• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 2 horas 10 minutos atrás

Sectet oferta oficinas gratuitas na XIX Feira Pan-Amazônica do Livro. Inscrições abertas

seg, 18/05/2015 - 14:11

Oferecer palestras e oficinas variadas e atraentes para atender os mais diferentes públicos. Esse é o objetivo da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) em sua participação na XIX Feira Pan-Amazônica do Livro, que terá início no dia 29 de maio. Ao todo, serão cinco oficinas gratuitas, ofertadas em duas sessões ao longo da semana, com 30 vagas cada uma. As inscrições já estão abertas.
 
Os conteúdos da programação ofertada pela Sectet foram pensados de forma a contemplar os diferentes perfis de público que circulam pela Feira, tendo em vista a sua diversidade de idade, formação e interesse. Construção de sites, cuidados no uso da internet e das redes sociais, fontes de energias renováveis, consumo consciente de energia elétrica e técnicas de apresentação oral de trabalhos serão alguns dos assuntos abordados.
 
O Diretor de Ciência e Tecnologia da Sectet e professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), João Tavares Pinho, será responsável por ministrar duas oficinas. Na primeira, o professor repassará técnicas de preparação e apresentação de trabalhos acadêmicos. “É comum vermos bons trabalhos escritos serem mal apresentados oralmente e, por consequência, serem mal compreendidos ou mesmo desvalorizados pelo público de interesse. Com a oficina, queremos ajudar estudantes, professores e pesquisadores a utilizar os melhores recursos na apresentação e a se expressarem com objetividade e clareza”, explica o diretor.
 
Já nos dias 02 e 06 de junho, o professor ministrará a sua segunda oficina, intitulada “Benefícios da internet e das redes sociais e os cuidados no seu uso”, a qual irá mostrar a importância da internet e das mídias sociais como fontes de pesquisa para professores, estudantes, pesquisadores, pais e público em geral.
 
As outras oficinas são "Introdução à construção de sites na internet", ministrada pelo professor da UFPA, Aldebaro Klautau Jr., "Uso racional de água e energia", ministrada pela professora Luiza Girard, e "Entenda a sua fatura de consumo de energia elétrica e reduza o seu valor", ministrada pelo diretor da Sectet e professor do Instituto Federal do Pará (IFPA), Luis Blasques. Para conferir a programação completa e o resumo das oficinas ofertadas pela Sectet na Feira do Livro, clique aqui. As inscrições para participação nas oficinas podem ser feitas pelo site oficial da Feira, e só terão direito ao certificado aqueles que participarem em 100 % das atividades. 
 
Feira do Livro - Em 2015, a Feira Pan-Amazônica do Livro tem como país homenageado o Japão e oferecerá ao público atividades bastante variadas como mesas redondas, palestras, sessões de autógrafos, oficinas, debates, seminários e shows. A Feira acontece de 29 de maio até o dia 07 de junho, no Hangar – Convenções e Feiras da Amazônia, das 10h às 22h, com entrada gratuita para todas as atividades. Confira a programação completa no site oficial da Feira: www.feiradolivro.pa.gov.br.
 
Ana Carolina Pimenta - Ascom Sectet

Categorias: Notícias

Sectet apoia pesquisas para produção de biofármaco

seg, 18/05/2015 - 10:52

Sectet apoia pesquisas para produção de biofármaco para tratar de doenças neurológicas

Toda a indústria farmacêutica mundial está em busca de desenvolver drogas capazes de induzir a regeneração de neurônios e, muito em breve, isso poderá se tornar realidade aqui, no Estado do Pará. É este o objetivo do acordo de cooperação celebrado entre a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) e a Universidade Federal do Pará (UFPA), com vistas a apoiar pesquisas focadas no desenvolvimento  de um fármaco derivado da planta Physalis angulata, herbácea característica da Amazônia que produz um fruto amarelo, o camapu, amplamente conhecido na região.
 
Estudos desenvolvidos pelo Grupo de Pesquisa em Química de Produtos Naturais e pelo Grupo de Pesquisa em Bioprospecção de Moléculas Ativas da Flora Amazônica, da UFPA, desde 2011, revelaram que certas substâncias produzidas pela planta do camapu apresentam propriedades neurogênicas, ou seja, estimulam o crescimento dos neurônios. Para poder viabilizar o aproveitamento das moléculas, a Sectet e a UFPA estabeleceram parceria e passarão a compartilhar todos os direitos patrimoniais e de propriedade industrial relativos às substâncias pesquisadas e desenvolvidas. Na prática, significa dizer que, futuramente, todo o lucro obtido com o desenvolvimento e comercialização do fármaco junto à indústria será compartilhado entre as duas instituições.
 
Entre outras coisas, o acordo coloca a Sectet como responsável por financiar os processos de obtenção e manutenção de patentes no Brasil e no exterior e tornar possível o desenvolvimento, em escala industrial, do biofármaco capaz de ser usado no tratamento de doenças neurológicas, como o Alzheimer e a depressão. “Queremos viabilizar a produção e a comercialização do medicamento por meio da parceria com a indústria farmacêutica e da implantação do laboratório farmacêutico ParaFarma, que será uma empresa pública capaz de desenvolver fármacos originários da biodiversidade amazônica, com transferência de tecnologia e geração de emprego e renda para nosso estado”, conclui o secretário Alex Fiúza de Mello. 

Categorias: Notícias

Secretarias e Fapespa se unem para lançar editais focados nas prioridades do estado

qui, 14/05/2015 - 12:50

Qual a melhor maneira de fomentar o conhecimento científico-tecnológico no estado do Pará, de modo a otimizar a aplicação de recursos e gerar resultados em escala? Para buscar dar respostas concretas a essa questão, ocorreu, na manhã desta quinta-feira (14),  uma reunião envolvendo técnicos e gestores das Secretarias de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet), Desenvolvimento Agropecuário e Pesca (Sedap), Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Planejamento (Seplan) e Fundação Paraense e Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa).

O tema central do encontro girou em torno do lançamento de editais de amparo e fomento à pesquisa. Foi consenso entre os gestores presentes que os editais lançados com esse fim  devem ser focados no atendimento às demandas diferenciadas dos municípios do interior do estado.  "Precisamos unir nossos recursos e esforços para decidir, da melhor forma, onde e em que investir os recursos governamentais destinados ao desenvolvimento científico-tecnológico. O alinhamento de nossos interesses permitirá que o conhecimento se reverta em ganhos socioeconômicos e ambientais nas diversas microrregiões do estado”, destacou o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello.

“Nossa intenção é gerarmos uma grande ação de Estado, por isso, estamos convidando as diversas secretarias para participarem do lançamento e elaboração dos editais. Os recursos não podem ser distribuídos de forma aleatória, é preciso pensar que os municípios do interior têm prioridades diferenciadas e, por isso, nossa proposta é regionalizar os editais e definir os focos coletivamente”, destacou o presidente da  Fapespa, Eduardo Costa.

Para o titular da Sedap, Hildegardo Nunes, essa descentralização é muito importante para viabilizar a solução dos vários gargalos presentes na cadeias produtivas do estado. Segundo ele, os produtores têm problemas muito específicos, que demandam o desenvolvimento de tecnologias diferenciadas, simples e de baixo custo para sua resolução. “Um bom exemplo é a necessidade de desenvolver um repelente barato e adequado para os catadores de caranguejo do nordeste paraense que, atualmente, usam óleo diesel para se protegerem. Ou o caso dos produtores de açaí que precisam ser contemplados com um sistema de irrigação de baixo custo para poder aumentar sua produtividade de forma sustentável”. 

Para consolidar a parceria e coordenar a política de investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), foi aprovada a criação de um Comitê Gestor permanente envolvendo os gestores das secretarias e da Fapespa, com reuniões mensais. Além disso, será criado um Grupo de Trabalho com técnicos desses órgãos para elaborar os editais com base nas demandas levantadas. A primeiras ações serão voltadas aos dois editais que serão lançados em junho, destinados a contemplar  as regiões do Baixo Amazonas e as do Tapajós/Xingu.

Texto: Ana Carolina Pimenta – Ascom Sectet

Categorias: Notícias

Inscrições para o 8º Prêmio Servidor Nota 10 estão abertas até o dia 30 de julho

qua, 13/05/2015 - 12:27

Já estão abertas, até o dia 30 de julho, as inscrições para o 8º PRÊMIO SERVIDOR NOTA 10, uma iniciativa da Escola de Governo Pública do Estado do Pará (EGPA), voltada para a valorização do servidor estadual.  Poderão concorrer os servidores públicos efetivos, os servidores estatutários não estáveis e os empregados públicos da Administração Pública do Estado do Pará.

Os servidores Nota 10 de cada Órgão/Entidade serão premiados com uma medalha alusiva ao concurso, com um certificado assinado pelo Governador do Estado do Pará e com premiação no valor de mil reais. Já o SERVIDOR NOTA 10 DO ESTADO DO PARÁ – 2015 receberá o prêmio no valor de 20 mil reais.

O interessados podem se inscrever espontaneamente ou ser indicados pelo Órgão ou Entidade, que deverão, obrigatoriamente, encaminhar a EGPA o nome do seu Servidor Nota 10 até o dia 24 de agosto. 

O regulamento completo da premiação pode ser conferido aqui, assim como pode ser consultado com os Agentes de Desenvolvimento e Capacitação – ADCs em todos os Órgãos, Entidades, Unidades Regionais ou correspondentes. A premiação ocorrerá no dia 27 de outubro no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia. 

Serviço

8º Prêmio Servidor Nota 10
Inscrições até 30 de julho. Confira o regulamento completo aqui. Baixe a ficha de inscrição aqui. 

 

 

Categorias: Notícias

Governo do Estado dialoga com o setor produtivo em Marabá. Titular da Sectet também participou

qua, 13/05/2015 - 07:58

Mais de 250 representantes do setor produtivo e lideranças da região de integração de Carajás, estiveram presentes em um evento organizado pelo governo do Estado para dialogar com o setor e debater o potencial de produção e o desenvolvimento econômico regional, em Marabá, nesta segunda-feira, 11.

O encontro, que aconteceu no Senai Marabá, foi coordenado pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, e trouxe sete secretários de estado e quatro gestores de empresas públicas. “É uma reunião objetiva de trabalho onde aproximamos o governo do setor produtivo para que se possamos definir um modelo eficaz de desenvolvimento regional”, explica o titular da Sedeme.

O evento retrata a determinação do governo em estar nos municípios para ver os diferentes cenários, dialogar e encontrar soluções conjuntas com seus representantes locais, visando atrair novos negócios e solucionar gargalos, que possibilitem agregação de valor econômico às cadeias produtivas, e mais emprego e renda aos paraenses.

Esta é a segunda etapa da caravana, que pretende levar os titulares do setor produtivo estadual a todas as regiões do Estado. A primeira aconteceu em Santarém, em março deste ano. Neste segundo encontro, a pauta debatida discorreu sobre as necessidades e gargalos dos municípios de Marabá, Redenção, Água Azul do Norte, Santana do Araguaia, Xinguara, Rio Maria, Tucumã, Parauapebas, Bom Jesus do Tocantins e Rondon do Pará.

Temas como o Cadastro Ambiental Rural (CAR), o Cadastro Rural Fundiário (CARF), a regularização fundiária, incentivos fiscais, logística da região, o minério, melhoria do ambiente de negócios, o potencial do agronegócio, energia, a relação com a Vale, o valor de mercado bovino, a taxa mineral, fibra ótica e telefonia, a revitalização de estradas, e uma nova política de turismo de negócios, entre outros temas relevantes para a economia dos municípios foram debatidos.

Entre as solicitações dos representantes locais estão a criação de uma secretaria de desenvolvimento regional para aproximar sul e sudeste paraense do governo estadual e a construção de um plano de desenvolvimento que venha a identificar a vocação regional e diversificar a base produtiva, além de preparar os municípios para atrair novos negócios.

A verticalização da cadeia produtiva, tanto mineral quanto no agronegócio, também foi tema de destaque na reunião, assim como o desafio de verticalizar a produção a fim de gerar mais emprego e renda. De acordo com o secretário Adnan, esse é o grande desafio e a palavra de ordem do governo Jatene. “Estamos firmes neste objetivo”, disse, “o maior critério para obter incentivos fiscais é a verticalização”.

Incentivos Fiscais - Quatro projetos de lei foram assinados pelo governador, no último dia 7, durante a Feira das Indústrias do Pará. Os projetos criam novos critérios à concessão de benefícios fiscais, exigindo dos empreendimentos verticalização da produção, inovação e sustentabilidade. O assunto, que entrará em destaque novamente com a prorrogação dos incentivos fiscais, rendeu uma boa discussão do tema. José Conrado, presidente da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), enfatizou a importância da possibilidade de se proporcionar também incentivos fiscais para as pequenas e médias empresas, durante o evento em Marabá.

Ítalo Ipojucan, presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Pará (Faciapa) em Marabá, analisa: “O governo não tem a responsabilidade de empreender na região, porém cabe ao Estado assumir ações básicas para criar um ambiente favorável para valorizar a atração de novos negócios e, dessa forma, proporcionar que as empresas venham a se instalar”.

“Estamos aqui falando de desenvolvimento, de novas modalidades de implementação e diversificação da nossa base produtiva, de novas oportunidades dentro dos nossos municípios, estamos falando de tudo que afeta a nossa condição de empregabilidade, que é o nosso grande dilema em Marabá. Estamos pedindo apoio do governo para transformar nossa região. Temos uma combinação fora do comum pouco encontrada em qualquer lugar do país. Esse é o desafio que parte do governo com a comunidade. Somente através da união poderemos avançar nesse processo de desenvolvimento”, falou.

“Possuímos uma mineração forte, um agronegócio que vem se consolidando rapidamente, assim como a agropecuária com cerca de 22 milhões de cabeças de gado na região. Os números desse novo cenário projetam que teremos no Pará, nos próximos oito a dez anos, cerca de oito milhões de toneladas no agronegócio. Por isso é preciso reforçar as políticas públicas, mapear e dar condições de produção a essa nova fronteira agregando valor a toda essa cadeia produtiva para enfim, nos tornarmos um corredor de desenvolvimento”, analisou.

Presente na comitiva, o senador Flexa Ribeiro prestou contas sobre assuntos pertinentes ao estado debatidos no Senado Federal, como a recuperação das BRs 155 e 158, que ligam Redenção à Marabá e Redenção à Santarém, conhecida como o “caminho dos grãos” e importantíssima para a logística de escoamento da produção; e também o Pedral do Lourenço.

Flexa discorreu ainda sobre a importância do planejamento. “Há vinte anos um município bancou um compromisso para mudar a consciência da sociedade fazendo um pacto entre políticos e sociedade investindo em um projeto de médio e longo prazo. São vinte anos de compromisso que mudaram a região de Paragominas. Marabá e região precisam de um projeto desse porte para saber onde quer chegar; isso é um plano de desenvolvimento”, analisou o senador, “projetem marabá daqui a 30, 50 anos. Toda caminhada começa com um primeiro passo”.

Turismo - Adenauer Góes, secretário de Estado de Turismo, falou sobre o desafio de compreender o setor como atividade econômica. “No Pará temos áreas tradicionais como o minério e a agropecuária; o turismo ainda está iniciando. Porém, como atividade econômica, perpassa por tudo o que foi comentado aqui: infraestrutura, logística, meio ambiente e rede de negócios. Para esta região existe um rumo que chamamos de polo Araguaia-Tocantins, onde, de acordo com o planejamento do Estado, será construído o Centro de Convenções do Município de Marabá. Serão quase 14 mil metros quadrados de área produzida. É um projeto inovador que poderá alavancar toda a região, não apenas a cidade. É um grande desafio mas temos grandes perspectivas para a região de Carajás.”

Zequinha Marinho, vice governador do Estado, encerrou a reunião de trabalho que durou cerca de cinco horas. Ressaltou o compromisso em todos os órgãos do estado, principalmente o Instituto de Terras do Pará (Iterpa) e Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), para que trabalhem juntos para dar mais celeridade às demandas.

“Precisamos atuar continuamente. Vamos fazer um grupo de trabalho que se reúna com frequência para avaliar o avanço do que foi resolvido aqui. É um passo de muitos na estrada da construção de um governo que dê respostas rápidas, que faça com que o setor privado produza, gere riqueza, emprego e qualidade de vida que todos nós queremos”.

Marcaram presença no evento diversos produtores locais, sindicatos, autoridades da região, as secretarias e instituições parceiras do Estado, de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia; de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca; de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica; e de Turismo; também o Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Núcleo Executor do Programa Municípios Verdes; Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec); e a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa). Fiepa, Faepa, Fecomercio-PA, Fapespa, Faciapa, ACP e Sebrae-PA também participaram com seus representantes na reunião.

Andrea Lia Amazonas
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia

Categorias: Notícias

Comissão aprova resoluções que definem novos rumos do Programa Navegapará

sex, 08/05/2015 - 13:05

A Comissão dos Sistemas de Informação e Telecomunicações (Cosit), composta por diferentes órgãos da administração pública estadual, reuniu-se nesta sexta-feira (8) para aprovar novas resoluções de concepção do Programa de Inclusão Digital NavegaPará, coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) e pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa). A aprovação marca o início de uma nova fase do Programa, caracterizada, principalmente, pela implantação de um modelo sustentável de gestão, que permitirá a sua consolidação, expansão e sustentabilidade.

As resoluções aprovadas pela Cosit definem um novo formato para o Programa, envolvendo as modalidades de gestão, formas de parcerias e o uso dos serviços públicos pelos municípios paraenses atendidos pelos Espaços Públicos de Inclusão Digital (infocentros), Cidades Digitais e Pontos de Acesso Livre e Comunitário.  

Entre outras coisas, o novo modelo de gestão está baseado na necessidade de adequar o Navegapará à atual realidade das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), que evoluíram bastante nos últimos anos, gerando profundas mudanças na sociedade. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) referentes a 2013, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2015, revelam que a região Norte apresentou o maior porcentual de domicílios que passaram a usar o celular para acessar a internet (75,4%). O acesso feito exclusivamente por celular ou tablet, no estado do Pará, superou  o realizado por computador (41,2% contra 17,3% por computador). “O acesso crescente à internet através de dispositivos móveis e os impactos disso na sociedade paraense revela a urgência de adotarmos medidas que priorizem a expansão das infovias e garantam uma maior democratização do acesso à internet”, analisa o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica, Alex Fiúza de Mello.

Infocentros – A resolução 001/2015, que trata dos Infocentros, determina que a Sectet continuará selecionando, por meio de editais, órgãos públicos (municipais, estaduais ou federais) e/ou entidades do Terceiro Setor com fins não econômicos que tiverem interesse em implantar infocentros. Para isso, serão adotadas duas modalidades de concessão: 1) Conexão com acesso gratuito à Internet e 2) Conexão com acesso gratuito à Internet, equipamentos de informática e mobiliário.

As novas regras envolverão, também, os infocentros já implantados. Uma das novidades é que, a partir da agora, os gestores desses espaços poderão solicitar, à Sectet, a doação de todos os computadores disponibilizados pelo Programa.  No caso de entidades do Terceiro Setor que não desejem mais funcionar como Infocentro, é possível a solicitação de um Ponto de Acesso Comunitário (Pacom), que são pontos de acesso gratuito à Internet através da Rede NavegaPará. Esses pontos visam disponibilizar à população que mora próxima da entidade parceira onde está instalado o rádio Wi-Fi um acesso à Internet de modo rápido e confiável através de dispositivos móveis (celulares, tablets e outros).

O infocentro sediado no Conselho Comunitário do Paar, em Ananindeua, já está funcionando no novo modelo, disponibilizando a Rede Wi-Fi do NavegaPará para a comunidade do entorno. Apesar de ser uma experiência piloto, a Prodepa já avalia como um caso de sucesso e passível de ser reaplicado em outros espaços. 

Cidades Digitais e pontos de acesso – As resoluções aprovadas também preveem adequações e expansões das infovias da Rede de Comunicação de Dados do Estado do Pará para conexão das Cidades Digitais do NavegaPará. “Dentro da nova filosofia, queremos trabalhar com fibra ótica, substituindo, quando possível, os equipamentos de rádio. Temos quatro Redes Metropolitanas, em Santarém, Marabá, Castanhal e Altamira, e é fundamental que os órgãos públicos migrem do rádio pra fibra, participando do sistema de rateio de custos. Somente assim é que vamos poder ampliar o Projeto e torná-lo sustentável”, destaca a diretora de Projetos Especiais, Leila Daher.

A diretora citou a parceria com o Banpará como um exemplo de caso de sucesso. O banco investiu na ampliação da capacidade de banda ligada à rede de fibra óptica do Navegapará e está atuando com internet de 10GB, o que garantiu menor tempo no atendimento aos clientes e uma economia de R$ 300 mil por mês.

A expansão das infovias e da capacidade de banda do NavegaPará nos municípios é algo que está sendo executado pela Sectet e Prodepa ao longo dos últimos quatro anos, o que refletiu num aumento de 40% no número de Cidades Digitais, passando de 39 para 65 municípios atendidos. O secretário Alex Fiúza de Mello ressalta que alguns municípios paraenses já vêm sentindo diretamente os impactos destas ações. É o caso de Barcarena, Tailândia, Tucuruí, Pacajá e Altamira, por exemplo, que tiveram sua capacidade de banda aumentada de 1GB para 10GB.

Nova Cosit -  A Comissão foi criada em 2007, com o objetivo de coordenar a operacionalidade do sistema de informações e telecomunicações da administração estadual. Com a reformulação recente da estrutura administrativa do Governo do Estado, a Comissão precisa alterar sua composição e atribuições. Para isso um Decreto regulamentará essas mudanças. A proposta, a ser encaminhada ao Governador, é que a Cosit passe a contar com representantes dos seguintes órgãos: Sectet; Prodepa; Secretaria de Educação (Seduc); Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa); Secretaria de Estado de Administração (Sead), Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan); Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas); e Casa Civil.

Texto: Ana Carolina Pimenta (Ascom Sectet)

Categorias: Notícias

Oficina sobre Educação Profissional

sex, 08/05/2015 - 11:50

Nos dias 05 e 06 de maio de 2015, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet), por meio da Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica, realizou a oficina de trabalho “Cenários Nacional e Estadual da Educação Profissional e Tecnológica”, que reuniu representantes dos Ministérios da Educação (MEC), do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), além de gestores e técnicos de órgãos públicos estaduais e federais, empresários e representantes de entidades associativas para debater a educação profissional no estado do Pará.

Saiba mais aqui e aqui.  
 

 

Categorias: Notícias

Sectet reúne parceiros em evento para discutir Educação Profissional e Tecnológica no Pará

qua, 06/05/2015 - 20:08

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet), por meio da Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica, realizou, nesta quarta-feira (06), o seminário “Cenários Nacional e Estadual da Educação Profissional e Tecnológica”. O evento ocorreu no auditório do Centro Integrado de Governo (CIG) e reuniu gestores e técnicos de órgãos públicos estaduais e federais, empresários e representantes de entidades associativas para debater a educação profissional no estado do Pará.

Na abertura do evento, o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, ressaltou que a Secretaria tem a responsabilidade, prevista em lei, de coordenar a elaboração da política estadual de educação técnica e tecnológica e que isso deve ser feito de forma transparente e inteligente, com a agregação do maior número de parceiros. “Precisamos somar recursos e dividir trabalhos para nos fortalecer e captar mais recursos destinados à educação profissional em nosso estado. Esperamos que o painel   apresentado no Seminário nos ajude a dar clareza e facilite esta elaboração coletiva”.

A Sectet já vem dialogando com várias secretarias de estado, prefeituras municipais, entidades representativas e com empresas atuantes no estado com a finalidade de unir esforços para otimizar a oferta de vagas em cursos de qualificação profissional para atendimento das demandas reais do setor produtivo do Pará. No Seminário, o diretor de Educação Técnica e Tecnológica da Secretaria e organizador do evento, Luis Blasques, destacou a parceria estabelecida com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), por meio do Acordo de Cooperação Técnica celebrado pelas duas instituições, em março, com a finalidade de reduzir o gargalo de recursos humanos qualificados, no âmbito do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - Plano Brasil Maior (Pronatec-PBM).

O reitor da Universidade Federal do Estado do Pará (UFPA), Carlos Maneschy, saudou a iniciativa da Sectet em coordenar a elaboração de uma política voltada a sistematizar a educação profissional no Pará e destacou o interesse da Universidade em participar deste processo. “Entendemos que a educação profissionalizante é fundamental para a construção de um estado mais desenvolvido e com melhores oportunidades para os que aqui vivem. A UFPA está à disposição para colaborar no que for preciso.” 

O diretor da Secretaria de Educação Técnica e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC), Carlos Artur Arêas, realizou apresentação sobre o Pronatec, relatando ações, desafios e objetivos. “Temos metas desafiadoras a cumprir, como a oferta de 12 milhões de matrículas entre 2015 e 2019 e o fortalecimento das ações de inserção sócio-profissional dos egressos. Por isso, é tão importante as parcerias estabelecidas, tanto com os governos estaduais, quanto com o setor produtivo”, destacou.

O Pará ocupa o 22º lugar em matrículas efetivadas pelo Pronatec em todo o Brasil, sendo que os municípios de Marabá, Santarém e Belém aparecem em 1º, 2º e 3º lugar, respectivamente, em número de matrículas efetivadas entre 2011 e 2014. Com relação aos cursos ofertados pelo Programa no Pará, os de “Operador de computador”, “Auxiliar administrativo” e “Montador e técnico em manutenção de computador” são os três cursos com maior número de alunos matriculados no Pará. Para a Diretora de Inclusão Produtiva Urbana, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Laurin Webster, é preciso ampliar a oferta de vagas e o número de matriculados no estado, diversificar a oferta de cursos e inserir um maior número de paraenses no mundo do trabalho.

O técnico do MDIC, Luis Gustavo Pontes, explicou a dinâmica do Pronatec Brasil Maior (PBM), falou de forma especial aos empresários presentes, lembrando que todos os cursos ofertados são gratuitos e que o PBM atua tanto na requalificação de profissionais em atividade, quanto na formação de trabalhadores para ocupação de novas vagas. Luis Gustavo lembrou, também, que para facilitar o atendimento das demandas, os cursos podem acontecer dentro das empresas e que empresários podem, inclusive, solicitar cursos por meio do sistema digital.

A programação do evento prosseguiu com debates e apresentações de paineis de representantes do Sistema S (Senat, Senac, Senai, Senar) e empresas, como Oyamota, Votorantim Metais e Hydro Alunorte, as quais apresentaram casos de sucesso de educação profissionalizante no Pará. 

Ao final do dia, foi aprovada a proposta de criação de um Fórum Permanente de Educação Profissional e Tecnológico do Estado do Pará, composto por representantes de instituições dos governos estadual e federal, entidades associativas e empresas, com o objetivo de ajudar a subsidiar a construção e a consolidação da Política Estadual de Educação Profissional e Tecnológica, que receberá o nome de “ParáProfissional”.

 

Texto: Ana Carolina Pimenta - Ascom Sectet

Categorias: Notícias

Sectet recebe representantes de três ministérios para tratar de educação profissional

ter, 05/05/2015 - 17:00

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) realizou, nesta terça-feira (05), duas importantes reuniões de trabalho envolvendo representantes dos Ministérios da Educação (MEC), do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O objetivo foi definir diretrizes e estratégias para otimizar o uso dos recursos advindos do Governo Federal, via Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - Plano Brasil Maior (Pronatec-PBM), e aprimorar a oferta de vagas em cursos de qualificação profissional no Estado do Pará.

O titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, deu início aos trabalhos enaltecendo a busca da Secretaria por conciliar interesses de outras secretarias estaduais, ministérios, empresas e entidades representativas paraenses com o intuito de encontrar a melhor forma de trabalhar a educação profissional dentro do Pará, considerando toda a sua dimensão geográfica e as especificidades das suas regiões. “Estamos alinhando os projetos e elaborando uma política estadual com vistas ao fomento da formação profissional qualificada, de modo a gerar competência local, aumentar a geração¬ de empregos e ampliar a competitividade do setor produtivo paraense”, afirmou o secretário de Estado.   

O diretor de Educação Técnica e Tecnológica, Luis Blasques, esclareceu que a Sectet já vem trabalhando na captura de demandas e na mobilização para pré-matrículas no âmbito dos cursos do Pronatec. “É preciso pensar a oferta de cursos diferenciados que atendam às reais demandas apresentadas pela capacidade instalada nos municípios paraenses. Temos exemplos de cursos que são ofertados há anos, mas que não têm relação com as vocações socioeconômicas das regiões as quais estão inseridas as escolas ofertantes. As pessoas que se formam nesses cursos acabam por não serem absorvidas localmente nos postos de trabalho. Paralelamente a isso, assistimos à importação de mão-de-obra qualificada vinda de outros estados. É preciso rever o modelo e, por isso, é tão importante as parcerias que estão sendo formalizadas com os Ministérios”.

O diretor da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Carlos Artur Arêas, explicou que o Pronatec atende em 41 modalidades e que o MEC atua como um articulador que buscar viabilizar a oferta de cursos profissionalizantes demandados pelos ministérios e secretarias estaduais. O diretor esclareceu, também, que o catálogo de cursos ofertados pelo Pronatec está aberto à inserção de novos cursos e que a Sectet pode apresentar propostas. “Ninguém melhor que o estado do Pará para identificar suas próprias demandas e nos solicitar os cursos que atendam às suas reais necessidades”.  

No turno da tarde ocorreu a segunda reunião de trabalho, que contou com a presença de representantes das secretarias de estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), de Educação (Seduc) e de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme). O objetivo da reunião foi o de discutir políticas públicas conjuntas no campo da educação profissional no Estado para a formação de um Comitê Gestor Intersecretarial de Educação Profissional e Tecnológica no Pará, formado por diversas secretarias de estado e por representantes do setor empresarial paraense. 

As duas reuniões de trabalho anteciparam as discussões que serão aprofundadas amanhã, dia 6, durante a oficina “Cenários Nacional e Estadual da Educação Profissional e Tecnológica”, que ocorrerá no Centro Integrado de Governo a partir das 8h30. O evento, que é uma iniciativa da Sectet por meio de sua de sua Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica (DETT), reunirá diversas entidades públicas e privadas atuantes no campo da educação profissional do estado, as quais serão convidas a integrar o Fórum Permanente de Educação Profissional e Tecnológica do Estado do Pará, a ser instituído ao término da oficina. 

Texto: Ana Carolina Pimenta e Igor de Souza – Ascom Sectet

Categorias: Notícias

Pará detém quase metade de todos os pontos de inclusão digital da região Norte

seg, 04/05/2015 - 15:10

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), dos 2.653 Pontos de Inclusão Digital (PIDs) da região Norte, 1.065 estão em território paraense. E o Navegapará, programa mantido de forma conjunta pela Empresa de Processamento de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa) e Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) tem sido determinante para que o Estado ocupe o primeiro lugar no ranking da inclusão digital no Norte do País.

A Prodepa é o órgão responsável pela Tecnologia da Informação e Comunicação no estado, agrupando tecnologias diferentes de uso contínuo em cerca de dois mil pontos de presença. Partindo dessa atribuição, a empresa vem desenvolvendo ações no sentido de promover a inclusão digital por meio da manutenção, otimização e expansão da internet pública, conectando mais municípios e oferecendo uma conexão confiável e de baixo custo.

Atualmente, o Navegapará está presente em 65 municípios paraenses, com 91 pontos de acesso livre e 165 infocentros. Entre os beneficiados pelo programa estão órgãos do Governo, escolas, delegacias, hospitais, além de prefeituras, entidades do terceiro setor e, principalmente, a população.

A atuação do programa nas chamadas Cidades Digitais, municípios alcançados pelo Navegapará, é referência em projeto de infraestrutura e inclusão digital, servindo de modelo para outros estados e, tecnicamente, exemplo para o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

De acordo com o presidente da Prodepa, Theo Pires, as parcerias com outros órgãos da administração pública, incluindo também outras esferas de poder, têm contribuído para melhorar o acesso à internet e otimizar o serviço prestado por esses órgãos. “Com a convergência de orçamentos e a construção de parcerias está sendo possível alavancar a melhoria dos serviços e o crescimento da rede”, observou.

Parcerias

Uma das parcerias que melhoraram a prestação de serviço público aos cidadãos que moram na capital foi o acordo de cooperação técnica envolvendo a Cinbesa (Companhia de Informática de Belém), a Prodepa e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet). Com ele, a prefeitura de Belém passou a dispor de uma rede de fibra óptica de alta capacidade, interligando os órgãos municipais. O resultado é mais agilidade, qualidade e confiabilidade nos serviços ofertados pela administração municipal.

Outra parceria que gerou economia e ampliação dos canais de comunicação foi o acordo entre a Prodepa e o TJE (Tribunal de Justiça do Estado). A finalidade foi incrementar a infraestrutura de redes de comunicação de dados, voz e imagem do Poder Executivo e do Poder Judiciário no Pará. Por ser uma rede própria, a tecnologia dispensada para esse suporte, proporciona maior confiabilidade aos serviços prestados pelo tribunal.

O projeto de expansão das redes de fibra ótica compõe o plano do Governo do Pará de conectar mais municípios do Estado a uma internet confiável e de baixo custo. Em termos práticos, significa dizer que as instituições beneficiadas com as infovias ampliarão o uso da internet em tempo real, intensificando atividades, como a troca de informações entre órgãos. “As regras de compartilhamento vão garantir a segurança corporativa das entidades envolvidas e manter a continuidade dos serviços”, disse Theo Pires.

A Rede Metropolitana de fibra óptica do Governo do Estado interliga órgãos públicos estaduais da capital e da Região Metropolitana de Belém e é composta de 250 quilômetros de cabos lançados com recursos do governo do Estado. O primeiro ente a firmar parceria para o compartilhamento da infraestrutura da rede foi o TJE, que assinou o termo de cooperação no ano passado. Em seguida, a Prefeitura de Belém também aderiu ao compartilhamento.

Os parceiros poderão implantar sua própria rede de dados em alta velocidade e ceder pontos de fibras apagados para os partícipes interessados. O custo para manutenção das fibras também será rateado entre os envolvidos no projeto.

O Marajó também está prestes a entrar na era digital, através da parceria entre Celpa e Prodepa. Após a inauguração de um cabo subaquático para levar energia à região, prevista para este ano, será levado também o cabo de fibra óptica. O primeiro município beneficiado será Ponta de Pedras e, a partir dele, Soure e Breves. O projeto prevê a instalação de 14 quilômetros de fibra no arquipélago. Também em planejamento está o cabeamento de fibra óptica nos municípios de Barcarena e Abaetetuba.

Texto: Nátia Machado - ASCOM PRODEPA

Categorias: Notícias

Sectet e instituições de ensino e pesquisa discutem Plano Diretor 2015-2019

ter, 28/04/2015 - 15:19

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) sediou, na manhã desta terça-feira (28), uma reunião envolvendo os gestores de algumas das principais instituições de Ciência e Tecnologia da Amazônica Oriental. O objetivo foi apresentar o Plano Diretor da Sectet 2015-2019, que está em fase de elaboração, para levantar contribuições e aprimoramentos ao documento.

O titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, ressaltou a importância de envolver as instituições na elaboração do planejamento estratégico. “Passamos por um cenário marcado por contingenciamentos e crises. Não há possibilidade real de desenvolver a Educação Profissional, a Ciência e a Tecnologia no estado do Pará, se não estabelecermos parcerias e somarmos recursos de diferentes fontes. Por isso, é fundamental que nossas ações estejam alinhadas”.

Na ocasião, o diretor de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Social, João Pinho, apresentou as ações prioritárias ligadas à sua área, tais como a conclusão da Infovia Sudeste do Pará do Programa Navegapará, a conclusão e consolidação do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá), a implantação do Laboratório FarmaViva, em Santarém, a implantação da empresa pública de fármacos “ParaFarma”, a implantação de novas redes de pesquisa, o apoio a programas de bolsas de formação científica e o incentivo e expansão das ações de Indicação Geográfica de produtos como a “farinha de Bragança” e o “Queijo do Marajó”.

O diretor de Educação Técnica e Tecnológica, Luis Blasques, destacou as ações estruturantes ligadas a educação profissional e tecnológica, ressaltando, entre outras ações, a efetivação de vagas em cursos profissionais por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e do Programa Pará Profissional. Outro ponto que chamou a atenção dos gestores presentes foi a implantação de um sistema de Educação a Distância para cursos de educação técnica e tecnológica, classificada como necessária em um estado de dimensões tão grandiosas.

O secretário Alex Fiúza de Mello lembrou que, apesar do Plano Diretor estar em fase de elaboração, a Sectet já vem trabalhando na articulação com instituições ligadas aos governos estadual e federal, usando nossos recursos como contrapartidas em parcerias institucionais. Um exemplo é disso é o acordo de cooperação técnica celebrado em março deste ano entre Sectet e Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) para efetivação das vagas disponibilizadas pelo Pronatec. Outra iniciativa é o acordo que será assinado com o Banpará, já no mês de maio, visando à expansão da fibra óptica do Navegapará. “Temos o compromisso de fazer a sociedade entender que o conhecimento pode ter grandes impactos no desenvolvimento socioeconômico do nosso estado. Vamos fazer isso por meio de resultados”, frisou.

Contribuições - O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Pará (UFPA), Emmanuel Tourinho, ressaltou que o documento sintetiza bem as demandas do setor e pontuou como positivo o alinhamento das ações previstas no Plano às propostas da Fapespa e a busca por promover ações focadas na articulação com o setor produtivo. “As universidades são capazes de gerar produtos e processos originais e inovadores, de alto potencial para impactar o setor empresarial, mas precisamos de instrumentos de apoio que integrem os interesses.”.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa),  Carlos Renato Francês, considerou que o Plano está muito bem elaborado, destacando que a reunião de trabalho realizada pela Sectet se configura como um privilegiado espaço de interlocução ao reunir algumas das principais instituições de ensino e pesquisa do estado. O pró-reitor ressaltou que os desafios das universidades interiorizadas são díspares daqueles encontrados na capital e, portanto, é muito importante pensar ações diferenciadas para elas, sobretudo, no que diz respeito a atração e fixação de recursos humanos qualificados. 

“Sem planejamento, não há como elevar o patamar do estado a um outro nível de desenvolvimento”. Foi desta forma que o diretor do Museu Paraense Emílio Goeldi, Nilson Gabas Júnior, abriu sua fala, elogiando a iniciativa da Sectet e apresentando suas críticas e sugestões de melhorias ao documento. “Temos consciência das limitações do orçamento do governo estadual para executar ações em C&T e, portanto, é preciso agregar a contribuição de mais instituições estratégicas de fomento para a captação dos recursos necessários para execução do Plano”.

A reitora da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Raimunda Monteiro, destacou o fato de o governo do estado se colocar como um elemento agregador no Plano. “Falando sob a perspectiva de uma universidade que se encontra na periferia geográfica do estado, a qual demanda todo um conjunto de infraestruturas para poder gerar um ambiente favorável à inovação, não vejo outra forma de alcançarmos isso se não for pela integração dos atores estratégicos”.

Perspectivas -  Uma versão preliminar do Plano Diretor 2015-2019 será lançada na primeira quinzena de maio e ficará disponibilizada no site da Sectet para acesso público por um mês. Durante este período,   representantes de toda a sociedade poderão enviar suas contribuições para aprimoramento do Plano Diretor.  “Desta forma, democratizamos, ainda mais, o processo de elaboração do Plano para que ele se efetive como uma agenda consensual das ações prioritárias ligadas setor de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional do estado e se desdobre em benefícios para toda a população”, ressaltou o titular da Sectet.

Texto: Ana Carolina Pimenta - Ascom Sectet

 

 

Categorias: Notícias

Governo Digital Mobile

seg, 27/04/2015 - 13:47

"Governo Digital Pará" é um aplicativo destinado ao cadastro de demandas pelos cidadãos do Estado do Pará.

Desenvolvido pela PRODEPA, Empresa de processamento de dados do Estado do Pará, o app tem como funcionalidades a abertura de chamados baseados na geolocalização do usuário demandante, conforme o órgão de origem e os tipos de chamados autorizados por cada órgão. Este aplicativo é gratuito e qualquer cidadão poderá se cadastrar.

Cada usuário pode informar situações, reportar problemas e solicitar serviços a distância, de acordo com os tipos de demanda cadastrados pelo órgão público escolhido pelo mesmo.

Se interessou? Baixe o app no Google Play ou na AppStore

Link do aplicativo: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.pa.prodepa.govdigital
Categorias: Notícias

Palestra: Acesso ao Patrimônio Genético e Conhecimentos Tradicionais Associados

seg, 27/04/2015 - 08:52

Palestra: Acesso ao Patrimônio Genético e Conhecimentos Tradicionais Associados
Data: 6 de maio de 2015
Hora: 16h
Local: Auditório do Centro de Ciências Naturais e Tecnologia (CCNT) - travessa Enéas Pinheiro, Belém.

Data do Evento: quarta-feira, Maio 6, 2015
Categorias: Notícias

VEM PRO PARÁ

sex, 17/04/2015 - 14:51

Seu guia de turismo virtual, de serviços úteis e localização em todo estado do Pará. Resultado de uma ação conjunta entre Sectet, Setur e UFPA, o aplicativo oferece roteiros turísticos para diversos perfis, atrações turísticas culturais e naturais com imagens e descrição. Disponibiliza informações essenciais para facilitar a hospedagem, alimentação, locação de veículos e etc. Conheça o Pará, o app "Vem pro Pará" será o companheiro essencial para suas viagens em todo Pará.

Se interessou? Baixe o app.

Link do aplicativo: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.app.vempropara&hl=pt_BR
Categorias: Notícias

SECTET na XIX Feira Pan-Amazônica do Livro

sex, 17/04/2015 - 14:46
01/06 10h30 às 12h30: Apresentação oral de trabalhos Técnico-Científicos 14h30 às 17h30: Entenda sua fatura de Eletricidade e aprenda como reduzir seu valor 02/06 10h30 às 12h30: Benefícios da Internet e das Redes Sociais e cuidados no seu uso 14h30 às 17h30: Uso racional de Água e de Energia  03/06 10h30 às 12h30: Entenda sua fatura de Eletricidade e aprenda como reduzir seu valor 14h30 às 17h30: Introdução à construção de Sites na Internet  04/06 10h30 às 12h30: Uso racional de Água e de Energia 14h30 às 17h30: Benefícios da Internet e das Redes Sociais e cuidados no seu uso 05/06 10h30 às 12h30: Introdução à construção de Sites na Internet 14h30 às 17h30: Apresentação oral de trabalhos Técnico-Científicos

Temas das Oficinas:

1. Introdução à Construção de Sites na Internet

  • Ministrante: Prof. Dr. Aldebaro Barreto da Rocha Klautau Jr. (UFPA) e monitores
  • Descrição: O conteúdo aborda como a Internet funciona, seus protocolos e linguagens de programação (HTTP, HTTPS, HTML, Java Script); Hospedagem de sites; Blogs; Conceitos de Web Design; Introdução ao desenvolvimento de páginas para Internet em HTML; Introdução ao desenvolvimento de páginas para Internet usando software especializado; Exemplo prático de construção de página.

2. Uso Racional de Água e de Energia

  • Ministrantes: Prof. Dra. Luiza Carla Girard Mendes Teixeira (UFPA), Prof. Dr. Edinaldo José da Silva Pereira (UFPA) e monitores
  • Descrição: A oficina apresentará o cenário quantitativo e qualitativo das águas na região Amazônica, ressaltando as fontes de poluição, técnicas de tratamento, e medidas para utilização racional da água de consumo. Uma visão das características e aplicações de algumas fontes de energias renováveis, em especial a solar e a eólica, será também apresentada. Algumas aplicações serão ilustradas através de kits e programas computacionais educativos.

3. Benefícios da Internet e das Redes Sociais e os Cuidados no seu Uso

  • Ministrante: Prof. Dr.-Ing. João Tavares Pinho (UFPA) e monitores
  • Descrição: A oficina apresentará formas de utilização eficiente de pesquisa na internet e de utilização das redes sociais, destacando a importância de escolha de palavras chave adequadas e de sites confiáveis, bem como exemplificando alguns riscos envolvidos com essa utilização e maneiras de evita-los.

4. Apresentação Oral de Trabalhos Técnico-Científicos

  • Ministrante: Prof. Dr.-Ing. João Tavares Pinho (UFPA) e monitores
  • Descrição: A oficina abordará técnicas de apresentação de trabalhos técnico-científicos, destacando a importância da utilização de todos os recursos à disposição do apresentador, desde a preparação do material a ser apresentado até as técnicas utilizadas durante a apresentação propriamente dita, para que os resultados do trabalho possam ser devidamente compreendidos e valorizados pelo público alvo da apresentação.

5. Entenda sua Fatura de Eletricidade e Aprenda como Reduzir seu Valor

  • Ministrante: Prof. Dr. Luis Carlos Macedo Blasques (IFPA) e monitores
  • Descrição: A oficina apresentará em detalhes todos os conceitos presentes em uma fatura de energia elétrica, e também esclarecerá termos associados às faturas, importantes de serem conhecidos para que se obtenha redução no valor total a pagar.
Data do Evento: segunda-feira, Junho 1, 2015 a sexta-feira, Junho 5, 2015
Categorias: Notícias

Sectet e Fapespa lançam edital para incentivar projetos empresariais inovadores

sex, 17/04/2015 - 14:07

Promover o aumento das atividades de inovação e a competitividade das empresas e da economia, ao apoiar o desenvolvimento de produtos e processos inovadores com a concessão de recursos econômicos, é o objetivo do Programa de Incentivo à Inovação em Microempresas e Empresas de Pequeno Porte -- InovaPará/Tecnova, desenvolvido pela Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa) e Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet).

vídeo: 
Categorias: Notícias

Rede Paraense de Tecnologias Sociais

sex, 17/04/2015 - 14:03

A Rede Paraense de Tecnologias Sociais (RTS/PA) é um colegiado consultivo, integrado por um conjunto de instituições para coordenar, compartilhar e fomentar ações que contribuam com o desenvolvimento, reaplicação e difusão de Tecnologias Sociais em escala no estado do Pará. Coordenada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Secti), a RTS/PA vai ao encontro das diretrizes do Governo do Estado, que preconizam a importância estratégica das Tecnologias Sociais como alternativas viáveis para o alcance do desenvolvimento econômico e socioambiental do Pará.

vídeo: 
Categorias: Notícias

Edital de lotes do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá é prorrogado para o dia 25 de junho

sex, 17/04/2015 - 10:14

Empresas de base tecnológica com perfil inovador interessadas em se instalar no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, sediado em Belém, devem apresentar propostas no dia 25 de junho de 2015, às 9h, na sede do PCT Guamá, na UFPA – Campus Guamá.

 
Os interessados em participar da concorrência devem, obrigatoriamente, participar da visita técnica que será realizada no dia 11 de junho de 2015, com início às 9h, no auditório do CEAMAZON, localizado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, Campus Universitário do Guamá, na Av. Perimetral da Ciência s/n, Km1 – Guamá, CEP.: 66.075-110, Belém(PA).
 
O edital prevê a concessão onerosa de uso de quatro lotes em áreas do parque, as metragens variam de 2.481,08 até 3.322,01 m² e se destinam à instalação de empresas e/ou instituições dedicadas à realização de atividades científico-tecnológicas, de atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação que estejam alinhados às áreas prioritárias de atuação do parque: biotecnologia, energia, tecnologia da informação e comunicação, tecnologia ambiental e tecnologia mineral. 
 
Instalado em 2010, o PCT Guamá tem o objetivo de estimular a criação de empresas de base tecnológica, contribuir para a maior fixação de capital intelectual na região e articulação dos agentes locais por meio de redes de cooperação. O parque reúne 18 empreendimentos em ciclos distintos (projeto, construção, implantação e operação). 
 
Facilidades – Dentre os incentivos fiscais para as empresas que irão implantar bases no PCT Guamá, alinhados à política adotada pelo governo do Estado do Pará, está o tratamento tributário diferenciado, em consonância com os objetivos da Lei nº 6.913, de 3 de outubro de 2006, que prevê as seguintes modalidades: diferimento na aquisição de matéria-prima importada sem similar nacional; diferimento na importação de máquinas e equipamentos desde que não exista similar nacional;  diferencial de alíquota quando adquiridas no Brasil;  crédito presumido nas vendas interestaduais dos produtos a serem comercializados e redução da base de cálculo nas vendas no Estado. 
 
Rede – Primeiro parque tecnológico em operação na Amazônia, o PCT Guamá tem gestão da Fundação Guamá, por meio de um convênio entre a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet), a Universidade Federal do Pará (UFPA) e a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e conta com aporte financeiro da Sectet, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), por meio da Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa).
 
Também tem o apoio da Embrapa Amazônia Oriental, da Eletrobras/Eletronorte, do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Pará (Sebrae-PA), da Agência de Inovação da Universidade Federal do Pará (Universitec/UFPA), da Universidade do Estado do Pará (UEPA), do Banco da Amazônia, da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), do Centro Internacional de Negócios-Fiepa, do Programa Redes, do Núcleo de Inovação Tecnológica do Centro Universitário do Pará (Cesupa), e do Museu Paraense Emílio Goeldi e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme).
 
Serviço
O edital está disponível no link www.comprasnet.gov.br. Pesquisar Concorrência 10/2014, processo nº 18220/2014, publicado no DOU de 5 de novembro de 2014, Pg. 93. Mais informações: (91) 3321-8900 - ascom@fundacaoguama.org.br.
 
Texto: Ascom PCT Guamá

Categorias: Notícias

Sectet reúne empresários paraenses para discutir a educação profissional no Estado

qui, 16/04/2015 - 11:20

Com o objetivo de expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional no Pará, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet), por meio de sua Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica, realizou na tarde de ontem, 14, uma reunião com mais de 30 representantes do empresariado paraense e de instituições públicas e privadas ligadas ao setor produtivo do Estado. A atividade ocorreu na sede da Associação Comercial do Pará (ACP) e contou com a parceria do Conselho de Jovens Empresários da ACP (Conjove).

A iniciativa se deu a partir da necessidade da Sectet de identificar as reais demandas das empresas paraenses para as proposições de cursos e eixos tecnológicos voltados à qualificação dos seus futuros profissionais e dos já atuantes nelas. “Queremos aperfeiçoar a oferta de cursos e de vagas de acordo com as necessidades dos segmentos empresarias atuantes nas regiões do Pará. Não havia esse tipo de articulação da forma como está acontecendo hoje para a construção de uma política voltada para a educação profissional e tecnológica no Estado”, explicou o diretor da DETT, Luis Blasques, durante a abertura da reunião. 
 
Com a palestra “A educação profissional como propulsor das atividades produtivas no Pará”, o diretor Luis Blasques explicou sobre a reestruturação da Sectet e apresentou as metas da DETT, que envolve a articulação com o setor empresarial para a criação de um comitê gestor para a educação profissional no Pará, o fortalecimento da cadeia local de fornecedores para reduzir a evasão de renda na região, além da proposição de novos cursos voltados à qualificação de pessoal local para atuarem em serviços e processos inovadores. 
 
No decorrer da reunião, a coordenadora de qualificação profissional da DETT, Sonia Mendes, apresentou o acordo de Cooperação Técnica celebrado em março deste ano entre a Sectet e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o qual prevê a redução do gargalo de recursos humanos qualificados para o setor produtivo nacional por meio da oferta dos cursos gratuitos de formação e qualificação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - Plano Brasil Maior (Pronatec-PBM).
 
O Programa utiliza a infraestrutura dos ofertantes de cursos do Sistema S, dos Institutos Federais e Estaduais de ensino, possibilitando tanto a requalificação de trabalhadores em atividade, quanto à formação de trabalhadores para ocupação de novas vagas nas áreas identificadas como de maior carência nos setores estratégicos do Plano Brasil Maior. 
 
“As necessidades de uma cidade para outra são diferentes, e diferem mesmo entre as regiões de uma mesma cidade também, por isso acho importante esse diálogo para aproximar as empresas locais das políticas públicas governamentais, apresentado diretamente as suas demandas quanto à qualificação dos profissionais atuantes nos diversos segmentos do setor produtivo e empresarial”, afirmou o presidente do Conjove, Fernando Severino. 
 
Os representantes empresariais que estiveram presentes na reunião farão um levantamento junto ao setor de recursos humanos de suas empresas para averiguar quais os perfis de profissionais que necessitam para melhorar o ambiente de negócios do Estado, cabendo à Sectet acatar esse levantamento para promover o equilíbrio entre demanda e oferta nas vagas por qualificação profissional do Pronatec-PBM em 2016. 
 
Texto e foto: Igor de Souza – Ascom Sectet 

Categorias: Notícias

Sectet prepara seu Plano Diretor para os próximos anos, com metas para a C&T e para a educação

qui, 09/04/2015 - 11:15

Desde o início de fevereiro, os dirigentes da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) estão se reunindo periodicamente para construir o planejamento estratégico para o setor. A expectativa é de que ainda neste mês de março seja lançada uma versão preliminar do "Plano Diretor de CT&I e Educação Profissional 2015-2019 ", a qual será apresentada aos gestores, parceiros e representantes da sociedade para se ajustar aos diferentes interesses e resultar numa agenda consensual de desenvolvimento do Pará pautada pela educação e pelo conhecimento científico-inovador.

Ciência, Tecnologia e Inovação – Entre outras coisas, o Plano pretende definir as diretrizes que nortearão o incentivo a pesquisas voltadas ao desenvolvimento socioeconômico do estado. São ações focadas na atração e fixação de especialistas, implantação de redes de pesquisa em áreas estratégicas e concessão de bolsas de formação científica. O objetivo é contribuir para transformar conhecimento em benefícios para a sociedade.  
Outra diretriz que merece destaque é a consolidação e apoio à implantação de novos pólos e ambientes de inovação no estado. “Neste aspecto, temos o compromisso de concluir as obras do PCT Guamá e dar continuidade ao processo de apoio à implantação de novos parques tecnológicos, laboratórios e incubadoras de empresas”, ressalta o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello. Ainda no setor da inovação, serão executadas ações em prol do empreendedorismo inovador em todo o estado, com o propósito de incentivar empreendimentos que inovam em processos para agregar valor aos recursos naturais disponíveis.
 
 Para ampliar a conectividade das redes de comunicação nas regiões do Estado, o Plano prevê a expansão em, pelo menos, 1.500 km da rede de fibra ótica do Navegapará, além de aumentar e aperfeiçoar a rede de rádios do Programa. A meta é concluir, também, a Rota Marajó, que se estende até Breves, e concluir a Infovia do Sudeste do Pará, que chega até Redenção. 
Educação Técnica e Tecnológica - No que diz respeito à educação profissionalizante, a Sectet assume o desafio de reestruturar a política estadual de Educação Profissional, implementando o Pará Profissional e gerenciando, em âmbito estadual, as ações do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Diversas ações serão executadas de modo a avaliar, consolidar, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação técnica e tecnológica no estado. A Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica da Sectet tem trabalhado, também, nas parcerias e acordos para implantar um sistema de Educação a Distância nos cursos de educação profissional.  
Apesar do novo plano estratégico estar em fase de elaboração, o Plano Diretor 2011-2015 está vigente e, portanto, as atividades não estão suspensas. “Seguimos trabalhando para dar continuidade ao que já estava previsto de acordo com as  possibilidades de momento e em atendimento aos novos desafios postos à Secretaria pela recente reforma administrativa do Estado", acredita o secretário. 
 
Texto: Ana Carolina Pimenta - Ascom Sectet

Categorias: Notícias

Páginas