• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 24 minutos 37 segundos atrás

RESULTADO

seg, 22/03/2021 - 11:35
22/03/2021

Confira o resultado do edital de chamamento público 01/2021

AQUI

Categorias: Notícias

Vestibular do Programa Forma Pará é suspenso por causa do avanço da Covid-19 no estado

qui, 18/03/2021 - 14:24
18/03/2021

Devido ao quadro da pandemia da Covid-19 no estado, a prova do vestibular do Programa Forma Pará que seria realizada no próximo dia 11 de abril foi suspensa por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em uma reunião virtual realizada nesta quarta-feira (17) entre representantes da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), das Instituições de Ensino Superior, prefeituras envolvidas e da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp).

“Infelizmente, o estado todo está enfrentando alta nos casos de Covid-19 e a decisão mais sensata é suspender mais uma vez a prova e aguardar que o quadro melhore para que os inscritos possam fazer a seleção de forma segura. Aproveito para reiterar a orientação das autoridades sanitárias: só saiam de casa se necessário, usem máscaras, lavem sempre as mãos ou usem álcool em gel. Queremos todos bem no dia da prova, que será realizada quando possível”, enfatiza a titular em exercício da Sectet, Edilza Fontes, que também é gestora do Forma Pará.

Ela ressalta que todos os representantes das instituições envolvidas concordaram com a suspensão do certame. A prova para a seleção dos candidatos a cursos de nível superior ofertadas em 18 municípios e dois distritos de Belém se refere à edição 2020 do Programa, com editais lançados em outubro, com 995 vagas em 15 cursos. Inicialmente a prova estava prevista para dezembro de 2020, mas teve que ser adiada para abril de 2021 por causa da pandemia, que motivou mais essa suspensão.

O Forma Pará foi lançado em 2019 e oferta cursos de nível superior em municípios onde não há campi de universidades públicas ou onde o curso demandado não é ofertado.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

NOTA DE ESCLARECIMENTO

sex, 05/03/2021 - 13:33
05/03/2021

EDITAL 001/2021
A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET vem por meio desta nota esclarecer que, em virtude de dois dos três membros da Banca Examinadora do Edital de Chamamento Público n. 001/2021 estarem afastados por problemas de saúde, as atividades da referida banca estão temporariamente interrompidas até que os membros possam retornar, em seu estado pleno de saúde, às avaliações das documentações dos candidatos que se inscreveram no referido edital.

Assim sendo, pedimos desculpas por quaisquer inconvenientes que o atraso da divulgação do resultado do credenciamento possa ter causado. Quaisquer eventuais dúvidas podem ser enviadas no e-mail tecparainfo@gmail.com.

Categorias: Notícias

Forma Pará entrega chips a estudantes da Região Metropolitana de Belém na Sectet

qua, 24/02/2021 - 14:40
24/02/2021

A pandemia de Covid-19 provocou a redução da renda com perda de emprego e diminuição do número de clientes para os autônomos. É essa situação difícil que enfrentam os estudantes Roberta Raquel Ramos Rocha e Fabrício Reis Amador. Eles estiveram na manhã desta quarta-feira (24) na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) para receber o chip com pacote de 20 gigabytes de internet para acompanhar as aulas on line do Programa Forma Pará.

“Veio em boa hora”, disse Fabrício, sem esconder a satisfação em receber o chip. Ele é aluno do curso de Educação Física, da Universidade do Estado do Pará (Uepa), em Benevides. Morador de Belém, Fabrício conta que perdeu o emprego de guia de turismo quando se iniciou a pandemia. 

Ele agradece ao governo do estado por poder acessar as aulas e pela oportunidade de fazer o curso. “É importante para o nosso desenvolvimento profissional e humano. Eu estava sem estudar há muito tempo e agora quero me engajar em Benevides, usando o esporte como meio de transformação social”, planeja.

Roberta também é aluna de Educação Física, em Benevides. Ela é autônoma, mora em Ananindeua e viu a renda se reduzir drasticamente com o advento da pandemia. “Eu tinha internet em casa, mas com a redução dos clientes eu não pude mais pagar. Com o chip, vou poder acompanhar as aulas e ainda fazer pesquisas dos assuntos, aprofundar o conhecimento”, comemora.

Distribuição

Os alunos que estão recebendo os chips são os que foram selecionados no processo do ano de 2019, do Programa Forma Pará. São cerca de 700 alunos distribuídos em 20 turmas e 15 municípios. Quase a totalidade deles respondeu ao questionário enviado pela Sectet, informando a necessidade de recebimento do chip.

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, enfatiza que a formação universitária é uma das prioridades do governo na área da educação e que a entrega dos chips vem ao encontro desse propósito, pois os alunos não podem ficar prejudicados no processo de ensino-aprendizagem durante a pandemia.

Os alunos residentes em Belém, Ananindeua, Marituba e Benevides recebem os chips na sede da Sectet até esta sexta-feira (26), de 9h às 12h. Os demais alunos irão receber no município ou localidade onde o curso é ofertado, com o técnico responsável da turma. 

“Também estamos enviando técnicos a municípios próximos de onde os cursos são realizados e em que residam um grande número de alunos”, informa a secretária adjunta da Sectet e gestora do Forma Pará, Edilza Fontes. 

A distribuição dos chips será feita até o dia 10 de março. Todos os alunos estão sendo informados por e-mail e mensagens de aplicativo sobre dia e local de recebimento dos chips nos municípios.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Erlon Modesto (estagiário Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Sectet realiza visitas técnicas para definição da oferta de cursos do Forma Pará em 2021

qua, 24/02/2021 - 11:17
24/02/2021

Interiorizar o ensino superior no estado. Esse é mais um compromisso do governo do Pará que avança a cada ano com as ações do Programa Forma Pará, coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet). No intuito de definir a oferta de cursos para 2021, assim como as condições de infraestrutura que os municípios têm para recebê-los, uma equipe da Secretaria juntamente com coordenadores de cursos da Universidade do Estado do Pará, uma das instituições parceiras do programa, estiveram nos municípios de Bragança e Tracuateua, nesta segunda e terça-feiras, respectivamente, para a realização de  visitas técnicas.

O Forma Pará foi lançado em agosto de 2019 e é um programa que possibilita a união entre governo estadual, Instituições de Ensino Superior (IES) Públicas, prefeituras e associações municipais no intuito de expandir a oferta de vagas dos cursos de graduação (bacharelado, licenciatura e tecnológica) nos municípios do estado que não possuem polos dessas instituições ou onde não exista a oferta de determinado curso.

A visita técnica avalia as condições de infraestrutura do município para receber tanto professores quanto alunos dos cursos. São verificadas as condições dos possíveis locais onde as aulas ocorrerão, salas de aula, laboratórios, acessibilidade, hospedagem, transporte e alimentação.

Bragança

No caso de Bragança, a proposta é que seja ofertado o curso de engenharia civil, com execução da Uepa, tendo o apoio da prefeitura municipal que viabilizará o espaço da Universidade Aberta do Brasil (UAB) para as aulas.

Durante a visita ao município, a coordenadora do curso de engenharia civil da Uepa, professora Elzelis Muller da Silva, apresentou os detalhes do curso que possivelmente será ofertado em Bragança por meio do Forma Pará e aproveitou para frisar a importância que isso tem para a região. "Esta é uma grande oportunidade para que os jovens tenham melhor qualidade de vida e ajudem a desenvolver o município e a região", destacou.

O coordenador da secretaria adjunta da Sectet, Eduardo Miranda, destacou que o curso de engenharia civil é fundamental para uma cidade histórica e turística como Bragança. Ele ressaltou que o Forma Pará também objetiva que o número de alunos de nível superior aumentem o índice educacional do estado que ainda é muito baixo.

Dessa forma, o prefeito de Bragança, Raimundo Nonato, agradeceu a presença e parceria do governo estadual, por intermédio da Sectet e da Uepa. Ele classificou a possível oferta do curso no município como uma grande benção. Além do prefeito, acompanharam a visita técnica o vice-prefeito, Dr. Mário Júnior; a primeira dama e secretária de promoção social do município, Eliena Ramalho; os demais secretários municipais; vereadores; assessores; e o coordenador da UAB em Bragança, professor Luiz Augusto Soares.

Tracuateua

Já em Tracuateua, a equipe da Sectet realizou a visita técnica acompanhada pelo coordenador do curso de educação física da Uepa, professor Moisés Santa Rosa, e pelo chefe do departamento de desporto do curso, Smayk Sousa. Na ocasião, eles foram recebidos pelo prefeito do município, Zezinho Costa; pelo vice-prefeito, Benedito Patola; pelo secretário municipal de educação, Elivan Padilha; pelo secretário municipal de turismo, esporte e cultura, Felipe Santos; e pelos gestores da Escola Elias Feres Gorayeb, onde possivelmente ocorrerão as aulas do curso do programa Forma Pará.

Para o prefeito de Tracuateua, a chegada de um curso superior de uma universidade pública é fundamental para o progresso do município e melhoria da qualidade de vida da população. "Os nossos jovens aqui têm muita dificuldade de ingressar em uma universidade pública  e agora, trazendo o curso de educação física é só o início, pretendemos ter outros cursos como enfermagem e pedagogia, que vão permitir qualificar nossos jovens. Este possível convênio com o governo do estado é um ponta pé inicial e é muito importante para o município", destacou.

Da mesma opinião compartilha Moisés Santa Rosa, lembrando que os municípios daquela região carecem de profissionais principalmente na área de educação. "A oferta do curso de educação física em Tracuateua vai trazer com certeza frutos para o município gerando desenvolvimento", frisou o coordenador que ressaltou a informação da secretaria de educação local de que os jovens que concluem o ensino médio em Tracuateua e querem progredir profissionalmente precisam procurar formação fora, realidade semelhante a de jovens de muitos outros municípios paraenses que o Forma Pará busca mudar.

Oferta

O Forma Pará atende as 12 regiões de integração do estado, com turmas ofertadas em mais de 30 municípios. Além da Uepa, o programa também conta com a parceria da Universidade Federal do Pará (UFPA), da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e do Instituto Federal do Pará (Ifpa).

A oferta de 2020 abriu 995 vagas. O processo seletivo dessa oferta ocorreria em dezembro passado, porém precisou ser adiado devido ao aumento de casos da Covid-19 no estado. A previsão é de que a prova ocorra em abril e as aulas comecem em maio. Os alunos aprovados no processo relativo a oferta de 2019 continuam tendo aulas de forma remota ou presencial, dependendo do bandeiramento de cada município em que os cursos ocorrem.

O edital com a oferta dos cursos para 2021 está previsto para ser publicado em maio. Além de Bragança e Tracuateua, outros municípios que ja receberam a visita técnica da Sectet e universidades, em fevereiro, foram Acará e Bagre que possivelmente receberão os cursos de engenharia de produção e ciências biológicas respectivamente.

A meta do programa é ofertar 80 turmas com uma média de 50 vagas cada, distribuídas em mais de 40 municípios até o final de 2022, o que permitirá a formação de cerca de 4.000 novos profissionais. Assim, o Forma Pará promove o desenvolvimento socioeconômico de diversas regiões do estado com a ampliação da mão de obra qualificada conforme as demandas dos próprios municípios.

Textos e fotos: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Sectet entrega chips com pacote de internet para estudantes de graduação Forma Pará

ter, 23/02/2021 - 13:40
23/02/2021

A partir desta quarta-feira, dia 24, serão distribuídos, pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), cerca de mil chips com 20 gigabytes de internet para estudantes dos cursos de graduação ofertados pelo programa Forma Pará. A distribuição será feita para estudantes que informaram a necessidade de recebimento dos chips para acompanhamento de aulas à distância. 

Segundo a gestora do Forma Pará e secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes, é fundamental que todos os alunos tenham condições de acompanhar as aulas no atual cenário de pandemia. 

“O governo do Pará está garantindo o acesso à educação superior de qualidade para todos os estudantes e dá continuidade ao programa Forma Pará, que em parceria com as instituições de ensino superior públicas, expande a oferta dos cursos de graduação no interior do estado”, enfatiza. 

Para entrega dos chips, foi montada uma logística para que todos os municípios com solicitantes sejam alcançados. Primeiro, os chips serão entregues em Belém e Mosqueiro. Em seguida, serão distribuídos para os municípios de Tucuruí, Goianésia, Novo Repartimento, Mocajuba, Cametá, Baião, Oeiras, Nova Timboteua, São João de Pirabas, Salinópolis, Bagre, Portel, Gurupá, Curuçá, Terra Alta, Viseu e Redenção. 

A expectativa, de acordo com Edilza Fontes, é entregar chips a todos os estudantes que solicitaram até o dia 10 de março.

Texto: Rafael Miyake (estagiário de jornalismo da Ascom/Sectet)

 

Categorias: Notícias

Ela Pode

qui, 18/02/2021 - 16:02
18/02/2021

TerPaz leva atendimento a moradores do bairro do Jurunas e da Terra Firme

Faça chuva ou faça sol, mas as ações do programa estadual Territórios Pela Paz (TerPaz) continuam a todo o vapor, e nesta quinta-feira (18), mesmo o dia amanhecendo chovendo, não foi diferente. A primeira ocorreu no Centro Comunitário Allan Kardec, no bairro Jurunas em Belém. A ação "Meu Registro" ofereceu à comunidade serviços como a emissão do 1° e a 2° da Certidão de Nascimento e a 2° Via da Certidão de Óbito.

Além disso, foram distribuídos máscaras e álcool em gel para os participantes. “Nós seguimos todos os protocolos sanitários para que a comunidade consiga realizar o atendimento com tranquilidade e segurança”, destacou a gestora do TerPaz Jurunas, Delma Braga.

O evento é realizado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac) com a parceria da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster). “Muitas pessoas acabam perdendo ou há extravio desses documentos, por isso que a procura é grande”, disse Creuza Costa, gerente de projetos estratégicos da Seaster. 

Os serviços são gratuitos, basta levar todos os documentos necessários para realizar o atendimento. ‘’Para mim está sendo ótimo já que eu não tenho condições financeiras para pagar por este serviço’’, afirmou a doméstica Sônia Leão que tirou a 2° Via da Certidão de Nascimento. 

A comunidade aprovou a iniciativa e a importância de ações como esta no bairro. ‘’Deu tudo certo, consegui tirar a 2° Via da minha Certidão de Nascimento que estava em péssimo estado’’, relatou a autônoma Tania Pantoja.

CAPACITAÇÃO E EMPREENDEDORISMO FEMININO

A segunda ação ocorreu na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Brigadeiro Fontinelle, no bairro da Terra Firme, em Belém. O Projeto denominado “Ela Pode”, é uma iniciativa do Instituto Rede Mulher Empreendedora, maior Rede de Empreendedorismo Feminino no Brasil, com o apoio do Google, que visa capacitar duas mil mulheres nos sete bairros que compõem o TerPaz, nas cidades de Belém, Ananindeua e Marituba. Dentro do programa estadual, a ação é coordenada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) em colaboração com a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (FADESP). 

‘’A capacitação tem a carga horária de 8 horas, e disponibiliza um conteúdo específico para o empreendedorismo financeiro da mulher’’, destacou uma das multiplicadoras do Ela Pode, Paula Rosa. Dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do Pará (DIEESE) mostram que cerca de 40% das famílias paraenses são chefiadas por mulheres. ‘’O projeto contribui para a autonomia financeira da mulher, para que ela se distancie da situação de risco’’, afirmou Tamisi Oliveira, outra multiplicadora do projeto.

Durante a capacitação, as participantes aprenderam a apresentar seus produtos e serviços, atribuir preços, negociar, imprimir suas marcas pessoais e ter liderança. ‘’Já trabalho com vendas há mais de 30 anos, e sempre que posso participo da ação, que só trouxe benefícios para as minhas vendas’’. No projeto, também participam mulheres que já possuem uma fonte de renda fixa e que agora resolveram empreender como é o caso da funcionária pública Cristiane Martins, que recentemente iniciou um novo empreendimento. ‘’Eu e o meu esposo criamos uma empresa que trabalha como a elaboração de fotos e vídeos e aqui no programa eu estou aprendendo a melhor maneira de como divulgar e vender esses serviços’’, disse ela.

O próximo evento do "Meu Registro" será realizado no dia 22 deste mês, na Associação de Moradores Gabriel Pimenta, no bairro da Terra Firme. Já o do "Ela Pode" ocorre nesta sexta-feira, dia 19, na Escola Estadual e Ensino Fundamental e Médio Padre Orione.  

Lista dos documentos necessários para tirar os documentos: 

CERTIDÃO DE NASCIMENTO (1ª VIA):

- DECLARAÇÃO DE NASCIDO VIVO;

- REGISTRO ADMINISTRATIVO DE NASCIMENTO INDÍGENA;

- RG E CPF ORIGINAIS E CÓPIAS DOS PAIS;

- COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA;

- TELEFONE PARA CONTATO.

 

CERTIDÃO DE NASCIMENTO (2ª VIA):

- CÓPIA DE CERTIDÃO DE NASCIMENTO ORIGINAL;

- CÓPIA DO RG , CPF E NIS;

- TELEFONE PARA CONTATO.

 

CERTIDÃO DE ÓBITO (2ª VIA):

- CÓPIA DA CERTIDÃO DE ÓBITO ORIGINAL;

- RG e CPF DO SOLICITANTE DA CERTIDÃO DE ÓBITO;

- TELEFONE PARA CONTATO

 

Texto: Elizabeth Teixeira (Seac)

Categorias: Notícias

Pesquisa de Iniciação Científica da Uepa fortalece programa ‘Forma Pará’, da Sectet

seg, 15/02/2021 - 15:01
15/02/2021

A pesquisa “Formação Inicial e a Política de Programas Especiais: O Forma Pará na Uepa”, desenvolvida pelo Grupo Ressignificar: Experiências Inovadoras na Formação de Professores e Prática Pedagógica, da Universidade do Estado do Pará, fortalece a implementação e execução do programa estadual ‘Forma Pará’, da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

A proposta do ‘Forma Pará’, que é um programa estadual de expansão do ensino superior, é oferecer cursos, sobretudo, bacharelados e técnicos, através de parcerias com Universidades, Institutos Tecnológicos e Prefeituras, aos estudantes de municípios paraenses que não possuem núcleos ou campis das instituições de educação.

Segundo Edilza Fontes, secretária adjunta da Sectet e gestora do programa, é feita uma articulação entre as demandas de cada município e as instituições de ensino. O governo do Estado firma convênios junto aos parceiros para valorizar os profissionais em formação no Pará.

“Os cursos são abertos de acordo com a necessidade e peculiaridades do local, por exemplo, um curso de Gastronomia é muito importante para o município de Salinópolis, que é uma cidade turística. A ideia é que nos primeiros quatro anos do programa, a gente ofereça cerca de 80 turmas distribuídas em mais de 40 municípios paraenses”, explica a gestora.

PESQUISA CIENTÍFICA

Diante desse programa, a Uepa desenvolve uma pesquisa científica com o objetivo geral de analisar o processo de implantação e oferta da formação no Estado. As principais contribuições do estudo são oferecer elementos de reflexão que possam orientar a oferta dos cursos pela Universidade, além de contribuir na formação inicial dos estudantes envolvidos e reunir informações para nortear o funcionamento e aperfeiçoar o programa.

Sob a coordenação da professora da Uepa, Marta Genú Soares, a pesquisa, que faz parte do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic), do CNPq, foca no processo de implementação e execução de três turmas do ‘Forma Pará’: Educação Física, Geografia e Enfermagem.

“Estudamos os projetos pedagógicos, fazemos o levantamento das produções acadêmicas desenvolvidas sobre programas especiais na educação superior e vamos identificar qual a prática curricular nas turmas iniciais do ‘Forma Pará’. A ideia é elaborar documentos acadêmico-científicos que subsidiem e indiquem orientações curriculares para a expansão do programa”, informa a professora.

Em 2019, a Uepa implantou o ‘Forma Pará’ que soma 300 vagas distribuídas em quatro cursos de formação inicial para o ano de 2020. 

PESQUISADORES

A pesquisa da Universidade conta com o apoio de três estudantes matriculados no Curso de Licenciatura em Educação Física, do Forma Pará, no Polo Benevides. O bolsista Pibic, Davi José Soares, considera desafiador ter o Programa Forma Pará na Uepa como objeto de pesquisa.

“Estamos sendo pioneiros a produzir materiais acadêmico-científicos específicos a respeito deste objeto. Acredito que a pesquisa poderá oferecer um diagnóstico parcial deste processo de implantação. Caracterizar este estágio inicial, suas potências e dificuldades, ajudará a fazer com que todo o procedimento deste programa especial seja realizado de maneira correta e benéfica para todos os que a ele estejam envolvidos, valorizando assim a educação e as políticas públicas”, destaca o bolsista.

Valquíria Pantoja é uma das estudantes voluntárias da pesquisa. Ela se desloca do Distrito de São Miguel do Pracuúba, no município de Muaná/Ilha do Marajó, para estudar em Benevides, o que reforça a importância do programa e da pesquisa científica.

“Minha expectativa é conhecer mais a fundo o Programa de Formação ao qual eu faço parte e poder contribuir para o avanço e melhorias dele. Através da pesquisa, queremos mostrar a outros participantes que vale apena fazer parte deste programa, que amplia o alcance das nossas expectativas por uma educação superior de qualidade”, ressalta Valquíria.

A terceira componente da equipe é Tâmara Silva, estudante voluntária, que considera o programa de grande importância por oferecer cursos para alunos que não moram próximo aos grandes centros acadêmicos.

“Participar dessa pesquisa é de grande valia e conta para nosso aprendizado acadêmico. Podemos ajudar a desenvolver outros programas voltados para este formato. Nas nossas pesquisas, muitos ressaltam a iniciativa pioneira, por abranger pessoas, que por motivos variados, não tem acesso a grandes universidades”, explica.

Serviço:

Todos os assuntos relativos à pesquisa devem ser encaminhados para o e-mail do grupo de pesquisa: gressignificar@gmail.com.

Texto: Giovanna Abreu (Agência Pará)

Categorias: Notícias

Governo destaca importância da presença feminina na ciência

sex, 12/02/2021 - 12:18
12/02/2021

Nos últimos dois anos, a gestão estadual como um todo vem se dedicando também para garantir a presença e a representatividade feminina nos espaços. Uma dessas iniciativas envolve o destaque e o estímulo para a contribuição de mulheres nos meios científicos, que ainda constituem minoria na área, seja em um cenário regional ou nacional.

Um desses movimentos é o Tainá-Kan, coletivo feminino ligado ao Centro de Ciências e Planetário do Pará (CCPPA) criado para desenvolver ações de maneira contínua de pesquisa, ações e eventos relacionados à inserção das mulheres na Ciência. Em razão de hoje, 11 de fevereiro, ser o Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência, o grupo promoveu uma live durante a manhã, transmitida pela página do Planetário no Facebook.

"Estudos e pesquisas têm mostrado que, apesar dos avanços consideráveis na participação de mulheres nos campos de pesquisa e nas atividades científicas, principalmente nas Ciências Humanas e Sociais, a gente ainda encontra algumas situações controversas", confirma Bianca Venturieri, docente do CCPPA e doutora em Educação para Ciência. "Falta a divulgação e representatividade dessas mulheres cientistas e pesquisadoras em cargos de chefia, projeção e divulgação científica. É muito importante uma maior ênfase por parte de instituições de Ensino e Pesquisa no sentido de dar essa visibilidade à produção de pesquisadoras paraenses", explica.

De acordo com Bianca, o meio acadêmico cientifico é restrito, e muita coisa produzida fica restrito basicamente a quem é da área. "Reconhecer os trabalhos, olhar essas diferenças já são grandes contribuições. Divulgar as pesquisas, os projetos de extensão, seja das formas mais simples, até mesmo para as propostas de criação de políticas públicas para garantir que essas mulheres possam atuar, tudo isso é válido", estimula. 

O titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) e da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), Carlos Maneschy, reafirma a obrigação de reconhecer o papel "extraordinário" que as mulheres representam para a ciência de maneira mais específica.

"A Sectet e o Governo também entendem que, particularmente no Pará, a contribuição das mulheres no combate ao coronavírus tem sido extremamente significativa. E posso atestar, como presidente da Fapespa, grandes projetos de pesquisa que chegam para financiamento são conduzidos por mulheres cientistas. Ou seja, mais uma vez as mulheres reforçam o seu papel no desenvolvimento científico do Estado", reconhece o gestor.

Texto:  Carol Menezes (Secom)
Foto: Wagner Pinheiro Júnior/Divulgação

Categorias: Notícias

Escolas Técnicas do Pará iniciam período de confirmação de matrículas de novos alunos

qui, 11/02/2021 - 13:37
11/02/2021

Começou nesta quinta-feira (11) e vai até o dia 19 de fevereiro o período de confirmação de matrículas de todos os interessados em ingressar nas Escolas de Ensino Técnico do Estado do Pará (EETEPA) que realizaram a pré-matrícula on line entre os dias 4 e 9 deste mês. A partir deste ano, a gestão das escolas técnicas estaduais passou da responsabilidade da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), que disponibilizou um total de 5.465 vagas.

Agora os pré-matriculados devem comparecer às escolas para as quais se inscreveram munidos de original e cópia dos seguintes documentos: requerimento de matrícula fornecido pela escola; certidão de nascimento ou casamento; carteira de identidade (RG) ou similar; cadastro de pessoa física (CPF); certificado ou declaração de conclusão do ensino fundamental; histórico escolar do ensino fundamental; comprovante de residência recente (água, luz, telefone fixo ou móvel); e duas fotos 3x4 recentes.

Neste momento foram disponibilizadas 4.235 (quatro mil duzentos e trinta e cinco) vagas na modalidade Novo Ensino Médio Integrado – Itinerário profissional – e 1.230 (mil duzentos e trinta) vagas na modalidade de educação de jovens e adultos (Proeja). Para a modalidade Novo Ensino Médio Integrado puderam se pré-matricular os candidatos que concluíram o ensino fundamental ou o equivalente. Já na modalidade Proeja foram pré-matriculados os candidatos que concluíram o ensino fundamental ou equivalente e possuem idade igual ou superior a 18 anos.

Aqueles interessados em realizar um curso técnico, mas que já concluíram o ensino médio se encaixam na modalidade subsequente, assim como quem já cursa o ensino médio regular e tem interesse em fazer um curso técnico em outro turno se adequa à modalidade concomitante. Essas duas modalidades terão edital publicado no mês de março.

Para saber o dia e o horário que devem comparecer às escolas com os documentos, os pré-matriculados devem conferir AQUI as informações de acordo com modalidade e escola escolhidas. No caso daqueles municípios que estiverem em bandeiramento preto, os alunos pré-matriculados deverão entregar os documentos nas escolas até cinco dias úteis após o término do lockdown.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Foto: Agência Pará

Categorias: Notícias

Pesquisadores identificam no açaí espécies de bactérias com potencial probiótico

qui, 11/02/2021 - 09:15
11/02/2021Os microrganismos podem auxiliar na diminuição do colesterol e inibir o crescimento de patógenos como a Salmonella e a Escherichia coli    Considerado um super alimento por seu conhecido valor nutricional e capacidade antioxidante, além de combater o surgimento de doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, o açaí também pode apresentar benefícios como a redução de transtornos gastrointestinais e do colesterol. É o que aponta um estudo feito por pesquisadores do Centro de Valorização de Compostos Bioativos da Amazônia (CVACBA), laboratório ligado à Universidade Federal do Pará (UFPA) e instalado no Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, em Belém.   Os pesquisadores isolaram e identificaram, pela primeira vez, espécies de bactérias lácticas endofíticas (que habitam o interior de uma planta) do açaí, com alto potencial probiótico e que podem garantir a segurança alimentar no consumo do açaí azedo. A pesquisa avaliou a atividade antagônica in vitro de três cepas de bactérias lácticas (Pediococcus pentosaceus B125, Lactiplantibacillus plantarum B135 e Lactiplantibacillus plantarum Z183) contra dois patógenos - organismos capazes de causar doenças - a Salmonella typhimurium e a Escherichia coli.   “A atividade antagonista em nosso estudo avaliou a capacidade das bactérias lácticas de inibir o crescimento das bactérias patogênicas no suco de açaí mantidos em temperatura ambiente por um período de até 72h, que é o tempo máximo que o açaí ainda é consumido. Os resultados mostraram que as três bactérias lácticas foram capazes de inibir os dois patógenos. Sendo que para Salmonella, foram ainda mais eficazes”, aponta Suenne Sato, primeira autora do artigo.   Além da atividade antimicrobiana, as cepas também apresentaram a capacidade de resistir a situações de estresse que simulam a passagem pelo trato gastrointestinal. “O trajeto da boca até o cólon, local onde as bactérias probióticas devem colonizar e exercer atividades, apresenta inúmeras condições hostis pelas quais as bactérias precisam resistir e assim chegarem vivas no cólon em quantidade suficiente. A condição ácida do estômago é a primeira situação de grande estresse para os microrganismos, portanto realizamos alguns testes in vitro para verificar a viabilidade das cepas nessa condição e em condição subsequente, como a resistência aos sais biliares”, informa Suenne.   “É importante que esses microrganismos sejam seguros para uso e que também exerçam uma ou mais atividades benéficas. Para as bactérias isoladas no nosso estudo, fizemos o teste de desconjugação de sais biliares para identificar se elas apresentavam alguma atividade relacionada. Os resultados apontaram positivo para todas testadas. Isso significa uma possibilidade de contribuírem para a redução de colesterol sanguíneo”, complementa a pesquisadora.   O pesquisador Hervé Rogez, coordenador do CVACBA e orientador da tese de doutorado que deu origem ao artigo, destaca a importância da descoberta. “O cólon e o intestino grosso desempenham um papel muito importante para a saúde humana, é o segundo órgão que melhor deve ser cuidado, depois do coração. Há pelo menos 20 anos, os probióticos já vêm sendo estudados, mas aqui na região ainda temos poucos trabalhos sobre. O fato de ter descoberto mais um benefício no consumo de açaí, fruto tão comum na dieta da região, é muito relevante”, afirma Hervé.   As bactérias isoladas estão armazenadas no banco de bactérias do açaí no CVACBA para aprofundamentos futuros no intuito de descobrir mais funcionalidades e possíveis aplicações. “As cepas podem ser utilizadas não só em alimentos, mas também na agricultura e no setor cosmético, já que os endofíticos possuem um bom histórico de serem potenciais produtores de metabólitos (substância produzida durante o metabolismo) de interesse econômico. Ter microrganismos endofíticos especialmente isolados dos frutos de açaí pode contribuir ainda mais para a valorização desse alimento e possivelmente para trazer benefícios econômicos para toda a cadeia produtiva do açaí e para as regiões produtoras”, finaliza Suenne.   A íntegra do estudo “Isolation and Genetic Identification of Endophytic Lactic Acid Bacteria From the Amazonian Açai Fruits: Probiotics Features of Selected Strains and Their Potential to Inhibit Pathogens” foi publicada na Frontiers in Microbiology, revista de relevância internacional considerada líder em seu campo de atuação. Contribuíram para o estudo os pesquisadores Suenne Sato, Joana Montezano Marques, Andre da Luz Freitas,  Raphaela Progênio, Marcio Roberto Teixeira Nunes, Janaina Mota De Vasconcelos,  Fábio Gomes Moura e Hervé Rogez.    Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá) Foto: Divulgação  
Categorias: Notícias

Ela Pode divulga as próximas formações para moradoras dos bairros atendidos pelo TerPaz

ter, 09/02/2021 - 10:35
09/02/2021

Bengui, Cabanagem, Guamá, Terra Firme em Belém; Icuí-Guajará em Ananindeua; e Nova União em Marituba são os bairros atendidos pelo programa Territórios pela Paz (TerPaz) do governo do Pará que recebem as formações do projeto “Ela Pode” durante o mês de fevereiro e início de março. O Ela Pode é uma parceria fechada pelo governo estadual, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), juntamente com a Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa(Fadesp) para integrar as ações do TerPaz.

As formações do Ela Pode têm como público-alvo mulheres a partir de 16 anos que morem nos bairros atendidos TerPaz ou nas proximidades. Para participar, as interessadas devem se inscrever pelos canais online ou presencial. O conteúdo da formação presencial aborda o empreendedorismo feminino com estímulo à autonomia financeira e socioemocional das mulheres paraenses, levando em consideração suas realidades, percepções e trajetórias.

Nas formações são trabalhadas as seguintes temáticas: assertividade, liderança, redes de relacionamento, finanças e ferramentas digitais. Elas também participam de dinâmicas que ajudam na construção de redes de relacionamento, formação de rede de apoio e troca de saberes para se sentirem mais fortalecidas na busca de seus sonhos. “É um momento de grande aprendizado em que todas têm a oportunidade de se conhecer melhor e entender os caminhos para tocar seu negócio e/ou atividades profissionais”, explica Janaína Borghi, uma das coordenadoras do projeto.

A carga horária da formação do Ela Pode é de 8 horas presenciais e 8 horas online com acesso gratuito e ilimitado à Trilha Empreendedora, plataforma que apresenta uma série de vídeos exclusivos, com temas atuais, para quem quer começar um novo negócio ou para quem já está no mundo do empreendedorismo.

Cronograma de Formações

As formações do Ela Pode no mês de fevereiro iniciaram no último dia 6. As próximas formações serão nos dias 12 e 13. Vale ressaltar que os horários e dias de formação são negociados de acordo com a disponibilidade e necessidade de cada turma, podendo ocorrer nos dias úteis e finais de semana. As inscrições podem ser feitas tanto pelos links dos formulários de inscrição disponibilizados digitalmente em redes sociais, quanto presencialmente no local da formação.

 

Fevereiro

Turma

DATA FORMAÇÃO

BAIRRO

LOCAL

HORÁRIO

LINK DA INSCRIÇÃO

 

 

Turma Alecrim

 

 

 

12 e 13/02/2021

 

 

 

Benguí

 

Associação de Moradores Jaderlar (ASMOJA).

Endereço: Rua Chico Mendes n°61 Mangueirão, entre rua Primeiro de Junho e Rui Barbosa.

 

 

08h30 às 17h30

 

 

 

http://bit.ly/Alecrim1213

 

 

Turma Beladona

 

 

 

23/02/2021

 

 

 

Guamá

 

 

Associação Comunitária do bairro do Guamá - Núcleo Caraparú Rua Caraparú, 419

 

 

 

8h às 18h

 

 

 

http://bit.ly/Beladona2302

 

Turma Alfazema

 

 

18/02/2021

 

 

Terra Firme

 

Escola Brigadeiro Fontenelle - End.

Rua São Domingos n 510

 

 

8h às 18h

 

 

 http://bit.ly/Alfazema1802

 

 

Turma Hortênsia

 

 

 

19/02/2021

 

 

 

Cabanagem

 

 

Escola Padre Orione no bairro Una. Endereço: Rua 10 de maio,n°1, transcoqueiro, Bairro: Una

 

 

 

8h às 18h

 

 

 

http://bit.ly/Hortensia1902

 

Turma Açucena

 

20/02/2021

 

Icuí-Guajará

 

Escola Celina Del Tetto End. Avenida Santa Fé, 1223

 

8h às 18h

 

 http://bit.ly/acucena20

Turma Cravo

20/02/2021

Benguí

Grupo de Mulheres Brasileiras (GMB) Rua Benfica, n°18

8h às 18h

 http://bit.ly/Cravo20

 

Turma Camomila

 

 

27/02/2021

 

Marituba - Nova União

 

Escola Municipal Novo Horizonte -

R. do Fio, 93, bairro Novo Horizonte.

 

 

8h às 18h

 

 

 http://bit.ly/Camomila27

Março

 

 

Turma Canela

 

 

 

06/03/2021

 

 

 

Cabanagem

 

 

Escola Alcides Carneiro- Rua Bolívia, conjunto Jardim America, SN

 

 

 

8h às 18h

 

 

 

 http://bit.ly/Canela0602

 

Texto: Camila Fagundes e Jana Borghi (Projeto Ela Pode)

Foto: Programa Ela Pode - certificação no bairro da Cabanagem ocorrida em novembro de 2020.

Categorias: Notícias

Escolas técnicas estaduais encerram o período de pré-matrículas nesta terça-feira, 9

seg, 08/02/2021 - 14:35
08/02/2021

Termina nesta terça-feira (9) o prazo para a pré-matrícula nas Escolas de Ensino Técnico do Estado do Pará (EETEPA). São 4.235 vagas na modalidade Ensino Médio Integrado e 1.230 na modalidade Programa de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja), totalizando 5.465 vagas ofertadas pelo governo do estado por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet). A pré-matrícula deve ser feita AQUI até as 23h59 de amanhã (9).

Na modalidade Novo Ensino Médio Integrado – Itinerário profissional – podem se matricular os candidatos que concluíram o ensino fundamental ou o equivalente. O curso tem duração máxima de três anos e dá direito ao certificado de conclusão do ensino médio e diploma de técnico de nível médio, conforme a legislação em vigor. Na modalidade Proeja devem se matricular os candidatos com idade igual ou superior a 18 anos que tenham concluído o ensino fundamental ou equivalente. 

Somente terá direito à certificação do ensino médio e ao diploma de técnico de nível médio, assim como à progressão de estudos para níveis mais elevados, o aluno que integralizar a carga horária total do curso de sua escolha. 

Pessoas que já terminaram o ensino médio e querem fazer um curso técnico se encaixam na modalidade subsequente, que terá edital publicado no mês de março.

CONFIRMAÇÃO
Os candidatos pré-matriculados deverão comparecer à secretaria da escola para a qual concorrem à vaga, no período de 11 a 19 de fevereiro de 2021 para confirmação da matrícula, nos horários e escalonamentos (medida necessária para segurança sanitária) estipulados pela escola. No caso daqueles municípios que estiverem em bandeiramento preto, os alunos pré-matriculados deverão entregar os documentos nas escolas até cinco dias úteis após o término do lockdown.

No ato da confirmação de matrícula, o candidato deverá comparecer à escola, munido de original e cópia dos seguintes documentos: 

- requerimento de matrícula fornecido pela escola; 

- certidão de nascimento ou casamento; 

- carteira de identidade (RG) ou similar; 

- cadastro de pessoa física (CPF); 

- certificado ou declaração de conclusão do ensino fundamental; 

- histórico escolar do ensino fundamental;

- comprovante de residência recente (água, luz, telefone fixo ou móvel); 

- e duas fotos 3x4 recentes. 

Os cursos oferecidos em cada escola, divididos por modalidade, assim como a quantidade de vagas, estão disponíveis nos anexos I e II do edital, que podem ser conferidos AQUI. A previsão para o início das aulas é 22 de fevereiro.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom /Sectet)

Categorias: Notícias

Governo destina chips com internet móvel para alunos da universidade estadual

sex, 05/02/2021 - 09:50
05/02/2021

O governador Helder Barbalho anunciou, nesta quinta-feira (04), que alunos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) serão contemplados com chips de dados de internet móvel, no Programa Auxílio Conectividade. Ao todo, o Governo do Pará beneficiará aproximadamente oito mil estudantes mensalmente com um pacote de 20GB. O investimento do Tesouro Estadual será de 800 mil reais. 

O objetivo do Governo é garantir que os estudantes tenham acesso à internet diante do cenário de pandemia e de aulas remotas".

"A Uepa passará a disponibilizar chips de dados de celular para facilitar o acesso a informações, pesquisas e também para a participação em aulas remotas. Nós já tínhamos feito com os alunos da Seduc e agora nós temos a oportunidade de fazer da mesma maneira com os universitários”, destacou Helder Barbalho. 

A ação é coordenada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) e pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). A partir desta sexta-feira (05), a Uepa estará informando a forma de cadastramento para que os alunos possam aderir ao programa. Neste primeiro momento a iniciativa será por seis meses.

O novo benefício vai atender, prioritariamente, estudantes que estão concluindo os cursos do ano de 2020. De acordo com o reitor da UEPA, quase 60% dos alunos não tem renda ou possuem renda baixa e necessitam desse benefício. 

“A finalidade desses chips é poder facilitar a interação dos alunos nos ensinos remotos, propiciar meios para eles fazerem pesquisa, avançar com os estudos. Então, esse é um esforço coordenado do governo do estado que vai propiciar esse ganho e benefício aos alunos”, pontuou o reitor da Uepa, Rubens Cardoso. 

Para o secretário de Ciência e Tecnologia do Pará, Carlos Maneschy, essa é uma forma de o governo poder garantir uma estrutura para os estudantes. “Nós fizemos a negociação com a operadora e, nesse primeiro momento, são cinco mil chips disponíveis e na próxima semana completará os três mil. Nós avaliamos que os alunos não podem ficar prejudicados no processo de aprendizagem. A formação universitária também é prioridade no governo”, disse Maneschy.

Texto: Bruna Brabo (Secom)
Foto: Agência Pará

Categorias: Notícias

Pré-matrículas de novos alunos das escolas técnicas do Pará começam nesta quinta-feira (4)

qua, 03/02/2021 - 16:45
03/02/2021

As pré-matrículas para os interessados em ingressar nas Escolas de Ensino Técnico do Estado do Pará (EETEPA) começam nesta quinta-feira (4), a partir das 10 horas, conforme edital publicado no último dia 28 de janeiro no Diário Oficial do Estado (DOE). O processo diz respeito ao ingresso de novos alunos nos cursos técnicos de nível médio na modalidade novo Ensino Médio Integrado – itinerário profissional – e no programa de educação básica na modalidade de educação de jovens e adultos (Proeja), em todas as unidades profissionalizantes sob a responsabilidade da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

A partir deste ano, de acordo com Lei 9.104/2020, a gestão das escolas técnicas estaduais passou da responsabilidade da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para a Sectet. Foram disponibilizadas 4.235 (quatro mil duzentos e trinta e cinco) vagas na modalidade Ensino Médio Integrado, 1.230 (mil duzentos e trinta) vagas na modalidade Proeja, totalizando 5.465 (cinco mil quatrocentos e sessenta e cinco) vagas ofertadas. A oferta de turma será garantida mediante o número mínimo de 25 (vinte e cinco) alunos selecionados no curso/turno/turma, observado o limite de vagas nos Anexos I e II do Edital.

Para a modalidade Novo Ensino Médio Integrado – Itinerário profissional – podem se matricular os candidatos que concluíram o ensino fundamental ou o equivalente (havendo alternativa, o aluno maior de 18 anos deverá ser encaminhado para a modalidade de jovens e adultos). O curso tem duração máxima de três anos e lhe dá direito ao certificado de conclusão do ensino médio e diploma de técnico de nível médio, conforme a legislação em vigor.

Já na modalidade Proeja devem se matricular os candidatos que tenham concluído o ensino fundamental ou equivalente e com idade igual ou superior a 18 anos. Somente terá direito a certificação do ensino médio e ao diploma de técnico de nível médio, assim como, a progressão de estudos para níveis mais elevados, o aluno que integralizar a carga horária total do curso de sua escolha. Aqueles interessados em realizar um curso técnico mas já concluíram o ensino médio se encaixam na modalidade subsequente que terá edital publicado no mês de março.

Pré-matrícula

Os candidatos interessados em obter uma vaga em uma das escolas técnicas geridas pela Sectet devem realizar a pré-matrícula, no período de 4 a 9 de fevereiro, AQUI. A efetivação da pré-matrícula obedecerá à ordem de preenchimento do sistema na escolha por uma vaga na escola/curso/turno/turma. Os candidatos que excederem as vagas disponíveis por escola/curso/turma/turno na fase da pré-matrícula ficarão em lista de espera, classificados em ordem decrescente, e serão chamados para confirmação de matrícula, caso haja desistência dos pré-matriculados, que não confirmarem a matrícula conforme o cronograma do edital.

Os candidatos deverão comprovar documentalmente as informações prestadas no ato da pré-matrícula, sob pena de não fazendo ou de não confirmação das informações prestadas, perder a vaga pleiteada. No ato da pré-matrícula, o candidato escolherá o curso pretendido e manifestará interesse por uma segunda opção de curso. Esta segunda opção de curso técnico está condicionada a não formação da turma escolhida como primeira opção.

Confirmação de matrícula

Os candidatos pré-matriculados deverão comparecer à secretaria da escola para a qual concorre à vaga, no período de 11 a 19 de fevereiro de 2021 para confirmação da matrícula, nos horários e escalonamentos (medida necessária para segurança sanitária) estipulados pela escola. No caso daqueles municípios que estiverem em bandeiramento preto, os alunos pré-matriculados deverão entregar os documentos nas escolas até cinco dias úteis após o término do lockdown.

No ato da confirmação de matrícula, o candidato deverá comparecer à escola, munido de original e cópia dos seguintes documentos: requerimento de matrícula fornecido pela escola; certidão de nascimento ou casamento; carteira de identidade (RG) ou similar; cadastro de pessoa física (CPF); certificado ou declaração de conclusão do ensino fundamental; histórico escolar do ensino fundamental; comprovante de residência recente (água, luz, telefone fixo ou móvel); e duas fotos 3x4 recentes. Os cursos oferecidos por cada escola divididos por modalidade, assim como a quantidade de vagas, estão disponíveis nos anexos I e II do edital. A previsão para o início das aulas é 22 de fevereiro.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Foto: Agência Pará

Categorias: Notícias

Turmas de 2020 do Forma Pará já têm datas para prova e início dos cursos

sex, 29/01/2021 - 10:57
29/01/2021

Lançado em agosto de 2019, o Programa Forma Pará deve realizar em abril as provas da segunda etapa do projeto que visa, em articulação com universidades públicas, a interiorização do Ensino Superior no Estado. Previstos para ocorrer em dezembro, os exames foram adiados por causa da pandemia do novo coronavírus. Os cursos da turma de 2020 devem começar entre junho e agosto, e a chamada para as turmas de 2021 está prevista para maio.

Ofertado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), o Forma Pará possibilita a união entre Governo, Instituições de Ensino Superior Públicas, prefeituras e associações Municipais no intuito de expandir a oferta de vagas dos cursos de graduação (bacharelado, licenciatura e tecnológica) nos municípios onde não há polos de tais instituições públicas ou onde não exista a oferta de determinado curso, porém haja demanda para tal.

Segundo a adjunta da pasta, Edilza Fontes, somente a Universidade Federal do Pará (UFPA) não participa das chamadas de 2020 e 2021, alegando dificuldades em abrir turmas fora de sede por causa da crise sanitária. "Mas estamos com outras universidades públicas de excelência, e o planejamento é realizar a prova em abril, em data acordada com as instituições e prefeituras, e acreditamos que até lá a vacinação terá alcançado boa parte da população", avalia a gestora.

Para a moradora de Salinas, Martha Vieira, de 39 anos, o Forma Pará realizou um sonho antigo, que era se graduar em História. O curso é ofertado em São João de Pirabas pelo programa e realizado pela UFPA. “Cursar História em uma universidade pública sempre foi um sonho, porém com a maternidade e o trabalho, ficou complicado. Uma graduação de humanas do nível da UFPA em nossa região é maravilhoso, modifica a forma de pensar e perceber nossa realidade. Jamais pensei que poderia cursar bem próximo à cidade em que resido, se fosse em outro campus (Bragança ou Ananindeua) eu não poderia, devido ao meu trabalho”, relata. 

Em dois anos de governo, a iniciativa já ofertou duas mil vagas de cursos superiores em todas as regiões de integração do Estado. A meta é que, nos próximos dois anos, mais duas mil sejam disponibilizadas. “Entendemos que esse programa é importante para abrir oportunidade de geração de emprego. Ciência e tecnologia são o caminho para isso. Reconhecemos que é pouco diante do déficit, mas é muito diante do que já foi feito”, afirma o titular da Sectet, Carlos Maneschy.  

Ele lembra ainda que a disposição deste governo em investir em recursos humanos não se encerra no programa Forma Pará. “Vamos abrir uma janela de oportunidades que serão consequência da aprovação da Lei 133, de destinação da Cfem para atividade de ciência, tecnologia e inovação e formação de recursos humanos”, ressaltou. 

Nesta fase do projeto, são ofertadas 995 vagas em 15 cursos, distribuídos em 18 municípios do Pará e dois distritos da capital: Administração (Abel Figueiredo);

- Ciências Contábeis (Bom Jesus do Tocantins);

- Pedagogia (Itupiranga);

- Psicologia (Jacundá);

- Zootecnia (Ourilândia do Norte);

- Medicina Veterinária (Piçarra);

- Engenharia Florestal (Tailândia);

- Rede de Computadores (Dom Eliseu);

- História (Marituba);

- Física (Muaná);

- Ciências Biológicas (Novo Repartimento);

- Agronomia (Cachoeira do Piriá, Rurópolis, Goianésia, Mocajuba e Ourém);

- Engenharia Ambiental e Sanitária (Novo Progresso);

- Gastronomia (Salinópolis e Icoaraci);

- Rede de computadores em Mosqueiro, único em que a seleção dos candidatos será realizada por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2019).

Texto: Carol Menezes (Secom)

Categorias: Notícias

Sectet divulga edital sobre matrículas de novos alunos nas escolas técnicas do Pará

qui, 28/01/2021 - 13:45
28/01/2021

O edital do processo seletivo 2021 para ingresso de alunos nas Escolas de Ensino Técnico do Estado do Pará (EETEPA) foi publicado na manhã desta quinta-feira (28) no Diário Oficial do Estado (DOE). O processo diz respeito ao ingresso de novos alunos nos cursos técnicos de nível médio na modalidade novo Ensino Médio Integrado – itinerário profissional – e no programa de educação básica na modalidade de educação de jovens e adultos (Proeja), em todas as unidades profissionalizantes sob a responsabilidade da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

A partir deste ano, de acordo com Lei 9.104/2020,  a gestão das escolas técnicas estaduais passou da responsabilidade da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para a Sectet. Foram disponibilizadas 4.235 (quatro mil duzentos e trinta e cinco) vagas na modalidade Ensino Médio Integrado, 1.230 (mil duzentos e trinta) vagas na modalidade Proeja, totalizando 5.465 (cinco mil quatrocentos e sessenta e cinco) vagas ofertadas. A oferta de turma será garantida mediante o número mínimo de 25 (vinte e cinco) alunos selecionados no curso/turno/turma, observado o limite de vagas nos Anexos I e II do Edital.

Para a modalidade Novo Ensino Médio Integrado – Itinerário profissional – podem se matricular os candidatos que concluíram o ensino fundamental ou o equivalente (havendo alternativa, o aluno maior de 18 anos deverá ser encaminhado para a modalidade de jovens e adultos). O curso tem duração máxima de três anos e lhe dá direito ao certificado de conclusão do ensino médio e diploma de técnico de nível médio, conforme a legislação em vigor. Já na modalidade Proeja devem se matricular os candidatos que tenham concluído o ensino fundamental ou equivalente e com idade igual ou superior a 18 anos. Somente terá direito a certificação do ensino médio e ao diploma de técnico de nível médio, assim como, a progressão de estudos para níveis mais elevados, o aluno que integralizar a carga horária total do curso de sua escolha.

Pré-matrícula

Os candidatos interessados devem, primeiramente, ler todo o edital de ofertas de vagas disponível no site da Sectet. Só então devem prosseguir para a realização da pré-matrícula, no período de 4 a 9 de fevereiro, em link a ser disponibilizado no mesmo site. A efetivação da pré-matrícula obedecerá à ordem de preenchimento do sistema na escolha por uma vaga na escola/curso/turno/turma. Os candidatos que excederem as vagas disponíveis por escola/curso/turma/turno na fase da pré-matrícula ficarão em lista de espera, classificados em ordem decrescente, e serão chamados para confirmação de matrícula, caso haja desistência dos pré-matriculados, que não confirmarem a matrícula conforme o cronograma do edital.

Os candidatos deverão comprovar documentalmente as informações prestadas no ato da pré-matrícula, sob pena de não fazendo ou de não confirmação das informações prestadas, perder a vaga pleiteada. No ato da pré-matrícula, o candidato escolherá o curso pretendido e manifestará interesse por uma segunda opção de curso. Esta segunda opção de curso técnico está condicionada a não formação da turma escolhida como primeira opção.

Confirmação de matrícula

Os candidatos pré-matriculados deverão comparecer à secretaria da escola para a qual concorre à vaga, no período de 11 a 19 de fevereiro de 2021 para confirmação da matrícula, nos horários e escalonamentos (medida necessária para segurança sanitária) estipulados pela escola. Os horários das confirmações de matrículas serão decididos pelas escolas devendo abranger os três turnos, no caso das escolas que ofertam cursos e turmas também no período noturno.

No ato da confirmação de matrícula, o candidato deverá comparecer à escola, munido de original e cópia dos seguintes documentos: requerimento de matrícula fornecido pela escola; certidão de nascimento ou casamento; carteira de identidade (RG) ou similar; cadastro de pessoa física (CPF); certificado ou declaração de conclusão do ensino fundamental; histórico escolar do ensino fundamental; comprovante de residência recente (água, luz, telefone fixo ou móvel); e duas fotos 3x4 recentes.

Os cursos oferecidos por cada escola divididos por modalidade, assim como a quantidade de vagas, estão disponíveis nos anexos I e II do edital. A previsão para o início das aulas é 22 de fevereiro. O edital completo e seus anexos podem ser acessados AQUI.

 

Texto: Ascom/Sectet

Foto: Arquivo-Agência Pará

Categorias: Notícias

Acordo entre PM e Sectet garante capacitação para familiares de agentes e população

qua, 27/01/2021 - 13:38
27/01/2021

Um acordo de cooperação técnica entre a Polícia Militar e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), que prevê a execução do Projeto Caminhos, vai promover a capacitação de familiares de policiais militares, por meio de cursos profissionalizantes. A aprovação do acordo entre os órgãos foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), na última sexta-feira (22).

Com a publicação do acordo, a expectativa é que as entidades se encontrem até a próxima semana para definirem os cursos que serão disponibilizados ao público. O treinamento será ofertado por entidades dos setores público e privado em diversos municípios da Região Metropolitana de Belém e interior do Estado.

Para o comandante-geral da PM, coronel Dilson Júnior, o "Caminhos" é um avanço na valorização do policial e familiares, e os cursos oferecidos serão um instrumento de aproximação entre a Polícia e a comunidade à medida que vai trazer novas oportunidades.

Idealizado há um ano, o Projeto Caminhos avançou para a concretização, graças ao trabalho integrado de oficiais do gabinete do comando-geral, Escritório de Projetos e Consultoria Jurídica da PM (Conjur), em parceria com os gestores da Sectet.

De acordo com o assistente do comandante-geral, tenente-coronel Mauro Martins, centenas de familiares de policiais já se inscreveram para participar dos cursos. O oficial destacou que a parceria com a Sectet representará importantes conquistas.

"Além dos cursos de formação inicial e continuada de curta e média duração e dos cursos técnicos já previstos no ano passado, o Programa Caminhos vai ofertar turmas para os cursos tecnológicos e de pós-graduação' e outras para cursos de graduação e pós-graduação, que ainda serão definidos", concluiu.

Para Sue Anne, esposa do comandante-geral e uma das principais incentivadoras do projeto, empreender, em especial próximo da família, trará inúmeros benefícios sociais aos envolvidos no projeto. "Um dos maiores objetivos é garantir a oportunidade para que os familiares, dependentes dos policiais e comunidade em geral possam acreditar que podem gerar renda, tornarem-se microempreendedores dentro da própria residência”, destacou.

O comandante-geral da PM destaca que, apesar dos cursos serem oferecidos, preferencialmente, para os familiares dos militares, também serão disponibilizadas vagas para a população civil.

“A Polícia Militar exerce, hoje, um protagonismo social muito forte, é referência na área da segurança e no aspecto social, auxiliando constantemente a população nas comunidades. Isso é algo que já fazemos naturalmente e agora vamos institucionalizar essas ações, por meio da disponibilização de cursos que, com certeza, irão mudar a vida de muitas pessoas. Nossa intenção é alcançar os 144 municípios com a ajuda da estrutura dos órgãos parceiros” ressalta.

Inscrições

Os familiares dos policiais interessados em participar dos cursos devem procurar o batalhão mais próximo para realizar sua inscrição no Projeto Caminhos. Os batalhões serão encarregados de organizar, inscrever e encaminhar as demandas para o gabinete do Comando-Geral. O início dos cursos deve ocorrer ainda no primeiro bimestre deste ano.

Texto: Taiane Figueiredo (PM)

Fotos: PM

Categorias: Notícias

Sectet e Seduc reúnem para viabilizar provas da segunda etapa do Forma Pará

sex, 22/01/2021 - 16:15
22/01/2021

No intuito de viabilizar o andamento da seleção para a segunda fase do programa Forma Pará, o titular e a adjunta da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Maneschy e Edilza Fontes, reuniram-se com a titular da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Elieth de Fátima Braga, no último dia 18 de janeiro, na Sectet, a fim de discutir a liberação de escolas estaduais para a realização das provas da segunda etapa do Programa Forma Pará, que serão aplicadas e organizadas pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), respeitando todos os protocolos de segurança estabelecidos contra a COVID-19.

As provas do processo seletivo especial deveriam ocorrer em dezembro de 2020, mas foram suspensas em decorrência do aumento do número de casos da doença. Entretanto, o Governo do Pará, por meio da Sectet, espera retomar as atividades da segunda etapa do Forma Pará, projeto que visa contribuir para a interiorização do ensino superior no estado, em breve. A nova previsão para a realização do processo seletivo é dia 11 de abril de 2021.

Nesta fase do projeto, são ofertadas 995 vagas em 15 cursos, distribuídos em 18 municípios do Pará e dois distritos da capital: administração (Abel Fiqueiredo);  ciências contábeis (Bom Jesus do Tocantins); pedagogia (Itupiranga); psicologia (Jacundá); zootecnia (Ourilândia do Norte); medicina veterinária (Piçarra); engenharia florestal (Tailândia);  rede de computadores (Dom Eliseu); história (Marituba); física (Muaná); ciências biológicas (Novo Repartimento);  agronomia (Cachoeira do Piriá, Rurópolis, Goianésia, Mocajuba e Ourém); engenharia ambiental e sanitária (Novo Progresso); Gastronomia (Salinópolis e Icoaraci); e, por fim, o curso de rede de computadores em Mosqueiro, único em que a seleção dos candidatos será realizada por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM 2020).

 

Texto: Secad/Sectet

Categorias: Notícias

Equipes dos projetos Mapas Digitais e Meu Endereço se reúnem com lideres comunitários em Marituba

qui, 14/01/2021 - 14:07
14/01/2021

“Quem vem para nossa comunidade é sempre bem-vindo. Quando o TerPaz surgiu aqui começamos a acreditar que nossos sonhos poderiam se tornar realidade e, nesse tempo em que o programa está aqui, já vimos muita coisa avançar”. Dessa forma, o líder comunitário Edinaldo Silva deu boas vindas às equipes dos projetos “Mapas Digitais” e “Meu Endereço: lugar de paz e segurança social” na manhã desta quinta-feira (14) em reunião que ocorreu na escola Dom Calábria, em Marituba.

Os projetos são desenvolvidos pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), em parceria com a Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento e a Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA), dentro do programa Territórios pela Paz (TerPaz), do Governo do Estado. Na ocasião, as equipes explicaram para três líderes comunitários* do território Nova União/São Francisco, um dos sete atendidos pelo TerPaz, como os projetos se desenvolvem.

Na oportunidade, estiveram presentes os 20 bolsistas do projeto Mapas Digitais que irão percorrer cerca de 85 quadras dos referidos bairros, a partir do dia 18 de janeiro, para mapear na comunidade as condições sociais, ambientais e econômicas, assim como equipamentos urbanos, entre outros. O coordenador do projeto Mapas Digitais, Paulo Melo, professor da Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento da UFPA, explica que o mapa digital, ou cartografia digital, é um processo onde um conjunto de dados é formatado numa imagem virtual.

“Desde o lançamento do Projeto no final de 2019, no bairro da Cabanagem,  toda equipe elabora mapas digitais nos sete territórios beneficiados pelo Terpaz. Fazemos identificação e a localização das redes de escolas públicas e privadas; ruas sem pavimentação; praças e terrenos com potencial para implantação de projetos sociais e ambientais; quintais urbanos com potencial para a prestação de serviços ambientais; centros culturais e comunitários; hospitais e postos de saúde. Uma leitura urbana do território, que será construída com a participação da comunidade, pois ela é conhecedora da realidade local”, detalha o coordenador.

Paulo Melo destacou que as informações colhidas pelo projeto, além de serem entregues à Sectet por meio de relatórios, também serão apresentadas à comunidade com um aplicativo. Para o líder comunitário, Nucivaldo Vieira, ter essas informações é “muito importante para que município e Estado possam planejar políticas públicas para a comunidade”.

Drone – As equipes dos dois projetos aproveitaram a ida à escola para fixar um marco geodésico que servirá de referência para o sobrevoo do drone que será utilizado pelas duas equipes a fim de mapear de forma mais eficiente e detalhada o território. Segundo o vice-coordenador do projeto Meu Endereço, Renato Neves, a utilização do drone vai facilitar e complementar o trabalho já realizado pela equipe e serve para a elaboração da planta baixa que integra o “Kit Meu Endereço”.

“A somatória dos dados levantados pelo drone e a sistematização das informações nos mapas digitais, possibilitam a identificação de um conjunto de desigualdades e demandas sociais urgentes das comunidades”, assinala o engenheiro sanitarista e integrante da CRF-UFPA, Daniel Mesquita. Com estes dados sistematizados, segundo o engenheiro, as informações servem de indicadores para nortear o ordenamento urbano local e apontam caminhos para o poder público planejar e construir políticas públicas, com participação da comunidade, visando tornar a casa, o lote, a quadra, o bairro e a cidade mais inclusiva para os moradores. “A expectativa com a parceria é muito positiva, pois as resoluções destas desigualdades representam mais segurança, qualidade de vida e cidadania para os moradores da cidade”, finaliza.

 

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet) com informações de Kid Reis (Ascom/CRF-UFPA)

Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

*A reunião com mais pessoas da comunidade não pode ocorrer para evitar aglomeração neste período de pandemia.

 
Categorias: Notícias

Páginas