• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 30 minutos 8 segundos atrás

Projeto Meu Endereço qualifica supervisores e agentes de cadastramento do

qua, 06/11/2019 - 15:04
06/11/2019

A  Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e a Universidade Federal do Pará (UFPA) realizam, nestas quinta e sexta-feiras (7 e 8), o primeiro módulo do Curso de Capacitação de Supervisores e Agentes de Cadastramento, do projeto "Meu Endereço: lugar de paz e segurança social". O evento acontecerá na Escola Estadual José Valente Ribeiro, localizada na Estrada do Benjamin, no bairro Cabanagem, em Belém, e terá a participação do titular da Sectet, Carlos Maneschy, que fará a aula inaugural. Participarão também  a presidente da Comissão de Regularização Fundiária da UFPA, Marlene Alvino e a coordenadora do "Meu Endereço", Myrian Cardoso.

O projeto integra as ações de segurança pública e cidadania do Governo  do Pará, por meio do Territórios pela Paz (TerPaz), um amplo esforço para a diminuição da vulnerabilidade social e o enfrentamento das dinâmicas da violência, baseado na articulação de ações de segurança pública e ações de cidadania nos bairros Guamá, Jurunas, Terra Firme, Benguí e Cabanagem, em Belém; Icuí, em Ananindeua; e Nova União/São Francisco, em Marituba.

A Cabanagem foi o primeiro território a receber ações do TerPaz. Nele serão capacitados os primeiros supervisores e agentes de cadastramento dos bairros Icuí, Benguí e Nova União/São Francisco, totalizando 12 participantes.  O treinamento é composto por seis módulos e terá aulas teóricas e práticas durante seis meses. Todos receberão certificados.

Planejamento - Nesta quinta-feira (7), a partir das 8 horas, haverá a abertura formal do curso.  Marlene Alvino, presidente da CRF/UFPA, avalia que, na prática, o início do módulo para capacitação dos selecionados confirma o cumprimento de mais uma etapa da cooperação técnica, científica, operacional e financeira firmada entre a UFPA e a Sectet. “Depois de passar por seis territórios, no próximo dia 23 de novembro, as equipes interdisciplinares apresentarão o Projeto Meu Endereço no território do Jurunas, avançando a parceria firmada entre as instituições e as comunidades”, assevera a presidente.

Por sua vez, Myrian Cardoso, professora e coordenadora do Meu Endereço, reflete que o treinamento compartilhará conhecimentos técnicos, sociais e de cidadania com os selecionados. Todos terão a responsabilidade de interagir com a comunidade e fazer o levantamento das medidas dos lotes e o recolhimento das informações socioeconômicas das famílias. “Na prática, os supervisores e os agentes de cadastramento do Projeto Meu Endereço representam o estado e a UFPA na coleta dos dados das comunidades. Essas informações serão sistematizadas e contribuirão para as melhorias do planejamento urbano e para o combate às desigualdades sociais, habitacionais, sanitárias e de mobilidade urbana, entre outras, existentes em cada território na Região Metropolitana de Belém (RMB). Se constrói um novo olhar sobre a cidade e a cidadania”, disse Myrian.

Segundo a coordenadora, um dos primeiros passos de reconhecimento da cidadania está representado no endereço residencial, quando o cidadão e a sua moradia são incluídos na planta de parcelamento do solo de cada cidade e passam a ter um Código de Endereço Postal (CEP). “Assim acaba a sua invisibilidade e da sua família frente ao Estado, que tem a responsabilidade de garantir os direitos constitucionais aos moradores”, assinala a professora.

Prática - No dia 8 de novembro, entre 9 e 10 horas, ocorrerá uma reunião com as equipes do Projeto Meu Endereço, os membros da Sectet, os supervisores e os agentes selecionados. Estes participantes definirão uma rota de visita pelas ruas do bairro Cabanagem. Já entre as 10 e 12 horas, ocorrerá a visita de campo para selecionar as casas dos moradores e fazer o levantamento das medidas do lote, da edificação, os recuos frontais e laterais, o nome da rua, o número da porta do lote e o número da casa do vizinho, entre outras informações. “Grande parte destes dados deve bater com as informações apresentadas pelas famílias durante o acolhimento das demandas nas ações da 5ª da Cidadania”, alerta Elaine Angelim,  engenheira do Projeto Meu Endereço.

Renato das Neves, vice-coordenador do projeto e pesquisador do Instituto de Tecnologia da UFPA, afirma que, com a sistematização das informações coletadas em campo, será possível definir uma guia de orientação para o morador procurar a solução da sua demanda com o Governo do Estado.   Cada morador receberá um kit Meu Endereço, que é composto de planta de localização do imóvel, planta de limite de lote, laudo de condições socioambientais da moradia, laudo de avaliação do imóvel e guia de encaminhamento aos programas sociais.  “Este conjunto de documentos visa auxiliar e direcionar os moradores em situação de conflitos socioambientais, fundiários e de vizinhança aos programas de regularização, resolução de conflitos, melhoria habitacional, acesso a serviços, financiamentos, entre outros, ofertados pelo Governo do Estado do Pará”, assinala Renato das Neves. 

Dessa forma, segundo o vice-coordenador, o projeto contribui para a redução dos casos de conflitos de vizinhança decorrentes de condições construtivas e de parcelamento do solo, que resultam em violência, intimidação e ameaça nos bairros. “Assim a CRF/UFPA, em parceria com a Sectet, coloca à disposição das famílias os conhecimentos produzidos por meio das inovações tecnológicas, a assistência técnica multiprofissional e os benefícios da inclusão social, articulando as áreas de Engenharia, Arquitetura, Urbanismo, Jurídica, de Comunicação e Serviço Social, sob a perspectiva da garantia do princípio constitucional da dignidade da pessoa humana e da sua inclusão à cidade com mais direitos e deveres”, finaliza Renato.  

Texto e fotos: Kid Reis – Ascom CRF/UFPA

Categorias: Notícias

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N° 002/2019

ter, 05/11/2019 - 15:31
Data do Edital: 05/11/2019

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO SIMPLIFICADO 2019, POR MEIO DIGITAL, DE SELEÇÃO DE INSTRUTORES, EM CARATER TEMPORÁRIO E SAZONAL, CAPACITADO E COM EXPERTISE PARA MINISTRAR OS CURSOS A SEREM OFERTADO, EM RESPEITO À DINAMICA DA DEMANDA DO MERCADO.

AnexoTamanho EDITAL 002 2019.doc ajustado conforme a LEI 8427_2016 art. 4º.pdf125.7 KB
Categorias: Notícias

Curso de decoração com balões é realizado pela Sectet no Guamá

ter, 05/11/2019 - 13:13
05/11/2019

A ornamentação de espaços com balões vem ganhando popularidade e aumentando a exigência de profissionais preparados para atender o mercado. Foi para aproveitar esse nicho que Aline Daniele se inscreveu no curso de “Decoração de Festas e Eventos com Balões”, que teve início nesta terça-feira (5), no polo ParáPaz Guamá. 

O curso é promovido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) como uma das atividades do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz) que chegaram no bairro do Guamá em outubro.

Aline trabalha como garçonete em eventos e acaba ajudando a equipe de decoração. Quando soube do curso decidiu se profissionalizar e assim aumentar a renda familiar.
Entre os 25 alunos no curso está a Flávia Gama, que já trabalha com decoração, mas tem dificuldade de dar preço em seu serviço. “Além de aprender as técnicas do trabalho com balões, quero saber como faço para calcular o valor do meu trabalho”, disse a jovem.

“Na sua maioria, são mulheres jovens e mães de família que estão em busca de melhor colocação no mercado de trabalho. O curso vem atender a essa necessidade delas”, enfatiza Karoline Cordeiro, gerente da Coordenadoria de Formação Inicial e Continuada (CFIC) da Sectet.

O curso é ministrado pela instrutora Olgarina Santos, do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), contratado pela Secretaria para realizar a formação profissional nos bairros do TerPaz. As aulas teóricas e práticas irão até o dia 19 de novembro, de segunda à sexta-feira, de 8h as 12h, no polo ParáPaz Guamá.

Texto: Jeniffer Galvão

Categorias: Notícias

Sectet anuncia o curso de Agronomia em Goianésia pelo “Forma Pará”

seg, 04/11/2019 - 15:52
04/11/2019O Forma Pará é um projeto do governo do Estado, desenvolvido pela Sectet em parceria com instituições públicas de ensino superior e prefeituras. Visa levar cursos de graduação a municípios e localidades onde não há campi universitário.

O projeto “Forma Pará” irá ofertar o curso de Agronomia em 2020 no município de Goianésia. O anúncio foi feito pelo titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Maneschy, na noite da sexta-feira (1º), em solenidade realizada na Câmara de Vereadores do município.

“Vamos escrever páginas virtuosas da história de Goianésia. O curso de Engenharia Civil já é uma realidade; anunciei o curso de Agronomia para 2020 e o nosso compromisso é que nos anos de 2021 e 2022 o governo do Estado trará novos cursos para cá”, disse o secretário, que foi homenageado pelos alunos de Engenharia Civil, oferecido pelo “Forma Pará” em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA).

O prefeito de Goianésia, Ribamar Lima, agradeceu ao governo do Pará pelo incentivo à educação do município. “Agradeço ao governador e ao secretário Maneschy por confiarem no nosso município ofertando sempre novos cursos. É assim que se faz o futuro: com educação. Conhecimento é tudo”, afirmou o prefeito.

Homenagem – O secretário Carlos Maneschy foi a Goianésia para proferir palestra sobre a importância histórica da Engenharia Civil. Antes da palestra, a universitária Renata Rocha, em nome de todos os alunos, prestou homenagem ao secretário, agradecendo a oportunidade de poder cursar o ensino superior na própria cidade. 

A estudante fez referência a uma frase de William Shakespeare.  “A gratidão é o tesouro dos humildes, por isso receba a nossa gratidão e a nossa admiração. Muito obrigada”, declarou Renata Rocha, entregando a Carlos Maneschy uma plaqueta.

Graduação – O Forma Pará é um projeto do governo do Estado, desenvolvido pela Sectet em parceria com instituições públicas de ensino superior e prefeituras. Visa levar cursos de graduação a municípios e localidades onde não há campi universitários ou onde o curso ofertado ainda não exista.

Em 2019, o projeto abriu 1.000 novas vagas, com 20 turmas em 15 municípios. Sete cursos, em regime modular regular, tiveram início neste semestre. Os demais, em regime intervalar, iniciam em janeiro de 2020. Serão disponibilizadas mais 1.000 vagas por ano até 2022, perfazendo um total de 4 mil vagas. O curso de Agronomia, em Goianésia, será ofertado pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra). Os detalhes sobre a seleção estarão no edital que está sendo elaborado e será divulgado em breve.

 

 

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Fotos: Reginaldo Abreu

 

 

Categorias: Notícias

Curso ensina estudantes e professores a fazer e manter hortas das escolas

sex, 01/11/2019 - 11:43
01/11/2019

Estudantes e professores de dez escolas da rede estadual estão aprendendo a fazer hortas. O curso faz parte do projeto “Cinturão Verde nas Escolas”, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e pela Fundação de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa). Nessa primeira etapa estão sendo contempladas escolas localizadas nos bairros que recebem ações do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz).

O curso de 40 horas está sendo ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) em oito escolas de Belém e duas de Marituba. Participam das aulas teóricas e práticas, realizadas no contra turno, 20 alunos e um professor de cada escola. “São os alunos mesmos que manifestam interesse em participar do projeto e tem sido grande a procura. Já estamos fazendo até lista de espera”, comemora Charles Souza, da coordenação do projeto.

Merenda – O objetivo maior é envolver toda a comunidade escolar, inclusive os pais, na produção orgânica de alimentos que poderão ser usados na própria merenda e até mesmo distribuídos na comunidade. Para isso as escolas recebem, além do treinamento, todos os insumos necessários (sementes, adubos, ferramentas) e acompanhamento técnico por dois anos.

Charles informa que as visitas nas escolas serão feitas todos os meses por equipes da Sectet e do Senar. “Nós iremos acompanhar de perto o desenvolvimento das hortas, sempre dando as orientações técnicas necessárias para a manutenção da produção de alimentos de boa qualidade”, afirma o servidor da Sectet.

Fases – A primeira fase de realização dos cursos e preparação das hortas teve início na segunda quinzena de outubro em dez escolas. A partir da segunda quinzena de novembro, outras dez escolas entram no calendário de implantação do projeto.

Todas as escolas foram visitadas previamente pela equipe para a verificação do espaço adequado para a plantação das hortas. “Nesse primeiro momento, estão sendo atendidas escolas que estão nos bairros do TerPaz. Depois iremos estender o projeto a outras escolas de Belém e Região Metropolitana que tenham espaço adequado e interesse em participar”, esclarece Charles Souza.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Guamá recebe as ações do projeto “Mapas Digitais”

qui, 31/10/2019 - 16:07
31/10/2019

Moradores do bairro do Guamá, em Belém, conheceram as diretrizes do projeto “Mapas Digitais”, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA). A reunião com a comunidade foi realizada na noite da terça-feira (29), no Lar Fabiano de Cristo. O projeto está sendo implantado inicialmente nos bairros que recebem as ações do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz), do governo do Estado.

O coordenador do “Mapas Digitais”, Paulo Melo, professor da UFPA, apresentou o projeto aos moradores enfatizando a importância da cartografia para o mapeamento das questões sociais. “Normalmente há informações gerais como o percentual de áreas possíveis de alagamento numa cidade; ou número geral de ruas sem arborização. É preciso, no entanto, localizar com maior precisão onde estão essas áreas para que o poder público tome medidas eficientes”, explica o professor.

É essa localização exata dos problemas o objetivo principal do projeto, que também se destina a ser um apoio aos moradores e visitantes quando se trata de encontrar com mais facilidade logradouros como escolas, feiras, hospitais e postos de saúde, praças, comércios, entre outros. Depois de realizada a cartografia dos bairros, as informações estarão disponíveis em aplicativos para celulares.

Trabalho conjunto - Os moradores irão participar diretamente da elaboração dos mapas. Serão selecionados estudantes universitários que morem no bairro para atuar no projeto como bolsistas. Será feito um processo de seleção em que os interessados serão entrevistados e passarão por treinamento para realizar o levantamento de dados.

“Mesmo os estudantes não selecionados como bolsistas poderão participar na condição de voluntários e receberão certificado emitido pela UFPA”, ressalta Paulo Melo. Os voluntários também poderão fazer a oficina de treinamento para o levantamento cartográfico de cada bairro onde o projeto é realizado.

Inscrições – A equipe do “Mapas Digitais” estará no lar Fabiano de Cristo no dia 5/11 (terça-feira) para receber a documentação dos estudantes interessados, que devem levar RG, CPF, comprovante de residência do bairro e comprovante de matrícula em instituição de ensino superior pública ou privada.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: divulgação do projeto

Categorias: Notícias

Programação especial homenageia servidores da Sectet

ter, 29/10/2019 - 15:36
29/10/2019

Servidores da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) participaram de uma programação especial em homenagem ao Dia do Servidor, na manhã desta terça-feira (29), com palestra e sorteio de brindes.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, agradeceu aos servidores pelo empenho no desenvolvimento das atividades da secretaria, ressaltando a importância do trabalho de todos em cada um dos setores. Em seguida, a coach e gestora de Recursos Humanos, Gabriella Prata, falou sobre a importância de cuidar do corpo e da mente.

No final, o auditório lotado acompanhou o sorteio de brindes para os servidores presentes. A programação continuou com orientação sobre maquiagem, embelezamento de sobrancelhas e corte de cabelo masculino.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação populariza conhecimentos científicos

sab, 26/10/2019 - 14:43
26/10/2019

Milhares de pessoas, sobretudo crianças e adolescentes, visitaram a 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), promovida pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), de 23 a 25 de outubro, na Estação das Docas, em Belém.Foram três dias de intensa movimentação no Armazém 3 da Estação, onde 40 expositores apresentaram trabalhos acadêmicos, mostraram novidades tecnológicas e demonstraram experiências científicas. Um robô gigante apareceu no meio da Feira em vários momentos da programação, chamando atenção de todos com movimentos, luzes e sons, posando para fotos, instigando a curiosidade e a admiração das crianças.

Além dos estandes, a 10ª Fecti contou com oficinas e palestras, realizadas no teatro Maria Sylvia Nunes e no Espaço Multiuso Estação Business. Na parte externa do Armazém 3, foi feita a exposição e apresentação de drones. O público pôde ainda visitar o navio da Marinha do Brasil, Tenente Castelo, que ficou aportado na Escadinha durante os três dias do evento.

“A Feira foi um grande sucesso. Pincipalmente por instigar nos estudantes da educação básica a curiosidade pela ciência, mostrando a todos como o conhecimento pode transformar suas vidas. Alcançamos o nosso objetivo maior que é promover a popularização da ciência”, avalia o titular da Sectet, Carlos Maneschy.

O evento contou com a parceria da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), da Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade do Estado do Pará (Uepa), Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá), BioTec-Amazônia, entre outras instituições de ensino e pesquisa.A programação foi encerrada com a palestra “Inovação: a rota para o sucesso”, feita pelo consultor de empreendedorismo Clodoaldo Araújo, vencedor do programa Aprendiz 5. Depois da palestra, o diretor de Ciência e Tecnologia da Sectet, Demethrius Lucena, agradeceu a todos que contribuíram para o sucesso do evento.

“Foram dias de trabalho intenso na preparação da Feira. Agradeço a participação e o empenho de todos: servidores da Sectet, instituições parceiras, expositores e demais colaboradores. Em nome do governo do Estado, agradeço e parabenizo a todos”, finalizou o diretor.

Texto: Jeniffer Galvão (Asom Sectet)
Fotos: Priscila Castro (Ascom Sectet)

Categorias: Notícias

Bolsistas apoiados pela Fapespa participam da 10ª Fecti

sex, 25/10/2019 - 13:49
25/10/2019

A Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) participa da 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (FECTI), realizada pela Secretária de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (SECTET) e pelo Governo do Estado, que acontece durante os dias 23, 24 e 25 de outubro de 2019 no Complexo Turístico Estação das Docas. Bolsistas de Mestrado e Doutorado que receberam apoio da Fundação por meio dos Editais 05 e 06 de 2016 expuseram suas considerações sobre o apoio e o desenvolvimento de suas pesquisas.

Recepcionados pelo coordenador de bolsas da Fapespa, Alexandre Diniz, os pesquisadores beneficiados conversaram com o público e fizeram uma análise das bolsas concedidas pela Fapespa, contribuindo assim para que novos programas de concessão de bolsas possam melhor adequá-las a realidade da comunidade em geral. Eles também falaram de seus trabalhos e demonstraram a importância do que estudaram para a sociedade, no intuito de inspirar novos alunos a seguirem o mesmo caminho.

“Participar da FECTI é muito importante, pois aqui é um ambiente de conhecimento voltado principalmente para crianças, adolescentes e estudantes. Nós estamos mostrando como é feito o trabalho no meio acadêmico de uma maneira diferente, aonde o público possa entender mais facilmente o papel da ciência nos dias de hoje”, comenta Sabrina Vieira, que apresentou seu trabalho sobre o manejo e comportamento da espécie cupiúba, planta da Amazônia.

“Ter participado da 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação foi extremamente gratificante para mim, pois pude divulgar para a sociedade acadêmica e não acadêmica o meu trabalho como pesquisadora e cientista. Acho a realização da feira de suma importância para a divulgação e popularização da ciência, realização de debates científicos e engajamento da sociedade sobre as pesquisas que realizamos cotidianamente no estado do Pará. Além disso, para o público alvo do evento (estudantes de ensino fundamental e médio) a feira serve como uma exposição do que pode ser realizado dentro das agências e instituições de pesquisa, bem como um meio para instigar a curiosidade e interesse dos jovens pelas diversas áreas de conhecimento da ciência.  

A importância da Fapespa na minha vida acadêmica foi imprescindível. Desde a minha graduação em biomedicina, realizada entre 2011-2016 na Universidade Federal do Pará, recebi auxílio da instituição por meio de bolsas de iniciação científica, as quais despertaram o meu interesse e amor pela genética. Hoje, sou estudante de doutorado no programa de pós-graduação em Oncologia e Ciências Médicas da UFPA, onde realizo meu projeto de pesquisa intitulado “Farmacogenômica em populações Ameríndias Amazônicas”. O projeto é financiado pela Fapespa por meio de auxílio de bancada e bolsa de pós-graduação. Espero que outros estudantes, assim como eu, também possam contar com o auxílio de instituições de amparo de pesquisa para seguir com a construção de suas carreiras científicas”, ressalta Juliana Rodrigues, que apresentou seu trabalho sobre Farmacogenômica em populações Ameríndias.

A FECTI

A Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação chega à sua 10ª edição em 2019, tornando-se importante ação de popularização e difusão da Ciência e Tecnologia do Pará, tendo por objetivo promover ações educativas, científicas e culturais que despertem a curiosidade científica e contribuam para a formação educacional de crianças e jovens estudantes do Pará.

O evento acontece durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, instituída em 2004 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC, e acompanhará a temática nacional “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”, tema que se adere aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

PÚBLICO

A programação da 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação é gratuita e aberta ao público em geral, buscando dessa forma, e por meio de ações diferenciadas, alcançar a maior diversidade possível de pessoas.

Assim sendo, destina-se a crianças e adolescentes matriculados nos ensinos fundamental, médio e profissionalizante; pais e professores do ensino básico e fundamental; estudantes de graduação e pós-graduação; pesquisadores; técnicos de governo e outras entidades públicas e privadas; assim como de tomadores de decisão (representantes de governos, empresários e líderes de organizações não-governamentais) e a comunidade em geral.

As exposições interativas da 10ª Fecti podem ser visitadas durante os 03 (três) dias do evento, porém é importante informar que o acesso às palestras no Teatro Maria Sylvia Nunes e Sala Multiuso Estação Business será por meio de inscrições presenciais realizadas no dia do evento.

ASCOM - FAPESPA

Categorias: Notícias

Abertura da Feira de Ciência e Tecnologia tem diversão e homenagens a Camilo Viana

qui, 24/10/2019 - 18:00
24/10/2019

Uma movimentação intensa de estudantes, professores e expositores marcou o primeiro dia de programação da 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), promovida pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), de 23 a 25 de outubro, na Estação das Docas, em Belém.

Antes da abertura para a visitação, às 9h desta quarta-feira (23), dezenas de estudantes já estavam na entrada do Armazém 3 da Estação. Quando a entrada foi liberada, o ambiente se encheu da animação de crianças e adolescentes, alunos de escolas públicas, que se encantavam com as novidades apresentadas por 40 expositores da décima versão da Fecti.Experiências científicas em diversas áreas estão sendo apresentadas ao público: física, química, astronomia, aerodinâmica, náutica, robótica, artesanato e meio ambiente. É um mundo de conhecimento disponibilizado de forma simples e criativa, acessível aos olhos, ouvidos e mãos curiosas de pessoas de todas as idades.

Além dos estandes, palestras e oficinas, um navio hidroceanográfico da Marinha do Brasil, aportado na Escadinha, chamou a atenção do público que ouvia com atenção as informações dos marinheiros sobre navegação, sinalização dos rios e mares, entre outras curiosidades.

Diversão - No meio da tarde, um robô gigante chamou a atenção de todos, causando um grande frisson. Parecendo um dos personagens do filme “Transformers”, o gigante andou pela Feira, cumprimentou e até falou com o público. E, claro, posou para fotos e selfies.

“Ciência também é diversão. Além de educar, formar, ensinar, a ciência é para divertir. É dessa forma, com conhecimento e diversão, que a Feira procura cumprir sua principal missão: a popularização da ciência, esse instrumento poderoso de transformação social”, afirmou o titular da Sectet, Carlos Maneschy, na solenidade de abertura do evento, realizada no final da tarde, no Teatro Maria Sylvia Nunes.

Abertura – A solenidade teve a apresentação do Madrigal da Universidade do Estado do Pará (Uepa), aplaudido intensamente pelo público que lotou o teatro. A mesa de autoridades foi formada por representantes de instituições de ensino e pesquisa e dos poderes Legislativo e Executivo do Pará.

Antes dos discursos oficiais, foi chamado ao palco o Time Enactus, da Universidade Federal do Pará (UFPA) - um grupo de jovens universitários que utiliza o conhecimento científico para transformar a sociedade. Um dos projetos do grupo é o Amana Katu, que faz a instalação de sistemas sustentáveis, compactos e de baixo custo para a captação da água da chuva em comunidades ribeirinhas. O projeto ficou em primeiro lugar no Evento Nacional Enactus Brasil (Emeb). Pela iniciativa de empreendedorismo social, os estudantes receberam do secretário Carlos Maneschy certificados e placa de Honra ao Mérito.

Emoção – Enquanto os estudantes da UFPA se acomodavam nos seus lugares na plateia, um grupo de crianças da Federação Educacional Infanto-Juvenil (Feij) entrou no teatro entoando, em tupi-guarani, a “Canção da Amizade”, causando surpresa. Ao chegarem à frente do palco, anunciaram a homenagem ao ambientalista Camilo Viana, falecido no último dia 10 de setembro, aos 93 anos.

A homenagem foi o reconhecimento ao trabalho do médico e ecologista pela preservação da Amazônia e sua população. A atitude da Feij recebeu calorosa manifestação dos presentes. Em seguida, familiares de Camilo Viana foram chamados ao palco para receber uma placa de Honra ao Mérito pelo legado deixado pelo ambientalista.

Flávio Viana, filho do médico, muito emocionado agradeceu a homenagem do governo do Estado, por meio da Sectet, e das crianças da Feij. Ele lembrou que a reação do pai quando recebia homenagens era afirmar que essas manifestações demonstravam que o trabalho dele em prol da Amazônia havia valido a pena. “Vivendo esse momento aqui, digo: pai, sim, tudo valeu muito a pena”, declarou Flávio Viana, sem conter as lágrimas.

Presente e futuro – O reitor da UFPA, Emmanuel Tourinho, destacou o papel da ciência e da tecnologia com propulsoras do desenvolvimento e parabenizou o trabalho realizado pelo Governo do Pará, que fortalece a parceria do Estado com as instituições de ensino e pesquisa. “Este trabalho de fortalecimento da parceria para ações de desenvolvimento da ciência e tecnologia é pelo presente e pelo futuro”, destacou o reitor.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, parabenizou os estudantes do Time Enactus UFPA e agradeceu aos familiares pelo legado deixado por Camilo Viana, ressaltando o importante trabalho desenvolvido pelo ambientalista também na UFPA, de onde foi vice-reitor.

Carlos Maneschy agradeceu aos servidores da Sectet e da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), e às instituições parceiras pelo esforço na realização do evento. “Agradeço também a presença de vocês, estudantes, razão principal da nossa preocupação em fazer a Feira. Aproveitem bem esses dias para aprender e se divertir”, disse o secretário.

Serviço: 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. De 23 a 25 de outubro, das 09 às 19 h, na Estação das Docas. Entrada franca.

Texto: Jeniffer Galvão
Fotos: Priscila Castro

Categorias: Notícias

TerPaz: projeto 'Mapas Digitais' chega ao bairro da Terra Firme

qui, 24/10/2019 - 14:25
24/10/2019

Uma plateia formada principalmente por jovens assistiu na tarde de terça-feira (22) à apresentação do projeto “Mapas Digitais”, no auditório da UIPP do bairro da Terra Firme, em Belém. O projeto é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA) e integra as ações do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz).

Em cada bairro que recebe as ações do TerPaz serão elaborados dez mapas com a localização dos principais logradouros, como escolas, associações, feiras, pequenas empresas, mercados, hospitais e postos de saúde. Os mapas serão disponibilizados em aplicativo para smartphones.

O professor da UFPA, Paulo Melo, coordenador do “Mapas Digitais”, explicou as principais diretrizes do projeto, mostrando a importância do georreferenciamento do território para a comunidade local e para o planejamento das políticas públicas pelo governo do Estado. “Sabendo a localização exata dos problemas, as soluções serão mais eficientes”, enfatiza.

Participação – A comunidade de cada território envolvido participará durante todo o processo de levantamento de dados, elaboração dos mapas e do aplicativo. Membros do movimento Tela Firme estiveram na programação de terça e se disponibilizaram a participar do projeto, fazendo a integração do levantamento cartográfico já realizado pelo grupo no bairro.

“Todas as contribuições são bem-vindas. Na verdade, a participação da comunidade é essencial para o projeto. Ninguém conhece melhor os bairros do que seus moradores”, enfatiza Paulo Melo.

Bolsistas – Nesse processo, haverá a seleção de estudantes universitários de cada bairro para participar do “Mapas Digitais” como bolsistas. Na Terra Firme, os interessados devem fazer sua inscrição no dia 30/10, de 9h às 12h, na UIPP do bairro, localizada na avenida Celso Malcher.

Para se inscrever, é preciso levar RG, CPF, comprovante de residência no bairro e comprovante de matrícula em instituição de ensino superior (em nível de graduação) pública ou privada.

Texto: Jeniffer Galvão (Acom/UFPA)
Fotos: Priscila Castro

Categorias: Notícias

Projetos da Sectet são expostos na 10ª Fecti, na Estação das Docas

qua, 23/10/2019 - 10:08
23/10/2019

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) realiza, a partir desta quarta-feira (23), a 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), que está repleta de atrações. Palestras, mesas-redondas, rodas de conversa, oficinas, apresentações e exposições tomarão conta de todos os espaços do Armazém 3 da Estação das Docas, até a próxima sexta-feira (25), das 09 às 19 h, com entrada gratuita.

O Teatro Maria Sylvia Nunes, a Sala Multiuso Estação Business e o Boulervard das Feiras terão atividades simultâneas durante os três dias. Nos 2.000 m² destinados a exposições, instituições e organizações da área de ciência e tecnologia mostrarão seus trabalhos em 21 estandes.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, destaca que a essência de todas as atividades que fazem parte da Feira é a promoção de melhorias para a vida da população, finalidade principal de todo o avanço científico e tecnológico. Dentre essas ações estão os projetos desenvolvidos pela Secretaria e instituições parceiras.

Sectet 360º - Numa estrutura em círculo no centro do Boulevard das Feiras estarão expostas as ações da Sectet e instituições parceiras, levando os visitantes a darem um giro de 360º para conhecer o que vem sendo realizado. “Além disso, o Projeto Sectet 360º evidencia que a ciência e a tecnologia estão em toda parte, em qualquer ângulo ou direção que se olhe”, completa o diretor de Ciência e Tecnologia da Sectet, Demethrius Lucena.

Ele acrescenta que a Secretaria está realizando ações em várias áreas, desde meio ambiente, com o projeto “Cinturão Verde”, até a promoção de cursos de nível superior nos municípios, com o programa “Forma Pará”. Outro destaque é o projeto “Conecta Pará”, que visa promover o acesso à internet em vários municípios.

Outros projetos são Bolsa Pará, Meu Endereço, Mapas Digitais, Comenda Mulher Cientista e cursos de Formação Inicial e Continuada, além de ações e projetos apoiados pela Sectet nas áreas de tecnologia social e empreendedorismo.

Círio – Faz parte do Sectet 360º o Aplicativo Círio de Nazaré, que está em fase de finalização. Durante as principais procissões do Círio 2019, uma equipe de fotógrafos do Pará fez as imagens que estarão no app. “Por meio do aplicativo, turistas e os próprios moradores da cidade poderão conhecer detalhes históricos, culturais e religiosos dessa que é a maior manifestação de fé dos paraenses, realizada há mais de 200 anos”, destaca a secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes.

Ela informa que os textos foram elaborados por pesquisadores de forma sintética, mas sem deixar escapar os detalhes técnicos da Festividade de Nossa Senhora de Nazaré. “Por meio de um simples toque dos dedos no celular, todos poderão ter acesso ao universo de fé e cultura que é o Círio de Nazaré”, resume a secretária adjunta

Virtual - O diretor Demethrius Lucena também adianta outra novidade entre os projetos da Sectet. Está em fase de elaboração uma plataforma online voltada para a divulgação de ações e pesquisas que não são expostas em grandes eventos.

“Sabemos que existem pesquisadores com projetos importantes, e que jamais participaram de uma feira deste porte. Nós vamos desenvolver uma plataforma virtual permanente para todos os pesquisadores apresentarem seus projetos para o mundo”, anuncia o diretor.

Serviço
10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti)
 De 23 a 25 de outubro
Estação das Docas
9H às 17h
Entrada gratuita

Texto: Jeniffer Galvão
Fotos: Paula Sampaio - Aplicativo Círio de Nazaré e Priscila Castro (Ascom/Secte-Feira)

Categorias: Notícias

Planetário Móvel, drones e Madrigal são destaques na Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação

ter, 22/10/2019 - 12:34
22/10/2019

Promover ações educativas, científicas e culturais que despertem a curiosidade e contribuam para a formação educacional de crianças e jovens estudantes no Estado, bem como da população em geral, são objetivos da 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, que será realizada de 23 a 25 de outubro, de 9h às 19h, no Complexo Turístico Estação das Docas, em Belém. 

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) é uma das instituições parceiras da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) na realização da Feira e levará ao público a apresentação do Madrigal na cerimônia de abertura oficial da Feira, que ocorre no primeiro dia de programação, às 17h, no Teatro Maria Sylvia Nunes.

Além disso, a participação da Universidade inclui a palestra A Importância dos Drones no Processo Investigativo das Perícias de Engenharia, ministrada pelo professor doutor José Alberto Sá, no dia 25 de outubro, às 14h, na Sala Multiuso Estação Business.  O professor da Uepa explicará que em determinadas situações a identificação das evidências relacionadas às perícias de engenharia pode ser prejudicada devido às limitações impostas ao perito, como por exemplo, o acesso a um local que representa risco à sua integridade física. 

A Uepa também leva à Feira informações sobre astronomia, por meio de um estande do Centro de Ciências e Planetário do Pará (CCPP) e a instalação de um Planetário Móvel. A Uepa contará ainda com outro estande voltado especificamente para levar ao público informações sobre projetos e cursos do Centro de Ciências Naturais e Tecnologia (CCNT). A programação é totalmente gratuita.

A 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação ocorre durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, instituída em 2004 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Neste ano, o tema nacional é Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável, aderente aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Para conferir programação completa da Feira, acesse www.semanact.pa.gov.br.

Confira abaixo a programação do estande da Uepa:

23/10
- Divulgação de tecnologias disponíveis para serem transferidas ao mercado e exposição da tecnologia "Prótese funcional mecânica", do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia (NITT)
- Divulgação de ações de extensão
- Embalagens Sustentáveis - Curso de Design

24/10 
- A Trilha de Formação Empreendedora e o Uso da Impressora 3D em Projetos de Produtos, da Rede de Incubadoras de Tecnologia da Uepa - RITU
- Pupunha em Conserva  - Curso de Tecnologia de Alimentos

25/10 
- Projeto Adote uma Espécie Florestal  - Curso de Engenharia Florestal
- Mostra de projetos em Engenharia Ambiental: da educação ambiental a tecnologias - Curso de Engenharia Ambiental

 
Serviço
10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação
Data: de 23 à 25 de outubro de 2019
Local: Estação das Docas. Av Boulevard Castilho s/n. Bairro Campina. Belém.

Texto e fotos: Nailana Thiely (Ascom/Uepa)

Categorias: Notícias

PCT Guamá participa da 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação

seg, 21/10/2019 - 16:54
21/10/2019

Bioeconomia, programação, realidade virtual, modelagem, impressão 3D, e ciência e tecnologia do leite serão alguns dos temas abordados por iniciativas residentes no Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá durante a 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), que será realizada nos dias 23 a 25 de outubro, na Estação das Docas. Aberta ao público, a programação conta com palestras, oficinas, exposições interativas em estandes e uma agenda de atividades lúdicas e educativas destinadas ao público infanto-juvenil.

Estandes - O PCT Guamá contará com dois espaços: um estande em que pesquisadores do Centro de Valorização de Compostos Bioativos da Amazônia (CVACBA), laboratório da UFPA instalado no parque tecnológico, apresentarão experimentos focados na extração e dosagem de compostos bioativos de matérias primas amazônicas, especialmente o açaí, abordando, junto aos alunos, a importância da bioeconomia e da valorização dos recursos naturais; e no Sectet 360º, onde os visitantes poderão conferir a maquete virtual e os principais serviços prestados pelo parque científico e tecnológico.

Os residentes Instituto Gemológico da Amazônia (IGA) e Inteceleri Tecnologia para Educação também contarão com um espaço, onde irão realizar demonstrações do uso realidade virtual com óculos VR feito de miriti (MiritiBoard VR), desenvolvimento de jogos interativos com ferramentas Google e espaço de modelagem e impressão 3D.

“Além de contribuir com a popularização da ciência e da tecnologia entre os jovens, a nossa participação na Feira tem o objetivo de aproximar o PCT Guamá destes públicos, pois entendemos que a educação tem um papel central quando se fala em inovação”, afirma o diretor presidente do PCT Guamá, Rodrigo Quites Reis.

Palestras – No dia 24 de outubro, a sala multiuso da Estação Business receberá palestras de dois pesquisadores ligados ao PCT Guamá. Das 15h às 16h, Luís Adriano Santos fala sobre o “Laboratório de Óleos da Amazônia (LOA): conhecimento aplicado para o desenvolvimento sustentável do estado do Pará”; e das 16h às 17h, a pesquisadora Luiza Helena Meller realiza a palestra “Ciência e Tecnologia do Leite: desafios para a inovação”.

Sobre a feira - Realizada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), a feira tem o objetivo de promover ações educativas, científicas e culturais que despertem a curiosidade científica e contribuam para a formação educacional de crianças e jovens estudantes no estado do Pará.

O evento integra a programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, instituída em 2004 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), com o objetivo de promover a popularização e difusão da ciência e da tecnologia no país. Sob o tema “Bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável”, a programação dialoga com a Agenda 2030 estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá)
Foto: Agência Pará

Categorias: Notícias

Palestra sobre DNA da floresta amazônica será destaque na 10ª Fecti

seg, 21/10/2019 - 10:43
21/10/2019

A Organização Social BioTec-Amazônia vai levar o mundo da engenharia genética moderna para uma plateia de alunos de escolas estaduais, durante a 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), realizada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), de 23 a 25 de outubro, na Estação das Docas.

O diretor de Ciência e Tecnologia da Sectet, Demethrius Lucena, ressalta que, há cerca de dois anos, a Secretaria mantém com a Bio-Tec Amazônia um contrato de gestão para o desenvolvimento do Programa Biopará, política de incentivo ao uso sustentável da biodiversidade amazônica.

“Decidimos fazer uma palestra direcionada aos adolescentes, para que se interessem pela biodiversidade da nossa floresta, utilizando essa riqueza de forma sustentável para melhorar suas vidas e, consequentemente, de toda a sociedade”, conta Demethrius. Ele enfatiza que esse trabalho educativo é uma das contrapartidas sociais da OS.

Palestra – O diretor técnico-científico da BioTec-Amazônia, Artur Silva, doutor em Ciências Biológicas, Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Pará (UFPA), vai ministrar a palestra "O DNA da floresta". Ele frisa que o diálogo com estudantes entre 14 e 17 anos foi pensado como uma forma de desenvolver neles o interesse nessa área especifica.

“A ideia é falar sobre o tamanho da floresta, a importância dela para o Brasil e para o mundo, o quanto perdemos desde o descobrimento do Brasil e o que isso significa”, adianta o palestrante. O diretor da BioTec Amazônia enfatiza a relevância de falar também da gigantesca biodiversidade da região.

“Como podemos transformar isso tudo em riqueza para melhorar a qualidade de vida do povo que mora aqui na Amazônia? E, como a engenharia genética moderna pode resolver problemas utilizando a floresta?", questiona Artur, antecipando que as respostas serão dadas durante a palestra.

Serviço:
10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), realizada pela Sectet, de 23 a 25 de outubro, na Estação das Docas, em Belém.

Dia 24/10
Palestra "DNA da floresta", por Artur Silva, diretor-científico da BioTec-Amazônia
Local: Sala Multiuso Estação Business
Inscrições gratuitas na hora do evento

Texto Jeniffer Galvão (Ascom Sectet)
*Com informações da Ascom BioTec-Amazônia

 

Categorias: Notícias

Projetos da Sectet chegam aos moradores do Guamá

dom, 20/10/2019 - 09:43
20/10/2019

Projetos da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) foram oficialmente lançados no bairro do Guamá, em Belém, neste sábado, 19, com a chegada definitiva do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz). As escolas estaduais Barão de Igarapé-Miri e Alexandre Zacarias de Assunção receberam simultaneamente as ações integradas de diversas secretarias e órgãos do governo coordenados pela Secretaria de Estado de Articulação da Cidadania (Seac).

A equipe do projeto “Meu Endereço: lugar de paz e segurança social” montou o sistema de som, o varal de fotografias e mapas do bairro na área da cantina, chamando atenção dos moradores para a importância da convivência pacífica entre vizinhos. O “Meu Endereço” é desenvolvido pela Sectet em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA).

Em verso e prosa, a coordenadora do projeto, Myrian Cardoso, cantava e contava histórias de situações de conflito entre vizinhos por causa de obras ou demarcação de terrenos. “Saber exatamente os limites de seu imóvel e quais deveres e direitos cada um tem na hora de fazer uma construção ou ampliação da casa evita conflitos e garante uma convivência pacífica”, ressalta Myrian.

O projeto presta auxílio aos moradores com orientações jurídicas, técnicas e tecnológicas na demarcação territorial das residências. As famílias cadastradas e selecionadas recebem o kit Meu Endereço Certo, composto de planta de localização do imóvel, planta de limite de lote, laudo de condições socioambientais da moradia, laudo de avaliação do imóvel e guia de encaminhamento para instituições que fazem a regularização fundiária.

Quinta da Cidadania – As famílias do Guamá interessadas em ter as orientações e apoio profissional do "Meu Endereço" serão cadastradas durante a ação chamada "Quinta da Cidadania", que será realizada no dia 24/10, de 9h às 11h30, no Parapaz UFPA, localizado na  Av. Tucunduba, nº 01.

Curso e mapas – Outros projetos da Sectet que chegam ao Guamá dentro das ações do TerPaz são: Cursos de Formação Inicial e Continuada para Jovens e Adultos”, com o curso “Decoração de eventos com balões”; e o “Mapas Digitais”, que fará a apresentação aos moradores no dia  29/10, às 18h, no Lar Fabiano de Cristo, na rua Barão de Ig.Miri, 257.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Priscila Castro (Ascom Sectet)

Categorias: Notícias

Feira de Ciência e Tecnologia terá oficina voltada para a ‘Geração Z’

sab, 19/10/2019 - 14:47
19/10/2019

Ampliar perspectivas, auxiliar na identificação de oportunidades e estimular o desenvolvimento de soluções criativas com a tecnologia é o objetivo da oficina “Geração Z: zapeando entre desafios e soluções tecnológicas”, que integrará a 10ª Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), realizada pela Secretaria de Estado de Ciência Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). O evento ocorrerá nos dias 23, 24 e 25 de outubro, na Estação das Docas.

A oficina será ministrada pela arquiteta Leila Pother, do Instituto de Ciências Exatas e Naturais da Universidade Federal do Pará (Icen/UFPA). Ela explica que a ‘Geração Z’ é formada por pessoas nascidas entre meados dos anos 1990 e 2010, durante a chegada da internet e a popularização de novas tecnologias digitais, como os smartphones e computadores de alto desempenho.

Rafael Callins, membro da coordenação da 10ª Fecti, diz que todos os anos, a feira recebe centenas de jovens, sobretudo alunos do ensino médio, que fazem parte desta geração. “Então, nada mais adequado do que falar diretamente para eles”, destaca.

Conectados – De acordo com Leila Pother, a ‘geração Z’ é formada por pessoas “conectadas 24 horas” e que utilizam serviços online para satisfazer seus desejos e necessidades, como por exemplo, a busca por informação.

A proposta da oficina é realizar atividades que possam apresentar novas formas de lidar com as dificuldades e desafios, alinhando as características e interesses dos participantes na identificação de novas oportunidades nas tecnologias e meios digitais presentes no dia a dia, incentivando os jovens a pensar em soluções criativas de acordo com suas necessidades.

Leila Pother espera mobilizar os participantes para uma atuação mais proativa na construção de uma sociedade melhor, seja na escola, em casa, no trabalho ou em qualquer grupo, além de criar multiplicadores da proposta. “O objetivo é revelar em cada participante o potencial de atuar de maneira construtiva e se tornar um cidadão relevante para a sociedade”, diz a arquiteta.

Serviço
Oficina “Geração Z: zapeando entre desafios e soluções tecnológicas”
Dia: 25/10
Hora: 9h às 12h
Local: Sala Multiuso Estação Bussiness

OBS. Os participantes devem levar seus smartphones com leitor de QR Code e fone de ouvido

Texto: Matheus Luz (estagiário de jornalismo da Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Oficina de biojoias e projetos sustentáveis serão atrações da 10ª Fecti

sex, 18/10/2019 - 12:59
18/10/2019

A arte de criar adereços a partir da composição harmoniosa e criativa de sementes amazônicas e metais será mostrada na oficina “Biojoias: o uso das sementes de espécies florestais como gema orgânica”, durante a programação da 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), realizada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), de 23 a 25 de outubro, na Estação das Docas, Belém.

No dia 23, a programação da Sala Multiuso da Estação Business será voltada, especialmente para iniciativas de sustentabilidade social e ambiental. Leonardo Freitas, da Coordenadoria de Tecnologias para Desenvolvimento Social (CTDS) da Sectet, ressalta que a programação apresentará projetos sustentáveis diversificados, passando pela elaboração de protótipos de filtragem de água dos rios, voltado ao uso sustentável; projeto de captação de energia solar a partir de produtos recicláveis; e confecção de biojoias.“A oficina, inédita na Feira, faz parte de um projeto que visa a inclusão social e produtiva dos jovens e suas famílias, com oportunidade de geração de emprego e renda a partir das matérias primas de nossa região”, enfatiza Leonardo.

Painel – Com início às 9h, a Roda de Conversa e Painel Sobre Projetos Sustentáveis irá até às 12h. O primeiro projeto apresentado será a Mostra de Ciência e Tecnologia da Escola Açaí (MCTEA), de Abaetetuba. Serão mostrados os detalhes da X MCTEA, que será realizada no período de 2 a 6 de dezembro de 2019, no ginásio municipal Hildo Carvalho, em Abaetetuba.

Em seguida, será a vez do público da Feira conhecer um processo de filtragem da água de rios criado pela equipe da professora Elza Leão, do curso Técnico de Mecânica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPA). Eles elaboraram um banco de filtração de água de rio a partir de caroço de açaí. O projeto pretende assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável e saneamento para comunidades ribeirinhas.

Encerrando a programação da manhã, será apresentado o projeto Girassol Solar, da Unama, que capta a energia solar transformando-a em energia elétrica. O girassol é feito com materiais reciclados, como folhas de compensado, fios elétricos e canos de PVC. Com orientação do professor Carlos Rolin, propõe a elaboração de um sistema energético renovável.

Oficina – Às 14h, a oficina de biojoias será iniciada com a palestra “O uso de espécies florestais como biojoias e adornos: colheita, secagem, tratamento fitossanitário e conservação de sementes”, proferida pela pesquisadora Noemi Leão, da Embrapa Amazônia Oriental. Em seguida, a parte prática será ministrada pela artesã Jacilene do Amor Divino.

“As oficinas são realizadas sempre que temos um público interessado em trabalhar com esse tipo de artesanato para geração de renda. Elas são a forma de transferir os resultados de pesquisa obtidos nos projetos da Embrapa, que buscam identificar outras espécies que possam ser utilizadas, para aumentar a oferta de sementes para os produtores”, enfatiza Noemi Leão.

Serviço: 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), realizada pela Sectet, de 23 a 25 de outubro, na Estação das Docas, em Belém.

Programação do dia 23/10
Local: Sala Multiuso da Estação Business, na Estação das Docas
9h: Escola Açaí, de Abaetetuba – Mostra de Ciência e Tecnologia da Escola Açaí (MCTEA)
10h: Projeto “Construção de banco de filtração de água de rio em 3 estágios fabricado em cerâmica extrativada e carvão ativado oriundo de caroço de açaí”, do IFPA.
11h: Projeto Girassol Solar, da Unama.
14h às 18h: Oficina “Biojoias: o uso das sementes de espécies florestais como gema orgânica”. Inscrições aqui. Vagas limitadas.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Divulgação

Categorias: Notícias

Robótica será tema de mesa redonda e oficinas na 10ª Fecti

qui, 17/10/2019 - 10:52
17/10/2019

Tecnologia a serviço da educação de crianças e jovens será a tônica da mesa redonda “Robótica Educacional” que será realizada na programação da 10ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fecti), promovida pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), no período de 23 a 25 de outubro, na Estação das Docas, em Belém.

“Temos iniciativas realizadas no estado em que estudantes e professores utilizam a robótica no processo educacional de forma eficiente, inovadora e muito instigante. São ações que demonstram como a tecnologia é fundamental nesse novo tempo em que se aprende fazendo. Tempo em que estudantes e professores são estimulados a dividir o protagonismo na construção do conhecimento”, ressalta o titular da Sectet, Carlos Maneschy.

Exemplos - Rafael Callins, da coordenação da 10ª Fecti, destaca que é esse o espírito da mesa redonda. “Na Feira, reunimos algumas dessas ações em escolas e organizações civis que se utilizam da tecnologia para envolver crianças e adolescentes num processo educacional bem interessante que vai além da transmissão de conhecimento. Queremos que essas iniciativas contagiem os participantes da Feira e sejam seguidas como exemplo”, enfatiza Rafael.

A mesa vai reunir representantes de quatro projetos que são desenvolvidos em Belém e região metropolitana: Reusetech, projeto da Escola Estadual Tiradentes I; o projeto de robótica da Escola Estadual Dilma Cattete, Robomind Pará e Projeto Social Gileade. A mesa redonda será realizada no dia 24/10, às 16h, no teatro Maria Sylvia Nunes.

Reusetech – O projeto é desenvolvido desde 2017 por professores e estudantes da Escola Estadual Tiradentes I, em Belém, e utiliza resíduos sólidos recicláveis na construção de robôs. O Reusetech será apresentado na mesa redonda também pelos alunos. “Quando as pessoas escutam os alunos e veem o que são capazes de construir, mesmo sendo especiais e de escola pública, elas criam coragem de ir além”, conta a professora Mariana Menezes, uma das coordenadoras do projeto, que tem alunos com deficiência no grupo. Ela ressalta que o objetivo maior do Reusetech é criar uma cultura de ciência no estado. “O que importa para nós é que as crianças, especiais ou não, sintam que são capazes de transformar o futuro delas para melhor”, finaliza a professora.

Reconhecimento – Na Escola Estadual Dilma Cattete, no bairro do Coqueiro, em Belém, os alunos são estimulados a utilizar lixo eletrônico na construção de robôs. As peças de equipamentos eletrônicos descartados são recicladas e transformadas em protótipos de robôs sob a orientação da professora Keila Cattete, que levou o projeto este ano para a escola pública. Ela se interessou pela robótica quando ainda era estudante do curso de licenciatura em Matemática, no início dos anos 2000. A professora conta que seu objetivo é fazer com que o Pará seja reconhecido nacionalmente pela produção científica.

Robomind – A Robomind Pará trabalha com robótica educacional no estado há mais de dois anos e essa trajetória será apresentada pelo responsável pela empresa, Marcos Douglas Gomes.  Ele explica que o projeto não envolve conteúdo, pois o objetivo é desenvolver e estimular habilidades tecnológicas e sociais, privilegiando o conhecimento científico. “Trabalhamos para desenvolver uma educação mais mão na massa, com foco na aprendizagem criativa. Acreditamos que esse é um tema que precisa ser debatido e desenvolvido a fim de colocarmos nosso estado em alinhamento com um contexto cada vez mais presente”, afirma Marcos Douglas.

Gileade – O Projeto Social Gileade é desenvolvido no bairro das Águas Lindas, em Ananindeua. Uma das ações é o projeto de educação científica, tecnológica e digital por meio da programação e da robótica educacional sustentável, desenvolvido há mais de três anos. “Usamos material de baixo custo, sucata eletrônica e softwares livres para inserir crianças e adolescentes da periferia no mundo da tecnologia. Na Feira vamos levantar essa discussão de como incluir nesse mundo tecnológico e digital as crianças da periferia, já que as escolas ainda não estão oferecendo um modelo de educação 4.0”, destaca Bruno Ricardo, professor de robótica do Gilead.

Serviço
Mesa Redonda sobre Robótica Educacional
Dia: 24/10
Hora: 16h
Local: Teatro Maria Sylvia Nunes

Participantes:

- Anselmo Costa e Mariana Menezes, Escola Tiradentes I/SEDUC Pará.
- Keila Cattete, Escola Estadual Dilma Cattete/SEDUC Pará.
- Marcos Douglas Gomes, CESUPA/Robomind Pará.
- Bruno Ricardo, professor de robótica do Projeto Social Gileade.

Oficinas de Robótica - Robominds
Oficinas para alunos do ensino fundamental e médio, ministradas pelo professor Marcos Douglas Gomes, CESUPA/Robomind Pará
Dia: 25/10
15h -16h30h – estudantes de 7 a 9 anos.
17h -19h – estudantes de 10 a 17 anos.

Inscrições aqui. Vagas limitadas

Categorias: Notícias

Sectet e UFPA realizam Quinta da Cidadania no bairro Terra Firme

qua, 16/10/2019 - 12:53
16/10/2019

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e a Universidade Federal do Pará (UFPA) realizam a segunda ação da Quinta da Cidadania no próximo dia 17 de outubro, das 9 às 11h30, na sede da Associação dos Moradores Gabriel Pimenta, na Terra Firme, em Belém. A atividade integra o Projeto Meu Endereço: lugar de paz e segurança social, por meio do Programa TerPaz do governo do Estado do Pará.

O objetivo da ação é disponibilizar a assistência técnica em regularização e prevenção de conflitos socioambientais para os moradores do bairro Terra Firme, além de  recolher as demandas locais e articular ações de segurança pública e de cidadania nas áreas de educação, saúde, cultura, meio ambiente, esporte, lazer, entre outras políticas públicas, nos territórios de pacificação.

Durante a atividade, haverá a inscrição dos moradores interessados em participar do curso de supervisor e de agente de cadastramento do projeto, que atuarão na comunidade. Estes inscritos serão selecionados pelo Projeto Meu Endereço e passarão por entrevistas, treinamento e terão direito à bolsa de estudo.  No dia 23 de outubro, entre 14 e 17 horas, na sede da Unidade Integrada Pro-Paz (UIPP), localizada na avenida Dr. Celso Malcher, s/n, da Terra Firme, haverá a inscrição para os cursos de Direito à Cidade, Lideranças Comunitárias e Regularização Fundiária.

A primeira ação da 5ª da Cidadania ocorreu no último dia 10 de outubro, na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Mario Barbosa, localizada na Avenida Perimetral, ao lado da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), em Belém, onde foram atendidas oito famílias, que tiveram as suas demandas recolhidas pelas equipes do Projeto Meu Endereço.
Acolher - Myrian Cardoso, professora da Faculdade de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFPA e coordenadora do Projeto Meu Endereço, informa que a segunda 5ª da Cidadania dará continuidade ao acolhimento de demanda e documentação para assistência técnica em regularização e prevenção de conflitos socioambientais existentes no bairro Terra Firme.  Entre as demandas apresentadas na primeira 5ª da Cidadania estão a solicitação do cheque moradia para investimento estruturante nas edificações, superação dos conflitos vicinais e encaminhamento para a regularização do lote junto às estruturas do governo do Estado.

Durante as atividades na Escola Mario Barbosa, a primeira-dama do Estado do Pará, Daniela Barbalho, e o secretário estadual de Articulação da Cidadania, Ricardo Brisolla Balestreri, visitaram vários projetos do TerPaz, que tem o objetivo maior de proporcionar um ambiente de paz e cidadania aos moradores dos territórios. Myrian Cardoso explicou aos participantes que, após o acolhimento das demandas comunitárias, as equipes interdisciplinares do projeto desenvolverão estudos de reconhecimento das moradias, farão os levantamentos das medidas corretas de cada lote, das casas e identificarão se as construções apresentam riscos estruturantes e de insalubridade.

Expectativas - Morador da Terra Firme, Aledir da Silva Moia reside na Rua da Paz, esquina com a Passagem Ligação Nº1, e trabalha com lanche, sorveteria e comércio em geral. “Fui bem acolhido no projeto. Minha expectativa é buscar um crédito junto ao governo do Estado do Pará para ampliar o meu negócio, que está num terreno de 7,5 metros de frente por 15 de fundos”, afirmou. Por sua vez, Maria de Fátima Silva Lima, casada, mãe de três filhos, residente na Rua Lauro Sodré, 1.042, na Terra Firme, procurou o projeto em busca de recursos para melhorias da sua habitação, que é composta por uma cozinha, área, banheiro, um quarto e uma sala, que divide com a filha. “Somos cinco pessoas na residência. Minha expectativa é conseguir o recurso do cheque moradia para construir um quarto na laje, pois, quando chove, a parte  baixa da casa enche de água”, relatou.

De acordo com Renato Neves, vice-coordenador do projeto e engenheiro pesquisador do Instituto de Tecnologia da UFPA, depois de acolhidas e sistematizadas as demandas da comunidade, cada família receberá uma guia de encaminhamento direcionando para uma secretaria estadual, instituto ou uma companhia do governo do Pará, que tem a competência pública de responder pela solução da demanda das famílias. “O Kit Meu endereço, que disponibilizaremos para comunidade, é composto de uma planta de localização do imóvel, planta de limite de lote, laudo de condições socioambientais da moradia e um laudo de avaliação do imóvel”, assinala o pesquisador.

Foco - Renato enfatiza que o foco do Projeto Meu Endereço é acolher as demandas da comunidade e orientar as famílias na busca por seus direitos à moradia, debater os caminhos para a construção de uma convivência social sustentável no bairro e tornar o planejamento urbano da cidade mais inclusivo e cidadão. “O nosso foco não é entregar o título de propriedade da moradia aos moradores e nem o cheque moradia. Junto com a Sectet construiremos as condições objetivas para garantir aos moradores a assistência técnica para obter a planta de localização e das medidas do lote, o parecer das condições de habitabilidade e orientar os moradores para auxiliar na regularização e prevenção de conflitos socioambientais. Para isso, as equipes da UFPA são compostas por engenheiros, administradores, arquitetos, assistentes sociais, advogados e outros profissionais para orientar sobre a resolução de conflitos socioambientais nos territórios”, enfatiza o pesquisador.

O Programa TerPaz tem como meta beneficiar cerca de 370 mil pessoas diretamente, em especial as vítimas da criminalidade, mulheres em situação de risco e jovens de 15 a 29 anos nos bairros Terra Firme, Guamá, Jurunas, Benguí e Cabanagem, em Belém; Icuí, em Ananindeua; e Nova União, em Marituba, localidades que integram o Programa Territórios pela Paz, do governo do Estado do Pará.  O TerPaz é um esforço do governo do Estado do Pará e de 27 secretarias, de órgãos públicos e da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) para a redução da vulnerabilidade social e para o enfrentamento das dinâmicas da violência urbana.

Serviço:
Quinta da Cidadania
Data: dia 17 de outubro de 2019
Horário: das 9 às 11h30 
Local: Sede da Associação dos Moradores Gabriel Pimenta, localizada na Passagem Souza, nº 12 – Terra Firme

Texto e fotos: Kid Reis - Ascom-CRF/UFPA

Categorias: Notícias

Páginas