• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 2 horas 20 minutos atrás

Governo assina contrato para gestão sustentável da biodiversidade no Pará

qui, 05/04/2018 - 13:44
Informações: 

A consolidação de um modelo de desenvolvimento sustentável, ancorado pelo conhecimento, pela produção e por novas formas de gestão e governança, é o principal desafio do Pará no intuito de superar a pobreza e a desigualdade. Para isso, na noite desta quinta-feira (14), mais um passo foi dado: o Governo do Pará, por intermédio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) assinou, no Hangar, contrato de gestão com a Associação BioTec-Amazônia, selecionada, por meio do edital de chamamento público, para gerir o programa paraense de incentivo ao uso sustentável da biodiversidade amazônica, conhecido como BioPará.

O programa é uma ferramenta norteadora à elaboração de políticas públicas que possibilitem a agregação de valor às cadeias produtivas da biodiversidade estadual e regional, por meio de pesquisa e desenvolvimento e de prospecção de negócios inovadores no setor. Considera-se “gestão do BioPará” um sistema inteligente de governança voltado ao estímulo e apoio ao planejamento e desenvolvimento de uma economia dinâmica fundada no uso sustentável da biodiversidade, com a devida e adequada base científica e tecnológica.

Em consonância, a BioTec-Amzônia foi constituída em 2016 com o objetivo de promover o uso sustentável da biodiversidade amazônica, em especial do estado do Pará, para fins de desenvolvimento econômico e social, bem como difundir o conhecimento e prestar informações e serviços nas áreas de Biodiversidade, biotecnologia e bionegócios. Essas áreas são consideradas prioritárias, mas não exclusivas, de atuação da Organização Social.

O diretor presidente da Organização Social, José Seixas Lourenço, explicou que a ideia é garantir o desenvolvimento sustentável com qualidade de vida para a população. “Queremos transformar essa imensa riqueza da nossa biodiversidade em produtos, processos, patentes, de tal maneira que se possa gerar emprego e renda a partir disso”, destacou.

Os objetivos estratégicos da BioTec-Amazônia envolvem, entre outros, a implantação de ambiente de trabalho promotor de criatividade e formação de parcerias com foco no empreendedorismo inovador, contribuindo para o fortalecimento das políticas públicas inerentes à inovação no âmbito da cadeia da biodiversidade; prospecção e atração de novos negócios relacionados à área.

Além disso, a Organização Social pretende dar suporte à criação e fortalecimento de polos de conhecimento e ambientes de inovação nas regiões de integração do Estado; apoio a órgãos estaduais da área da produção, em articulação com entidades empresariais, na implantação de políticas públicas e na promoção de um ambiente de inovação no Pará, com vistas ao adensamento e verticalização das cadeias produtivas voltadas ao aproveitamento da biodiversidade paraense, com foco na desconcentração e diversificação dos investimentos produtivos.

O titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, considera que a assinatura do contrato com a BioTec-Amzônia significa uma inovação na forma de gestão e governança de uma das mais importantes políticas públicas formuladas em favor do desenvolvimento sustentável do estado. “O Pará está iniciando uma trajetória voltada à consolidação progressiva da cadeia da biodiversidade, de uma bioeconomia que nós não temos, de forma que possamos transformar nossa flora e nossa fauna por meio de pesquisa e desenvolvimento, em produtos inovadores, como fármacos, fitoterápicos, cosméticos, entre outros, em rendimento e emprego”.

Ele ressaltou ainda as vantagens de se ter uma Organização Social gerindo o Programa. “Ao qualificarmos uma organização social de direito privado para cumprir uma função pública de um programa tão importante quanto o BioPará, que visa uma economia do conhecimento voltada para a biodiversidade, estamos colocando, no cenário paraense, uma instituição que tenha flexibilidade, expertise e a capacidade de articular todos os atores e competência de fazer prospecção de negócios”.

Para o presidente da Fiepa, José Conrado Santos, que acompanhou a cerimônia, o evento se traduziu como o acontecimento mais importante do ano. “Tenho certeza que foi uma das melhores notícias que escutamos em 2017 porque este cenário de gestão e governança é perfeito e vem integrar as nossas relações, é uma maneira que podemos mostrar ao empresariado a responsabilidade que se tem de agregar valor a nossas potencialidades”, comemorou.

Também estiveram presentes, durante a assinatura do contrato, o presidente da Empresa Brasileira de Pesquisas Industriais (Embrapii), Jorge Guimarães, e o representante do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Márcio Miranda Santos, que fazem parte do Conselho Administrativo da Organização Social, além de servidores públicos, pesquisadores, empresários, representantes das universidades e de órgãos públicos.

Por Fernanda Graim

Categorias: Notícias

Edital que seleciona projetos de tecnologias sociais é prorrogado

qui, 05/04/2018 - 13:37
Informações: 

O edital que seleciona projetos de tecnologias sociais no Pará foi prorrogado, até o dia 30 de dezembro, pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). O chamamento público 006/2017 vai eleger propostas de organizações da sociedade civil e/ou instituições de ensino, pesquisa e extensão, com atuação no Estado, interessadas em celebrar termo de repasse de recurso com o Governo do Pará, com o objetivo de executar projetos de Tecnologias Sociais voltados à melhoria da qualidade de vida das populações vulneráveis.

Com isso, a secretaria pretende colocar em prática as ações do Programa TecSocial, o qual coordena. O Programa considera como “Tecnologias Sociais” os produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis voltados ao uso comunitário, com vistas a promover a inclusão social e a melhoria da qualidade de vida de seus usuários.

O edital prorrogado salienta sete formas específicas dessas tecnologias: aquelas voltadas à captação, tratamento e distribuição de água para uso doméstico; tecnologias de saneamento básico; tecnologias sociais de manejo dos resíduos sólidos; tecnologias sociais voltadas à cadeia produtiva da biodiversidade; aquelas voltadas à pesca artesanal; além de softwares livres e tecnologias adequadas à gestão de pequenos empreendimentos; e outras que impulsionem o desenvolvimento socioeconômico do estado do Pará.

As propostas das organizações/instituições devem apresentar soluções efetivas aos gargalos identificados, gerando a transformação da realidade local; além de incluir os atores sociais locais na maior parte das etapas do projeto. A Tecnologia Social deve gerar, ainda, um padrão de uso que possa ser reaplicado em outras comunidades e ser social, econômica e ambientalmente sustentável.

Serão utilizados recursos do Governo do Pará, por meio da Sectet, oriundos do Tesouro Estadual, ou de outras fontes, captados em parceria, no valor global de até R$ 150 mil reais por projeto selecionado.

Os interessados devem enviar as propostas para editalts@sectet.pa.gov.br, juntamente com os documentos solicitados neste edital.

 

Categorias: Notícias

Fórum de Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Pará assina Protocolo de Intenções com a Sectet

qui, 05/04/2018 - 13:33
Informações: 

Representantes do Fórum de Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Pará assinaram, nesta segunda-feira, dia 11 de dezembro, o Protocolo de Intenções que propõe parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), na Coordenação de Ações para o Desenvolvimento da Ciência e da Tecnologia no Estado, e da transferência de conhecimento de ponta para diversos setores da sociedade. Durante a reunião, realizada no prédio da Reitoria da UFPA, em Belém, o titular da Sectet, Alex Fiúza de Melo, também apresentou a resolução que cria a Bolsa de Estímulo à Inovação, destinada a pesquisadores que já trabalham nas instituições públicas ou privadas.

“Nós assinamos um importante instrumento, que é o Protocolo de Intenções, com o objetivo de alinhar a Sectet às instituições do Fórum para o enfrentamento do grande desafio que é o desenvolvimento sustentável do Pará, que supõe a constituição de sistemas de inovação nas várias regiões do Estado, os quais verticalizam as nossas cadeias produtivas estratégicas, gerando emprego, renda, inclusão social e melhor qualidade de vida à população”, pontuou o secretário Alex Fiúza.

O documento, que formaliza um Acordo de Cooperação com a Sectet, foi assinado pelos representantes das onze instituições de ensino e pesquisa do Pará que integram o Fórum: UFPA, UFRA, IFPA, Cesupa, Unama, UEPA, Embrapa, MPEG, IEC, UFOPA e Unifesspa. De acordo com o reitor da UFPA e vice-presidente do Fórum, Emmanuel Tourinho, o Protocolo é resultado da interação dos reitores e dirigentes das instituições de pesquisa no Pará e destes com o poder público.

“É uma iniciativa que vai gerar condições mais favoráveis ao desenvovimento da pesquisa e da inovação no nosso Estado. Vai contribuir para que as nossas instituições se aproximem daqueles setores que precisam usar o conhecimento aqui produzido para alavancar as suas atuações na sociedade”, afirmou o reitor da UFPA.

O presidente do Fórum e vice-reitor do Cesupa, Sérgio Mendes, fez um balanço positivo dos trabalhos, que se encerram com a assinatura do Protocolo de Intenções, como sendo um acordo importante para os próximos anos. Para ele, é um documento indutor, que sinaliza para o futuro as possibilidades de construção de um outro patamar de desenvolvimento para o Estado.

“Eu creio que, com a capacidade instalada nas Academias, com o vigor que têm os Institutos de Pesquisa e com o papel fundamental de orquestração do governo do Estado, por meio da Sectet, nós avançaremos muito. Não podemos mais contemplar, isso é certo e consensuado, que as nossas riquezas sejam levadas para outros lugares e lá se transformem em mais riquezas. Nós temos condições de verticalizar essa produção, temos competência instalada para fazê-la, e esta sinergia, sintetizada neste documento, nos ajudará a apontar caminhos que não conhecemos totalmente hoje, mas nos ajudará da melhor maneira”, disse o presidente do Fórum.

A próxima reunião do Fórum está agendada para o dia 26 de fevereiro, no Cesupa, às 9h30. Para o primeiro encontro do ano de 2018, será convidado o diretor presidente da Fapespa, Eduardo Costa. O objetivo será discutir propostas de apoio às ações institucionais para as áreas de ensino e de pesquisa.

Texto: Ericka Pinto – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre de Moraes

Categorias: Notícias

Governo assina protocolo de intenções com instituições de ensino e pesquisa

qui, 05/04/2018 - 13:31
Informações: 

Na manhã desta segunda-feira (11), o titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Alex Fiúza de Mello, esteve presente em mais uma reunião do Fórum das Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Pará, realizada na reitoria da Universidade Federal do Pará (UFPA). Na oportunidade, foi assinado um protocolo de intenções entre o Governo do Pará, por meio da Sectet, e as instituições que participam do Fórum, no intuito de facilitar a cooperação e formalização de associação interinstitucional, visando estimular e apoiar, por meio do uso do conhecimento científico e tecnológico, o desenvolvimento das cadeias produtivas consideradas estratégicas ao desenvolvimento do estado do Pará.

Fiúza de Mello explicou que a ideia é materializar uma política de ciência e tecnologia que dê uma resposta à Lei de apoio à Inovação, instituída em novembro de 2016, a qual se traduz como base institucional para a realização do Programa Inova Pará, coordenado pela Sectet. O secretário ressaltou que a assinatura do documento compromete, por princípio, as instituições e enfatizou a importância da continuidade das ações. “A ideia é criar políticas de Estado e não de Governo, pois o

primeiro passa e o outro fica. "As ações de política e tecnologia são de longo prazo, precisam permanecer”.

O titular da Sectet acredita que a assinatura do protocolo de intenções facilita as ações do Inova Pará, contribuindo, assim, para a minimização das assimetrias regionais, o fortalecimento da capacitação de recursos humanos, a melhor certificação dos principais produtos gerados pela economia local/regional e o estabelecimento de uma economia baseada na inovação. “Não podemos verticalizar a economia, nem inovar, se não tivermos base científica e tecnológica para isso”, concluiu.

Dessa forma, caberá às instituições envolvidas incentivar e implementar ações conjuntas, convergindo esforços e mobilizando suas unidades, agentes e serviços, bem como outras entidades parceiras que assim o desejarem, sejam elas públicas ou privadas, com vistas à consecução do Protocolo. O documento tem a vigência de cinco anos e não contempla repasse de recursos financeiros entre os partícipes.

Para o atual presidente do Fórum e vice-reitor do Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa), Sérgio Mendes, a assinatura do protocolo é um acontecimento histórico. Recorrendo à Teoria dos Sistemas, no campo das Ciências Sociais, Mendes falou da expectativa provocada pelo momento. “Diferentes sistemas que compõem a sociedade (político, econômico e educacional) estão presentes aqui, por isso o nosso desafio é que tais sistemas interajam de forma virtuosa, gerando bons resultados”, explicou.

Além do Cesupa, ainda fazem parte do Fórum das Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Pará: a Universidade Federal do Pará (UFPA), a Universidade do Estado do Pará (Uepa), a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária/Centro de Pesquisa Agroflorestal da Amazônia Oriental (Embrapa/CPATU), o Instituto Evandro Chagas (IEC) e a Universidade da Amazônia (Unama). Também estiveram presentes à assinatura, servidores da Sectet, representantes da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá) e da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa).

Bolsa de Estímulo à Inovação

Durante a reunião, o titular da Sectet ainda assinou a Resolução que regulamenta a concessão e a gestão da Bolsa de Estímulo à Inovação (BEI), prevista no inciso I, do artigo 12, da Lei nº 8.426 (Lei de apoio à Inovação. A resolução foi aprovada, por unanimidade, em reunião extraordinária no dia 1 de dezembro, pelo Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Consectet).

A Bolsa de Estímulo à Inovação (BEI) se destina a projetos e/ou ações voltados ao fomento e desenvolvimento de ambientes de inovação, em afinidade com os planos de verticalização das cadeias produtivas estratégicas paraenses, no tocante ao que versa o Programa Inova Pará. A BEI se mostra como um instrumento de gestão novo e flexível. Dessa forma, a bolsa será concedida ao pesquisador público ou prestador de serviço de Instituição Científica e Tecnológica (ICT), sediada no Pará, que tenha qualificação e disponibilidade compatíveis às atividades previstas como objeto da referida bolsa.

Por Fernanda Graim

Categorias: Notícias

Concluintes de cursos do Pará Profissional recebem certificação em Belém

qua, 04/04/2018 - 16:43
Informações: 

“Eu ajudava a minha avó, que cultiva e vende plantas por um valor simbólico, então resolvi fazer o curso para conhecer mais sobre a parte técnica. Agora eu vou produzir plantas melhores, em uma escala maior, e pretendo trabalhar com paisagismo”. O depoimento e os planos são do técnico em Administração Gleysson Rodrigues, que como muitos precisou enfrentar o desemprego em tempos de crise. Após a conclusão do curso de “Produção de flores de corte, flores de vaso e plantas ornamentais”, ele já planeja se juntar a alguns colegas de sala e montar o próprio negócio. Além da turma de Gleysson, os alunos dos cursos de “Agricultura orgânica” e “Processamento de frutas” também receberam os certificados de conclusão de curso na manhã desta quarta-feira (6), no auditório da Casa Civil, em Belém.

Os cursos de qualificação foram realizados pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e pelo Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), por meio do Programa Pará Profissional, executado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural no Pará (Emater) e Fundo Ver-o-Sol, da Prefeitura de Belém.

Ao todo, 64 pessoas foram certificadas. Na ocasião, a continuidade da parceria foi garantida pela assinatura, entre Sectet e NAC, do Termo de Execução Descentralizada, tendo como objeto a transferência de crédito orçamentário para viabilizar a oferta de cursos de qualificação profissional e tecnológica em nível de formação inicial, no sentido promover ações de qualificação de trabalhadores de Organizações da Sociedade Civil (OSC) para inserção no mercado de trabalho.

Na oportunidade, o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, explicou que, dessa forma, o Programa Pará Profissional consegue atender às diretrizes da política de geração de emprego e renda do Estado, para o combate à pobreza. “O NAC é um núcleo voltado para a inclusão social e cidadania daquela parcela da população considerada mais vulnerável, e o Pará Profissional veio para atender as necessidades de um dos principais programas do governo, o Pará Social e, no âmbito do setor produtivo, ele cobre todas as demandas de formação. Por isso é importante que ele seja assimilado não como um programa da Sectet, mas como um instrumento de que os outros órgãos podem se utilizar, assim como a própria sociedade”, enfatizou.

A diretora geral do NAC, Daniele Khayat, comemorou a continuidade da parceria e destacou a vantagem que a flexibilidade na contratação de instrutores, possibilitada pelo Pará Profissional e instituída na Lei que rege o Programa, oferece. “Podemos atender melhor as necessidades do mercado paraense. O NAC tem uma responsabilidade de articulação nos três setores e a criação do Pará Profissional nos ajudou a melhorar a relação com a sociedade e com esses três setores. Conseguimos alcançar, por meio do Programa, muito mais pessoas por causa da flexibilidade na contratação de instrutores específicos para qualificação de mão de obra."

Outra novidade divulgada foi a de que os concluintes dos cursos passam a fezer parte do banco de cadastro do Portal do Trabalhador da Prefeitura de Belém. “Estamos com uma expectativa muito grande, porque as empresas reclamam da falta de mão de obra qualificada, e essa parceria vai aumentar o banco de cadastro com candidatos que já possuem essa qualificação profissional que o mercado está exigindo”, comemorou o representante do portal, Carlos Magno Filho.

Pará Profissional - O Programa, amparado pela Lei no. 8.427, de 16 de novembro de 2016, é um dos instrumentos de combate à desigualdade por meio da qualificação profissional da mão de obra local. Ele é executado de maneira a atender as demandas condizentes com as necessidades das cadeias produtivas de cada município ou região, o que o torna mais eficaz no sentido da geração de emprego e renda à população. Os resultados do Programa Pará Profissional, do final de 2016 até o presente momento, apontam para a certificação de cerca de 1.500 pessoas.

Por Fernanda Graim

Categorias: Notícias

Sectet leva estudantes e professores à fábrica de chocolate

qua, 04/04/2018 - 16:41
Informações: 

Um grupo de estudantes e professores dos cursos de Engenharia Agronômica, do campus de Altamira da Universidade Federal do Pará (UFPA), e do curso técnico em Administração do Instituto Federal do Pará (IFPA) visitaram nesta quarta-feira (06) a fábrica de chocolate da empresa Cacauway, localizada no município de Medicilândia, no oeste paraense. A atividade integra a “Semana do empreendedorismo inovador para a cadeia produtiva do cacau”, uma iniciativa da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) para disseminar a cultura do empreendedorismo, da tecnologia e da inovação na Região de Integração do Xingu.

A Cacauway surgiu em 2010, a partir da união de agricultores familiares, e hoje desponta como uma das mais importantes fábricas de chocolate da Região Norte. A empresa utiliza dos frutos às folhas do cacaueiro, produzindo amêndoa torrada “in natura”, chocolate em pó, barras, trufas, licores, geleias e peças artesanais. Os visitantes conheceram as etapas da linha de fabricação e participaram da degustação de produtos da empresa.

“É a primeira vez que venho à fábrica e fiquei muito feliz em saber os detalhes da fabricação dos chocolates. É gratificante saber que, na nossa região, temos produtos de boa qualidade, com grande potencial para ganhar mercados internacionais”, disse a estudante Mauricéia Medeiros, da UFPA.

Incubadora - A “Semana do empreendedorismo inovador” celebra o início da implantação da Incubadora de Empresas do Xingu, que será instalada no campus de Altamira da UFPA. “Os estudantes que hoje visitaram a fábrica são fundamentais no projeto da incubadora, pois serão os bolsistas das empresas incubadas e os futuros empresários da região”, afirmou o professor Rainério da Silva, do curso de Engenharia Agronômica.

À tarde, o evento continuou com a oficina sobre os processos para incubar uma empresa, ministrada pelo especialista e técnico da Sectet Wander Oliveira, seguida por depoimentos dos parceiros e participantes da semana sobre a futura incubadora do Xingu. “Sempre houve um sonho de industrializar o cacau aqui na região. A incubadora é um mecanismo interessante na concretização desse anseio, pois fará com que pequenos produtores produzam produtos diferenciados no mercado”, informou Alino Bis, assessor técnico da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).

Resultados - A secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez, avaliou de forma positiva os resultados obtidos no evento para a implantação da incubadora. “O sucesso de uma incubadora está nas parcerias e no trabalho em rede. Esse evento é fundamental para dar início a tudo isso. A incubadora será um importante mecanismo para agregar a cultura da inovação à cadeia produtiva do cacau, que já possui iniciativas brilhantes, mas sem apoio técnico, científico e governamental para alavancar esses projetos e melhorar o cenário da indústria cacaueira na região”, ressaltou a secretária.

O evento contou com o patrocínio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e o apoio do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS-X), do Sindicato dos Produtores Rurais de Altamira (Siralta); da Ceplac; da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater); da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap); da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade Federal do Pará (Universitec-UFPA).

Por Igor de Souza

Categorias: Notícias

Seminário celebra início da implantação da Incubadora de Empresas do Xingu

qua, 04/04/2018 - 16:38
Informações: 

Mais de 94% da produção de cacau no Pará está localizada na região do Xingu. Os municípios de Medicilândia, Uruará, Placas e Altamira são os maiores produtores. Porém, a região ainda concentra seus esforços apenas na produção e exportação das amêndoas do cacau, com pouco estímulo à agregação de valor e à inovação na cadeia produtiva. Para tentar mudar esse cenário, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) organizou a “Semana do empreendedorismo inovador para a cadeia produtiva do cacau”, que ocorre até amanhã, 6, na sede do Sindicato dos Produtores Rurais de Altamira (Siralta).

O evento, que reúne estudantes, empresários, agricultores e gestores públicos, celebra o início da implantação da Incubadora de Empresas do Xingu, que será instalada no Campus de Altamira da Universidade Federal do Pará (UFPA). O projeto é uma idealização da Sectet e conta com a parceria do Fundo de Apoio à Cacauicultura do Pará (Funcacau), da UFPA e do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX).

“Queremos sensibilizar a sociedade sobre a importância do empreendedorismo inovador e da Incubadora, que tem o objetivo de alavancar ideias inovadoras e contribuir, substancialmente, para alavancar a cadeia produtiva regional, particularmente a do cacau. A sua implantação vai ao encontro da criação de ambientes regionais de inovação pelo Pará, que é a principal meta do Programa Inova Pará, da Sectet, para estimular a agregação de valor nas cadeias produtivas estratégicas do Estado”, explica a secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez.

A ideia de uma incubadora é a de estimular a criação e o desenvolvimento de micro e pequenas empresas industriais ou de prestação de serviços por meio da formação complementar do empreendedor em seus aspectos técnicos e gerenciais, além de facilitar e agilizar o processo de inovação tecnológica.

A Incubadora do Xingu terá seis módulos voltados para empresas residentes, que serão selecionadas via chamada pública. Outras empresas não residentes podem usufruir dos espaços compartilhados da Incubadora e ter acesso à capacitação sobre aspectos administrativos, financeiros e jurídicos do mundo empresarial e acesso a laboratórios e bibliotecas.

Programação - O evento iniciou com a apresentação sobre o cenário da cadeia produtiva do cacau na região do Xingu, feita pelo coordenador regional da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Paulo Henrique Fernandes dos Santos. “A indústria cacaueira é uma atividade bastante rentável no estado e possui valores de sustentabilidade muito grande, porém, os produtores ainda estão usando esse apelo a seu favor”, afirma o coordenador.

Um dos participantes do evento, o empresário Hélido Trevisan, de 68 anos, iniciou suas atividades agrícolas aos 18 anos, quando não havia a preocupação com práticas sustentáveis como hoje. “Fiz o reflorestamento do meu sítio para ser bem visto no mercado, que exige esse tipo de iniciativa. Acredito que a implantação da Incubadora fará com que busquemos sempre o melhor para o mercado e para o consumidor, e ela certamente ajudará a sustentar ideias que se perdem pelo caminho pela falta de conhecimento dos empresários”, espera Hélido.

A programação do evento no primeiro dia contou, ainda, com palestras sobre certificação UTZ, sobre as linhas de crédito para agricultores, apresentadas pelo superintendente regional do Banco da Amazônia, Edson Ribeiro, sobre casos de empresas incubadas, além de oficinas sobre empreendedorismo de impacto e processo de formação de startups.

Nesta quarta-feira, 6, a programação continua com uma visita à fábrica da Cacauway e com uma oficina sobre os processos de incubação de empresas. O evento conta com o patrocínio do Sebrae-Pa e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar); e com o apoio do PDRSX, do Siralta, da Ceplac, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará), da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e da Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec-UFPA). Para conferir a programação completa do evento, acesse: www.sectet.pa.gov.br.

Por Igor de Souza

 

Categorias: Notícias

Edital garante R$ 1 milhão para pesquisas em Tecnologia Assistiva

qua, 04/04/2018 - 16:34
Informações: 

Nesta quarta-feira, 6, a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) publica o edital para Apoio ao Desenvolvimento de Tecnologias Assistivas, que visa contribuir para a pesquisa científica de produtos, metodologias, estratégias, práticas, serviços e ações que elevem a autonomia, independência, qualidade de vida e a inclusão social de pessoas com deficiência, com mobilidade reduzida ou de idosos.

No valor total de R$ 1 milhão, a chamada tem parceria do Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), por meio do Plano Estadual de Ações Integradas à Pessoa com Deficiência – Existir. Tecnologia Assistiva é o termo utilizado para identificar recursos e serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e, consequentemente, promover uma vida mais independente e com inclusão.

O lançamento do investimento foi realizado na tarde desta terça-feira, 5, no auditório da Casa Civil, e contou com a presença da primeira-dama do Estado, Ana Jatene. “Esse edital da Fapespa é resultado da I Feira Existir, no ano passado, na qual o governador Simão Jatene, visitando os estandes, viu a necessidade de um edital para incentivar as pesquisas nessa área. Esse é o papel do Plano Existir e de toda a sociedade, ou seja, trabalhar para que aconteçam as políticas para a pessoa com deficiência. As leis existem, mas nós precisamos que elas não caiam no esquecimento. E que cada vez mais a sociedade se empodere disso”, disse Ana Jatene.

Também estiveram presentes o titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Alex Fiúza de Melo, e a presidente da Companhia de Habitação do Pará, Lene Farinha. Durante o lançamento, a diretora geral do NAC, Daniele Khayat, falou da importância da parceria e do valor destinado para a pesquisa. “O edital estimula a sociedade, como um todo, a pensar melhorias para as pessoas com deficiência; conseguir enxergar o próximo nas suas dificuldades e propor melhorias; estimular a criar alguma coisas nova, afinal acessibilidade também é inclusão social”. De acordo com o Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Pará possui 1.791.299 pessoas com ao menos uma deficiência, o que representa 23,63% de sua população total.

O NAC tem por finalidade articular e estimular parceria entre os três setores da sociedade civil, visando o desenvolvimento de ações integradas de combate às desigualdades sociais baseadas na responsabilidade social e voluntariado. Além disso, é responsável por administrar o Plano Existir, que garante ações a partir dos eixos saúde, educação, acessibilidade e inclusão social, para a promoção dos direitos fundamentais da pessoa com deficiência. São integrantes do Comitê Gestor do Plano Existir 18 órgãos públicos estaduais.

O grupo Movimento pela Inclusão do Marajó (MIM) participou do evento. Formado em 2015 pela professora pública da educação especial Edivana Vieira, hoje a organização social reúne 20 integrantes que realizam ações em prol de pessoas com deficiência em cinco cidades do arquipélago do Marajó. “Nós fazemos visitas familiares, oferecemos palestras para pais, alunos e servidores públicos sobre a Lei Brasileira de Acessibilidade, além de ajudarmos na doação de cadeiras de rodas. Em dois anos de atuação já beneficiamos cerca de 500 pessoas diretamente e ficamos muito felizes em saber que novas políticas estão surgindo para beneficiar esse grupo de pessoas tão excluído”, relatou a professora.

Baseada em sua função de apoiar a realização de estudos, programas, projetos e outras atividades que tenham por objeto a criação, aperfeiçoamento e a consolidação do processo de desenvolvimento científico e tecnológico, esse é o segundo edital destinado para pesquisas em tecnologias assistivas da Fapespa. Em 2013, a Fundação já havia investido no mesmo segmento.

“A participação é franqueada à pesquisadores de instituições de ensino superior do Estado do Pará que tenham projetos de pesquisa relacionados com a temática. Os recursos serão aplicados durante 24 meses. Vamos incentivar a produção de conhecimento, a pesquisa, o desenvolvimento e, em seguida, o Plano Existir pode se apropriar desses conhecimentos gerais e apoiar iniciativas inovadoras. Quando você gera uma tecnologia Assistiva que melhora a qualidade de vida, gera também cidadania e inclui uma parcela da população que normalmente é excluída da sociedade”, explicou o presidente da Fapespa, Eduardo Costa.

O presidente ressalta, ainda, que a equipe da Fapespa está disponível para orientar os pesquisadores quanto às submissões de projetos, que devem ser feitas em até 45 dias. Mais detalhes sobre o edital para Apoio ao Desenvolvimento de Tecnologias Assistivas nos sites www.fapespa.pa.gov.br ou www.nac.pa.gov.br.

Por Erika Torres

Categorias: Notícias

Governo marca presença na feira Pará Negócios 2017

qua, 04/04/2018 - 16:30
Informações: 

Teve início na noite da última quinta-feira (30), a 6ª edição da Pará Negócios, feira multissetorial promovida pela Associação Comercial do Pará (ACP), que em 2017 trouxe o tema “Avançar para Crescer”. Entre os dias 30 de novembro e 3 de dezembro, o Governo do Pará - patrocinador oficial - estará presente no evento que tem por objetivo integrar empresas da região Norte em um intercâmbio de negócios e de tendências de mercado em níveis nacional e internacional.

O governador em exercício, Zequinha Marinho participou do evento e compartilhou com os presentes o interesse do governo do Estado em incentivar o empreendedorismo e dar condições para aqueles que queiram montar seu próprio negócio. “Aqui temos cerca de duzentos estandes das mais diversas atividades empresariais e um lugar também para se inspirar. A gente tem na atividade empresarial nossa principal fonte de renda, desenvolvimento e geração de emprego, e com a economia ainda um pouco fragilizada pela crise, ter uma feira como essa representa levar uma palavra de ânimo para a sociedade”, disse Marinho.

Em um dos estandes que reúne instituições públicas como a Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec); Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e Secretaria de Estado de Turismo (Setur), foram lançados dois produtos de grande importância para o desenvolvimento econômico do Estado: o site InvestPará, pela Codec, e o Desafio Inovatur, pela Setur em parceria com Sectet, PCT Guamá e Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec).

Para Olavo das Neves, presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), o evento Pará Negócios está consolidado e congrega empresários de todos os portes e tamanhos. O gestor acredita que dentro desse contexto o Estado não poderia ficar de fora, com toda a sua estrutura, dando apoio em especial ao micro e pequeno empreendedor, que está gerando emprego e renda. “Nós, da Companhia de Desenvolvimento Econômico, aproveitamos esse cenário para fazer alguns lançamentos e uma prestação de contas também desse trabalho”, explica.

Também se fez presente a secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Henriquez, que considera fundamental a presença do Estado numa feira de negócios como a Pará Negócios. Para ela, o desenvolvimento seria um somatório de vários esforços. “O setor público é muito importante para articular, mas quem faz mesmo o empreendedorismo é o setor privado. Essa junção do setor público entendendo as demandas do setor privado, e o setor privado procurando se aliar às diretrizes do governo, é uma mistura muito boa”, conclui.

O estande do governo concentra as seguintes instituições: Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec); Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet); Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá); Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa); Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme); Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará); Secretaria de Estado de Turismo (Setur); Banco do Estado do Pará (Banpará) e Pará 2030, plano estratégico de desenvolvimento sustentável do Estado.

A feira Pará Negócios tem o apoio do Conselho de Jovens Empresários (Conjove), Conselho da Mulher Empresária (CME) e do Conselho das Câmaras Setoriais da ACP. A programação é composta por palestras, workshops, mesas redondas, venda de produtos, vitrine de negócios, apresentações culturais e Natal Encantado. De acordo com a organização, são esperados 30 mil visitantes nos quatro dias de evento, que deve reunir 200 expositores. A perspectiva é capacitar 3.500 profissionais, além de gerar 306 empregos diretos e 1.500 indiretos.

No espaço do Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC) estão expostos trabalhos desenvolvidos por meio dos projetos do órgão como o 'Família e Cidadania', 'Cultivando Flores e Vidas', 'Mulheres de Luz', 'Natal D'Água', 'Livro Solidário', 'Utinga Sustentável', 'Cozinha Sustentável' e 'Desafios do Terceiro Setor'.

Os órgãos agregados em torno do Plano Estadual de Ações Integradas à Pessoa com Deficiência (Existir) também estarão presentes, além dos já tradicionais parceiros do NAC, como a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Imprensa Oficial do Estado do Pará (IOE), Fundação Cultural do Pará (FCP), Fundação de Atendimento Socioedutivo do Pará (Fasepa) e Fabrica Esperança.

Serviço: Pará Negócios – Avançar para Crescer

De 30 de novembro a 03 de dezembro

Local: Hangar/Feira Pará Negócios

Inscrições: www.paranegocios.com.br

Por Helena Saria

Categorias: Notícias

Governo do Pará lança “Desafio InovaTur 2018”

qua, 04/04/2018 - 16:26
Informações: 

A importância de colocar o Pará como um dos principais destinos dentro do cenário nacional e internacional de turismo foi a pauta que permeou o lançamento do Desafio InovaTur 2018, realizado na noite de quinta-feira (30), no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, durante a programação da 6ª edição da Feira Pará Negócios. O desafio tem o objetivo de buscar soluções tecnológicas inovadoras para o desenvolvimento de projetos direcionados à promoção do estado do Pará enquanto destino turístico.

A competição é organizada pelo Governo do Pará, por meio das Secretarias de Estado de Turismo (Setur) e de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), em parceria com o Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá e a Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec).

Durante a cerimônia de lançamento, o titular da Setur, Adenauer Góes, contou que a ideia do Desafio surgiu após uma reunião com representantes do Governo do Pará, na qual se discutia a necessidade de inovação dentro das cadeias estratégicas do Estado, sendo o turismo uma delas. “A gente fala muito que o Pará tem potencialidade, mas o desafio do turismo como atividade econômica é ainda muito grande no Brasil e, lógico, que as dimensões aumentam bastante quando se pensa em Amazônia, porque o nosso modelo é extrativista culturalmente, ainda hoje é o que predomina. Por isso o Pará é riquíssimo, mas não temos o retorno, na mesma proporção, do ponto de vista da geração de emprego e renda. Dessa forma o turismo é sim uma alternativa econômica para o Estado”, enfatizou o secretário.

Assim, a ideia de premiar soluções inovadoras que alavanquem o turismo paraense converge com o Programa Inova Pará, coordenado pela Sectet, que abraçou a causa. “O Inova Pará possui a ideia de levar a inovação às cadeias produtivas estratégicas do Estado para que este avance no seu crescimento e, até 2030, possa se equiparar à média do desenvolvimento nacional. É um desafio muito grande e para isso ciência, tecnologia e inovação são imprescindíveis. Como o turismo é uma dessas cadeias estratégicas, a intenção do InovaTur é chamar os talentos que procurem aliar o conhecimento à inovação, queremos colocar em evidência as ideias inovadoras cujo o objetivo principal é alavancar o turismo no Pará”, explicou a adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez.

A competição será aberta a estudantes, profissionais, entusiastas ou qualquer pessoa com interesse nos temas “empreendedorismo e inovação”, com talento para o desenvolvimento de soluções inovadoras que impulsionem o Pará enquanto destino turístico, além de aumentar o alcance promocional dos produtos e regiões turísticas do Estado aos níveis regional, nacional e internacional; buscar novos modelos e soluções para a gestão do turismo no Estado; e promover o empreendedorismo na área.

O Desafio InovaTur premiará as três melhores propostas, sendo o prêmio no valor de R$ 10.000,00 para o primeiro colocado; R$ 5.000,00 para o segundo; e R$ 3.000,00 para o terceiro lugar. As propostas premiadas ainda receberão três meses de hospedagem no Espaço de Coworking do PCT Guamá, com apoio e orientações para amadurecer as ideias.

Serviço: As inscrições para o Desafio InovaTur 2018 são gratuitas e podem ser feitas, entre 4 de dezembro de 2017 e 22 de janeiro de 2018, nos sites dos seus realizadores: www.setur.pa.gov.br
www.sectet.pa.gov.br
www.universitec.ufpa.br
ww.pctguama.org.br

Por Fernanda Graim

Categorias: Notícias

Evento prepara implantação da Incubadora de Empresas do Xingu

qua, 04/04/2018 - 16:21
Informações: 

O município de Altamira receberá, nos dias 5 e 6 de dezembro, a “Semana do empreendedorismo inovador para a cadeia produtiva do cacau”, organizada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). O objetivo do evento é disseminar a cultura do empreendedorismo, da tecnologia e da inovação na região do Xingu, com foco na cadeia produtiva do cacau, desenvolvendo ações preparatórias à implantação da Incubadora de Empresas do Xingu.

Com isso, pretende-se gerar sinergia entre os atuais e potenciais empreendedores da região, tais como produtores de cacau, trabalhadores da indústria, representantes das demais atividades produtivas locais, juntamente com instituições de ensino e pesquisa, poder público, sociedade civil e futuros gestores da Incubadora de Empresas do Xingu. A programação inclui palestras sobre o cenário da produção de cacau na Transamazônica, a importância de uma incubadora de empresas, certificação UTZ e sustentabilidade, além de oficinas, relatos de casos de sucesso e orientação para incubação de empresas.

A expectativa é que a “Semana do Empreendedorismo Inovador” gere bases iniciais para implantação da Incubadora. “A nossa ideia de levar um ambiente como a incubadora para o Xingu, além de interiorizar a inovação dentro da perspectiva do Inova Pará, consolidando Sistemas Regionais de Inovação, é dar oportunidade para a agregação de valor na cadeia do cacau, transformando essa produção”, explica a secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez.

O evento conta com o patrocínio do Sebrae-PA e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e com o apoio do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS-X),do Sindicato dos Produtores Rurais de Altamira (Siralta), da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade Federal do Pará (Universitec-UFPA).

Incubadora de Empresas do Xingu

O ambiente será instalado em Altamira, cidade polo da região do Xingu, que, por sua vez, abriga recursos estratégicos para a cadeia produtiva do cacau, da fruticultura e produtos da biodiversidade de forma ampla. Nessa perspectiva, a cacauicultura se destaca como uma das cadeias produtivas estratégicas vistas como prioritárias no plano de governo denominado “Pará 2030”. A perspectiva para este ano é de que o Estado chegue a 125 mil toneladas de sementes de cacau produzidas, garantindo a primeira colocação na produção nacional.

Dessa forma, a Implantação da Incubadora de Empresas encaixa-se como uma ação do programa Inova Pará e busca diversificar a produção regional, incentivando amplos segmentos da cadeia produtiva do cacau a produzir geleias, sucos, insumos para biotecnologia e chocolates especiais, de maneira a garantir a sustentabilidade do desenvolvimento local, disseminando a cultura do empreendedorismo e da inovação; estimulando a criação de empresas que desenvolvam produtos com valor agregado, tornando-se fortemente competitivas; apoiando a instalação de empresas de base tecnológica e ações de exportação na região; contribuindo para a geração de empregos qualificados e melhor distribuição das riquezas.

Inova Pará

O Programa Inova Pará, coordenado pela Sectet, é amparado pela Lei no 8.426, de 16 de novembro de 2016, que dispõe sobre incentivos à inovação, à pesquisa científica e tecnológica e à engenharia não rotineira, além da política estadual de incentivos fiscais. O Inova Pará parte da premissa de que, para romper com o modelo extrativista, presente na economia paraense, é indispensável que o Estado apoie a criação de Sistemas Regionais de Inovação a fim de que propiciem suporte necessário à agregação de valor das cadeias produtivas estratégicas. Em sua concepção, o Programa acredita no potencial produtivo e inovador das distintas regiões do Estado.

Serviço: A programação completa da “Semana do empreendedorismo inovador para a cadeia produtiva do cacau” está disponível na página da Sectet (www.sectet.pa.gov.br). As inscrições podem ser feitas gratuitamente em https://goo.gl/forms/lIS8dsBAqe5PwD7B2.

Por Fernanda Graim

Categorias: Notícias

Abertas 180 vagas gratuitas em 9 cursos profissionalizantes

qua, 04/04/2018 - 16:12
Informações: 

 

Categorias: Notícias

Pará Profissional abre inscrições para cursos nas áreas de construção civil e indústria

qua, 04/04/2018 - 16:08
Informações: 

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) abriu inscrições para o preenchimento de 180 vagas, distribuídas em nove cursos, oferecidas por meio do Programa Pará Profissional. As aulas ocorrerão em sete municípios paraenses. Os cursos são em nível de formação inicial, presenciais e de caráter teórico-prático, dirigidos a apoiar atividades produtivas voltadas aos setores da indústria automotiva, construção civil pesada, infraestrutura e controle e processos industriais.

As aulas ocorrerão entre 4 de dezembro de 2017 e 6 de fevereiro de 2018 e serão executadas por unidades de ensino do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Para estarem aptos à matrícula, os participantes devem ter idade mínima de 18 anos completos no momento da inscrição e atender aos níveis de escolaridade e pré-requisitos exigidos no edital.

No município de Barcarena, será oferecido o curso de Eletricista Naval; Em Belém, os cursos de Operador de Guindaste Veicular e Eletricista de Linhas Elétricas de Alta e Baixa Tensão; Em Bragança, ocorrerá o curso de Mecânico de Manutenção de Motores Marítimos; Já no município de Castanhal, será realizado o curso de Mecânico de Automóveis; Em Itaituba, será o de Eletricista Naval; Em Oriximiná, ocorrerá o curso de Operador de Empilhadeira; Por fim, em Ulianópolis, serão ofertados os cursos de Pintor Industrial e Pedreiro Refratário.

As ofertas de cursos do programa Pará Profissional são realizadas de acordo com as demandas dos setores produtivos de cada região, mediante realização de oficinas, reuniões e solicitações diretas das prefeituras municipais. O período de inscrições é de 27 de novembro a 3 de dezembro. As pré-inscrições estão disponíveis em http://cursos.sectet.pa.gov.br/ ou por meio do envio de correio eletrônico para o endereço prematricula.paraprofissional@sectet.pa.gov.br, juntamente com formulário preenchido e demais documentos exigidos.

Pará Profissional O Programa, amparado pela Lei no. 8.427, de 16 de novembro de 2016, é um dos instrumentos de combate à desigualdade interregional no Estado por meio da qualificação profissional da mão de obra local. Ele é executado de maneira a atender as demandas condizentes com as necessidades das cadeias produtivas de cada município ou região, o que o torna mais eficaz no sentido de geração de emprego e renda para a população.

Os resultados do Programa Pará Profissional, do final de 2016 ao presente momento, apontam para a certificação de 1.247 pessoas, em 67 cursos já concluídos, realizados em 25 municípios de todas as 12 regiões de integração do Estado, além de mais 2.250 alunos atualmente matriculados, em fase de conclusão de sua formação, em outros 103 cursos. Some-se a este número uma turma do Curso Técnico em Açúcar e Álcool, no município de Ulianópolis, com um total de 40 alunos em formação.

Serviço: O edital completo e demais documentos estão disponíveis em http://bit.ly/2iW0LdS

Por Fernanda Graim

Categorias: Notícias

Sectet e IFPA estudam projeto para comunidade no Acará

qua, 04/04/2018 - 15:59
Informações: 

A comunidade de Boa Vista do Acará recebeu, na terça-feira (21), a visita de representantes da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA) para discutir a execução do projeto “Fortalecimento das cadeias produtivas da biodiversidade no município do Acará”, o qual prevê o desenvolvimento de Tecnologias Sociais para promover a melhoria de vida na região.

O projeto surgiu a partir de um convênio de cooperação financeira assinado entre a Sectet e o IFPA, por meio do curso de Pós-Graduação em Mestrado em Desenvolvimento Rural e Gestão de Empreendimentos Agroalimentares. O objetivo principal é promover o desenvolvimento sustentável da cadeia da biodiversidade em comunidades rurais do Pará, priorizando a produção de alimentos saudáveis, geração de renda, segurança alimentar e gestão de recursos naturais, por meio do desenvolvimento e adaptação de tecnologias sociais em sintonia com os conhecimentos e saberes locais.

A comunidade foi selecionada devido ao seu grande potencial turístico e empreendedor, tendo em vista as atividades desenvolvidas lá, a exemplo do cultivo de frutos como açaí, cupuaçu e cacau, a produção de farinha e o cultivo de ervas e plantas como priprioca, pataqueira e captiú, as quais servem de matérias-primas para uma grande empresa nacional de cosméticos.

Durante a visita, que ocorreu na Associação de Produtores Orgânicos de Boa Vista (APOBV), os representantes da Sectet e do IFPA dialogaram com os moradores no intuito de compreender as reais necessidades destes para a melhoria da região. Em 2016, a comunidade de Boa Vista do Acará sediou o Encontro Internacional para o Desenvolvimento Social – ou International Development Design Summits (IDDS), pelo qual diversas tecnologias de baixo custo foram discutidas, como protótipos de tanque de piscicultura para produção de peixes e camarões, protótipos de torres de comunicação feitas com bambu para disponibilizar internet e ferramentas para descascar a raiz da mandioca sem o uso de objetos cortantes.

“São projetos que surgiram a partir da necessidade da própria comunidade. Isso, então, já apresenta um ponto de partida para o trabalho a ser realizado dentro dessa iniciativa feita em parceria com a Sectet, que teve a sensibilidade de observar a importância das Tecnologias Sociais e nos apoiar para buscar resoluções aos problemas enfrentados por comunidades vulneráveis”, afirma a professora do IFPA, Suezilde Amaral.

“O turismo pode se tornar muito importante para a região. Queremos aproveitar esse potencial que está disperso e levar para dentro da nossa Associação de Produtores Orgânicos, para facilitar o comércio dos nossos produtos. Adoraríamos consolidar uma rota turística sustentável que oferecesse, por exemplo, banhos de cheiro para os turistas e visitas guiadas nas casas de produção de farinhas”, espera a moradora da comunidade Débora das Chagas.

Outras reuniões de trabalho serão agendadas com a comunidade durante a execução do projeto da Sectet e IFPA, que terá duração de um ano e envolve o investimento de 150 mil reais.

Por Igor de Souza

Categorias: Notícias

Fórum das instituições de ensino e de pesquisa debate rumos da ciência, tecnologia e inovação

qua, 04/04/2018 - 15:54
Informações: 

A terceira reunião do Fórum das Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Pará recebeu o secretário de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Alex Fiúza de Melo, e constituiu uma oportunidade de conhecer os detalhes da política estadual de ciência e de tecnologia, bem como o início de um diálogo e de uma parceria com as instituições sobre as necessidades e a capacidade de produção de conhecimento que atendam às demandas da sociedade paraense.

Durante a reunião, realizada nesta segunda-feira, dia 13, no prédio da Reitoria da UFPA, em Belém, o titular da Sectet apresentou aos integrantes do fórum a minuta do Protocolo de Intenções que propõe parceria com as onze instituições de ensino e de pesquisa do Pará (UFPA, UFRA, IFPA, Cesupa, Unama, UEPA, Embrapa, MPEG, IEC, UFOPA e Unifesspa), para o desenvolvimento do Estado.

“Este protocolo visa, particularmente, à verticalização das cadeias produtivas e estratégicas que vão gerar emprego e renda, mas necessitam de uma base científico-tecnológica para sua consolidação. As instituições de ensino e de pesquisa vão ser essenciais neste trabalho, e cabe à Sectet a contrapartida de agregar todas elas com o espírito de colaboração”, afirmou o secretário Alex Fiúza de Melo.

O reitor da UFPA, Emmanuel Tourinho, considerou positiva a reunião, para aproximar as instituições do fórum e a Sectet, e criar uma agenda comum de trabalho, a qual favorecerá o desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da sociedade paraense.

“Nós celebraremos um acordo de cooperação que reunirá, de um lado, as instituições, e de outro, o governo do Estado, por meio da Sectet. Isso facilitará a coordenação de nossas ações em favor do desenvolvimento da ciência e da tecnologia no Estado, e da transferência de conhecimento de ponta para diversos setores da sociedade”, afirmou o reitor.

Presidência do Fórum – Em virtude de uma intensa agenda de compromissos como presidente da Andifes e reitor da UFPA, Emmanuel Tourinho está, temporariamente, licenciado da presidência do fórum, que passou a ser exercida pelo vice-reitor do Cesupa, Sérgio Mendes. O novo presidente elencou algumas propostas, em andamento, como a criação de grupos de trabalho para uma agenda em comum, que discutirá as ações para a área da pós-graduação. Também foi sinalizado o compartilhamento de boas práticas nas áreas de ensino e de extensão entre as instituições integrantes do fórum, por meio da realização de seminários em 2018.

Nesta terceira reunião do fórum, também participaram das discussões o reitor da UFRA, Marcel Botelho; o reitor da UEPA, Rubens Cardoso; o reitor do IFPA, Cláudio Alex da Rocha; o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPA, Rômulo Simões; o chefe-geral da Embrapa Amazônia Oriental, Adriano Venturieri; e o secretário do fórum, Marcelo Galvão. O próximo encontro está marcado para o dia 11 de dezembro, na UFPA, em Belém, a partir das 9h. A reunião será dividida em dois momentos. O primeiro será para receber o diretor presidente da Fapespa, a convite do fórum, e no segundo momento, haverá a assinatura de um protocolo de intenções entre as instituições do fórum e a Sectet.

Texto: Ericka Pinto – Assessoria de Comunicação da UFPA

Categorias: Notícias

Assinado Termo de Cooperação Técnica

qua, 04/04/2018 - 15:44
Informações: 

Categorias: Notícias

Organização social é selecionada para gerir o Programa Biopará

qua, 04/04/2018 - 15:30
Informações: 

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) divulgou nesta quarta-feira (01), por meio do Diário Oficial do Estado, o resultado da avaliação do edital de chamamento público nº 004/2017, destinado a selecionar uma Organização Social qualificada na área de desenvolvimento científico e tecnológico, para gerir o programa paraense de incentivo ao uso sustentável da biodiversidade amazônica, conhecido como Biopará.

Após a avaliação dos documentos e programas de trabalho enviados à Sectet, a comissão de seleção do edital elegeu a Associação BioTec-Amazônia como gestora do Biopará. A OS foi constituída em outubro de 2016 com o objetivo de promover o uso sustentável da biodiversidade amazônica, em especial do estado do Pará, para fins de desenvolvimento econômico e social, bem como difundir o conhecimento e prestar informações e serviços nas áreas de biodiversidade, biotecnologia e bionegócios.

As atividades da OS serão desenvolvidas em eixos que dizem respeito, por exemplo, à governança inovadora e articulação estratégica a partir da construção de alianças entre atores do ambiente de inovação do Estado. Além disso, a BioTec-Amazônia pretende contribuir com a criação e aperfeiçoamento de leis estaduais de inovação e de incentivos fiscais, além de promover uma gestão estratégica da informação sobre ciência e tecnologia no Pará, com o objetivo de atrair novos negócios à região e favorecer parcerias entre a academia e o setor produtivo.

A celebração do contrato de gestão com a Sectet será feita após o período de contestação do resultado, que vai até 8 de novembro. O resultado final será divulgado no dia 10 de novembro.

O Programa - O Biopará constitui uma ferramenta norteadora para elaboração de políticas públicas que possibilitem agregar valor às cadeias produtivas da biodiversidade estadual e regional, por meio de pesquisa e desenvolvimento e de prospecção de negócios inovadores no setor. Considera-se “gestão do Biopará” um sistema inteligente de governança voltado ao estímulo e apoio ao planejamento e desenvolvimento de uma economia dinâmica fundada no uso sustentável da biodiversidade, com a devida e adequada base científica e tecnológica.

Por Igor de Souza

Categorias: Notícias

Novo aplicativo da Prodepa facilita o acesso do cidadão aos órgãos do Governo

qua, 04/04/2018 - 09:44
04/04/2018

O cidadão poderá acessar todos os serviços informatizados do Governo do Estado de uma forma prática e interativa, com o “Tá na Mão”, aplicativo que em breve será lançado pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa).

O objetivo é aproximar o cidadão das soluções apresentadas pelo Governo, além de permitir que os órgãos conheçam as demandas apresentadas pela sociedade de forma efetiva e, assim, possam dar soluções rápidas. Com a interação com a população, o gestor poderá fazer o mapeamento do que está sendo demandado pela sociedade em determinado momento e região geográfica do estado e, assim, tomar as medidas necessárias.

A primeira versão do “Tá na Mão” foi lançada em fase de testes, mas agora virá de uma forma definitiva e arrojada. O app traz uma interface totalmente diferente em termos de usabilidade. O usuário encontrará mais simplicidade em um aplicativo que segue as novas tendências dos que são utilizados hoje, tanto na versão Android, quanto na versão IOS.

Por meio do app, o usuário poderá ver toda a lista de reclamações que ele fez em sua linha do tempo. A interação será otimizada com o “Push”, serviço de comunicação automática. Se autorizado pelo usuário, o aplicativo enviará notificações na medida em que seu pedido/reclamação for sendo atendido ou mudar de status. Basta o cidadão baixar, instalar e manter o aplicativo, para quando precisar estiver com o canal de comunicação na mão. A pessoa fará uma solicitação e, poucas horas depois, chegará uma notificação indicando que vai haver um tratamento ou solução.

O atendimento será individualizado. Cada órgão participante da solução terá uma tela de monitoramento individual, na qual serão apresentadas, ao vivo, no momento em que são cadastradas, as demandas. Além disso, o status que estará sendo apresentado informará quem registrou, assim como a hora, data e local, incluindo as fotografias e o texto que a pessoa enviou.

Entre os órgãos e serviços que estarão disponíveis no aplicativo estão: Procon (denúncias); Cosanpa (notificação de vazamento); Ponto Cidadão (problema na emissão de boletim de ocorrência, boletim de mau atendimento, assalto a ônibus, assalto em posto de saúde e notificação sobre violência em ambiente escolar); Semas (notificação sobre desmatamentos); Corpo de Bombeiros (notificação sobre incêndios) e Prodepa (notificação sobre hotzone sem sinal de internet).

“Em vez de o cidadão ir a um site, requisitar algum serviço do estado, agora ele tem consolidadas todas as funcionalidades que o estado oferece, já informatizadas, em um único lugar. Todos os serviços disponibilizados pelo governo estarão ao alcance da população, de uma forma prática e interativa nesse aplicativo”, pontua o presidente da Prodepa, Theo Pires.

Texto: Syanne Neno (Agên ia Pará)

Categorias: Notícias

Sectet e Fapespa realizam 3ª edição do Seminário de Inovação e Geração de Oportunidades

qua, 28/03/2018 - 14:28
28/03/2018

Na manhã desta quarta-feira (28), ocorreu a 3ª edição do Seminário de Inovação e Geração de Oportunidades (Sigo), realizado pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), em parceria agora com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet). O objetivo do seminário, que ocorreu no auditório da secretaria, é promover encontros periódicos para divulgar o resultado de projetos apoiados pelos dois órgãos, além de apresentar ao público o Programa Inova Pará, coordenado pela Sectet, bem como potencializar o desenvolvimento de ações inovadoras realizadas no estado, com oportunidade de transformar ideias em negócios.

Na ocasião, o diretor científico da Fapespa, Helder Mello, explicou que o evento é uma forma de disponibilizar os resultados das pesquisas financiadas pela Fundação. “É uma maneira de mostrar como o uso da verba pública se torna eficiente. É uma responsabilidade nossa fazer com que a sociedade tome ciência dos resultados da pesquisa para que, inclusive, opine, sugira, critique. É importante também termos o retorno dos professores e pesquisadores”, ressaltou.

Nesse sentido, a secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez, completou destacando que o intuito da Secretaria é dar as diretrizes e o direcionamento para que haja a aproximação entre a academia e os setores produtivos. “Temos o papel de difundir no que a sociedade pode avançar aliando conhecimento às atividades produtivas, gerando mais emprego, renda e desenvolvimento ao estado”, concluiu.

Durante o seminário, o público, formado por servidores públicos, professores, estudantes e pesquisadores, pode conhecer mais sobre o Programa Inova Pará, apresentado pelo diretor de ciência e tecnologia da Sectet, Marco Antônio Lima. Já a professora doutora Roberta Coelho, do IFPA, mostrou o trabalho de “Fortalecimento das Cadeias Produtivas da Biodiversidade no Município de  Acará”, que o Instituto começa a desenvolver na comunidade de Boa Vista do Acará, por meio de convênio com a Secretaria, inserido no programa TecSocial.

O biólogo Tiago Begot, do Instituto de Ciências Biológicas da UFPA, apresentou ainda os resultados da pesquisa “Zoneamento Bioenergético do Plantio de Palma e os Impactos à Biodiversidade no Estado do Pará”, realizada com apoio da Fapespa. Por fim, os palestrantes responderam às perguntas do público. A próxima edição do Sigo será no dia 26 de abril no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá.

Inova Pará e TecSocial - O Programa Inova Pará é amparado pela Lei no 8.426, de 16 de novembro de 2016, que dispõe sobre incentivos à inovação, à pesquisa científica e tecnológica e à engenharia não rotineira, além da política estadual de incentivos fiscais. O Programa parte da premissa que, para romper com o modelo extrativista, presente na economia paraense, é indispensável que o Estado apoie a criação de Sistemas Regionais de Inovação (SRI) a fim de que propiciem suporte necessário à agregação de valor das cadeias produtivas estratégicas. Em sua concepção, o Programa acredita no potencial produtivo e inovador das distintas regiões do Estado. A execução do Inova Pará se divide em cinco etapas: Identificação qualificada de demandas regionais; Concepção do Sistema a ser implantado; Implantação de fato; Gestão dos Sistemas Regionais de Inovação; e Acompanhamento e Avaliação de Resultados.

Já o Programa TecSocial se insere, nesse contexto, com a missão  de preparar uma atmosfera favorável à implantação de tecnologias inovadoras nas comunidades, pois foi criado no intuito de fomentar e disseminar projetos de Tecnologia Social que tenham por finalidade a melhoria da qualidade de vida de populações vulneráveis, impactando positivamente para a superação de problemas relativos à realidade socioeconômica do estado do Pará.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Representantes da Finep visitam o Pará a fim de viabilizar escritório regional no estado

ter, 27/03/2018 - 13:37
27/03/2018

O titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Alex Fiúza de Mello; a adjunta do órgão, Maria Amélia Enríquez; e os diretores das áreas técnicas, Luís Blasques e Marco Antônio Lima, reuniram-se, na manhã desta terça-feira (27), com representantes da Empresa Brasileira de Inovação e Pesquisa (Finep), Ronaldo Camargo e André Godoy, que estiveram em Belém no intuito de recolher informações e realizar visitas a fim de viabilizar a instalação de um escritório regional da agência no Pará.

A Finep se define como uma agência pública de inteligência, vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Ela atua com a missão de Promover o desenvolvimento econômico e social do Brasil por meio do fomento público à Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) em empresas, universidades, institutos tecnológicos e outras instituições públicas ou privadas. Durante a reunião, o diretor da área financeira, de crédito e captação da Finep, Ronaldo Camargo, explicou que a agência vem atuando mais próximos aos estados de cada região do país, por meio dos escritório regionais.

Na oportunidade, o titular da Sectet apresentou o que se denomina de Sistema Paraense de Inovação. Segundo ele, o Sistema é a base para que a Amazônia possa realizar um avanço civilizatório, passando de uma economia extrativista para uma economia do conhecimento, mais moderna e ancorada no desenvolvimento científico, tecnológico e na inovação, com atenção particular ao uso inteligente e sustentável dos ricos recursos naturais renováveis disponíveis na região amazônica.

O Secretário destacou que, para a materialização de um sistema como esse, são necessários padrões institucionais adequados, bem consolidados, os quais podem se resumir em: legislação e normas inovadoras; novas estruturas de suporte à ação coletiva; novas estratégias de gestão e governança; e fontes alternativas e permanentes de financiamento.

A construção desses padrões vem norteando o trabalho desenvolvido pela Sectet, o que se consolida, por exemplo, com a Lei Estadual de Inovação; os incentivos fiscais destinados ao investimento em pesquisa e inovação; o Decreto de Subvenção Econômica; o financiamento de programas de pós-graduação; as bolsas de qualificação (iniciação científica, mestrado e doutorado); o financiamento da pesquisa; o financiamento de eventos acadêmicos; os Programas NavegaPará, Pará Profissional, TecSocial, Inova Pará e BioPará;  o Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá;  os ambientes de inovação; os sistemas regionais de inovação; o Observatório Paraense de Ciência e Tecnologia; o Boletim Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação; as bolsas de estímulo à inovação; dentre outras ações.

Diante do cenário apresentado, o diretor da Finep explicou a escolha do Estado para abrigar o escritório regional da empresa. “Para nós, o Pará está claramente à frente, na região, nas questões que envolvem CT&I, usamos a lógica técnica para decidir”, revelou. Durante a estadia na capital paraense, já na tarde desta segunda-feira (26), os representantes da agência estiveram no PCT Guamá para conhecer as instalações do recém-inaugurado Espaço Empreendedor e avaliar a possibilidade de instalação do escritório regional naquele prédio.

Texto: Fernanda Graim - Ascom/Sectet 

Categorias: Notícias

Páginas