanda devido à vocação econômica da região.

Para os estudantes desses municípios, a oportunidade de cursar o ensino superior na cidade onde moram é a chance de mudar de vida de forma acessível. "É muito importante ter o nível superior, então, tanto na questão financeira quanto de conhecimento, vai mudar nossa vida, abrindo espaços para um meio profissional, onde poderemos conhecer pessoas e nos especializar cada vez mais, e assim adquirir um futuro brilhante, uma carreira excelente, mostrando quão bom profissional podemos ser, exercendo a profissão”, diz Antônio Eduardo Ferreira, de Cachoeira do Piriá. 

Claudiana da Silva Messias, de Itupiranga, diz que esses novos cursos são muito importantes para o futuro profissional de quem realizou a prova. “Antes, a gente não tinha. Sempre tinha que recorrer a Marabá, que é a cidade mais próxima. Quem tinha condições fazia particular, e quem não tinha, continuava tentando. Hoje, essa oportunidade veio para contemplar os moradores daqui da região”.

Ariadne Assunção Xavier, de Ulianópolis, afirma que o curso ofertado para o município, agronomia, é essencial para os moradores. “Acho uma oportunidade muito boa. Nunca tivemos essa oportunidade aqui no município, então é um começo. E é um curso muito bom para quem mora aqui. É uma área muito boa”.

Exame

A prova foi composta de 35 questões, de múltipla escolha, com quatro alternativas cada, para que o candidato escolha apenas uma delas. A nota da prova dos candidatos não eliminados nos termos do edital será acrescida de 10% para aqueles que tenham cursado pelo menos um dos anos ou estejam cursando o último ano do ensino médio no município/distrito em que o curso está sendo ofertado, conforme indicação feita no ato da inscrição que deverá ser comprovada no ato da habilitação ao vínculo institucional.

Nesta chamada, o programa contou com a parceria da Universidade do Estado do Pará (Uepa), da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa),  da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e do Instituto Federal do Pará (IFPA).

Os municípios e distritos contemplados pela chamada 2020 do Forma Pará são: Abel Figueiredo, Bagre, Belém(Icoaraci), Belém(Mosqueiro), Bom Jesus do Tocantins, Cachoeira do Piriá, Curuçá, Dom Eliseu, Goianésia, Itupiranga, Jacundá, Marituba, Mocajuba, Muaná, Novo Progresso, Novo Repartimento, Ourém, Ourilândia do Norte, Piçarra, Rurópolis, Salinópolis, Tailândia e Ulianópolis.

Os candidatos têm até terça-feira (06) para entrar com recurso referente a questões da prova. O resultado final será divulgado no dia 6 de agosto.

Chamada 2021

A chamada 2021 do Forma Pará foi lançada no último dia 29 de junho. Nesta etapa, o programa amplia o número de vagas ofertadas, serão quase 2.000, totalizando 37 turmas em 34 municípios paraenses. Desta vez, o programa também conta com a parceria de todas as IES públicas presentes no estado (Uepa, Unifesspa, IFPA, Ufra, UFPA e Ufopa). As provas para o preenchimento destas vagas devem ocorrer até novembro deste ano.

O Forma Pará já está presente em 10 das 12 regiões de integração do estado. Para os moradores dessas regiões, o programa representa uma porta de acesso à qualificação profissional. Os cursos se configuram como oportunidades únicas que devem ser aproveitadas ao máximo pelos estudantes, que assim, têm a chance de transformar suas vidas para melhor. 

Texto: Rafael Miyake (estagiário da Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Inexigibilidade

ter, 06/07/2021 - 08:30
06/07/2021

A Sectet torna público o Termo de Ratificação de Inexigibilidade 01/2021

O documento completo pode ser acessado AQUI.

Categorias: Notícias

Inovações Pós-Pandemia é tema de ciclo de palestras em alusão à Sectid 2021

qui, 01/07/2021 - 10:57
01/07/2021

Foi realizado, nos dias 28, 29 e 30 de junho, o ciclo de palestras e debates em alusão à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento (Sectid) 2021. Com o tema “Inovações Pós-Pandemia”, a conferência reuniu professores, profissionais e especialistas de diversas áreas, em busca de dialogar sobre as mudanças, desafios e inovações causadas pela pandemia de Covid-19. Totalmente online, o evento foi organizado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

“Nós pretendemos que este evento seja um símbolo de esperança, uma vez que agora já conhecemos mais a pandemia, e as soluções que deram e estão dando certo. Ainda estamos em pandemia, mas temos certeza de que estamos cada vez melhor. E este evento mostra para vocês o que profissionais, cientistas, pesquisadores de diversas áreas têm feito nesse tempo de pandemia”, declarou o diretor de ciência e Tecnologia da Sectet, Demethrius Lucena, durante a abertura do evento.

A Sectid 2021 contou com o apoio da empresa de inovação Inteceleri, parceira da Google, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT-Guamá). A programação ocorreu nos três turnos (manhã, tarde e noite) e teve as mesas e palestras divididas em segmentos como: Edtech, Fintech, Health tech, Judiciário Conectado, Agrotech, Mineração, ICTs, Academias, Empreendedores, entre outros.

O palestrante Douglas Prado, que apresentou a conferência “As tecnologias a serviço da resolução de conflitos”, agradeceu à Sectet pela oportunidade de falar sobre o tema. “O que me cabe hoje é, antes de mais nada, fazer um agradecimento especial ao secretário Carlos Maneschy por abrir este espaço dentro da semana de ciência e tecnologia. Isso demonstra preocupação em como estamos manejando as resoluções de conflitos nesses tempos mais difíceis”.

Já no encerramento, o diretor Demethrius Lucena agradeceu a presença dos convidados e espectadores. “O evento foi um grande sucesso, foram mais de 73 palestrantes. Quase duas mil pessoas assistiram ao vivo. Mais de 40 horas de conteúdo”

A Semana Estadual foi instituída pela Lei 8.841, de 8 de abril de 2019, publicada no Diário Oficial do Estado no dia 9 de abril de 2019. O objetivo da lei é promover, incentivar e divulgar atividades de ciência, tecnologia e inovação, inclusive seus avanços, no âmbito do estado do Pará. A ideia é dar espaço às ações e pesquisas para que a sociedade conheça o que está sendo desenvolvido.

A programação completa da SECTID está disponível para ser assistida no canal do evento no Youtube.

Texto: Rafael Miyake (estagiário da Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Prova da chamada 2020 do programa Forma Pará ocorre no próximo domingo (4)

qui, 01/07/2021 - 09:44
01/07/2021

No próximo domingo (4), os estudantes que concorrem a uma vaga do Programa Forma Pará, chamada 2020, realizam a prova do processo seletivo especial. Mais de 5.800 candidatos concorrem a 1095 vagas distribuídas em 22 municípios. O horário de realização das provas é de 8h às 12h. O Forma Pará é o programa do governo do estado, executado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), que visa reduzir o déficit paraense de acesso à formação superior.

O programa possibilita a união com Instituições de Ensino Superior (IES) Públicas, prefeituras e associações municipais no intuito de expandir a oferta de vagas de nível superior (bacharelado, licenciatura e tecnológico) nos municípios onde não há campi de tais instituições ou onde não exista a oferta de determinado curso, porém haja demanda para tal devido à vocação econômica da região.

Para a realização dos processos seletivos especiais, o programa conta com a parceria da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp). A chamada 2020 foi lançada em agosto daquele ano e a prova para seleção dos candidatos, que ocorreria no dia 13 de dezembro, foi adiada por duas vezes devido ao cenário pandêmico daquele momento.

A prova do próximo domingo será composta de 35 questões, de múltipla escolha, com quatro alternativas cada, para que o candidato escolha apenas uma delas. Serão cinco questões de cada uma das seguintes disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia, Física, Química e Biologia.  Cada questão correta da prova objetiva valerá um ponto, totalizando 35 pontos.

A nota da prova dos candidatos não eliminados nos termos do edital será acrescida de 10% para aqueles que tenham cursado pelo menos um dos anos ou estejam cursando o último ano do ensino médio no município/distrito em que o curso está sendo ofertado, conforme indicação feita no ato da inscrição que deverá ser comprovada no ato da habilitação ao vínculo institucional.

Nesta chamada, o programa conta com a parceria da Universidade do Estado do Pará (Uepa), da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa),  da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e do Instituto Federal do Pará (IFPA).

Os municípios e distritos contemplados pela chamada 2020 do Forma Pará são: Abel Figueiredo, Bagre, Belém(Icoaraci), Belém(Mosqueiro), Bom Jesus do Tocantins, Cachoeira do Piriá, Curuçá, Dom Eliseu, Goianésia, Itupiranga, Jacundá, Marituba, Mocajuba, Muaná, Novo Progresso, Novo Repartimento, Ourém, Ourilândia do Norte, Piçarra, Rurópolis, Salinópolis, Tailândia e Ulianópolis.

Concorrência

Com 19,52 candidatos por vaga, o curso de Gastronomia ofertado pela Uepa em Icoaraci, distrito de Belém, é o mais concorrido entre os cursos oferecidos nesta etapa. O segundo curso com maior demanda é Psicologia, ofertado pela Unifesspa em Jacundá, município da região sudeste paraense, são 14,46 candidatos por vaga.

A demanda completa por cursos, assim como os cartões de inscrição para impressão podem ser encontrados no site da Fadesp.  Após a prova, os candidatos têm dois dias para entrar com recurso. O resultado final será divulgado no dia 6 de agosto.

Chamada 2021

A chamada 2021 do Forma Pará foi lançada na última terça-feira, 29. Nesta etapa, o programa amplia o número de vagas ofertadas, serão quase 2.000, totalizando 37 turmas em 34 municípios paraenses. Desta vez, o programa também conta com a parceria de todas as IES públicas presentes no estado (Uepa, Unifesspa, IFPA, Ufra, UFPA e Ufopa). As provas para o preenchimento destas vagas devem ocorrer até novembro deste ano.

O Forma Pará já está presente em 10 das 12 regiões de integração do estado. Para os moradores dessas regiões, o programa representa uma porta de acesso à qualificação profissional. Os cursos se configuram como oportunidades únicas que devem ser aproveitadas ao máximo pelos estudantes, que assim, têm a chance de transformar suas vidas para melhor. 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Eetepa Celso Malcher promove engajamento de alunos com projeto de gamificação

qua, 30/06/2021 - 15:51
30/06/2021

Promover o engajamento e comprometimento de estudantes com a finalidade de alcançar um objetivo estratégico para tornar o ensino e a aprendizagem mais efetivos. Esse é um dos objetivos do projeto de gamificação desenvolvido pelos professores Escola de Ensino Técnico do Estado do Pará (EETEPA) Dr. Celso Malcher, em Belém. E para encerrar o I semestre letivo de 2021, a escola promoveu, na manhã desta quarta-feira (30) a I Gincana de Gamificação Celso Malcher.

Buscando promover ações didático-pedagógicas inovadoras no contexto das metodologias ativas por meio da gamificação, como parte formativa de professores e alunos, foram realizadas na escola, desde março, diversas atividades como cursos e oficinas sobre a utilização de softwares e plataformas específicos. O projeto de gamificação é coordenado pelos professores Saul Barreto, Nylton Maciel e Cintia de Paula da Silva Rodrigues.

A EETEPA Dr. Celso Malcher faz parte da rede de escolas que estão sob a gestão da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) desde 2020. Para prestigiar o evento, o coordenador de ensino técnico e tecnológico da Sectet, José Pereira Neto, esteve na escola. Elogiando o engajamento de professores e alunos, ele lembrou que o segmento da educação sofreu de maneira muito significativa com a pandemia.

“Ver ações como essas, pensadas ‘fora da caixa’, em que se observa o engajamento de toda uma equipe, mostra para todos aqueles que dizem que não é possível fazer algo de qualidade neste momento que eles estão errados.  Com este projeto,  observamos que é possível desenvolver ações de qualidade que levam os alunos para dentro das escolas de maneira significativa e expressiva mesmo que virtualmente”, pontuou o coordenador.

Gamificação

A palavra gamificação é um neologismo derivado da palavra game, que em português significa jogo. Entretanto se engana quem pensa que esse termo refere-se simplesmente ao ato de “jogar” ou mesmo “brincar”. A gamificação trata do ato de evocar para as interações diárias vários elementos das mecânicas dos jogos, com a finalidade de potencializar um maior engajamento, autoestima, dinamicidade, empenho, autoconfiança e motivação para essas interações.

O professor Saul Barreto conta que após essa qualificação dos professores no primeiro momento do projeto, foram usadas as ferramentas gamificadas em atividades com o conteúdo escolar em um ambiente virtual. “Essa gincana foi pensada de forma que pudéssemos envolver os alunos e professores em um ambiente colaborativo, de conhecimento e de mútua ajuda, colocamos os alunos representantes das turmas para responder perguntas dos conteúdos estudados durante o semestre, utilizando ferramentas gamificadas”, explica.

Para a aluna do curso técnico em segurança do trabalho, Francilene Pires, de 18 anos, o projeto é extremamente importante neste momento de pandemia em que os estudantes se sentem desmotivados em assistir às aulas de forma remota. “Mesmo estudando em casa, à distância, não é a mesma coisa que estudar na escola, com os professores. E esse projeto nos motiva a estudar para participar da gincana”, ressalta. Ela conta também que o projeto a ajudou na vida pessoal, além de ampliar seus conhecimentos, Francilene agora está conseguindo enfrentar alguns medos, como enfrentar o público em uma apresentação, e superar a ansiedade.

Dinâmica do evento

A gincana foi aberta apenas para os alunos da escola, cada turma teve que eleger dois representantes, sendo um titular e um suplente que participaram das etapas da gincana de forma presencial. Houve rodadas em que o representante da turma precisou da ajuda de seus colegas de classe para responder as questões e passar de etapas, dessa forma o restante da turma participou virtualmente. A turma vencedora foi a representada pela aluna Thaires Ribeiro, do curso de segurança do trabalho, da modalidade subsequente, no turno da tarde. Todo o evento foi transmitido na rede social da escola.

Gestão das Escolas Técnicas

Perto de completar um ano, a Lei 9104/2020, que transferiu a gestão das escolas técnicas estaduais da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para a Sectet já resultou em diversos avanços. Com a lei publicada no Diário Oficial do Estado do dia 17 de julho de 2020, o governo do estado visa intensificar a integração do ensino médio regular a uma educação profissional e tecnológica, dentro da rede de escolas técnicas já existente, buscando ainda ampliar a rede, alcançando mais municípios, ajudando a fomentar a vocação econômica das diversas regiões paraenses.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Projeto "Ela Pode" continua transformando a vida de mulheres atendidas pelo TerPaz

qua, 30/06/2021 - 15:41
30/06/2021

Organizar as finanças, sempre foi o grande desafio para Adriana Nunes, que é coordenadora da Escola de Música da ONG Cristo Redentor, no bairro da Cabanagem, em Belém. Foi após participar do projeto "Ela Pode", que a vida dela mudou para melhor. “No primeiro momento que tivemos o curso, aqui no bairro, eu estava participando e aprendi muito. O conteúdo foi maravilhoso! O que mais me chamou atenção, foi sobre finanças e vendas, eu não conseguia me organizar financeiramente, tinha muita dificuldade em guardar dinheiro, então, foi muito interessante aprender mais sobre esse tema, hoje eu já consigo ter a minha reserva”, disse.

Agora, Adriana está com um novo desafio, mobilizar outras mulheres do bairro a participarem do curso. “Hoje, eu fui responsável em mobilizar as mães dos alunos da Escola de Música, a se inscreverem no "Ela Pode". Criei um grupo, consegui incentivar essas mulheres e disse que era um conteúdo muito importante, que ia servir muito para elas. Da mesma forma que serviu para mim, para o meu dia-a-dia, para a minha vida, eu acredito que vai contribuir muito para elas também, vai valer a pena”, contou a coordenadora.

A iniciativa é uma parceria fechada pelo governo estadual, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), juntamente com a Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), para integrar as ações do programa estadual Territórios pela Paz (TerPaz).

Nas formações, são trabalhadas as seguintes temáticas: assertividade, liderança, redes de relacionamento, finanças e ferramentas digitais. Elas também participam de dinâmicas que ajudam na construção de redes de relacionamento, formação de rede de apoio e troca de saberes, para se sentirem mais fortalecidas na busca de seus sonhos.

 “O objetivo é fazer com que essas mulheres sejam protagonistas das suas decisões, então a gente sabe que várias mulheres hoje, tem o seu negócio, a partir da necessidade de uma geração de renda da sua família, para colocar alimento na mesa, por exemplo. A gente atende tanto essas mulheres, como as que estão tentando entrar no mercado de trabalho e querem também, ter uma formação que ajude na autoestima, e na autoconfiança, para que elas possam ir preparadas para uma entrevista de emprego, para que elas consigam se comunicar melhor. Para isso, o projeto passa por várias competências e habilidades comportamentais e ferramentas técnicas, que podem ajudá-las a melhorarem no dia-a-dia”, informou a coordenadora do projeto "Ela Pode", Helen Gonçalves.

Para a coordenadora do TerPaz, na Cabanagem, Ivanilda Vieira, a oferta de cursos como o "Ela Pode", está empoderando cada vez mais as mulheres. “Esses cursos tem proporcionado uma afirmação feminina nesse bairro, inclusive, no engajamento delas. Quando realizam esse curso, elas participam justamente para melhorar suas habilidades, agregando conhecimento, como por exemplo, uma senhora que é cadeirante, que procurou esse projeto para melhorar o seu rendimento, se tornar mais competitiva no mercado de trabalho, -não é por eu ser cadeirante, que preciso ficar limitada, eu quero ter outras perspectivas-, então está sendo gratificante ver como o TerPaz está contribuindo para esse fortalecimento feminino aqui no bairro”.

É o caso da moradora Maria de Nazaré Souza que, atualmente, busca se recolocar no mercado de trabalho. “Quando eu soube da oportunidade de fazer esse curso, procurei fazer minha inscrição logo, porque acredito que vai me ajudar muito no negócio que eu busco abrir e na parte financeira. Estou precisando muito tomar um norte do que eu devo fazer da minha vida, então achei muito importante ter esse direcionamento e, lá na frente, poder também ajudar outras mulheres da minha comunidade”, afirmou a moradora.

A carga horária da formação do "Ela Pode", é de 8 horas presenciais e 8 horas online, com acesso gratuito e ilimitado à "Trilha Empreendedora", plataforma que apresenta uma série de vídeos exclusivos, com temas atuais, para quem quer começar um novo negócio ou para quem já está no mundo do empreendedorismo.

Cronograma

Na semana passada, o projeto atendeu moradoras do território do Jurunas. Atualmente, está sendo realizado no território da Cabanagem. No próximo sábado (03), será a vez da Terra Firme, na Escola de Aplicação da UFPA, localizada na Avenida Perimetral, 1000, de 8h30 às 17h, e nos dias 13 e 14 de julho, no território do Benguí, na sede da Associação dos Moradores do Conjunto Catalina (Asmoc), localizada na Rua Ajax de Oliveira, 203, de 8h30 às 12h30.

As inscrições podem ser feitas tanto pelos links dos formulários de inscrição, disponibilizados digitalmente em redes sociais, quanto presencialmente, no local da formação.

Texto: Paulo Garcia (Ascom/Seac)

Fotos: Ascom/Seac

Categorias: Notícias

Governo leva 'Forma Pará' a 54 municípios

qua, 30/06/2021 - 11:31
30/06/2021

Levar o ensino superior a todo o Estado é a função do Programa Forma Pará, cuja chamada 2021, ofertando quase duas mil novas vagas, foi lançada oficialmente na tarde desta terça-feira (29), em programação no Teatro Estação Gasômetro, no Parque da Residência, em Belém. Este ano, o programa se expande para mais 33 cidades, com a inclusão de comunidades indígenas do município de Parauapebas, na região Sudeste, que também terão acesso ao ensino superior público. O vestibular para os selecionados da jornada de 2020 ocorre no próximo domingo (4).

O governador Helder Barbalho participou do lançamento e anunciou que o programa de governo, que visa reduzir o déficit de acesso à formação superior principalmente entre os jovens, promovendo o aumento de cursos ofertados por instituições públicas, tem investimento de quase R$ 30 milhões em recursos próprios. Com mais esta chamada, o “Forma Pará”, criado em 2019, torna-se presente em 54 dos 144 municípios paraenses, com a meta de ofertar de cerca de 4 mil vagas até o final de 2022. Os inscritos podem escolher opções de cursos de graduação em áreas de licenciatura, bacharelado e tecnológico.

"Esta é uma demonstração de que este programa leva em consideração as muitas realidades, próprias de nosso território, que precisam ser enxergadas em um programa que pretende cumprir plenamente sua missão. Agradeço às prefeituras porque o que faz o sucesso do ‘Forma Pará’ é exatamente a capacidade do governo, universidades e da interlocução dos 54 municípios para o acolhimento destas ações", enfatizou o chefe do Executivo.

Executado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), em parceria com instituições de ensino, prefeituras e organizações sociais, o “Forma Pará” quer chegar à marca de 5 mil vagas ofertadas até o final do próximo ano.

Novos horizontes - "Este é um projeto ambicioso e virtuoso, de algumas certezas em comum: de que a educação é a estrada mais garantida para fazer sonhos florescerem, de que só o conhecimento nos retira das trevas da ignorância e nos lança às luzes do saber. Retira da desigualdade, da injustiça e da pobreza, e nos joga em horizontes de oportunidades. Convivemos com extremas desigualdades históricas, e este governo se propõe, desde o primeiro dia, a amenizá-las, e onde é possível, removê-las definitivamente", afirmou o titular da Sectet, Carlos Maneschy.

Ao se pronunciar em nome de todos os reitores e gestores de Instituições de Ensino Superior (IES) parceiras do “Forma Pará”, o reitor Marcel Botelho, da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), relacionou o bom andamento do programa à eficiência do uso de recursos públicos. "A disposição em investir bem o recurso público, levar os cursos para 54 municípios a custo menor, é mostrar eficiência. Damos exemplo ao Brasil. Agradeço a todos os reitores, aos professores. Não é sem dedicação, sem os esforços para além do que foi contratado, que a gente conseguiria superar essas barreiras. Este é um momento de virada da economia, do social e do ambiental. Sem ciência de qualidade não temos chance de progredir, e em 20 anos essa virada será lembrada", ressaltou o reitor.

Texto: Carol Menezes (Secom)

 
Categorias: Notícias

Sectet realiza debates em alusão à Semana de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento

sex, 25/06/2021 - 15:48
25/06/2021

“Inovações Pós-Pandemia”. Esse será o tema do ciclo de palestras e debates promovido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) em alusão à Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento (Sectid) 2021. A programação ocorrerá no período de 28 a 30 de junho de forma totalmente online.

O evento conta com o apoio da empresa de inovação Inteceleri, parceira da Google, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT-Guamá). A programação ocorrerá nos três turnos (manhã, tarde e noite) e terá as mesas e palestras divididas em segmentos como: Edtech, Fintech, Health tech, Judiciário Conectado, Agrotech, Mineração, ICTs, Academias, Empreendedores, entre outros.

A Semana Estadual foi instituída pela Lei 8.841, de 8 de abril de 2019, publicada no Diário Oficial do Estado no dia 9 de abril de 2019. O objetivo da lei é promover, incentivar e divulgar atividades de ciência, tecnologia e inovação, inclusive seus avanços, no âmbito do estado do Pará. A ideia é dar espaço às ações e pesquisas para que a sociedade conheça o que está sendo desenvolvido.

“Principalmente neste momento de pandemia, é importante apresentar à sociedade as ações, pesquisas e tendências neste cenário de vacinação e retomada econômica e social. Em 2020, falamos sobre a pandemia e hoje o objetivo é falar exatamente do futuro”, destaca o diretor de ciência e tecnologia da Sectet, Deméthrius Lucena. Para ele, os debates ocorridos em um evento como a Sectid podem apontar caminhos a serem seguidos pela sociedade.

Serviço

Os interessados em participar da Sectid devem acessar o canal do evento no Youtube. Ao final de cada palestra será disponibilizado um link para inscrição e recebimento automático de certificado de participação. 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Edital 005/2021

qua, 23/06/2021 - 15:40
23/06/2021

Comunicado sobre resultado de edital

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) informa que o resultado do edital de credenciamento n. 005/2021 será divulgado nos próximos dias.

A comissão.

Categorias: Notícias

Aplicativo do Projeto Mapas Digitais é apresentado na Sectet

qua, 23/06/2021 - 14:54
23/06/2021

Na manhã desta quarta-feira (23), o coordenador do projeto Mapas Digitais, Paulo Melo, esteve na sede da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) para apresentar o aplicativo do projeto ao titular da pasta, Carlos Maneschy. O Mapas Digitais é uma das ações da Sectet, dentro do programa Territórios pela Paz (TerPaz), do Governo do Estado, realizada em parceria com a Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento da Universidade Federal do Pará (UFPA).

A equipe do projeto já mapeou três dos sete territórios que fazem parte do programa, realizando a identificação e a localização das redes de escolas públicas e privadas; ruas sem pavimentação; praças e terrenos com potencial para implantação de projetos sociais e ambientais; quintais urbanos com potencial para a prestação de serviços ambientais; centros culturais e comunitários; hospitais e postos de saúde entre outros.

A equipe fez uma leitura urbana do território, construída com a participação da comunidade, que a é conhecedora da realidade local. Os três bairros que já estão com as informações inseridas no aplicativo são Nova União em Marituba, Icuí em Ananindeua e Cabanagem em Belém. Até o fim do ano, a equipe também fará o mapeamento dos bairros Jurunas, Guamá, Terra Firme e Bengui, em Belém.

O aplicativo, que estará disponível incialmente apenas para o sistema android, foi organizado de forma didática para facilitar a navegação da comunidade. O usuário escolhe o bairro sobre o qual quer pesquisar, depois a área, como comércio, serviços, transporte, saúde, religião, esporte e outros. Então, escolhe um tema. Por exemplo, na área de comércio, pode ter informações sobre pontos de venda de açaí, açougues, pet shop etc. Junto a isso, o usuário também recebe informações como ruas pavimentadas do bairro, pontos de entulho ou de alagamento.

“A ideia também é que, por meio de um cadastro em na aba ‘fale conosco’, os proprietários desses pontos possam nos passar informações como horários de  funcionamento e contatos, enviar fotos das fachadas ou a população possa enviar as informações sobre pontos de entulho, por exemplo, assim vamos atualizando o aplicativo”, explicou Paulo Melo.

O coordenador também ressaltou que o trabalho da equipe nos bairros ocorre, primeiramente, por sensoriamento remoto e depois por reconhecimento direto, quando os envolvidos no projeto percorrem rua a rua todos os pontos identificados, tendo interação com a comunidade e realizando um levantamento socioeconômico dos territórios.

Para o secretário Carlos Maneschy, que se mostrou bastante satisfeito com criação do aplicativo, esse será um instrumento muito importante para quem trabalha com políticas públicas. “Temos informações que chamam a atenção de qualquer gestor público, é um diagnóstico bem detalhado das condições desses bairros”, considerou.

Também estiveram presentes na apresentação o coordenador da secretaria adjunta, Eduardo Miranda; os fiscais do projeto pela Sectet, Joana Leão e Rafael Callins; e o pesquisador de informática do projeto, André Avelino. A previsão é de que o aplicativo esteja disponível para os usuários no início do segundo semestre de 2021.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Foto: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Cartão de inscrição

qua, 23/06/2021 - 09:18
23/06/2021

Candidatos a vaga no Forma Pará já podem imprimir cartão de inscrição 

Os candidatos que vão concorrer a uma vaga do Programa Forma Pará, chamada 2020, já podem imprimir os cartões de inscrição com o local da prova que ocorrerá no próximo dia 4 de julho, das 8h às 12h. Nesta etapa, foram ofertadas 1095 vagas distribuídas em 21 municípios. Entretanto, os candidatos concorrentes às vagas do distrito de Mosqueiro serão avaliados por meio da prova do Enem.

Ofertado pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), o Forma Pará possibilita a união com Instituições de Ensino Superior (IES) Públicas, prefeituras e associações municipais no intuito de expandir a oferta de vagas dos cursos de graduação (bacharelado, licenciatura e tecnológica) nos municípios onde não há polos de tais instituições públicas ou onde não exista a oferta de determinado curso, porém haja demanda para tal. Para a realização dos processos seletivos especiais, o programa conta com a parceria da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp).

A chamada 2020 foi lançada em agosto daquele ano e a prova para seleção dos candidatos, que ocorreria no dia 13 de dezembro, foi adiada por duas vezes devido ao cenário pandêmico daquele momento. Com 19,52 candidatos por vaga, o curso de Gastronomia ofertado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa) em Icoaraci, distrito de Belém, é o mais concorrido entre os cursos oferecidos nesta etapa. O segundo curso com maior demanda é Psicologia, ofertado pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) em Jacundá, município da região sudeste paraense, são 14,46 candidatos por vaga.

A prova será composta de 35 questões, de múltipla escolha, com quatro alternativas cada, para que o candidato escolha apenas uma delas. Serão cinco questões de cada uma das seguintes disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia, Física, Química e Biologia.  Cada questão correta da prova objetiva valerá um ponto, totalizando 35 pontos.

A nota da prova dos candidatos não eliminados nos termos do edital será acrescida de 10% para aqueles que tenham cursado pelo menos um dos anos, ou estejam cursando o último ano do ensino médio no município/distrito em que o curso está sendo ofertado, conforme indicação feita no ato da inscrição que deverá ser comprovada no ato da habilitação ao vínculo institucional.

A demanda completa por cursos, assim como os cartões de inscrição para impressão podem ser encontrados no site da Fadesp (www.portalfadesp.org.br).  Após a prova, os candidatos têm dois dias para entrar com recurso. O resultado final será divulgado no dia 6 de agosto.

Chamada 2021

A chamada 2021 do Forma Pará será lançada na próxima terça-feira, 29. Nesta etapa, o programa amplia o número de vagas ofertadas, serão quase 2.000, totalizando 37 turmas em 34 municípios paraenses. Desta vez, o programa também conta com a parceria de todas as IES públicas presentes no estado (Uepa, Unifesspa, IFPA, Ufra, UFPA e Ufopa).

O Forma Pará já está presente em 10 das 12 regiões de integração do estado. Para os moradores dessas regiões, o programa representa uma porta de acesso à qualificação profissional. Os cursos se configuram como oportunidades únicas que devem ser aproveitadas ao máximo pelos estudantes, que assim, têm a chance de transformar suas vidas para melhor. 

Categorias: Notícias

Edital 005/2021

seg, 14/06/2021 - 11:15
14/06/2021

Termina dia 18 o prazo para o credenciamento de novos parceiros do Forma Pará

Vai até a próxima sexta-feira (18) o prazo, já prorrogado, para o credenciamento de organizações da sociedade civil interessadas em celebrar parcerias na área de educação superior por meio da oferta de cursos de graduação nas diversas regiões paraenses. Os critérios para o credenciamento foram estabelecidos no edital de chamamento público no 05/2021, exposto no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 5 de maior pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica.

Na prática, o edital possibilita que as instituições de ensino superior (IES) privadas possam se credenciar para realizar ações de apoio ao Forma Pará. O Programa, gerido pela Sectet, visa à expansão do ensino por todo o estado com a oferta de cursos superiores em municípios que não possuem campi das universidades públicas ou que tenham demanda para determinado curso que não é ofertado ali.

O Forma Pará é um dos principais programas do órgão. Lançado em 2019, o programa já conta com a parceria de todas as IES públicas presentes no estado. Entretanto observou-se a necessidade de novas parcerias para que as demandas dos municípios fossem atendidas, tendo em vista que alguns municípios e regiões fogem ao alcance dos atuais parceiros para cursos extremamente demandados, como enfermagem, odontologia e direito.

O intuito é ampliar a oferta de cursos superiores no Pará com a finalidade de melhorar o tripé científico no estado, composto por ensino, pesquisa e extensão. As instituições interessadas, atendidos os requisitos legais descritos no edital, deverão apresentar requerimento de credenciamento acompanhado de toda a documentação detalhada exigida até às 23:59h do dia 18 de junho, por meio do e-mail ies.credenciamento@gmail.com

Serviço: O edital completo está disponível AQUI.

Categorias: Notícias

Sectet seleciona organização social para gerir o programa Startup Pará

seg, 14/06/2021 - 09:42
14/06/2021

Foi publicado, no Diário Oficial do Estado (DOE) desta segunda-feira (14), o edital de chamamento público no 006/2021 da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) que visa à contratação de entidade de direito privado sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social (OS) pelo estado do Pará, para a gestão de projetos e parte das atividades do programa Startup Pará - Estratégia Estadual para o Empreendedorismo de Base Tecnológica.

O programa é uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Sectet, juntamente com a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) e a Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad). Ele tem como principal objetivo o apoio técnico e financeiro para propostas de ideias inovadoras ou empresas (startups) que provoquem mudanças significativas para o desenvolvimento sustentável do estado.

As Organizações Sociais, devidamente habilitadas e qualificadas no Pará, interessadas em gerir o programa deverão enviar correspondência, conforme modelo de requerimento constante no anexo V do edital, assinada por seu dirigente máximo, entregar na sede da Sectet e encaminhar via e-mail para startupsectet@gmail.com, até o dia 18 de junho de 2021.

O resultado final será divulgado no dia 30 de julho de 2021. A OS selecionada assinará contrato de gestão com o governo do Pará, sob coordenação e supervisão da Sectet, assegurando à contratada a responsabilidade pela gestão e operação de projetos definidos no referido edital, conforme especificações contidas no Termo de Referência constante no documento.

Serviço: O edital completo assim como seus anexos estão disponíveis no site da AQUI.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Equipe do Forma Pará se reúne com representantes do IFPA sobre a chamada 2021 do programa

qui, 10/06/2021 - 15:21
10/06/2021

Na manhã desta quinta-feira (10), a adjunta da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) e gestora do Programa Forma Pará, Edilza Fontes, esteve na reitoria do Instituto Federal do Pará (IFPA), juntamente com dois integrantes da equipe do Programa, a fim de reunir com o reitor do Instituto, Cláudio Alex da Rocha, professores e coordenadores de cursos para detalhar as informações do programa e destacar a chamada 2021.

Lançado em 2019, o Forma Pará é uma ação do governo do estado, por meio da Sectet, que contribui para a melhoria dos baixos índices de acesso à educação superior no norte do Brasil, em particular no território paraense. O programa possibilita a união entre governo, Instituições de Ensino Superior (IES) públicas, prefeituras e associações municipais no intuito de expandir a oferta de vagas dos cursos de graduação (bacharelado, licenciatura e tecnológica) nos municípios que não possuem polos dessas instituições ou onde não exista a oferta de determinado curso mas haja demanda de acordo com a vocação econômica de cada região.

Para a coordenadora do curso de agronomia em Castanhal, Louise Rosal, a participação do IFPA no programa é uma maneira de dar mais oportunidades para uma educação pública, superior e de qualidade. “Vejo, neste momento, uma importante perspectiva de ampliar o horizonte de ressignificação da formação dos estudantes do estado”, pontuou.

Da mesma opinião comunga o coordenador institucional do programa pelo IFPA, Lair Menezes. “Falar do Forma Pará é falar de uma iniciativa que já nasceu grande”, disse destacando que o programa leva formação superior para pessoas que nunca teriam esse tipo de oportunidade.

Ampliação no número de vagas

A secretária Edilza Fontes agradeceu ao IFPA, que aderiu oficialmente ao programa em 2020, e destacou que o Instituto é um importante parceiro deste e de projetos futuros da Secretaria que também preveem a ampliação da oferta de vagas a nível técnico.

Ela ressaltou que a chamada 2021 do programa, que deve ser lançada no dia 28 de junho, vai oferecer quase o dobro de vagas do que já foi oferecido nos dois anos anteriores, desta vez serão 1.880 vagas ofertadas, distribuídas entre 38 turmas em 33 municípios ou distritos.

Ou seja, em três anos, o Programa já chega próximo à sua meta inicial que era a oferta de 4 mil vagas. Com a perspectiva da chamada 2022, agora a previsão é que se chegue a 5 mil vagas em quatro anos.

Em 2019, foram ofertadas 1000, distribuídas em 20 turmas, espalhadas em 15 municípios ou distritos paraenses. Já em 2020, cuja a prova do processo seletivo ocorre no dia 4 de julho de 2021 (devido a adiamentos provocados pela pandemia), a oferta se ampliou a 21 municípios ou  distritos, com 995 novas vagas distribuídas em 23 turmas.

Para o reitor do Instituto, Cláudio Alex da Rocha, este é um grande esforço do governo do estado em prol da educação superior e profissional no Pará. Ele comemorou a proximidade e o apoio que tem da Sectet com a ampliação de vagas de nível superior e técnico, assim como da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa), órgão vinculado à Secretaria, pelo fomento a bolsas de pesquisas no estado.

No período da tarde, a equipe do Forma Pará se reuniu individualmente com os professores para explicar os detalhes dos trâmites administrativos para a realização dos cursos da chamada 2021 que serão executados pelo IFPA por meio do Programa. Para esta chamada estão previstos os cursos de agroecologia, em Bom Jesus do Tocantins e Cachoeira do Arari; engenharia de alimentos, em Santa Maria do Pará; engenharia de pesca, em Bonito; gestão ambiental, em Belém (Icoaraci); gestão hospitalar, em Salvaterra; e análise e desenvolvimento de sistema, em Almerim.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Sectet realiza Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento 2021

seg, 07/06/2021 - 14:44
07/06/2021

Nos dias 28, 29 e 30 de junho, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) promove a Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento (Sectid) 2021. Com o tema “As inovações pós-pandemia”, o evento ocorrerá nos três turnos (manhã, tarde e noite) de forma totalmente online e terá as mesas e palestras divididas em segmentos como: Edtech, Fintech, Health tech, Judiciário Conectado, Agrotech, Mineração, ICTs, Academias, Empreendedores, entre outros. Além disso, contará com apoio tecnológico da Inteceleri Google.

Para o CEO da empresa, Walter Júnior, a Sectdi 2021 é um evento de extrema importância já que os convidados terão a oportunidade de compartilhar com o mundo suas experiências e propostas tecnológicas para o pós-pandemia. “As tecnologias Google fazem parte deste momento de continuidade da sociedade durante a pandemia e certamente contribuem para o desenvolvimento após este período. É um prazer estar junto à Sectet em mais este grande e inovador evento", ressalta.

O diretor de ciência e tecnologia da Sectet e organizador do evento, Demethrius Lucena, destaca que a Sectid já é um grande espaço para encontro dos indicadores do estado. “Nossa intenção é promover a integração de ações de ciência e tecnologia e fazer a divulgação para estudantes, pesquisadores e empreendedores”, explica o diretor. Ele acrescenta que o objetivo maior é gerar interação, integração, conhecimento e soluções para o desenvolvimento econômico e social do estado. “Pretendemos iluminar as ações e pesquisas para que a sociedade conheça o que está sendo desenvolvido”, esclarece.

Segundo Demethrius Lucena, a Sectid 2020 foi um grande suporte de informações naquele momento de início da pandemia. Foram geradas dezenas de horas de informações que estão disponíveis no canal da semana estadual no YouTube. Ele destaca que a Sectid 2021 traz o desafio de apresentar à sociedade as ações, pesquisas e tendências neste momento de vacinação e retomada econômica e social. “Embora ainda estejamos em meio à pandemia de Covid-19, a Semana Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento de 2021 será um símbolo de esperança, uma vez que apontará caminhos", destaca.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Eetepa Salvaterra entrega certificados a novos técnicos e medalhistas Mobfog

sex, 04/06/2021 - 07:59
04/06/2021

A voz firme de Munireh Amaro não conseguiu esconder a emoção, explícita nas palavras trêmulas de Simone da Silva. As duas jovens foram as oradoras das cerimônias de entrega de certificados a concluintes de seis cursos ofertados pela Escola de Ensino Técnico do Estado do Pará (Eetepa) de Salvaterra, arquipélago do Marajó. Os eventos foram realizados nas últimas terça e quarta-feiras (1 e 2), na Câmara de Vereadores do município, com a presença de professores, autoridades locais e representante do governo do estado, respeitando todos os protocolos exigidos de prevenção à covid-19.

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), responsável pela gestão das Eetepas, foi representada pelo coordenador de Ensino Técnico e Tecnológico, José Neto. Ele destacou o trabalho realizado pela Eetepa Salvaterra e exaltou o empenho dos professores a quem considera os profissionais mais importantes de uma sociedade.

Dirigindo-se aos formandos, disse que são a inspiração para que o governo do estado, por meio da Sectet, siga motivado a trabalhar a cada dia mais pela educação profissional e tecnológica no estado.

“Vocês, mesmo diante de todas as dificuldades, em especial esta pandemia, foram resilientes, insistentes e comprometidos com seus próprios futuros. Em nome governador do estado, Helder Barbalho, e em nome do secretário Carlos Maneschy, parabenizo a todos e desejo muito sucesso”, disse o representante da Sectet.

José Neto ressaltou ainda a importância da capacitação e formação profissional para proporcionar, principalmente aos jovens, a oportunidade de entrar no mercado de trabalho e garantir dignidade para si e seus familiares. A representante da prefeitura de Salvaterra, Adeline Angelim, diretora de ensino da Secretaria Municipal de Educação, parabenizou a escola e os formandos, destacando o importante papel desempenhado pela Eetepa na região ao ofertar cursos que oportunizam o ingresso em uma nova vida profissional. "Aproveitem quando as oportunidades aparecerem. Se vocês chegaram até aqui é porque são profissionais de excelência”, frisou.

FAMÍLIAS
A diretora da Eetepa Salvaterra, Gisele Abdon, destacou as circunstâncias sanitárias que impediram a realização de uma grande festa de formatura e lembrou a importância de pais e familiares, que não puderam estar presentes.

“A todos vocês que venceram todas as barreiras e dificuldades, o que essa escola deseja é que esse diploma de fato consiga mudar a realidade de cada um e que possam transformá-lo em ganhos, porque essa escola tem o compromisso de formar profissionais de excelência”, destacou.

A gestora informou ainda que muitos dos formandos já estão no mercado de trabalho e outros conseguiram vagas em cursos de nível superior, demonstrando na prática a qualidade do ensino realizado na Eetepa.

GRATIDÃO
O tom das duas cerimônias foi de emoção e agradecimentos. Simone da Silva, oradora do primeiro dia, destacou as dificuldades que os estudantes enfrentaram para concluir seus cursos, muitos tendo que driblar obstáculos como o tempo de chuvas, a geografia da região e a distância entre suas casas e a escola, já que as turmas têm alunos que moram em outras cidades marajoaras, como a vizinha Soure.

“Muitos de nós pensaram em desistir, assim como eu. E hoje somos mais que vencedores concluindo esses cursos, sendo reconhecidos profissionalmente com os nossos diplomas em mãos. Isso é só o começo de grandes vitórias para cada um de nós”, disse a nova técnica em eventos, que agradeceu à instituição e aos professores e servidores da Eetepa, não contendo as lágrimas ao se dirigir à professora Keila Monteiro.

Munireh Amaro, oradora do segundo dia, ressaltou os anos de convivência com os colegas e a equipe da escola e destacou a amizade e o respeito construídos, mesmo com as diferenças e divergências de opinião.

“Um turbilhão de emoções nos toma conta nesse momento. Alívio e saudade, medo e coragem. Concluímos mais uma etapa, uma das muitas vitórias que virão porque temos força de vontade e persistência e foram elas que nos trouxeram até aqui”, enfatizou a técnica em administração.

A formanda também fez agradecimentos especiais aos professores, carinho audível nos aplausos entusiasmados a cada vez que o nome de um deles e uma delas era chamado pelo mestre de cerimônia. Fácil também de perceber a reciprocidade desse sentimento. O professor da Eetepa, Karlson Lamberg, que atuou como mestre de cerimônia dos dois dias, demonstrou o entrosamento e bom relacionamento entre a equipe da escola e seus estudantes, dando um toque descontraído e alegre aos eventos de formatura.

“Acompanhamos as histórias de vida desses alunos e os ajudamos em tudo que podemos. Vê-los recebendo seus diplomas e buscando seus próprios caminhos nos emociona e nos deixa extremamente felizes. E esse sentimento é compartilhado por todos nós, professores, e nossa equipe de apoio”, disse o professor.

FOGUETES
Nos dois dias de evento, receberam o certificado os concluintes dos cursos de Manutenção e Suporte, Eventos (duas turmas), Guia de Turismo, Informática e Administração. Além dos novos técnicos e técnicas, foi feita a entrega de medalhas e certificados aos alunos participantes do projeto inscrito na Mostra Brasileira de Foguetes (Mobfog), evento que acontece dentro da Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA).

O projeto Mobfog da Eetepa Salvaterra tem a coordenação do professor de Física, Alan Luis Figueiredo da Paz e vem sendo desenvolvido há três anos. Ele começou a incentivar os alunos a participarem do processo de experimentação com foguetes para despertar o interesse pela disciplina e desenvolver habilidades necessárias a suas formações.

Essa estratégia foi adotada pelo fato de normalmente a referida disciplina ser vista pelos estudantes como de difícil compreensão e nenhuma associação com o cotidiano. “Fazendo uma atividade prática, eles poderiam quebrar essa resistência e passar se interessar mais pela Física e entender a ação dela no dia a dia”, conta o professor.

Em 2019, os alunos foram classificados para participar da Jornada de Foguetes que acontece no Rio de Janeiro. O governo do estado disponibilizou as passagens aéreas para que o professor Alan e mais três alunos chegassem a Barra do Piraí (RJ).

Mobilizando professores e empresários da região, eles conseguiram a estadia. Voltaram de lá com medalhas de ouro, troféu e o título de Campeões da Jornada de Foguetes. A equipe alcançou a marca de 183 metros no lançamento obliquo com foguetes construídos com garrafas PET e uma base de lançamento confeccionada com cano de PVC.

Em 2020, a Mobfog foi realizada na escola Eetepa no mês de novembro, respeitando os protocolos de segurança e acompanhados por uma equipe de profissionais da saúde do próprio quadro de docentes da escola. Por razões restritivas geradas pela pandemia, a Jornada de Foguetes não aconteceu, porém a equipe obteve excelentes resultados nos alcances de foguetes, com metragem máxima alcançada de 183 metros. O resultado de cada equipe resultou na conquista de 11 medalhas, três das quais medalhas de ouros, cinco medalhas de prata e três medalhas de bronze, entregues na cerimônia desta quarta-feira, 2.

Os foguetes são construídos a partir de materiais recicláveis, como garrafas pet, forro de PVC ou similar, e devem voar numa base que pode ser de madeira e tubo de PVC hidráulico ou conforme a criatividade do aluno e materiais disponíveis.

O professor explica que os foguetes são impulsionados pela reação química da mistura entre ácido acético (H4C2O2) – vinagre e bicabornato de sódio (NaHCO3), gerando o gás dióxido carbono (CO2) que pressuriza o interior do foguete (garrafa pet); em seguida um gatilho artesanal é acionado, liberando o foguete numa trajetória parabólica.

“Toda a fase de construção de foguete e base de lançamento, testagem e lançamentos oficiais são realizadas sob minha supervisão e ainda recebem acompanhamento pedagógico, principalmente com as equipes iniciantes”, explica o professor Alan.

Este ano, a Mobfog ocorreu no dia 27 de maio, com a participação de 16 alunos de diversos cursos da modalidade integrado. A metragem máxima alcançada pelos foguetes foi de 182 metros, superando, assim, a marca do ano passado de 163m. Os dados foram enviados para o Sistema da OBA, onde serão analisados e comparados com as demais escolas nacionais, para, assim, serem divulgados oficialmente em julho deste ano os medalhistas.

“Pelas experiências nas edições anteriores da Mobfog e com os resultados obtidos neste ano, provavelmente teremos novos medalhistas em nossa escola e se a condição pandêmica permitir, seremos convidados a participar da Jornada de Foguetes no Rio de Janeiro”, comemora o professor.

Texto e fotos: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

‘TerPaz Recomeçar’ certifica primeira turma de egressos dos Sistemas Penal e Socioeducativo

sex, 28/05/2021 - 08:38
28/05/2021

Na manhã desta quinta-feira (27), 36 concluintes dos cursos de manutenção de motocicleta e manutenção de refrigeração foram certificados no auditório da Fábrica Esperança, em Belém. Essas são as primeiras turmas do Projeto TerPaz Recomeçar, do Governo do Estado. A ação é resultado da atuação integrada de cinco órgãos estaduais que, desde o ano passado, vem garantindo cursos profissionalizantes, sob a coordenação da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac).

“O TerPaz Recomeçar é o combate à reincidência criminal, o Governador Helder Barbalho, ao convidar o secretário da Seac Ricardo Balestreri, para implantar os Territórios Pela Paz nos bairros da Região Metropolitana de grande degradação social, tinha como um dos principais objetivos combater os altos índices de reincidência criminal, prevalecentes do Brasil, na sua maioria de detentos que praticaram delitos de baixo potencial ofensivo e o que podemos constar é que o programa está sendo efetivo em seu desenvolvimento, como agora nessa importante cerimônia de certificação desses cidadãos que se profissionalizaram e estão recomeçando a vida”, contou Osvaldo Coelho, diretor das Redes Locais de Cidadania da Seac.

Reinaldo Bandeira, de 32 anos, é um dos concluintes do curso de Manutenção de refrigeração, para ele, que já cumpriu pena por cinco anos, receber o certificado significa vida nova.  mas por meio desse projeto do TerPaz pude ter uma nova chance, penso agora em ter uma vida melhor para mim e para minha família, montar um negócio e olhar agora para frente”, disse Reinaldo.

Participam desse esforço conjunto a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), a Fundação Amazônia de Desenvolvimento da Pesquisa (Fapespa), a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), o Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Banpará e a Fábrica Esperança.

Na abertura do evento, o diretor geral da Fábrica Esperança, Artur Jansen, falou sobre o acolhimento da instituição aos participantes do curso. “O projeto é mais um braço para o nosso trabalho de ressocialização que o Governo do Pará executa, só que dessa vez nós fizemos diferente, invés do egresso vir até a Fábrica Esperança, a Fábrica esperança foi até eles nos territórios do TerPaz, oferecendo essa ressocialização por meio de uma qualificação profissional para geração de emprego e renda”, disse.

O presidente da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Luis Celso da Silva, participou da cerimônia e parabenizou o projeto. “A importância de projetos como esse é a profissionalização, não é só deixar a pessoa custodiada e depois reinseri-la de qualquer maneira na sociedade, o papel da Fundação, por exemplo, é sim fazer com que ela cumpra a medida socioeducativa, mas que seja reinserida na sociedade se tornando um cidadão melhor, e aí é que a gente entra oferecendo e apoiando iniciativas como essa do TerPaz Recomeçar, porque quando essa pessoa tem um emprego e renda, a probabilidade é muito pequena de retornar para uma vida ociosa ou para futuros crimes”, explicou

Homenagem

As duas primeiras turmas tiveram como patrono, in memoriam, um dos idealizadores do TerPaz Recomeçar, o advogado Paulo Cordeiro. “O Dr Paulo Cordeiro desempenhou um papel fundamental para a inicialização desse sonho, um verdadeiro construtor da cidadania, que infelizmente nos deixou ano passado vítima da Covid-19, sempre lutou para a implementação de programas e políticas públicas para promover a cidadania de pessoas em situação de vulnerabilidade social, agora se eternizará por meio desse projeto”, saudou Julio Alejandro Quezada Jelvez, diretor geral do Núcleo de Relações Institucionais da Seac.

Como forma de marcar a homenagem póstuma, a família do Paulo Cordeira, por meio da esposa Ana Lucia Herculano de Oliveira, recebeu a Comenda de Mérito da Promoção de Justiça Social, entregue pelo diretor geral da Fábrica Esperança, Artur Jansen.

Formação

A Sectet ofertou os cursos, ministrados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). “É uma honra participar desse trabalho tão importante que tem como principal objetivo fortalecer a cultura de paz no Estado, possibilitando oportunidades, por meio da Sectet e seus parceiros, estamos promovendo diversos cursos no Estado, seja superior e técnico, para aumentar cada vez mais essa capacitação profissional”, comentou Ana Abreu, coordenadora de Formação Inicial da Sectet.

Para o diretor de Reinserção Social da Seap, Belchior Machado, a garantia de uma nova oportunidade é o principal ponto do projeto. "Os cursos profissionalizantes são fundamentais para a inserção dos egressos no mercado de trabalho, sobretudo os cursos que possibilitam o trabalho autônomo e empreendedor. Isso é segurança pública que previne a reincidência, diminui a violência e garante dignidade e uma chance de recomeçar para essas pessoas".

Saiba mais sobre o projeto

O TerPaz Recomeçar tem como objetivo realizar estudos Sócios Econômicos, de políticas públicas de ressocialização dos egressos do Sistema Penas e de medidas Socioeducativas do Estado, para diagnosticar a taxa de reincidência, bem como diagnosticar as motivações e as causas destas reincidências, com finalidade de propor políticas públicas e alternativas que superem esse problema social, em regime de mútua cooperação.

A meta é oferecer capacitação profissional para 500 pessoas. Após a qualificação, a Fábrica Esperança organiza os egressos que quiserem participar de cooperativas para que possam prestar serviço ao Estado. Também serão disponibilizados recursos por meio do CredCidadão para financiamento de equipamentos para quem quiser abrir seu próprio negócio.

Texto: Paulo Garcia (Ascom/Seac)

Fotos: Ascom/Seac

Categorias: Notícias

Páginas