• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 1 hora 57 minutos atrás

Divulgado novo edital de lotes do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá

seg, 01/04/2019 - 13:14
01/04/2019

Um novo edital de concorrência pública para a concessão onerosa (uma forma de utilização de área pública mediante pagamento de uma contrapartida financeira) de 26 lotes situados no Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá foi publicado nesta quarta-feira, 27, pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Os terrenos têm dimensões que variam de dois a sete mil metros quadrados. A abertura da licitação será no dia 30 de abril de 2019, às 10h, na sala da Comissão Permanente de Licitação (CPL) da UFPA, no Campus Universitário do Guamá, em Belém.

A chamada pública é destinada a instituições dedicadas à realização de atividades científico-tecnológicas, de atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação, empresas de base tecnológica ou de impacto socioambiental com foco, preferencialmente, em uma ou mais áreas de atuação do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, entre as quais estão: 1) Tecnologias da Informação e Comunicação, 2) Biotecnologia, 3) Energia, 4) Tecnologia Mineral e 5) Sustentabilidade.

“Um Parque de Ciência e Tecnologia é um ambiente de cooperação entre startups, empresas, instituições, laboratórios avançados de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e agências de fomento à inovação. É o local ideal para quem quer inovar e se destacar no mercado. O edital permite a instalação de iniciativas que não se adequam às salas que oferecemos nos prédios Espaço Inovação e Espaço Empreendedor. Além de integrar o ecossistema inovador já instalado, as empresas aliam sua marca ao primeiro e único parque tecnológico da região Norte”, destacou Rodrigo Quites Reis, diretor presidente da Fundação Guamá, gestora do Parque.

Os interessados em participar devem realizar uma visita técnica ao lote, de forma a garantir o acesso a todas as informações e condições locais da área. A visita será realizada no período de 23 a 29 de abril, mediante agendamento prévio com antecedência mínima de 24h, por meio do telefone: (91) 3321-8900.

As empresas ou instituições que apresentarem maior oferta mensal de valor por metro quadrado vencem a concorrência pública. O prazo para o início de operação não deverá ultrapassar 36 meses a partir da assinatura do contrato, que terá vigência de 18 anos, podendo ser prorrogado por períodos menores sucessivos até o limite de 18 anos.

“O prazo estabelecido para recebimento e abertura das propostas segue as disposições da Lei nº 8.666/1993. Tendo em vista o grande interesse que o edital está despertando no mercado e o prazo legal de apenas 30 dias para apresentação das propostas, os interessados devem agilizar os procedimentos para assegurar as suas ofertas, inclusive com o prévio agendamento da visita técnica. Deixar para a última hora significa um enorme risco de insucesso, desperdiçando a oportunidade de instalação na área do Parque, com todas as vantagens que essa localização apresenta” alerta Quites.

 

Os custos de instalação, edificação, salários dos empregados e encargos previstos pelas leis fiscais, comerciais, sociais e trabalhistas são de responsabilidade do licitante. A íntegra do edital e seus anexos estão disponíveis no Portal de Compras do Governo Federal (www.comprasnet.gov.br), no link.

 

Vantagens – As empresas e instituições instaladas no parque científico-tecnológico são incluídas no Programa de Criação e Desenvolvimento de Empresas, conhecido como “Guamá Business”. Podem acessar serviços como mentorias (orientações prestadas por profissionais da equipe do PCT Guamá e profissionais e empreendedores credenciados), consultorias com descontos, assessoria técnica, atividades de qualificação (cursos, oficinas, palestras e treinamentos), apoio à participação e realização de eventos, assim como a criação de networking a partir da participação na rede de contatos locais e nacionais do parque.

Os residentes do PCT Guamá têm descontos nos serviços tecnológicos prestados por laboratórios avançados de pesquisa e desenvolvimento, em áreas como biotecnologia, alimentos e energia. Além de segurança 24h, coleta de lixo e manutenção civil e elétrica das áreas comuns.

A residência em parques tecnológicos e incubadoras de empresas também confere competitividade em alguns editais nacionais e acesso a fundos de investimento.  

Sobre o PCT Guamá – Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o Governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro e permanece como único parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia. Ele tem como principal objetivo o de estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne atualmente 15 centros e laboratórios tecnológicos, 39 empresas, 16 startups, instituições de pesquisa e grupos residentes, todos ligados às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, por sua vez, foi qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá. Desde 2009 a Fundação é mantida pelo Governo do Estado, por meio de contrato com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica – Sectet.

Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá)

Foto: Ascom/PCT Guamá

Categorias: Notícias

Comenda entregue pelo Estado destaca o trabalho de mulheres cientistas

seg, 01/04/2019 - 10:22
01/04/2019

“A ciência é uma vocação irresistível”. A frase, proferida pela professora Paula Schneider, da Universidade Federal do Pará (UFPA), ao receber a Comenda Mulher Cientista – Comci 2019, reflete o sentimento das outras duas ganhadoras da honraria: a pesquisadora Ima Vieira, do Museu Paraense Emílio Goeldi, e a estudante Francielly Barbosa, da Escola Estadual Professora Ernestina Pereira Maia, no município de Moju, no nordeste paraense.

A solenidade de entrega da Comci 2019 foi realizada na manhã desta sexta-feira (29), no Teatro Estação Gasômetro (no Parque da Residência), com a presença de autoridades estaduais, representantes de instituições de ensino e pesquisa, professores e estudantes.

Edilza Fontes, secretária adjunta da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica, disse que a Comenda busca dar visibilidade à produção científica realizada por mulheres. “A mulher está presente na ciência, na tecnologia e na inovação. É preciso visibilizar essa produção. Foi com esse objetivo que o professor Maneschy (Carlos Maneschy, titular da Sectet) teve a ideia de criar a Comenda, no que recebeu total apoio do governador Helder Barbalho”, informou Edilza Fontes.

A cerimônia integrou a programação do governo estadual em homenagem às mulheres, promovida durante todo o mês de março. Nesta sexta-feira também foram homenageadas com Menção Honrosa as mulheres que estão à frente de secretarias e instituições do governo do Estado.

Comendadoras da ciência - Ima Vieira e Paula Schneider receberam a Comci 2019 na categoria Cientista Master, enquanto a estudante Francielly Barbosa, representada pela professora Danielle Pereira, foi a ganhadora na categoria Jovem Talento. As três foram escolhidas em um processo que teve duas etapas. Na primeira, uma campanha nas redes sociais da Sectet, no período de 8 a 19 de março, incentivou a participação dos internautas na indicação de cientistas, seus projetos e pesquisas. Em seguida, todas as indicadas tiveram seus currículos, pesquisas e projetos analisados pela Comissão Científica de Avaliação da Comci 2019, composta pelas professoras doutoras Alessandra Ferraiolo, da Embrapa Amazônia Oriental; Edna Castro, da Universidade Federal do Pará, e Yvelyne Santos, da Universidade do Estado do Pará (Uepa).

Doutora em Ecologia, Ima Vieira tem um trabalho reconhecido no Museu Paraense Emílio Goeldi. A pesquisadora falou rapidamente sobre sua trajetória acadêmica e os inúmeros projetos de pesquisa dos quais participou, sempre voltados para a diversidade da ecologia amazônica e os impactos humanos nesse sistema.

Hoje, ela coordena grupos de ciências ambientais que fazem pesquisas interdisciplinares. “Incentivo a todas as meninas a formarem grupos de ciência. É prazeroso e gratificante quando vemos nosso trabalho refletido em políticas públicas, por exemplo”, destacou Ima Vieira.

Paula Schneider é doutora em Genética e Biologia Molecular e desenvolve estudos na Rede do Projeto Genoma Brasileiro. Integrante do grupo pioneiro em pesquisas genéticas no Pará, ela lembrou sua história profissional e agradeceu a todos que participaram dessa trajetória, assim como aos que a acompanham hoje. “Caminhamos todos juntos, nossos mestres, nossos alunos, nossa família”, finalizou Paula Schneider.

Francielly Barbosa foi representada na solenidade pela sua professora e orientadora, Danielle Pereira, que externou seu orgulho pelo trabalho desenvolvido pela jovem de 17 anos, que já ganhou 15 prêmios no Brasil e no exterior. Francielly não compareceu à solenidade porque está em São Paulo (SP) participando de mais um evento ligado à ciência.

Mais investimentos - Pela internet, a estudante mandou mensagem para a coordenação da Comci 2019, agradecendo a honraria. “Eu fiquei muito feliz, especialmente pelo fato de ser um evento estadual. Já ganhei muitos prêmios fora de meu Estado, mas ser reconhecida aqui, com certeza, dá uma força a mais”, declarou.

Ela também ressaltou a necessidade de investimentos nos clubes de ciência espalhados pelo Pará. “Espero que as mulheres e meninas de nosso Estado possam se interessar cada vez mais pelo lado científico. Talvez elas não consigam mudar o mundo todo, mas podem mudar o mundo de muitas pessoas”, frisou.

A secretária adjunta Edilza Fontes encerrou a solenidade lembrando a força das mulheres e a luta pelo reconhecimento na sociedade, informando que a Comenda será um evento anual. “A Comci será uma referência para as mulheres que fazem ciência no Estado, e um incentivo para que mais mulheres trilhem esse caminho. O lugar da mulher é onde ela quiser, inclusive na ciência”, acentuou.

A solenidade teve a participação especial da cantora Andréa Pinheiro, acompanhada por Paulinho Moura, ao violão, com um repertório especialmente escolhido para o evento.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

“A Comci é uma forma de reconhecer e incentivar a participação da mulher na ciência”

qui, 28/03/2019 - 17:13
28/03/2019

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) criou a Comenda Mulher Cientista (Comci) como forma de reconhecimento do trabalho científico realizado por mulheres do estado, sejam pesquisas acadêmicas sejam projetos de inovação tecnológica. Sobre a Comci 2019, que será entregue nesta sexta-feira, às 9h30, a jornalista Jeniffer Galvão entrevistou a secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes.

Pergunta: O que motivou a criação da Comenda Mulher Cientista?

Resposta: A Comenda foi idealizada pelo secretário Carlos Maneschy, titular da Sectet, preocupado em dar visibilidade à produção feminina na área da ciência e tecnologia do estado. O mundo da ciência ainda é visualmente dominado pelos homens. São eles os que mais recebem prêmios ou bolsas de estudo de instituições oficiais. Basta ver a questão do Prêmio Nobel, a mais famosa distinção no ramo do conhecimento em todo o mundo. Apenas 5,7% dos prêmios foram entregues a mulheres. Se considerarmos as ciências exatas e naturais, a situação é mais crítica, pois esse percentual fica na casa do 1%. Então a Comci vem como forma de reconhecer e ao mesmo tempo incentivar a participação das mulheres na ciência. Reconhecer as que já estão há anos fazendo pesquisas e as estudantes que se dedicam a projetos de inovação que mudam a realidade do estado, promovendo desenvolvimento. Assim, temos duas categorias, Cientista Master e Jovem Talento.

P - Como foi o processo de seleção e escolha das cientistas que irão receber a honraria?

R - A nossa ideia foi envolver a sociedade nessa escolha. Por isso, lançamos nas redes sociais da Secretaria uma campanha para que os internautas indicassem mulheres que se destacavam na ciência e em inovação tecnológica, informando qual era a pesquisa científica ou o projeto por elas desenvolvido. A campanha foi realizada no período de 8 a 19 de março e tivemos 21 indicações. Ressalto que houve nomes com indicações de várias pessoas.  Ao mesmo tempo, enviamos às instituições de ensino e pesquisa do estado convite para que indicassem uma representante para formar uma comissão especial para analisar as sugestões enviadas pelos internautas. A Comissão Científica de Avaliação da Comci 2019 foi composta pelas professoras doutoras Alessandra Ferraiolo, da Embrapa Amazônia Oriental, Edna Castro, da Universidade Federal do Pará e Yvelyne Santos, da Universidade do Estado  (Uepa). Elas analisaram minuciosamente os currículos, as pesquisas e projetos das indicadas e decidiram quais serão homenageadas. Aproveito para agradecer a disponibilidade das professoras, que muito contribuíram para a concretização da Comci.

P - E quem são essas mulheres que irão receber a Comenda?

R - Na categoria Jovem Talento a escolhida foi Francielly Barbosa, estudante da cidade do Moju, que criou um tijolo ecológico a partir do caroço de açaí, normalmente jogado no lixo. Essa menina de 17 anos têm recebido prêmios pelo país e até fora do Brasil. Agora vai receber a nossa homenagem e agradecimento por levar o nome do Pará tão longe e por contribuir para a melhoria de vida da população do Moju, o que é ainda mais importante.
Na categoria Cientista Master, a Comissão elegeu duas grandes pesquisadoras paraenses: Paula Schneider e Ima Vieira. Paula Schneider é doutora em genética e biologia molecular e desenvolve estudos dentro da Rede do Projeto Genoma Brasileiro, que tem uma importância inestimável para o desenvolvimento da pesquisa genética no mundo. A Ima Vieira é renomada pesquisadora do Museu Emílio Goeldi, com doutorado em ecologia, desenvolvendo pesquisas relevantes sobre a biodiversidade da Amazônia.

P - Por que duas cientistas na categoria Master? A Comci foi pensada assim?

R - Na realidade, não. A Comci foi criada para destacar uma mulher em cada categoria. Mas, diante da importância das duas pesquisadoras, a Comissão decidiu conceder a Comenda para essas duas grandes cientistas do Pará. Nós, da Sectet, não interferimos na decisão da Comissão, que tem autonomia na escolha das homenageadas. Eu entendo bem os motivos que levaram a Comissão a tomar essa decisão. São realmente mulheres de importância incomensurável para a ciência não só do Pará, como da nossa região e do mundo todo.

P - Como será a solenidade desta sexta-feira?

R - Faremos uma solenidade no Teatro Estação Gasômetro, onde autoridades do governo do estado entregarão a Comci às cientistas, como parte da programação de encerramento das ações realizadas durante todo o mês de março em homenagem às mulheres. A Sectet também entregará às mulheres que estão à frente de secretarias e órgãos da administração um certificado de Menção Honrosa como reconhecimento pelo desempenho de suas atividades em prol do desenvolvimento do Pará. Depois teremos um coquetel de encerramento com música ao vivo que contará com a participação de Andréa Pinheiro e Paulinho Moura. A programação começa às 9h30 e é aberta ao público. Todos estão convidados a participar.

 

Categorias: Notícias

Sectet entrega Comenda Mulher Cientista nesta sexta-feira (29)

qui, 28/03/2019 - 13:44
28/03/2019

A Comenda Mulher Cientista - Comci 2019 será entregue na próxima sexta-feira, 29, em solenidade realizada no Teatro Estação Gasômetro, a partir das 9h30. A Comci é uma distinção criada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) para homenagear mulheres que tenham contribuído com suas pesquisas e inovações tecnológicas para o desenvolvimento da ciência do estado do Pará. “Além disso, criamos a Comci para incentivar as mulheres a participarem mais do mundo da ciência e inovação, espaço ainda dominado pelos homens”, destaca o titular da Sectet, Carlos Maneschy.

Receberão a Comci mulheres que foram escolhidas em duas etapas. A primeira foi realizada por meio das redes sociais da Secretaria, onde os internautas puderam indicar as cientistas e suas pesquisas ou projetos inovadores. As sugestões foram enviadas no período de 8 a 19 de março divididas nas duas categorias: Jovem Talento e Cientista Master. Depois de catalogadas, as 21 indicações foram analisadas pela Comissão Científica de Avaliação da Comci, formada por mulheres cientistas, representantes de instituições de ensino e pesquisa do Pará. Compõem a Comissão este ano a professora Edna Castro, representante da Universidade Federal do Pará (UFPA), a professora Yvelyne Santos, da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e a pesquisadora Alessandra Ferraiolo, da Embrapa Amazônia Oriental.

A entrega da Comenda faz parte da programação em homenagem às mulheres realizada pelos órgãos do Governo do Pará. Na solenidade, também serão entregues certificados de Menção Honrosa às mulheres que estão à frente de Secretarias e instituições do estado. “O nosso principal objetivo é demonstrar com exemplos que as mulheres podem e devem estar em todos os espaços sociais onde elas queiram estar, da ciência à política”, enfatiza a adjunta da Sectet, Edilza Fontes.

Texto: Jeniffer Galvão

Categorias: Notícias

Sectet homenageia servidores por serviços prestados à sociedade

qui, 28/03/2019 - 13:21
28/03/2019

Um legado de seriedade, ética e profissionalismo. Essa é a herança deixada pelos servidores da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Artur Mascarenhas e Telma Martins, que receberam merecida homenagem de seus colegas de trabalho, na manhã desta quinta-feira (28), por estarem a dias de encerrar suas atividades no órgão.

Com a aposentadoria, os dois afirmaram que pretendem aproveitar mais o convívio com os familiares que, ao longo dos anos, foi substituído por uma imensa dedicação ao trabalho. Porém, eles pretendem continuar contribuindo com o trabalho desenvolvido na Sectet sempre que for necessário, com muito conhecimento e experiência.

“O trabalho que desenvolvemos não é para nós, é para o público. Agora, assumimos o compromisso de ajudar os que ficam. Vamos nutri-los de conhecimento para desenvolverem o trabalho da melhor forma possível. Todos têm capacidade para melhorar o estado, basta usarem os conhecimentos técnicos”, ponderou Mascarenhas, destacando a importância dos servidores trabalharem sempre acreditando e buscando o melhor para a população.

Ao final da cerimônia, Telma e Artur receberam das mãos de seus familiares o certificado de honra ao mérito em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à sociedade, contribuindo para o desenvolvimento e progresso do estado do Pará.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Comenda Mulher Cientista 2019

qui, 21/03/2019 - 14:29
21/03/2019

O prazo para as indicações, em nossas redes sociais, à Comenda Mulher Cientista (Comci) 2019 se encerrou à meia noite desta terça-feira (19). Agradecemos a participação de todos que deram sugestões! Na próxima semana, o comitê formado pelas mulheres representantes das instituições de ensino e pesquisa do estado se reunirá para definir a vencedora de cada categoria. A entrega da Comenda ocorrerá no próximo dia 29 de março. Em breve, mais detalhes sobre o evento!

Categorias: Notícias

Projeções e perspectivas para a economia do Brasil e do Pará são apresentadas em seminário

sex, 15/03/2019 - 16:08
15/03/2019

O Grupo Interinstitucional de Estudos e Análise Conjuntural (Geac), coordenado pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), com apoio da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo no Estado do Pará (Fecomércio PA), realizou, na manhã desta sexta-feira (15), o seminário “Projeções e perspectivas para a economia brasileira e paraense em 2019”, no Sesc Boulevard. O Geac é um grupo interinstitucional criado em 2015 com o objetivo de gerar e manter um ambiente de debate a fim de acompanhar a conjuntura socioeconômica nacional e estadual.

Durante a abertura do evento, o presidente da Fecomércio PA, Sebastião Campos, destacou que “o seminário é uma grande oportunidade de as entidades agregarem informações e, assim, ter base para suas sugestões à composição do plano de governo para os próximos anos (o Plano Plurianual – PPA)”.

O presidente da Fapespa e titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica, Carlos Maneschy, compartilha da mesma opinião. Ele ressaltou que, em momentos de crise, como os que o Brasil passou nos últimos anos, é necessário ter criatividade para solucionar os problemas e enfatizou a importância do bom uso do conhecimento gerado.

“Neste momento, é importante abrir os horizontes para que ciência, tecnologia e inovação sejam o insumo estratégico, como são em outros lugares do mundo, a fim de que sejamos um estado que possa garantir o bem social. Para que o estado do Pará não seja somente potencialmente rico, mas para que seja rico de fato, favorecendo sua população”

Ainda durante a abertura do evento, o Secretário Adjunto de Planejamento e Orçamento, Adler Silveira, lembrou que, nos próximos dias, o Governo do Pará inicia o projeto de governo itinerante, realizando audiências públicas nas diversas regiões do estado, no sentido de produzir o PPA 2020-2023. Para tanto, enfatizou que as informações e os diagnósticos como os apresentados no seminário são de fundamental importância para embasar o planejamento que será desenvolvido.

Projeções e Perspectivas

Dessa forma, o economista Fábio Bentes, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), apontou como o setor do comércio está se comportando, nos últimos anos, diante de um novo ciclo de consumo no Brasil e no Pará. De acordo com os dados apresentados pelo economista, nos anos de 2017 e 2018, pode-se observar uma recuperação, porém lenta, do setor em variáveis como volume de vendas e saldo de postos de trabalho formais. Ele apontou, entretanto, que o Pará apontou uma recuperação mais rápido do que o Brasil.

Nesse sentido, o diretor de análises e pesquisas socioeconômicas e análise conjuntural da Fapespa, Márcio Ponte, mostrou algumas projeções para a economia paraense, expectativas e fatores de impacto. Ele ainda reforçou a ideia de que não há como tomar decisões sem o diagnóstico preciso da realidade do estado. O público, composto por integrantes do Geac, representantes de outras Secretarias e estudiosos da área, também participou com perguntas e sugestões ao final das explanações.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Parceria entre Sectet, Ufra e comunidade leva melhoria de vida a moradores da Ilha das Onças

sex, 15/03/2019 - 16:05
15/03/2019

A integração do conhecimento acadêmico com a experiência de vida dos moradores da Ilha das Onças deu forma ao projeto “Segurança hídrica e saneamento básico descentralizado por meio de tecnologias sociais”, desenvolvido por meio de um convênio entre a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e a Universidade Federal da Amazônia (Ufra). O resultado do projeto foi a construção de sistemas de captação de água da chuva e banheiros ecológicos para 21 famílias da ilha, localizada no município de Barcarena. Nesta quinta-feira (14/03) foi feito o encerramento da implantação dessas tecnologias sociais e o lançamento das cartilhas que mostram todo o processo de criação e construção das cisternas e banheiros.

“Tecnologia social é lidar com a realidade, com os problemas reais e encontrar soluções reais. Não há soluções que não se originem em nós mesmos”, destacou Leonardo Freitas, da coordenadoria de Tecnologias para Desenvolvimento Social (CTDS) da Sectet. Ele enfatizou a importância da construção conjunta das tecnologias implementadas na ilha que contou com a participação efetiva dos moradores e das equipes da Ufra e da Sectet. Depois de sete anos trabalhando com a comunidade da ilha, vivenciando a realidade de cada família, fazendo as adaptações que cada casa exigiu, a professora Vânia Neu, bióloga da Ufra e coordenadora do projeto, agradeceu emocionada o empenho de todos. “Foi o resultado do trabalho em equipe. Muitas pessoas passaram pelo projeto e deram sua contribuição. Não conseguiríamos realizar sem a participação ativa e efetiva da comunidade. Muito obrigada a todos”, disse a professora sem conseguir conter a emoção.

Toda a história da implantação das cisternas e dos banheiros é contada em duas cartilhas ricamente ilustradas que foram entregues aos moradores. “São as nossas primeiras cartilhas ribeirinhas e não haveria sentido fazer o lançamento delas em outro local antes daqui. É muito gratificante participar desse momento”, enfatizou Heloísa Brasil, gerente da Editora da Ufra. A vice-reitora da Universidade Rural da Amazônia, Janae Gonçalves, ratificou a importância da integração entre o conhecimento científico e a realidade social. “Estou vivendo um momento mágico”, disse a vice-reitora, referindo-se à concretização do projeto.

A reunião entre os representantes das instituições e a comunidade foi realizada na casa de Celso de Jesus e Marineia Benjamim. A residência do casal é toda decorada com artesanato feito por eles a partir de produtos da floresta e materiais recicláveis. “O conhecimento traz mudança. O projeto mudou a minha vida”, agradeceu o ribeirinho que construiu dentro de casa dois banheiros ecológicos e o sistema de captação e tratamento de água da chuva. “A nossa água é de qualidade, testada e comprovada”, comemorou Celso.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Servidoras da Sectet são homenageadas no Dia da Mulher

sex, 08/03/2019 - 13:51
08/03/2019

Um café da manhã especial marcou o Dia da Mulher na Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). Todas as servidoras participaram do momento de confraternização em que foram ressaltadas as conquistas históricas das mulheres na sociedade. Demonstrando que apesar dos avanços ainda há muito para se alcançar na conquista de direitos  para as mulheres, a servidora Luana Moreira ressaltou o noticiário recorrente sobre violência doméstica e feminicídio. Ela lembrou que, nesses casos, muitas pessoas tentam culpar a própria vítima pela violência sofrida. “Temos que aumentar a solidariedade entre nós, fortalecer a aliança entre nós para alcançar cada vez mais reconhecimento”. Outra servidora a se manifestar foi Dineusa dos Santos, que enfatizou a importância de envolver os homens na luta diária pela valorização e respeito às mulheres.

A secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes, saudou as servidoras lembrando que é preciso ampliar as conquistas e não aceitar estereótipos pejorativos impostos às mulheres que lutam por seus direitos. “Precisamos seguir lutando por mais respeito e igualdade”, enfatizou. O titular da Secretaria, Carlos Maneschy, frisou que a data vai além das homenagens, lembrando fatos históricos ocorridos entre o final do século XIX e início do século XX em que mulheres lutaram por direitos iguais. “E hoje, cem anos depois, ainda discutimos os direitos de gênero. Foram muitos avanços desde então, mas muito ainda é preciso avançar. Destaco o crescimento das mulheres no nível educacional. Hoje a Universidade Federal do Pará tem mais mulheres estudantes que homens. Esse é um fato a se comemorar porque é fundamental no processo contínuo de luta das mulheres por igualdade, reconhecimento e respeito”, ressaltou o secretário.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

BioTec-Amazônia realiza reunião do Conselho de Administração

qui, 28/02/2019 - 13:01
28/02/2019

Na reunião, foi assinado protocolo de intenções com a FAEPA e os conselheiros aprovaram a prestação de contas das atividades da OS.

“As organizações sociais são parceiras do Estado dentro de um contrato de fomento e isso não é muito fácil de gerenciar. É uma forma de parceria. É uma maneira que o Estado moderno tem de chamar entes privados para junto com os entes estaduais, federais e da União e, de uma maneira geral, constituir parcerias desse tipo”. Foi o que destacou o presidente do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos - CGEE, com sede em Brasília (DF), Márcio de Miranda Santos, que, na condição de relator no Conselho de Administração da Organização Social BioTec-Amazônia, analisou do Relatório de Execução do Contrato de Gestão da BioTec-Amazônia, no dia 25 de fevereiro de 2019, no Parque de Ciência e Tecnologia - PCT Guamá, em Belém (PA).

O diretor-presidente da BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço, realizou reunião do Conselho de Administração para julgamento e apreciação do Relatório Anual – Ano 2018 no qual destaca ações, metas e atividades organizadas em cinco eixos para alcance de objetivos a médio e longo prazo. Além do Relatório, a reunião também designou a diretoria técnico-científica da Organização Social BioTec-Amazônia; analisou a proposta de regimento interno da BioTec-Amazônia; a prestação de contas do exercício de 2018; a proposta de orçamento anual e a criação da Rede de Laboratórios – Rede BioTec-Amazônia.

O parecer sobre o Relatório de Execução, destacado por Márcio Santos - CGEE, acentua que o trabalho já realizado no primeiro ano de gestão foi de fundamental importância para o caminho que a BioTec-Amazônia desenha para os próximos anos. “O relatório mostra a importância de uma instituição como a BioTec-Amazônia, na proporção da inovação, e ela atuando entre todos os atores do sistema, particularmente dos sistemas estratégicos, empresas, universidades, instituições de ciência e tecnologia, os atores de governo que é uma tarefa que os sistemas de inovação moderno aprenderam a valorizar”. 

A reunião recebeu, também, o representante do Conselho de Apoiadores da BioTec-Amazônia, José Olímpio Bastos, e os membros do Conselho de Administração. Participaram, representando a Universidade Pública, Sidney Emanuel Batista dos Santos, da Universidade Federal do Pará - UFPA; da Federação das Indústrias do Estado do Pará - FIEPA, Adriano Reis Lucheta e da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará - FAEPA, Eliana França dos Santos Zacca.

Para Jorge Almeida Guimarães, presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial - EMBRAPII, com sede em Brasília (DF), e membro de Notória Capacidade Profissional no Conselho de Administração, há de se parabenizar o grupo pela organização do matéria e incluído no Relatório. O presidente da Embrapii destacou a capacidade da Organização Social BioTec-Amazônia de se desenvolver de forma sólida no período de um ano além de ter registrado que os resultados apontados no Relatório de Execução do Contrato de Gestão com o Estado do Pará ficaram bem amarrados ao que propõe os eixos da BioTec-Amazônia.

Também estiveram presentes o titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica - Sectet, Carlos Maneschy; o secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia - Sedeme, Carlos Ledo; e o reitor da UFPA, Emmanuel Zagury Tourinho.

Pautas – Entre as pautas aprovadas, por unanimidade pelos membros do conselho de administração, destaca-se a aprovação de Maria Paula Cruz Schneider, docente do Departamento de Genética da UFPA, para presidência do Conselho de Administração. Maria Paula é, também, uma das instituidoras da BioTec-Amazônia. A aprovação da criação, eleição e posse do vice-presidente do Conselho de Administração, para o qual foi indicado Sidney Emanuel Batista dos Santos, docente do Departamento de Patologia da UFPA; e designação do Diretor Técnico-Científico da BioTec-Amazônia, para o qual foi indicado Artur Luiz da Costa da Silva, docente do Departamento de Genética da UFPA.

Acordo - Na ocasião, também ocorreu a assinatura de protocolo de intenções da Organização Social BioTec-Amazônia com a  Federação da Agricultura e Pecuária do Pará - FAEPA. O protocolo de intenções tem por objeto estabelecer parceria para a viabilização de cooperação técnico-científica, visando o desenvolvimento de atividades de interesse em comum das instituições partícipes e a execução de projetos, estudos e pesquisas, com foto nas áreas de biodiversidade, biotecnologia e bionegócios. O documento foi assinado por Carlos Fernandes Xavier, Presidente da Federação da Agricultura Pecuária do Pará – FAEPA e José Seixas Lourenço, Diretor Presidente da Organização Social BioTec-Amazônia.

Os acordos de cooperação e protocolos de intenção, firmados pela BioTec-Amazônia fazem parte dos eixos estratégicos da OS de estabelecer, entre outros, a governança inovadora e articulação estratégica do programa na área da biodiversidade do Estado do Pará, com fomento do Governo do Estado. A BioTec-Amazônia articula com diferentes segmentos, como lideranças empresariais, acadêmicas e de governo. É o compromisso de contribuir com a prospecção e atração de novos negócios para o Parque de Ciência e Tecnologia - PCT Guamá, promovendo e incentivando a participação em eventos, fóruns e vitrines de invenções de potenciais investidores.

(Imagens e Texto: Assessoria de Comunicação Organização Social BioTec-Amazônia) 

Categorias: Notícias

Empreendimentos

seg, 25/02/2019 - 15:39
25/02/2019

Novas empresas residentes chegam ao PCT Guamá

No mês de fevereiro, a comissão de avaliação de empreendimentos interessados em se instalar no Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, composta por representantes da Fundação Guamá, Sebrae Pará e Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), aprovou a entrada de 11 novas empresas e startups que irão ocupar salas nos prédios "Espaço Inovação" e "Empreendedor". Com a nova seleção, o parque científico e tecnológico passará a contar com cerca de 70 iniciativas instaladas, sendo 34 empresas, 18 startups, 15 laboratórios de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e quatro instituições.

Os setores dos novos residentes são variados: investimento; produção de alimentos; softwares; energia renovável; Ensino à Distância (EAD); design de gemas, joias e metais preciosos; engenharia, química e defesa; e indústria. A instalação no parque científico tecnológico é realizada por meio de edital, que possui fluxo contínuo até a total ocupação dos prédios. Após apresentação da documentação requerida, as empresas passam pelo crivo da comissão de avaliação. Ao todo, já foram aprovados 16 novos empreendimentos no ano de 2019. 

Os planos do Governo do Estado, como o Pará 2030 e o Bio Pará, e também a biodiversidade da região, ajudaram na atração da ILED, empresa de engenharia, com base em São Paulo, que desenvolve atividades nos ramos de química, biotecnologia e defesa. Um dos braços de atuação da companhia é o desenvolvimento de projetos de viabilização de novas empresas com o uso de alta tecnologia e processos inovadores. A partir deste propósito, desenvolveram um projeto para obtenção das vitaminas E, a partir da soja, e A, extraída da Palma.

Após um período de desenvolvimento destes produtos a empresa, junto com investidores, está liderando a implantação de uma nova indústria, a Bio Sans. A perspectiva é que eles ocupem uma sala no prédio Espaço Empreendedor e que no segundo semestre construam sua fábrica em um dos lotes do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, gerando cerca de 50 novos empregos diretos.

O presidente da ILED, Flávio cunha, destaca que “o que mais nos atraiu no PCT Guamá foi o fato deste estar atualmente voltado para exploração de tecnologias que utilizem do princípio da Biotecnologia, além de oferecer amplo espaço e modernos laboratórios que estão totalmente relacionados com o campo de atuação da empresa que vamos implantar, a Bio Sans. Além disso, a disponibilidade de mão-de-obra especializada, a proximidade com a universidade e o excelente trabalho que as equipes do PCT Guamá e da BioTec Amazônia [outra inciativa instalada no parque tecnológico] fazem, também foram fatores determinantes na escolha”, afirmou.

Outro destaque é a paraense Equilibrium Web, do setor de softwares. Fundada em 2004, foi a primeira empresa privada da região a ter o selo MPS.Br (Melhoria do Processo de Software Brasileiro), no ano de 2010. O sócio proprietário, Sebastião Farias Jr. desta que o motivo de se instalar no Parque. “Nossa ideia é aproveitar a grande estrutura que ele oferece e utilizar isso como uma vantagem para oferecer aos clientes os melhores serviços. Além disso, por se tratar do primeiro parque de ciência e tecnologia da região, acreditamos que também possam surgir novas oportunidades de serviços pra gente também”.

Outros residentes

A DM2 Investimentos é um startup focada no gerenciamento de capital de pessoas físicas, pequenas e médias empresas. Montam o perfil investidor de acordo com as especificidades de cada cliente.

A Serra Alimentos é uma indústria que trabalha com a produção de alimentos processados visando a praticidade, o sabor e o valor nutricional.

A BioSolar Soluções Sustentáveis tem como foco a elaboração de projetos para suprir demandas de caráter tanto energético, utilizando o sol como fonte renovável geradora de energia, quanto de formalização e inovação ambiental na região.

A Universo EAD prevê a disponibilização de conteúdos curriculares de qualidade, oferecidos em diversos suportes e formas de acesso, com atividades programadas no ambiente virtual de aprendizagem (AVA), além de encontros presencias.

A Amazon Foodlab é uma empresa do ramo de alimentos focada no desenvolvimento de produtos que utilizem biodiversidade da região Amazônica.

A Karajaz Joias utiliza inovação e tecnologias na cadeia de produção de gemas e joias para a criação de designs diferenciados e com significados culturais. Foi incubada na Agência de Inovação Tecnológica (Universitec) da UFPA e ganhadora do prêmio professor Samuel Benchimol.

O Instituto Gemológico da Amazônia é uma escola de joalheria que irá capacitar mão de obra nas mais modernas atividades de fabricação de joias.

A Induspar produz palmito de açaí em conserva de diversos tipos, diretamente extraídos da região amazônica, mais precisamente no território do Afuá, onde possuem o seu próprio polo industrial. No Parque de Ciência e Tecnologia Guamá vão focar na criação de novos processos e produtos.

A Nortech trabalha com fabricação de máquinas, aparelhos e equipamentos de sistemas eletrônicos dedicados a automação industrial e controle do processo produtivo; fabricação de máquinas e equipamentos para uso industrial; manutenção e reparação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos; instalação de equipamentos industriais; instalação de sistemas de eletricidades (cabo de qualquer tensão, fiação, materiais elétricos); obras de instalação, manutenção e reparação, dentre outros.

Sobre o Parque de Ciência e Tecnologia Guamá - Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o Governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro e permanece como único parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia.

Tem como principal objetivo, estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne atualmente 15 centros e laboratórios tecnológicos, 34 empresas, 18 startups e 4 instituições, ligados principalmente às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

Texto: Juliane Frazão (ascom/PCT Guamá)

Categorias: Notícias

Documentos históricos da PM serão restaurados e divulgados à população paraense

seg, 18/02/2019 - 15:38
18/02/2019

Um convênio de cooperação técnica entre a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e a Polícia Militar do Pará (PM-PA) irá promover a preservação e conservação da documentação histórica da PM-PA. A minuta do convênio, de iniciativa da Sectet, foi entregue nesta quinta-feira (14/02), pelo titular da pasta, Carlos Maneschy, e pela secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes, à titular da Secult, Úrsula Vidal, e ao Major da PM, Ronaldo Charlet, historiador chefe do Museu da corporação. 
O documento prevê a restauração, catalogação e digitalização de 147 documentos do início do século XIX até metade do século XX que trazem relatos de importantes eventos da história do Pará como o processo de criação da Polícia Militar do estado, em 1818, e a participação da corporação em movimentos como a Cabanagem, a Guerra do Paraguai e o Movimento Tenentista. Todos os documentos serão colocados à disposição da sociedade paraense por meio do Museu Digital da PM. “A documentação em questão, ainda inédita e produzida no interior da Instituição, permitirá que a sociedade paraense possa ter acesso a outras informações e leituras dos processos históricos que compõem a história do estado”, diz o documento entregue aos parceiros do convênio.
Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Novo modelo de gestão irá beneficiar alunos de escolas técnicas

sex, 15/02/2019 - 13:09
15/02/2019

As escolas técnicas no Pará passarão por uma mudança de administração em 2019. A partir de agora, elas estarão vinculadas à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), que pretende implementar um modelo de gestão voltado ao empreendedorismo, novas tecnologias e inovação. A primeira das 25 instituições estaduais a adotar o padrão é a recém-inaugurada Dr. Celso Malcher, que fica no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá e tem capacidade de atender 900 alunos.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, explica os benefícios da mudança. “Temos um prazo de até dois anos para realizar a reestruturação completa. Vamos entrar para buscar uma reformulação no processo de ensino. Queremos uma aprendizagem criativa, instituir um modelo que o estudante tenha protagonismo na sua formação e que os professores possam ser capacitados para serem orientadores e tutores no processo de formação”, detalhou.

Não foi à toa que o primeiro espaço escolhido para receber essa reestruturação foi a escola Dr. Celso Malcher. A expectativa é que a moderna estrutura do PCT – Guamá seja utilizada pelos alunos para avanço em pesquisa e tecnologia. “Vamos sempre buscar novas parcerias nas ofertas de cursos. Inicialmente, já vamos utilizar a estrutura do Parque Tecnológico para oferecer experiências inovadoras para os estudantes. No futuro pretendemos utilizar ainda mais os espaços das universidades como auxílio à esse ensino” , disse Maneschy.

PCT-Guamá – O Parque de Ciência e Tecnologia (PCT), que vai servir de suporte às escolas técnicas nesta mudança de gestão, é um ambiente único de pesquisa e tecnologia em operação na Amazônia. Localizado no bairro do Guamá, em Belém, o espaço tem como objetivo a busca pela inovação e empreendedorismo, e surgiu de uma parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA), Federal Rural da Amazônia (Ufra) e o Governo do Estado.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, abriga 14 centros e laboratórios tecnológicos, 22 empresas, 23 startups, instituições de pesquisa, grupos residentes, além da nova escola técnica Celso Malcher. Dentro do Parque é possível conhecer exemplos de sucesso na pesquisa e desenvolvimento tecnológico, que além de movimentar a economia e colaborar para avanços em diversos setores do estado, ainda servem como incentivo para muitos estudantes em busca de capacitação nessas áreas.

Mundo Interativo Digital – Um dos cases de sucesso é a empresa Mundo Digital Interativo, localizada em um dos prédios do PCT. O empreendimento existe desde 2011 e desenvolve soluções em tecnologia da informação para treinamentos na área de engenharia e ciências exatas. O trabalho é realizado a partir de demandas especificas de cada cliente, na criação de sistemas e simuladores para empresas e órgãos públicos, ou por meio do próprio site da empresa, onde utilizam as plataformas disponíveis através da internet.

A empresa, genuinamente paraense, iniciou como um projeto de pesquisa. Logo no início de seu desenvolvimento, recebeu incentivos de instituições, como Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa). Os recursos disponibilizados pelos órgãos possibilitaram o crescimento do negócio até este virar uma referência nacional na área de tecnologia, com diversos clientes por todo o Brasil, como grandes empresas, prefeituras e universidades.  

“É importante frisar que conseguimos trazer recursos para o Estado. Tudo que foi investido na gente, através de uma linha de financiamento, já retornou várias vezes em formas de impostos”, afirmou o sócio proprietário, professor Manoel Sena.

O professor ainda acredita que iniciativas como esta são exemplos para os jovens do Estado. “Não só o MDI, como as outras empresas aqui do Parque representam exemplos de esforço para desenvolver tecnologia aqui no Pará. A gente recebe muitos estudantes de escolas técnicas, da rede pública, da rede privada e de engenharia, que querem conhecer nosso funcionamento. Isso é muito positivo, incentiva que cada vez mais jovens busquem trabalhar nessa área”, conclui.

Qualidade do leite – Outro exemplo inspirador no setor de pesquisa e tecnologia no PCT é o Laboratório de Qualidade do Leite. O espaço faz parte de uma rede brasileira de qualidade do leite, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e tem como objetivo principal fazer análises microbiológicas e da composição do leite cru, matéria prima principal de diversos alimentos. Com isso, a ideia é controlar e avaliar se a manipulação, os equipamentos e a ordenha estão sendo feitas de forma adequada, para gerar produtos de maior de qualidade.

A gerente do laboratório, Luísa Helena da Silva, explica a importância das pesquisas para o produtor e a população. “Nós recebemos leites de indústrias, de pequenos produtores e de cooperativas, que produzem e comercializam o produto. A ideia é estabelecer parâmetros e pré-requisitos para atestar a qualidade, e repassar esses resultados não só para quem produz, mas como para a comunidade. Tentar mostrar o que estamos consumindo, qual o diferencial de cada produto, e a partir disso agregar valor e aumentar a qualidade do que é oferecido”, ressaltou.

A ideia é que estudantes participem e interajam cada vez mais nas pesquisas. “Como estamos na fase de certificação, infelizmente não podemos ter estudantes trabalhando diretamente aqui. Mas vamos sempre estar fornecendo dados e suporte para as pesquisas. A região Norte ainda não tem os padrões de referência nessas pesquisas, estamos construindo isso, então tem a participação de alunos que vão trabalhar em cima desses dados para poder disponibilizar essa informação”, concluiu a gerente.

Texto: Raphael Graim (Agência Pará)

Categorias: Notícias

Grupo Interinstitucional de Análise Conjuntural realiza primeira reunião do ano na Fapespa

qua, 13/02/2019 - 13:19
13/02/2019

O Grupo Interinstitucional de Estudos e Análise Conjuntural (GEAC) realizou, na manhã desta terça-feira (12), a sua primeira reunião de 2019, que ocorreu no auditório da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa). O Geac é um grupo interinstitucional criado em 2015 com o objetivo de gerar e manter  um ambiente de debate a fim de acompanhar a conjuntura socioeconômica nacional e estadual. Durante o encontro, a servidora da Fundação, Geovana Pires, explicou que a reunião fora marcada no intuito apresentar o trabalho do Grupo para possíveis novos integrantes e ainda definir uma agenda para este ano. Além de representante das instituições que já integram o Geac e convidados, também estiveram presentes a adjunta da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Edilza Fontes; o diretor da Fapespa, Juarez Quaresma; e o cientista político, Márcio Pontes.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Foto: Ascom/Fapespa

Categorias: Notícias

Educação

qua, 30/01/2019 - 11:34
30/01/2019

Titular da Sectet participa da Jornada Pedagógica de Curuçá

Um ensino que promova o crescimento pessoal e a transformação da realidade local com inovação foi defendido pelo secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica, Carlos Maneschy, na palestra proferida nesta terça-feira (29/01) durante a abertura da Jornada Pedagógica de Curuçá, município do nordeste paraense. O evento, realizado de 29 de janeiro a 1 de fevereiro, é promovido pela Secretaria de Educação de Curuçá todo início de ano com o objetivo de planejar as ações para o ano letivo. Participam da programação autoridades estaduais e municipais, gestores, professores e demais funcionários das escolas do município.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Governo do Estado vai implantar novo modelo didático-pedagógico nas escolas técnicas estaduais

sex, 25/01/2019 - 13:19
25/01/2019

Durante visita ao Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, realizada na manhã da quinta-feira (24), o titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Maneschy, afirmou que o Governo do Estado vai atrelar as escolas tecnológicas à Sectet. O novo programa será orientado ao empreendedorismo, às novas tecnologias e à inovação. A transição será iniciada na Escola de Ensino Técnico Dr. Celso Malcher, instalada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, no bairro Terra Firme.

A construção do novo modelo será realizada de maneira coletiva, a partir da escuta do corpo diretivo e docente da escola, considerando as vocações instaladas e as condições necessárias. “Pensamos em introduzir um modelo didático-pedagógico inovador para poder melhorar os indicadores educacionais do Estado, que estão muito baixos. Essa é uma escola que estruturalmente está muito bem instalada, portanto precisamos explorar estas instalações de modo a criar aqui um modelo no formato que os alunos possam se realizar plenamente enquanto estudantes, e também se prepararem para exercer os espaços de cidadania de forma mais ampla”, afirmou o secretário.

Após a visita do secretário e do diretor científico da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), Juarez Quaresma, serão realizadas reuniões de trabalho com a equipe dos órgãos e da escola. “O nosso objetivo é aproximar a Fapespa das demandas do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá e também inserir a escola técnica no projeto de colaboração. Vamos discutir dentro dessas demandas levantadas as ações que a Fapespa possa realizar nos próximos meses e que possam apoiar as atividades do Parque de C&T”, disse o diretor.

O estado do Pará possui cerca de 25 escolas de ensino técnico. Inaugurada em setembro de 2018, a Dr. Celso Malcher foi construída para atender 900 estudantes. Ao todo, o Estado oferta 5.940 vagas em cursos profissionalizantes, oferecidos em 15 municípios. As inscrições podem ser realizadas até o dia 25 de janeiro, no site das escolas de Ensino Técnico – Eetepas: http://www.seduc.pa.gov.br/site/eetepa

Sobre o PCT Guamá – Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o Governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro e permanece como único parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia.

Ele tem como principal objetivo, estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne atualmente 14 centros e laboratórios tecnológicos, 22 empresas, 23 startups, instituições de pesquisa e grupos residentes, todos ligados às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, por sua vez, foi qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá. Desde 2009 a Fundação é mantida pelo Governo do Estado, por meio de contrato com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica – Sectet.

Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá)

Categorias: Notícias

Titular da Sectet participa de reunião do Fórum de Instituições de Ensino Superior e Pesquisa do Pará

ter, 22/01/2019 - 14:23
22/01/2019

Na manhã desta terça-feira, 22, o Fórum das Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Pará realizou reunião extraordinária que contou com a participação do novo titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Edilson de Almeida Maneschy. O encontro, que ocorreu na sede da Sectet, teve o objetivo reafirmar a importância do diálogo constante entre as instituições e o Governo do Pará, além de apresentar alguns questionamentos para a nova gestão.

Dessa forma, o reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA), que também preside o Fórum, Emmanuel Tourinho, destacou como uma das principais dificuldades das instituições a ausência de uma política mais efetiva de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) que garanta o financiamento regular para a área. Ele cobrou ainda que os dois entes que respondem por tal política (Sectet e Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas – Fapespa) atuem de maneira mais integrada.

Diante disso, Maneschy ressaltou que já está atuando para tal integração, de maneira que, neste primeiro momento, está acumulando os cargos de titular da Secretaria e presidente da Fapespa a fim de garantir tal consonância. Por outro lado, quanto à existência de uma fonte regular de financiamento, o Secretário solicitou o apoio das instituições  no sentido de incentivarem a aprovação, pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), do projeto de lei que propõe a destinação de pelo menos 20% da parcela da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) para ações relativas ao desenvolvimento científico e tecnológico.

Carlos Maneschy lembrou que, para o Estado, é absolutamente estratégico o avanço da pesquisa no sentido de fazer com que, em primeiro lugar, formem-se cada vez mais profissionais com qualificação suficiente para fazer com que ciência, tecnologia e inovação estejam presentes na vida das pessoas, mudando a vida delas para melhor. Ele explicou que essa compreensão é importante porque se parte de um pressuposto que, para um estado como o Pará, cuja vocação econômica tem sido baseada em produção de matéria prima, é necessário fazer a mudança da base produtiva com base no conhecimento.

“Para isso as Instituições de Ensino e Pesquisa são indispensáveis, já a Secretaria e o Governo como um todo devem ser um elemento facilitador para criar o ambiente adequado para que isso possa ser promovido de maneira mais rápida e com maior qualidade. Esta primeira reunião estabeleceu como o Estado pensa, quais são os passos prioritários para que possamos fazer com que CT&I seja um instrumento decisivo e indispensável para um novo momento que se quer no Pará”, explicou o Secretário.

O presidente do Fórum concorda e avaliou com muito positiva a primeira reunião com o novo Secretário. “O diálogo vai contribuir para que tenhamos uma agenda de trabalho para o desenvolvimento da CT&I no estado. Estamos satisfeitos de ter a frente da Secretaria uma pessoa experiente com gestão na área e aberta ao diálogo, capaz de realizar as ações necessárias para que nós, conjuntamente, façamos com que o Pará tenha um avanço significativo do ponto de vista científico e tecnológico, desse modo, impactando no seu desenvolvimento econômico e social”, comemorou Tourinho.

Além do titular da Sectet e do reitor da UFPA, também estiveram na reunião os representantes da Unifesspa, do IFPA, da Uepa, da Unama, do Cesupa, do Instituto Evandro Chagas e do Museu Paraense Emílio Goeldi. Também fazem parte do Fórum a Ufra, a Ufopa e a Embrapa. Também participou da reunião Juarez Quaresma, que auxilia o Secretário Carlos Maneschy na Fapespa.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Titular da Sectet acompanha visita de Governador a obras abandonadas de Escola em Barcarena

sex, 18/01/2019 - 16:43
18/01/2019

O governador do Pará, Helder Barbalho realizou, na manhã desta sexta-feira (18), uma visita técnica às obras da Escola de Trabalho e Produção de Barcarena, nordeste do Estado. O objetivo foi verificar o estado atual da edificação, que está inacabada. A partir da vistoria, o Governo do Estado tomará as providências para dar prosseguimento aos trabalhos e entregar a obra, que será importante na formação profissional de estudantes de Barcarena e região.

“Os sentimentos são de perplexidade e tristeza. Como pode o governo anterior ter deixado isso acontecer? Como pode uma escola que deveria ser um espaço para a formação, educação e conhecimento, para garantir um futuro melhor para os nossos jovens, ser fruto do descaso, da ineficiência e principalmente, da irresponsabilidade do governo anterior, fazendo com que esses recursos possam ter sido perdidos, na condição que estamos vendo aqui? Uma obra iniciada há mais de nove anos, em que a Seduc diz que já foi pago 87% da obra, e o que nós estamos vendo aqui nada mais é do que o esqueleto do abandono absoluto. Será necessário ser refeita a obra, será necessária a utilização de recursos novamente, para que a obra possa ser concluída”, se comprometeu o governador.

Helder Barbalho destacou ainda a importância que a escola terá no futuro da juventude local. “Nós iremos responsabilizar aqueles que deram causa a isto. Nós não podemos aceitar que recursos públicos possam ser gastos dessa maneira e vamos buscar acelerar para que, efetivamente, esta situação de abandono fique pra trás, e nós possamos, em um horizonte mais próximo possível, assegurar que a juventude de Barcarena e da região possam ter essa escola técnica para a formação, para serem aproveitados na mão de obra local, para fortalecer a presença de gente formada aqui, no Parque Industrial, e nos empregos ofertados em Barcarena”, disse.

Abandono - Devido ao abandono da obra (localizada na Estrada do Conjunto São Francisco, entre as rotatórias das rodovias PA-151 e da Integração), grande parte do que foi erguido acabou se deteriorando ou foi depredado.

Em fiscalização feita no dia 14 de agosto de 2018, a Diretoria de Recursos Técnicos da Seduc identificou que, dos serviços não finalizados pela empresa vencedora da licitação, somente o arcabouço do prédio ficou de pé.

Os prejuízos ao erário são muitos. Foram arrancadas as telhas das coberturas dos blocos pedagógico, biblioteca, auditório e quadra coberta. Além disso, as lajes, em virtude da exposição às chuvas, estão com aparente comprometimento nas estruturas, assim como os forros. Também foram arrancados os pisos de cerâmica, os peitoris, esquadrias de portas e janelas, e as tubulações das redes elétricas e de esgoto.

“O cenário é de abandono completo e vandalismo. Vândalos se aproveitaram para levar aquilo que já tinha na escola. Vamos ter que fazer um novo investimento, quase que dobrado, para retomar as obras e entregar esta escola, que é um equipamento importantíssimo para a cidade e região como um todo. E assim, fazer com que os índices de educação do Estado melhorem. Essa aqui, em particular, é muito importante e estratégica para a  região, já que é uma escola tecnológica, que contribui para que os jovens sejam absorvidos no mercado de trabalho”, disse o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Carlos Maneschy.

Com a vistoria desta sexta-feira, o governador Helder Barbalho, juntamente com a equipe técnica da Seduc, conheceu in loco a situação, para, a partir daí, tomar a decisão necessária com o objetivo de salvar o patrimônio público e assegurar que a obra possa ser finalizada sem maiores prejuízos à população.

Esperança renovada - “Só temos a ganhar com a visita do governador Helder Barbalho. Estou aqui há seis anos e durante esse tempo nunca vi ninguém mexer aqui. Mas agora estamos muito esperançosos, porque a gente tem a certeza que o governador vai continuar a escola e vai entregá-la para os nossos jovens. Uma entrega fundamental, já que vivemos em um município industrial, que precisa da capacitação que será oferecida por essa escola”, destacou o prefeito de Barcarena, Carlos Vilaça.

O projeto original da Escola de Trabalho e Produção de Barcarena prevê a construção de laboratórios, biblioteca, auditório, quadra poliesportiva coberta, refeitório, banheiros (incluindo os adaptados para pessoas com deficiência), sala para os professores, secretaria, diretoria, cozinha, estacionamento, guarita de segurança e pátio interno.

Acompanharam o governador na visita o vice-governador, Lúcio Vale; o presidente do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Bruno Kono; o secretário de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), Rui Cabral; a secretária de Educação (Seduc), Leila Freire; o secretário de Ciência e Tecnologia (Sectet), Carlos Maneschy;  o prefeito de Barcarena, Carlos Vilaça; o deputado estadual Luth Rebelo; o deputado eleito Victor Dias; o deputado Renato Ogawa; o deputado estadual eleito Dr. Daniel; o federal eleito Cristino Vale; além de vereadores, lideranças locais e dos municípios vizinhos.

Texto: Syanne Nenno, com informações de Caroline Rocha.

Por Natália Mello

Categorias: Notícias

Cerimônia de posse marca transição de diretoria da Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá

sex, 18/01/2019 - 11:00
18/01/2019

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, organização social responsável pela gestão do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, realizou na quinta-feira (17), a cerimônia de posse de sua nova diretoria executiva, eleita pelo conselho curador da instituição para o triênio 2019/2021. O evento foi realizado no auditório do prédio "Espaço Inovação", em Belém. Mais de 100 pessoas, entre autoridades do governo, da comunidade acadêmica e representantes do ecossistema de inovação do estado do Pará participaram do evento

Rodrigo Quites Reis, doutor em ciência da computação e professor titular da Universidade Federal do Pará (UFPA) e Arnaldo José de Miranda, mestre em engenharia elétrica e professor da Universidade da Amazônia (Unama), assumiram o cargo de diretor presidente e diretor administrativo financeiro, respectivamente.

Estiveram presentes o titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet),Carlos Maneschy; o titular da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Mauro O’ de Almeida; os reitores da UFPA, Emmanuel Tourinho; da UEPA, Rubens Cardoso; do IFPA, Claudio Alex; a presidente do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ana Albernaz; a pro-reitora de pesquisa e pós-graduação da Unama,  Ana Maria Vasconcelos; o diretor superintendente do Sebrae Pará, Rubens Magno; o chefe-geral da Embrapa Amazônia Oriental, Adriano Venturieri; a diretora da Fiepa, Maria de Fátima Chamma; dentre outros.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, falou sobre a importância do conhecimento para a diversificação da matriz produtora do Estado. “O Pará é um grande exportador, dado a importância da atividade e dos grandes projetos aqui instalados. Por isso, é preciso pensar na verticalização dessa produção a fim de permitir a distribuição de toda a riqueza que essas iniciativas são capazes de gerar. As Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTs) têm um papel fundamental nisso e o Estado será um grande facilitador para que ações neste sentido possam ser implantadas”, afirmou.

O diretor da Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá entre 2010 a 2018, Antônio Jorge Gomes Abelém, na ocasião também representando o Conselho Curador da instituição, fez um balanço de sua gestão, destacando as principais conquistas do parque tecnológico. “Do zero, estruturamos a Fundação Guamá e criamos todos os processos, normas e procedimentos. Revisamos e atualizamos os planos estratégicos do parque e trabalhamos para a implantação de uma estrutura física e de serviços tecnológicos de apoio ao empreendedorismo, formalizando importantes parcerias para a consolidação do Parque e a atração de empreendimentos”, falou.

O reitor da Universidade Federal do Pará, Emmanuel Tourinho, deu as boas-vindas ao presidente eleito e agradeceu o trabalho desenvolvido pela gestão anterior. “O Parque avançou muito, tanto do ponto de vista da estrutura física, quanto dos projetos e iniciativas instalados aqui, contribuindo para a construção de um sistema de produção de conhecimento e formação de recursos humanos efetivamente à altura dos grandes desafios econômicos e sociais”, disse o reitor.

Já empossado, o diretor presidente da Fundação Guamá, Rodrigo Quites Reis, destacou o compromisso de aumentar a capacidade do parque à potência máxima. “Pretendemos trabalhar o máximo possível de forma colaborativa, ampliando o diálogo e as parcerias com os públicos internos e externos, tanto do setor público quanto do setor privado. Nosso plano é de criar e fortalecer agendas em novos segmentos tecnológicos que sejam, ao mesmo tempo, comprometidos com projetos de desenvolvimento econômico, social e ambiental, contribuindo assim com as questões prioritárias e de interesse público para o estado do Pará e da região amazônica”, afirmou.

Sobre o PCT Guamá – Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o Governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro, e permanece como único, parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia.

Ele tem como principal objetivo estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne atualmente 14 centros e laboratórios tecnológicos, 22 empresas, 23 startups, instituições de pesquisa e grupos residentes, todos ligados às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, por sua vez, foi qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá. Desde 2009 a Fundação é mantida pelo Governo do Estado, por meio de contrato com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica – Sectet.

Mais informações: www.pctguama.org.br

Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá)

Categorias: Notícias

Nova diretoria executiva assume a Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá

qua, 16/01/2019 - 11:16
16/01/2019

Uma nova diretoria executiva toma posse na Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, responsável pela gestão do Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, na próxima quinta-feira, dia 17 de janeiro. A Fundação será comandada por um novo diretor-presidente, o professor Rodrigo Quites Reis, doutor em Ciência da Computação e professor titular da Universidade Federal do Pará (UFPA) e por Arnaldo José de Miranda, mestre em engenharia elétrica, e professor da Universidade da Amazônia (UNAMA), que assume a diretoria administrativo-financeira.

Eleita por unanimidade pelo Conselho Curador da instituição, formado por um conjunto de especialistas da universidade e de outras organizações governamentais, empresariais e setoriais ligadas ao empreendedorismo e inovação, a nova diretoria executiva exercerá o mandato para o triênio de 2019 a 2021.

Segundo Rodrigo Quites, é necessário reconhecer a importância desse que é o primeiro e único parque tecnológico no Norte do país e fortalecê-lo, ampliando as suas capacidades para que ele funcione com a potência máxima.

“Pretendemos trabalhar o máximo possível de forma colaborativa, ampliando o diálogo e as parcerias com os públicos internos e externos ao parque, tanto do setor público quanto do privado. Nosso plano é o de fortalecer agendas em novos segmentos tecnológicos que sejam, ao mesmo tempo, comprometidas com projetos de desenvolvimento inovadores dos pontos de vista econômico, social, ambiental, contribuindo assim com as questões prioritárias e de interesse público para o estado e a região amazônica”, completa o novo diretor.

Sobre o PCT Guamá – Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o Governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro e permanece como único parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia.

Ele tem como principal objetivo o de estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne atualmente 14 centros e laboratórios tecnológicos, 22 empresas, 23 startups, instituições de pesquisa e grupos residentes, todos ligados às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, por sua vez, foi qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá. Desde 2009 a Fundação é mantida pelo Governo do Estado, por meio de contrato com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica – Sectet.

Para saber mais, visite: http://pctguama.org.br/

Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá)

Categorias: Notícias

Páginas