• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 47 minutos 1 segundo atrás

Edital n° 04/2020

qua, 13/01/2021 - 07:40
13/01/2021

Candidatos são convocados para assinar termo de concessão de bolsa

Os candidatos abaixo relacionado devem comparecer na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) até as 12 horas do dia 14 de janeiro de 2021 para assinarem o termo de concessão de bolsa, conforme extratos publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (13).

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: ANDRÉ LUÍS MORAES

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados de Coordenador e de Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo ao Apoio as atividades administrativas corresponderá a R$ 20,00 (vinte reais) por hora, limitada a um máximo de 160 (cento e sessenta) horas ao mês.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

 

 

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: NATÁLIA CAVALCANTE ASSUNÇÃO

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados para Coordenador e de Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo ao Apoio as atividades administrativas corresponderá a R$ 20,00 (vinte reais) por hora, limitada a um máximo de 160 (cento e sessenta) horas ao mês.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

 

 

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: ROSA MARIA MATTOS BRITO NICOLAU DA COSTA

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados para Coordenador e de Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo ao Apoio as atividades administrativas corresponderá a R$ 20,00 (vinte reais) por hora, limitada a um máximo de 160 (cento e sessenta) horas ao mês.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

 

 

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: SUELEM CARDELLY DINELLY

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados para Coordenador e de Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo a Apoio as atividades administrativas corresponderá a R$ 20,00 (vinte reais) por hora, limitada a um máximo de 160 (cento e sessenta) horas ao mês.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

 

 

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: TAMISI MATOS OLIVEIRA

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados para Coordenador e de Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo ao Apoio as atividades administrativas corresponderá a R$ 20,00 (vinte reais) por hora, limitada a um máximo de 160 (cento e sessenta) horas ao mês.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

 

 

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: CRISTIANE FLORINDA MONTEIRO DE OLIVEIRA

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados para Coordenador e de Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo a Coordenação corresponderá a R$ 65,00 (sessenta e cinco reais) por hora (60 minutos) de aula, limitada a um máximo de 80 (oitenta) horas mensais.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

 

 

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: IVETE DE FÁTIMA FERREIRA BRABO

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados para Coordenador e de Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo ao Coordenador corresponderá a R$ 65,00 (sessenta e cinco reais) por hora (60 minutos) de aula, limitada a um máximo de 80 (oitenta) horas mensais.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

 

 

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: SÉRGIO ISMAEL MIRANDA DE VASCONCELLOS CHAVES

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados para a Coordenador  e de Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo ao Coordenador corresponderá a R$ 65,00 (sessenta e cinco reais) por hora (60 minutos), limitada a um máximo de 80 (oitenta) horas mensais.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

 

 

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: ÚRSULA AMANDA DOS SANTOS SIQUEIRA

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados para prestação de serviços de Coordenador e de Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo ao Coordenador corresponderá a R$ 65,00 (sessenta e cinco reais) por hora (60 minutos) , limitada a um máximo de 80 (oitenta) horas mensais.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

 

 

EXTRATO DE TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INCENTIVO DO PROGRAMA PARÁ PROFISSIONAL

CONCEDENTE: Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET (CNPJ/MF: 08.978.226/0001-73)

NOME DO BOLSISTA: ZAIRA LÚCIA MARTINS VENÂNCIO

OBJETO: Este instrumento tem por objeto a concessão de bolsa de incentivo ao bolsista selecionado (a) através do Edital nº 004/2020 - SECTET - Edital de credenciamento de profissionais especializados para Coordenador e Apoio às atividades administrativas para atendimento às demandas do programa Pará Profissional, sem geração de vínculo empregatício com o Estado do Pará.

VALOR DA BOLSA: O valor da bolsa de incentivo ao Coordenador corresponderá a R$ 65,00 (sessenta e cinco reais) por hora (60 minutos), limitada a um máximo de 80 (oitenta) horas mensais.

VIGÊNCIA DA BOLSA: a contar da data assinatura até 05/04/2021

DATA DE ASSINATURA: 06/01/2021

ORDENADOR

Carlos Edilson de Almeida Maneschy

Categorias: Notícias

Sectet seleciona profissionais para ministrar cursos EAD do Programa TecPará

ter, 12/01/2021 - 13:57
12/01/2021

Estão abertas as inscrições para credenciamento de profissionais para prestação de serviços como instrutores, tutores e coordenares acadêmicos de cursos ofertados pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), na modalidade de educação a distância do Programa estadual de Educação Profissional e Tecnológica (TecPará). Os interessados devem se inscrever até esta quarta-feira (13), conforme edital disponibilizado no link abaixo.

A prestação dos serviços não gera vínculo empregatício com o Estado, sendo os profissionais remunerados por meio de bolsas. Os selecionados farão parte de um cadastro de pessoas habilitadas, que serão convocadas de acordo com a demanda do Programa. A vigência do credenciamento é de seis meses, podendo ser prorrogada por igual período.

Confira o edital completo AQUI.

Texto: Jeniffer Galvão

 

Categorias: Notícias

Convocação

qua, 06/01/2021 - 13:39
06/01/2021

Edital de chamamento público no 04/2020

Solicitamos o comparecimento nesta Sectet, até as 12 horas do dia 8 de janeiro de 2021, dos cinco primeiros colocados em cada função prevista no edital de chamamento público no 04/2020, a fim de tratar de assunto referente à seleção pública. Informamos que um e-mail de convocação foi enviado a cada um dos seguintes candidatos:

APOIO:

Rosa Maria Mattos Brito Nicolau da Costa

André Luís Moraes

Suelem Cardelly Dinelly

Tamisi Matos Oliveira

Natália Cavalcante Assunção

 

COORDENADOR:

Sérgio Ismael Miranda de Vasconcelos Chaves

Zaira Lúcia Martins Venâncio

Ivete de Fátima Ferreira Brabo

Cristiane Florinda Monteiro de Oliveira

Úrsula Amanda dos Santos Siqueira

Categorias: Notícias

PCT Guamá inicia comemoração pelos 10 anos de funcionamento com live sobre inovação

qua, 16/12/2020 - 10:44
16/12/2020

 

Na próxima quinta-feira (17), às 09h50, uma conversa sobre desafios, oportunidades e perspectivas de futuro para os ambientes de inovação marcará o início da comemoração pelos 10 anos de funcionamento do Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, em Belém. Gratuita e aberta ao público, a live contará com a participação de representantes de instituições nacionais, que são referência na promoção do empreendedorismo e da inovação.   O evento será mediado pelo diretor presidente da Fundação Guamá, Rodrigo Quites, e contará com a presença de Francisco Saboya, presidente da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec); Rodrigo de Lima, gerente do escritório Regional Norte da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep); Bruno Laskowsky, diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Interno do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e de Essio Lanfredi, chefe do escritório Região Norte da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

“As quatro instituições convidadas desempenharam atividades importantes no início do PCT Guamá. É uma alegria termos a oportunidade de reforçar a parceria com essas instituições no momento que comemoramos os 10 anos do Parque. Assim, é importante retomar o diálogo e ampliar a discussão sobre a importância e o futuro dos ambientes de inovação no desenvolvimento da Amazônia”, enfatiza Rodrigo Quites.

  Trajetória - A concepção do projeto do PCT Guamá começou no início dos anos 2000, quando a Universidade Federal do Pará (UFPA) realizou uma série de estudos e anteprojetos, financiados pela Finep, para a implantação de um Parque de Ciência e Tecnologia na instituição de ensino superior.

A proposta foi apresentada e acolhida pelo Estado, ampliando a iniciativa para a estrutura atual, consolidando a parceria entre o Governo do Pará, a UFPA e a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra).

A gestão do Parque é realizada pela Fundação Guamá, uma organização sem fins lucrativos, instituída em 2009 por um grupo de professores da UFPA. Qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá, a Fundação é apoiada pelo Governo, por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet).

Nesta primeira década, cerca de 180 empreendimentos, entre startups e negócios consolidados já residiram ou se associaram ao Parque. Dezessete centros e laboratórios de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) trabalham intensamente para fazer ciência, inovar e criar novas tecnologias, usando o enorme potencial de recursos da própria Amazônia.

  História - Para relembrar diferentes momentos da trajetória do parque tecnológico, a Fundação Guamá está reunindo depoimentos de vários agentes que fizeram e fazem parte da história do PCT Guamá. O material pode ser conferido no site www.pctguama.org.br.

A programação comemorativa inclui ainda o lançamento de produtos tecnológicos, como uma maquete virtual 3D e um aplicativo para smartphone com as principais informações sobre eventos, serviços, empresas e laboratórios ligados ao PCT Guamá.

Serviço: Live “Ambientes de Inovação na Amazônia”, na próxima quinta (17), às 09h50, no YouTube e Facebook do PCT Guamá.

  Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT-Guamá)
Categorias: Notícias

Projeto Mapas Digitais dá início ao trabalho de campo no bairro da Cabanagem

ter, 15/12/2020 - 15:20
15/12/2020

Um dos objetivos do Projeto "Mapas Digitais" é fomentar a economia dos bairros, indicando, por meio de aplicativo, onde os moradores podem encontrar vendas de produtos populares como chope, churrasquinho, açaí, entre outros.

“Eu sou a Lucinette Rebouças e me coloco à disposição para ajudar os alunos, inclusive eu vendo cosméticos, quem precisar é só me chamar”, disse a moradora da Cabanagem, arrancando risadas e aplausos da equipe do projeto que se reuniu na manhã desta terça-feira (15) para dar início ao trabalho de campo no bairro. 

“Vamos inserir no mapeamento um item sobre beleza e cosméticos, atendendo assim a dona Lucinette e outras revendedoras do bairro”, disse o coordenador do Mapas Digitais, Paulo Melo, ressaltando a importância do empreendedorismo popular nos bairros do Programa Territórios Pela Paz, onde é desenvolvido o projeto, realizado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) em parceira com a Faculdade de Tecnologia em Geoprocessamento da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Apoio comunitário - Alguns líderes comunitários e moradores da Cabanagem foram convidados a participar da reunião desta terça, realizada na escola estadual José Valente Ribeiro, onde se reuniram os profissionais, estagiários e bolsistas do projeto. A diretora da escola, Ivanilda Vieira, deu boas vindas aos participantes e falou da importância dos moradores colaborarem com a equipe do Mapas Digitais.

Para realizar o levantamento de campo, os alunos bolsistas foram divididos em 10 duplas que irão percorrer as 146 quadras do bairro. “Achei o projeto muito importante, pois com o mapeamento poderemos encontrar no nosso bairro produtos e serviços que precisamos”, disse Lucinette, que se mostrou disposta a ajudar os alunos no trabalho de campo. 

Outra moradora que se prontificou a ajudar a equipe foi a Tatiane Vilar. “Estou de férias neste mês de dezembro e posso contribuir com os alunos nesse projeto que é muito interessante e ajuda as pessoas que têm suas vendas a ficarem mais conhecidas no bairro”, declarou.

Políticas públicas - Os bolsistas do projeto, selecionados nos próprios bairros do TerPaz entre alunos de universidades públicas e privadas, começam a percorrer as ruas da Cabanagem nesta quarta (16) para confirmar o mapeamento dos logradouros e equipamentos do bairro feito durante o trabalho de home office por meio da internet.

“Vamos comprovar o levantamento prévio feito remotamente e acrescentar outras informações como as condições das vias, pontos de alagamento e locais de descarte irregular de lixo”, explicou Paulo Melo. Ele enfatizou que outro objetivo principal do projeto é construir uma grande base de informações que vão nortear o governo na elaboração e implementação de políticas públicas.

As informações levantadas serão disponibilizadas em mapas digitais que estarão disponíveis num aplicativo que já está sendo elaborado pela equipe do projeto.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Priscila Castro (Ascom Sectet)

Categorias: Notícias

NOTA DE PESAR

seg, 14/12/2020 - 14:57
14/12/2020

É com pesar que a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) comunica o falecimento do Sr. RAIMUNDO PAULO DE SOUZA CORDEIRO, ocorrido nesta segunda-feira (14). 

Paulo Cordeiro era  Assessor Técnico do Secretário Carlos Maneschy na Fapespa e na Sectet.

Agradecemos pelos trabalhos prestados pelo servidor enquanto fez parte de nossa equipe.

Nesse momento difícil prestamos as mais sinceras condolências e solidariedade aos familiares e amigos do servidor.

 

Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior Profissional e Tecnológica - Sectet

Categorias: Notícias

Novos prefeitos são convidados a trabalho coletivo em educação, cultura e comunicação

seg, 14/12/2020 - 09:10
14/12/2020

O compromisso do governo do Pará com um estado no qual a distribuição das riquezas produzidas seja mais igualitária, exige que a ciência, o conhecimento e o investimento na formação das pessoas tenham um papel de protagonismo nas políticas públicas. Esse foi o argumento que norteou a intervenção do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), Carlos Maneschy, durante o Seminário Novos Gestores 2021, neste sábado (12).

Durante o evento, representantes do governo do estado apresentaram aos prefeitos recém-eleitos as ações da gestão estadual nas áreas de ciência, tecnologia, educação, esporte, comunicação e formação de servidores. A parceria entre o Governo do Estado e a Federação das Associações dos Municípios do Estado do Pará (Famep) prosseguiu nesta sexta e sábado (10 e 11/12), na Estação das Docas.

Maneschy falou sobre "A educação, cultura e tecnologia nos municípios paraenses", durante a mesa presidida por Jaime da Silva Barbosa, presidente da Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó (Amam). 

"Junto com prefeitas e prefeitos eleitos nós vamos discutir um plano de formação profissional abrangente e ousado, que vai proporcionar de fato a capacitação e a qualificação das pessoas neste estado", disse o secretario Maneschy. Ele frisou ainda o investimento em educação superior, que vem sendo feito pelo programa Forma Pará, que oferece cursos de graduação nos municípios e oferecerá também oportunidade de pós-graduação.

Outro ponto ressaltado pelo titular da Sectet foi a aprovação da Lei Complementar 133/2020, que prevê o repasse de 20% dos recursos da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem) para investimento em desenvolvimento científico e tecnológico e na diversificação econômica.

Os recursos ficarão sob a responsabilidade da Sectet e permitirão a expansão dos programas de formação superior, técnica e tecnológica, além de projetos de empreendedorismo e melhoria da cobertura de internet em todo o estado, entre outros.

COLETIVO

"Se nós nos associarmos e trabalharmos coletivamente, temos condições muito objetivas de colocar a riqueza e a potencialidade que a natureza nos deu a serviço de todas as pessoas que moram no estado do Pará, fazendo com que essa riqueza seja distribuída de forma mais equânime. Assim, nós teremos um estado próspero, com muitas oportunidades, de muita paz e onde todos nós possamos ser felizes", finalizou Carlos Maneschy.

Na mesma direção do estímulo ao trabalho conjunto, a secretária de Estado de Educação, Elieth de Fátima Braga, ressaltou que a educação é a base do desenvolvimento e transformação da sociedade e conclamou a todos para um esforço coletivo em prol da educação.

“Tenho certeza de que hoje, servindo um governo que tem na educação o grande pilar da sua gestão, nós vamos muito longe. Vamos aproveitar que temos um governador que se preocupa com a educação para que possamos nos dar as mãos e trabalhar em conjunto num grande movimento a favor da educação do estado do Pará”, disse a secretária.

CULTURA

A secretária de Estado de Cultura, Úrsula Vidal, falou dos investimentos na descentralização das programações culturais promovidas pelo governo e enfatizou a necessidade de elaboração de projetos para captação de recursos disponíveis por meio da Lei Rouanet e da Lei Semear. Ela ainda destacou os recursos disponíveis por meio da Lei Aldir Blanc para investimento em produtores culturais dos municípios.

Segundo a secretária, existem recursos para serem injetados no setores de cultura e turismo e que é preciso estimular os microempreendedores individuais, a formação de associações e cooperativas, profissionalizando a economia criativa da cultura e da arte, aproveitando a grande riqueza cultural e ambiental do Pará.

SERVIDORES

A Diretora Geral da Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA), Evanilza Marinho, reforçou o trabalho que a instituição realiza com servidores municipais na capacitação, valorização e inovação, apresentando as principais iniciativas da EGPA executadas nos últimos dois anos.

Um dos assuntos abordados foi o planejamento de novos cursos, voltados especificamente para os novos gestores e as equipes que irão atuar nos municípios a partir do próximo ano. Os cursos abordam as áreas de administração e gestão pública, educação e saúde.

"Pensando no início dessa nova gestão, preparamos uma trilha de formação para descentralizar ao máximo a capacitação. Também queremos criar salas com equipamentos em todos os municípios, para criar um espaço de formação, tendo a EGPA como fomentadora", afirma Evanilza. A EGPA oferece cursos gratuitos para servidores públicos estaduais e municipais, podendo atender, inclusive, demandas específicas dos municípios.

ESPORTE

O titular da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, Arlindo Silva, abordou os programas e projetos que podem ser executados em parceria com os municípios, atendendo crianças, jovens e idosos, como o Talentos Esportivos, o Vida Ativa na Terceira Idade, o Canoagem Pará e o projeto Gol do Brasil. Ele explicou ainda, sobre a missão institucional da secretaria de formular e executar políticas públicas que estimulem o esporte e o lazer em todo o estado.

“São efetivos os acréscimos que o esporte traz para a sociedade e isso se deve aos diversos benefícios que estão vinculados à sua prática. Por isso, a importância das parcerias para beneficiar a população, já que o esporte transmite valores necessários para o convívio em sociedade, como a tolerância, a inclusão e o respeito”, frisa Arlindo Silva.

COMUNICAÇÃO

O presidente da Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa), Hilbert Nascimento, falou sobre as ações para levar as informações do governo a todo o estado, com conteúdo diversificado. Ele destacou o investimento na transmissão de campeonatos de futebol, esporte que mobiliza os paraenses. Hilbert anunciou a transmissão do campeonato paraense da primeira e segunda divisões, além do campeonato de futebol feminino, futsal entre outras competições que são realizadas em todo o estado.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

*Com a colaboração de Isabela Quirino (Ascom/EGPA) e Bianca Rodrigues (Ascom/Seel)

Fotos: Agência Pará

Categorias: Notícias

Alunos de cursos ofertados pela Sectet são certificados em Santarém

seg, 14/12/2020 - 08:58
14/12/2020

Na última quinta-feira (10), no Auditório do Centro Regional do Oeste do Pará, foi realizada a solenidade de certificação de 83 alunos concluintes dos cursos de Serviço de Garçom e Garçonete; Técnicas de Atendimento e Recepção; Design de Sobrancelhas e Embelezamento de Cílios; e Reparador e Instalador de Rede de Computadores, do Programa Estadual de Educação Superior, Profissional e Tecnológica, gerido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia, Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

Participaram da composição da mesa do evento as senhoras Alda Luz, representando o Secretário de Governo, Henderson Pinto; Rejane Silva, representando o titular da Sectet, Carlos Maneschy; Rosemary Fonseca, Diretora Núcleo de Desenvolvimento da SEMDEC e a aluna Kamila Poliane, representando os concluintes dos cursos. Os alunos foram capacitados no período de agosto a dezembro de 2019 pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial(Senac), empresa contratada.

Para o aluno Walace Galdino, concluinte do curso de Serviço de Garçom e Garçonete, foi uma excelente oportunidade para se atualizar na área. “Eu já trabalho há bastante tempo na atividade, mas nunca tinha tido a chance de fazer um curso que me preparasse e repassasse tantas informações, então percebi que estava totalmente desatualizado”, ressaltou.

Já para a aluna Kamila Poliane, 27 anos, o curso de Design de Sobrancelhas e Embelezamento de Cílios foi de fundamental importância para o seu aperfeiçoamento profissional. “Já estou atendendo as minhas clientes e ganhando o meu dinheiro que ajudou a custear a minha faculdade, só tenho a agradecer pela oportunidade”, comemorou.

Texto e foto: Carlos André Silva

Categorias: Notícias

Forma Pará: Sectet assina convênio com IFPA e Fadesp

seg, 07/12/2020 - 15:11
07/12/2020

Na manhã desta quarta-feira (9), a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) realiza a assinatura oficial do convênio de cooperação técnica e financeira com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA) e Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) para viabilização de iniciativas voltadas à formação e qualificação de profissionais por meio do Programa Forma Pará.

O Programa é uma iniciativa do Governo do Pará, por meio da Sectet, e possibilita a parceria com Instituições de Ensino Superior Públicas (IES’s), Prefeituras e Associações Municipais no intuito de expandir a oferta de vagas dos cursos de graduação (bacharelado, licenciatura e tecnológica) nos municípios paraenses que não possuem campus universitário ou onde não exista a oferta de determinado curso, mas haja demanda para tal.

Com essas parcerias, o Forma Pará busca reduzir o déficit de acesso ao ensino superior e ainda aumenta a oferta de cursos em instituições públicas no estado. “Dessa forma, a partir da formação profissional das pessoas, com a descoberta de suas potencialidades e treinamento de suas habilidades, pode-se vislumbrar o crescimento econômico do estado pautado no desenvolvimento humano”, afirma a gestora do Programa e adjunta da Sectet, Edilza Fontes.

Processos seletivos - O IFPA, por meio da Fadesp, está com processo seletivo especial em andamento para preenchimento de 240 vagas oferecidas pelo Forma Pará. As inscrições para as provas ocorreram de 5 de outubro a 12 de novembro. Estão sendo ofertadas vagas para os seguintes municípios e cursos: Marituba - Licenciatura em História (50 vagas); Muaná - Licenciatura em Física (50 vagas); Cachoeira do Piriá - Bacharelado em Agronomia (40 vagas); Dom Eliseu - Tecnológico em Rede de Computadores (50 vagas); e Novo Repartimento - Licenciatura em Ciências Biológicas (50 vagas).

O Forma Pará está ainda com mais cinco editais em andamento com oferta de vagas em cursos de nível superior em outros 15 municípios por meio da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), da Universidade do Oeste do Pará (Ufopa), da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra). As provas estavam previstas para o dia 13 de dezembro, porém foram adiadas, ainda sem nova data definida, devido ao atual cenário da pandemia provocado pelo novo coronavírus.

Entretanto, a Ufra, que está com dois editais abertos, manteve as datas do segundo edital publicado, que diz respeito à oferta de 50 vagas para o curso de Licenciatura em Computação em Mosqueiro, tendo em vista que este é o único em que a seleção será pela nota do Enem. As inscrições para esse processo estão abertas até esta quinta-feira (10).

Serviço: As informações sobre os processos seletivos do programa Forma Pará estão disponíveis AQUI.  Já a cerimônia de assinatura do convênio ocorrerá às 11h, desta quarta-feira (9), na sede da reitoria do IFPA, localizada na av. João Paulo II.

 

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Foto: Erlon Modesto (estagiário da Ascom/Sectet) - A imagem diz respeito a reunião de apresentação do Forma Pará ao IFPA em fev/2020.

Categorias: Notícias

Rede de apoio psicológico da Sectet encerra atividades com mais de 1,2 mil atendimentos

sex, 04/12/2020 - 09:53
04/12/2020

O projeto Psicologia Pará, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), encerrou as atividades após 1.208 atendimentos realizados entre os meses de abril a novembro deste ano. Com o avanço da pandemia de Covid-19, a rede de apoio psicológico foi disponibilizada por meio da atuação de quase 200 psicólogos voluntários que atendiam por meio de uma plataforma digital.

Os impactos emocionais desencadeados com o início do distanciamento social e, logo em seguida o lockdown, motivaram a criação do projeto. “Percebendo a vontade de muitos profissionais em dar suporte à população, criamos uma ferramenta para auxiliá-los nesse processo. Devido ao momento de grande incerteza, com muitas pessoas perdendo seus empregos ou que já enfrentavam dificuldades e começaram a questionar quanto ao futuro. Além do simples fato de se estar isolado de familiares e amigos, com receio quanto à doença”, comentou a coordenadora Úrsula Siqueira.

A tecnologia possibilitou tanto o acesso de psicólogos para disponibilizar seus serviços quanto o usuário a encontrar um ambiente de referência para buscar o suporte psicológico. “O psicólogo interessado ao atendimento voluntário, se cadastrava no site. Depois de passar por uma validação, onde era verificado sua regularidade junto ao conselho da classe, podia colocar seus horários disponíveis e o cidadão solicitava o agendamento”, explicou Úrsula.

Foram mais de cinco mil cadastros de cidadãos. Foi muito interessante ver os profissionais todos trabalhando em prol de um mesmo objetivo. As principais queixas variaram, mas acredito que com muita frequência observei relatos de ansiedade e tristeza. Algumas pessoas que já tinham algum tipo de diagnóstico e tiveram uma piora durante esse período. Assim como pessoas que tiveram Covid-19 e ficaram emocionalmente abaladas após a experiência”, acrescentou a coordenadora.

*Adriana tem 49 anos e mora com a mãe de 70 e a filha de 15. Ela lembra que no ponto mais alto da pandemia na capital paraense, quando houve o lockdown, ficou bastante impressionada. “Tinha os sintomas, falta de ar, sensação de febre, mas nada disso era real, era psicológico. Estava trabalhando em home office e limpava tudo em casa sistematicamente. Ao acompanhar os números de crescimento e a situação política de enfrentamento à doença ficava mais angustiada”, contou a servidora pública.

Além disso, ela estava realizando um trabalho acadêmico que exigia muitas leituras. “Sentia muita vontade de chorar com tudo aquilo. Fiz o cadastro no Psicologia Pará e fui atendida por uma profissional em três momentos. Ela percebeu que era ansiedade e me recomendou exercícios físicos e de respiração, evitar assistir aos noticiários e ler livros de entretenimento. No último atendimento eu já estava melhor”, acrescentou Adriana.

Do outro lado da plataforma encontravam-se profissionais como Iraci Bahia, que viu no projeto uma forma de voltar a atuar com voluntariado. “As pessoas estavam completamente perdidas e sem saber como lidar com suas emoções. O alto índice de pessoas ansiosas e com princípio de depressão foi uma constante durante todo esse processo, situações  muito difíceis mesmo! Trabalhei a partir do dia 07 de abril até 08 de agosto. Após isso não consegui mais agendar no sistema, eu ainda pretendia atender pelo menos aos sábados único dia que não tinha consultório”, comenta a psicóloga voluntária.

No período, Iraci atendeu pessoas de várias cidades, além da região metropolitana de Belém, como Barcarena, Rondon do Pará, Vigia, Castanhal, Afuá, Altamira, Santarém, Cametá, Tucuruí, Ponta de Pedras  Magalhães Barata, e até de outros estados como as capitais Manaus e Rio de Janeiro.

O formato online foi novo para ela, mas abriu oportunidade para ampliar suas formas de atendimento. “Ainda não tinha trabalhado via online, meus atendimentos sempre foram presenciais, achei que teria dificuldades, mas foi muito tranquilo. Gostei e continuo fazendo, daqui e de outras cidades fora. Foi uma experiência incrível que me encheu de orgulho ter participado”, avaliou.

*A entrevistada optou por não ser identificada e por isso utilizamos um nome fictício.

Texto: Dayane Baía (Secom)

Categorias: Notícias

WEBNÁRIO PPGF/UFPA

seg, 30/11/2020 - 12:47
30/11/2020

Interfaces cérebro máquina - Prof Miguel Nicolelis - 02/12/2020, 16h

Programa de Pós-Graduação em Física da UFPA realiza o Webinário “Interfaces cérebro máquina: da pesquisa básica às aplicações clínicas”, ministrado pelo professor Miguel Angelo Laporta Nicolelis (Duke University, EUA).
O seminário virtual acontecerá no dia 02 de dezembro (quarta-feira), às 16h pelo Google Meet.

 

Categorias: Notícias

Provas do processo seletivo do Forma Pará estão suspensas

sex, 27/11/2020 - 10:23
27/11/2020

As provas dos processos seletivos dos cursos do programa Forma Pará que estavam previstas para serem realizadas no dia 13 de dezembro foram suspensas temporariamente pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) devido aos decretos municipais que declaram situação de emergência para enfrentamento da Covid-19.

O Forma Pará, desenvolvido pelo governo do estado por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), está com seis processos seletivos especiais abertos para o preenchimento de vagas em cursos de nível superior ofertados em parceria com universidades, prefeituras e organizações da sociedade civil.

Estão suspensas temporariamente as seleções para os cursos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) em Belém/Icoaraci e Salinópolis; da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) nos municípios de Bom Jesus do Tocantins, Tailândia, Abel Figueiredo, Itupiranga, Piçarra, Jacundá e Ourilândia; da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) em Novo Progresso e Rurópolis; da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) em Ourém, Mocajuba, Goianésia e Ulianópolis; e do Instituto Federal do Pará (IFPA) em Marituba, Muaná, Cachoeira do Piriá, Dom Eliseu e Novo Repartimento.

A Fadesp e a comissão do processo seletivo da Sectet e das Instituições de Ensino Superior (IES) irão definir novo cronograma após as prefeituras reabrirem as escolas nos municípios.

O processo seletivo para o curso de Licenciatura em Computação (Ufra), no distrito de Mosqueiro (Belém), segue com o cronograma normal. A seleção utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, e não realizará provas. As inscrições continuam abertas aqui.

Texto: Jeniffer Galvão e Rafael Miyake (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Egressos dos sistemas prisional e socioeducativo iniciam curso do TerPaz Recomeçar

seg, 23/11/2020 - 16:47
23/11/2020

O projeto TerPaz Recomeçar deu início na tarde desta segunda-feira (23) ao curso Técnico em Refrigeração, disponibilizado por meio da ação conjunta de cinco órgãos do governo do estado. A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) oferta o curso, que é ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), contratado para realizar cursos de qualificação profissional desenvolvidos pela secretaria dentro do Programa Territórios Pela Paz.

Além da Sectet, participam do Projeto TerPaz Recomeçar Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), a Fundação Amazônia de Desenvolvimento da Pesquisa (Fapespa), a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) e a Fábrica Esperança. O objetivo principal do projeto é fortalecer a cultura de paz no estado, possibilitando oportunidade de reinserção social de egressos dos sistemas penal e socioeducativo por meio de capacitação profissional. 

Primeiro dia – Representantes das instituições parceiras fizeram a recepção dos participantes. Marcela Faria, da coordenação de Educação Profissional e Tecnológica da Sectet, agradeceu a presença de todos ressaltando o esforço do governo em dar oportunidade para que possam ter uma formação profissional e se inserir no mercado de trabalho.

A diretora de reinserção Social da Fábrica Esperança, Fernanda Queiroz, falou da união de forças dos órgãos envolvidos no TerPaz Recomeçar. “Tudo isso só tem sentido se vocês também se esforçarem. Educação é o caminho para se chegar ao mercado de trabalho”, frisou. Roseane Barbosa, pedagoga da Fábrica Esperança, chamou a atenção dos alunos para a necessidade de dedicação ao curso e orientou para que todos tirem o máximo de proveito das aulas.

O coordenador pedagógico do Senai, Emerson Teixeira Fontoura, explicou a todos os horários do curso, tipo de roupas e sapatos que devem usar e a exigência da frequência nas aulas. O representante da Fasepa, Domingos Campelo, destacou a política de inclusão social que o governo do estado promove com o TerPaz Recomeçar. “Aproveitem ao máximo os ensinamentos de profissionais capacitados que vão ajudar vocês a construírem seus futuros projetos de vida”, enfatizou.

Auxílio – Para frequentar as aulas, os beneficiados pelo projeto recebem recursos para o pagamento das passagens de ônibus e uma bolsa de R$ 300,00 por dois meses, tempo de duração do curso. Os recursos são repassados pela Fapespa para a Fábrica Esperança por meio de convênio. O TerPaz Recomeçar tem como meta oferecer capacitação profissional para 500 pessoas. Já está em andamento o curso de Mecânico de Motocicleta, também pelo Senai, e está previsto ainda para este ano o curso de Técnicas de Embelezamento, contratado com o serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Outros cursos serão ofertados a partir de 2021.

Após a qualificação, a Fábrica Esperança organiza os egressos que quiserem participar de cooperativas para que possam prestar serviço ao Estado. Também serão disponibilizados recursos por meio do CredCidadão para financiamento de equipamentos para quem quiser abrir seu próprio negócio.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom Sectet)
Fotos: Rafael Miyake (estagiário de jornalismo da Ascom Sectet)

 

Categorias: Notícias

Sectet e UFPA apresentam central tecnológica do projeto Meu Endereço

ter, 17/11/2020 - 14:10
17/11/2020

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) e a Universidade Federal do Pará (UFPA) apresentam nesta quarta-feira (18), a Central de Inovação Tecnológica do Projeto Meu Endereço: lugar de paz segurança social, desenvolvido em parceria com a Comissão de Regularização Fundiária da UFPA. 

A apresentação será pelo titular da Sectet, Carlos Maneschy e pela coordenadora do Meu Endereço, Myrian Cardoso, às 10h, pela plataforma Google Meet, durante o IV Encontro de Regularização Fundiária da Região Norte e o 2º Ciclo de Oficinas Programa Rede Amazônia. A Central de Inovação Tecnológica do Meu Endereço é uma plataforma tecnológica de assistência técnica multiprofissional que confecciona peças técnicas de identificação e localização de imóveis. 

Carlos Maneschy destaca a importância do projeto Meu Endereço, desenvolvido nos bairros alcançados pelo programa Territórios Pela Paz (TerPaz), para a superação de conflitos fundiários e socioambientais urbanos. Myrian Cardoso ressalta a parceria com a Sectet iniciada em 2019 com ações nos bairros do Guamá, Jurunas, Terra Firme, Benguí e Cabanagem, em Belém; Icuí, em Ananindeua, e Nova União, em Marituba.

“A caminhada é extremamente produtiva e a apresentação da Central é a confirmação desse compromisso público do Estado e da UFPA para o fortalecimento do Programa Territórios Pela Paz”, frisa Myrian.

A coordenadora explica que a Central sistematiza as informações coletadas em campo por meio do aplicativo Sistema de Apoio à Regularização Fundiária e Conformidade Socioambiental Urbana (Sarfcon) para gerar o Kit “Meu Endereço Certo”, que é composto pela planta de localização georreferenciada do imóvel, planta das dimensões do lote e memorial descritivo; parecer das condições construtivas e segurança estrutural; parecer de avaliação imobiliária; recomendação a programas sociais e guia de encaminhamento à regularização.

Encontro – O IV Encontro Regularização Fundiária da Região Norte teve início nesta segunda-feira (16) e segue até sexta-feira (20). Realizado em plataformas digitais, o evento tem o objetivo de promover o compartilhamento das práticas desenvolvidas pela UFPA ao longo dos últimos anos e traçar um panorama sobre os limites, desafios e perspectivas para 2021 no universo da regularização urbana e a superação dos conflitos socioambientais na Amazônia Legal.

Myrian enfatiza que a experiência construída em parceria com a Sectet será debatida com os pesquisadores de dez universidades da Região Norte durante e a meta é expandir a experiência para os nove estados que compõem a Amazônia Legal onde se desenvolve o Programa Morar, Conviver e Preservar a Amazônia (Rede Amazônia), uma parceria da CRF-UFPA com o Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR).

Os avanços alcançados nos sete bairros serão compartilhados e aplicados no Programa Rede Amazônia, que atua em 78 glebas existentes em 52 cidades amazônicas, que possuem 13.749 hectares, onde residem 530.231 mil pessoas em mais de 152.852 mil moradias.

Serviço
Apresentação da Central de Inovação Tecnológica do Projeto Meu Endereço
Data: 18/11/2020
Hora: 10h
Plataforma: Goog Meet

 

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet) e Kid Reis (Ascom CRF/UFPA)
Fotos: Kid Reis (Ascom CRF/UFPA)

Categorias: Notícias

Ações voltadas para população vulnerável do estado são definidas em reunião

qui, 12/11/2020 - 10:38
12/11/2020

Na manhã desta quarta-feira (10), representantes da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) se reuniram com representantes da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), responsável pelo Programa Territórios Pela Paz (TerPaz); da Defensoria Pública do Estado do Pará; e do Projeto Ela Pode. O intuito do encontro foi articular o início dos trabalhos que darão andamento ao Termo de Cooperação Técnica, assinado entre Sectet e Defensoria com o objetivo de oferecer qualificação profissional para a população vulnerável do estado.

Entre os representantes da Sectet, participaram da reunião o diretor de Educação Profissional e Tecnológica, Leôncio Siqueira e o coordenador da área, José Neto. As coordenadoras do Ela Pode apresentaram as ações do projeto, uma iniciativa do Instituto Rede Mulher Empreendedora, maior Rede de Empreendedorismo Feminino do Brasil, com o apoio da Google, que visa capacitar duas mil mulheres nos sete bairros que compõem o TerPaz nas cidades de Belém, Ananindeua e Marituba, onde já vem atuando desde o início do ano.

Dessa forma, durante a reunião ficou acordado que serão oferecidos três cursos, dois no bairro da Terra Firme e um no Guamá. Primeiramente, será realizado um diagnóstico da necessidade dos territórios, onde os cursos sejam oferecidos como projetos pilotos, com apoio do Ela Pode. Depois, a ação se estenderá pelo estado, tendo em vista que o Termo de Cooperação Técnica assinado é voltado para todo o Pará, a fim de melhorar a qualidade de vida da população.

O coordenador de educação profissional e tecnológica da Sectet ressaltou ainda a importância de não apenas oferecer os cursos, mas dar condições para que os alunos entrem no mercado de trabalho ou desenvolvam suas habilidades empreendedoras. “Nós, como Estado, precisamos articular para que as pessoas qualificadas tenham acesso ao mercado”, observou José Neto, destacando a importância das parcerias neste processo.

A defensora pública Izabel Santos explicou que o órgão tem papel fundamental neste processo. “A Defensoria é a porta de entrada para a população vulnerável do estado do Pará. Então, nós pretendemos, por meio do termo de cooperação técnica firmado com a Sectet, fazer com que essas pessoas melhorem a qualificação profissional, saiam dessa situação social e possam participar da sociedade com melhor nível de qualificação, podendo ingressar no mercado de trabalho”, enfatizou.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Foto: Priscila castro (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

TerPaz Recomeçar oferece oportunidade a egressos dos sistemas prisional e socioeducativo

qua, 11/11/2020 - 14:20
11/11/2020

O Governo do Pará inicia o desenvolvimento do projeto TerPaz Recomeçar, mais uma ação que visa fortalecer a cultura de paz no estado, possibilitando oportunidade de reinserção social de egressos dos sistemas penal e socioeducativo por meio de capacitação profissional. As aulas do curso de Mecânico de Motocicleta iniciaram no último dia 03 e o curso de Técnico em Refrigeração terá início no dia 23 de novembro. A iniciativa é realizada de forma integrada por cinco órgãos do governo sob a coordenação da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), responsável pelo Programa Territórios Pela Paz (TerPaz).

Participam desse esforço conjunto a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), a Fundação Amazônia de Desenvolvimento da Pesquisa (Fapespa), a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) e a Fábrica Esperança.

Oportunidade - O titular da Seac, Ricardo Balestreri, enfatiza que a grande maioria das pessoas que são privadas de liberdade no Brasil e também no Pará não vive a cultura do crime, não se enquadram no perfil de criminosos, apesar de terem cometido algum delito. “São pessoas que têm plenas condições de se reinserirem produtivamente na sociedade. Uma vez egressos do sistema, precisam de oportunidade de recuperação, chances para crescer na vida. É exatamente essa reinserção social que vai evitar que elas se insiram na cultura do crime”, ressalta Balestreri.

Segundo o titular da Sectet, Carlos Maneschy, é essa oportunidade que o projeto TerPaz Recomeçar traz aos beneficiários. “Num esforço integrado vamos oferecer a egressos do sistema prisional e socioeducativo a oportunidade de qualificação profissional e concessão de bolsa por dois meses. Depois de preparados, terão oportunidade de se reunirem em cooperativas ou buscarem financiamento do governo para iniciar seus próprios negócios”, explica o secretário.

Gestor também da Fapespa, Maneschy ressalta a importância de políticas que incidam diretamente no cotidiano das pessoas e transformem suas vidas para melhor. “Conhecimento para desenvolver uma atividade profissional e aporte financeiro inicial são ações que visam dar uma nova oportunidade de vida para essas pessoas, que muitas vezes só precisam desse apoio para mudar definitivamente suas vidas e de suas famílias”, conclui Carlos Maneschy.

Recomeço – O coordenador e idealizador do projeto, Paulo Cordeiro, explica que os cursos terão, em média, duração de dois meses, período em que os participantes recebem uma bolsa de R$ 300,00, paga com recursos da Fapespa e repassada aos egressos por meio de convênio para a Fábrica Esperança. Serão beneficiados 500 egressos, perfazendo um total de investimento de R$ 300 mil em bolsas. 

A Sectet investe na qualificação, contratando cursos ofertados pelo Sistema S. Além de Mecânico de Motocicleta e Técnico em Refrigeração, realizados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), será ofertado nesse primeiro momento o curso de Técnicas de Embelezamento, contratado com o serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). As turmas são de 20 alunos e outros cursos serão ofertados a partir de 2021.

Cordeiro esclarece ainda que a seleção dos egressos é feita pela Seap e pela Fasepa entre egressos moradores dos bairros que recebem os projetos do TerPaz: Bengui, Cabanagem, Guamá, Jurunas e Terra Firme, em Belém; Icuí/Guajará, em Anannindeua; e Nova União, em Marituba. “Após a qualificação, a Fábrica Esperança organiza os egressos que quiserem participar de cooperativas para que possam prestar serviço ao Estado. Também serão disponibilizados recursos por meio do CredCidadão para financiamento de equipamentos para quem quiser abrir seu próprio negócio”, garante Paulo Cordeiro.

Acolhimento – o diretor geral da Fábrica Esperança, Artur Jansen, conta que a participação do órgão no desenvolvimento do projeto é realizar o acolhimento do público-alvo e de seus familiares, “buscando demonstrar que a educação e a capacitação profissional são primordiais para a inserção no mercado de trabalho, evitando que esses egressos voltem a cometer delitos”.

Jansen destaca que estudos apontam que a ressocialização por meio de educação e empregabilidade é muito mais eficaz do que a pena em si. Ele informa que entre os egressos atendidos na Fábrica Esperança nos últimos cinco anos, apenas 2% reincidiram e no ano passado não houve nenhuma reincidência. “Anualmente, atendemos em média 530 egressos. Com o TerPaz Recomeçar, e outras iniciativas do governo, pretendemos duplicar esse número”, adianta o diretor.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Novos barbeiros e cuidadores de idosos formados no TerPaz recebem certificados

ter, 10/11/2020 - 15:16
10/11/2020

Mais que profissionais qualificados para o mercado de trabalho, os concluintes dos cursos de Barbeiro e de Cuidador de Idoso que receberam seus certificados nesta terça-feira (10) iniciam uma nova fase da vida com mais confiança em si. “São conhecimentos que nos trazem um grande crescimento pessoal e autoestima, o que nos ajuda a cuidar das pessoas, sabendo como exatamente podemos fazer isso”, destacou Márcio Brito, concluinte do curso de Cuidador de Idoso.

A solenidade de entrega dos certificados foi realizada no Teatro Waldemar Henrique pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), que oferta os cursos de Formação Inicial e Continuada dentro do programa Territórios Pela Paz (TerPaz), do governo do estado. 

A certificação foi feita pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), contratado para ministrar os cursos. Concluinte do curso de Barbeiro, Luiz Alberto Lopes Costa ressaltou o ambiente de formação oferecido pelo governo do estado por meio da contratação do Senac, que garante a qualidade da formação recebida.

Cuidado - O Diretor de Educação Profissional e Tecnológica (Detec) da Sectet, Leôncio Siqueira, representando o secretário Carlos Maneschy, destacou o esforço dos alunos e alunas em aprimorar seus conhecimentos ou mesmo aprender uma nova profissão. “Eu acredito que nenhum de nós hoje se dá o direito de ficar parado, de não aprender, de não construir uma nova pessoa a cada dia em si mesmo. Essa transformação é muito mais que uma exigência do mercado, mas uma exigência pessoal que põe o aprendizado acima de tudo”, disse o diretor.

Ele exaltou a importância do trabalho de cuidadores de idosos e barbeiros, principalmente no cenário atual em que a pandemia eleva a preocupação de familiares com as pessoas mais velhas e onde o cuidado com a aparência ajuda a aumentar a autoestima para enfrentar esses tempos de dificuldades.

Aperfeiçoamento - A assessora da Sectet, Sônia Mendes, representando a secretária adjunta Edilza Fontes, ressaltou a importância de dar continuidade aos conhecimentos adquiridos. “Esse é só o início do aprendizado nessas profissões para que depois possam se aperfeiçoar na profissão, em uma busca constante da autonomia e liberdade financeira de vocês”, frisou.

Também participaram da solenidade a representante da Rede Local do TerPaz, Delma Braga; a representante do Senac, Ane Gleice; e o coordenador de Educação Profissional e Tecnológica da Sectet, José Neto.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet)
Fotos: Priscila Castro (Ascom/Sectet)

 

Categorias: Notícias

Edital de Ocupação

ter, 10/11/2020 - 14:50
10/11/2020Parque de Ciência e Tecnologia Guamá atualiza edital de ocupação   Chamada é voltada para pessoas jurídicas que tenham interesse em se instalar em módulos dos prédios Espaço Inovação e Empreendedor   Negócios de base tecnológica e/ou de impacto socioambiental podem participar do novo edital de seleção de empreendimentos para residência no Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, em Belém, disponibilizado pela Fundação Guamá, organização gestora do parque tecnológico, na última segunda (09), no site www.pctguama.org.br.

Aos negócios instalados no PCT Guamá são oferecidas facilidades como Internet banda larga de alta velocidade, isenção de IPTU, estacionamento, mentorias gratuitas, descontos em serviços prestados por laboratórios residentes, além de acesso a serviços e eventos para expandir o networking.

“Os parques tecnológicos constituem o principal ambiente de apoio ao empreendedorismo inovador em todo mundo, e já está comprovado que a continuidade das empresas está fortemente condicionada ao ambiente em que elas estão operando'', destaca o diretor presidente da Fundação Guamá, Rodrigo Quites.  

Ele acrescenta que o PCT Guamá é um local privilegiado para o desenvolvimento de ideias inovadoras e experiências transformadas. "Com o lançamento deste edital, simplificamos ainda mais o processo de submissão das propostas de novos empreendimentos e organizamos os processos internos para um mapeamento mais rápido das necessidades de cada novo empreendimento”.

O edital disponibiliza 21 módulos, distribuídos nos prédios Espaço Inovação e Empreendedor, com tamanhos de 36, 72, 100, 108 e 150 metros quadrados, adaptáveis a diferentes necessidades de produção e uso. Os interessados em participar do processo de seleção devem preencher o formulário online e fazer o envio dos arquivos requeridos no edital.

Podem participar da seleção pessoas jurídicas com empreendimentos de base tecnológica ou de impacto socioambiental com foco, preferencialmente, em uma ou mais áreas de atuação do PCT Guamá, entre as quais estão: 1) Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), 2) Tecnologia para Educação, 3) Energia, 4) Tecnologia Mineral, 5) Sustentabilidade, 6) Biotecnologia; negócios com grau de inovação nas soluções em produtos/serviços propostos; com potencial de interação e cooperação com outras iniciativas residentes; ou que possuam processo ou ciclo de produção com bases sustentáveis.

Os demais critérios de participação e valores dos módulos podem ser conferidos na íntegra do edital.

Mais sobre o PCT Guamá

O PCT Guamá resulta de parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (Ufra) e o Governo do Pará. O espaço foi o primeiro parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia. Ele tem como principal objetivo o de estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

São 72 mil metros quadrados, reunindo atualmente 17 centros e laboratórios tecnológicos, 56 empresas residentes e 18 empreendimentos associados.

Situado entre a UFPA e a UFRA, o PCT Guamá tem espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento.

A Fundação Guamá, por sua vez, foi qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá. Desde 2009 a Fundação é mantida pelo Governo do Estado, por meio de contrato com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

  Texto: Juliane Frazão (Ascom/PCT Guamá)
Categorias: Notícias

Servidores da Sectet debatem sobre cuidados com a saúde do homem

ter, 10/11/2020 - 14:47
10/11/2020

Na manhã desta terça-feira (10), os servidores da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) participaram mais uma vez de um momento de aproximação com a realização de uma live interna que, desta vez, ressaltou os cuidados com a saúde do homem. A atividade faz parte do Programa Amplo de Valorização do Servidor, iniciativa do Núcleo de Acolhimento Psicossocial da Coordenação de Gestão de Pessoas (CGepes), ligada à Diretoria de Administração e Finanças (DAF) do órgão, em parceria com a Assessoria de Comunicação, o setor Tecnologia da Informação, bem como o Gabinete, que promovem encontros virtuais mensais  com convidados que conversam sobre diversos assuntos.

O tema em questão remete ao Novembro Azul, mês em que se discute sobre os cuidados que os homens devem ter com a saúde, principalmente no que diz respeito ao cancer de próstata. Para a assistente social da Sectet, Odete Sabá, a discussão é de extrema importância no sentido de “plantar sementinhas” que façam com que os homens reflitam e busquem se cuidar melhor. Para falar sobre o assunto, foram convidados o servidor da Sectet e historiador, Leonardo Nunes Freitas; e o professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), doutor em psicologia, Eric Alvarenga;  e teve a psicóloga da Secretaria Adriana Nascimento como mediadora.

Leonardo fez uma reflexão sobre a busca pela qualidade de vida do ser humano, baseado no livro “Aforismos para a Sabedoria de Vida”, de Arthur Schopenhauer. “Muitas vezes as pessoas tomam posições radicais, buscam soluções imediatistas, simplistas, mas acabam não tendo consciência de que os resultados aparecem depois, o que semeamos não vamos colher, deixaremos para as futuras gerações”, ressaltou o servidor. Ele lembrou que, segundo o autor do livro, para se ter uma vida feliz o ser humano deve buscar ter um “caráter nobre”, uma “mente capaz”, um “temperamento feliz”, um “ânimo jovial” e, por fim, um corpo bem constituído e saudável.

Neste ponto, o psicólogo convidado enfatizou a importância de discutir a saúde do homem durante o ano inteiro. Eric Alvarenga ressaltou que a falta de cuidados com a saúde masculina é uma questão histórica e cultural. “Muitas vezes o homem está mais preocupado com o trabalho e com o sustento da casa”, lembrou. Segundo ele, inclusive, a política de saúde do homem é bastante recente e não surgiu por meio de reivindicações como no caso da política de saúde da mulher, criada por pressão do movimento feminista.

Na visão do psicólogo, as questões que envolvem os cuidados com a saúde masculina perpassam por uma discussão de gênero. Alvarenga conta que histórica e socialmente a ação de cuidar é muito relacionada às mulheres. “Até hoje, ainda é muito difícil. Os homens discutem sobre saúde e masculinidade por conta das mulheres, pela discussão de gêneros. As mulheres identificaram que é preciso envolver os homens nesta discussão”, esclareceu.

A próxima live da Secretaria está prevista para a primeira quinzena de dezembro e contará com a presença do titular do órgão, Carlos Maneschy; do diretor administrativo-financeiro, Adejard Gaia Cruz; do diretor de ciência e tecnologia, Deméthrius Lucena; e do diretor de educação profissional e tecnológica, José Leôncio Siqueira, que farão um balanço das atuais ações e projetos da Sectet.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Governo publica a Lei que destina recursos da mineração para ciência e tecnologia

seg, 09/11/2020 - 14:57
09/11/2020

O Diário Oficial do Estado (DOE) desta segunda-feira (9) trouxe uma notícia há muito aguardada por toda a comunidade acadêmica, científica e tecnológica do Pará: a publicação da Lei Complementar no 133, de 6 de novembro de 2020.

A Lei determina que pelo menos 20% (vinte por cento) dos recursos da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) destinados ao estado sejam reservados para aplicação em atividades relativas à diversificação econômica, ao desenvolvimento mineral sustentável e ao desenvolvimento científico e tecnológico.

A aplicação dos recursos de que trata a Lei Complementar deverá estar em consonância com os planos plurianuais e os orçamentos anuais do estado. Tais recursos ficarão sob a responsabilidade da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).

O titular da Sectet, Carlos Maneschy, ressalta que a publicação da Lei resgata um compromisso do Governo do Pará com a área de ciência, tecnologia e inovação. 

“O governador Helder Barbalho e todo o seu governo entendem claramente a importância estratégica deste investimento pelo estado, na medida em que nós queremos também proporcionar base para o desenvolvimento de áreas da economia onde o conhecimento, a ciência e a tecnologia são insumos prevalentes”, destaca Carlos Maneschy.

Ele lembra que este compromisso já ficou bastante claro quando o Governo do Pará, ainda em 2020, triplicou o orçamento destinado à Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), também presidida pelo Secretário, elevando de pouco mais R$ 20 milhões para quase R$ 70 milhões. Algo que também já está previsto para o orçamento de 2021 da Sectet.

Carlos Maneschy pontuou que com os recursos da CFEM as áreas de ciência, tecnologia, inovação e educação profissional e tecnológica terão uma nova perspectiva, já que tais recursos representam cerca de cinco vezes mais o atual orçamento da Sectet, que é de menos de R$ 20 milhões.

“Tem sido assim já ao longo de muitos anos e, se você observa que esta Lei trabalha para incorporar cerca de 80 a 100 milhões de reais naquilo que a Secretaria já faz, isso seriam cinco vezes mais. É uma variação imensa realmente. Aí vamos manter certamente o que já fizemos até agora e vamos expandir a expectativa de atuação”, afirma o Secretário.

A Lei Complementar prevê que 75% desses recursos sejam destinados para o desenvolvimento da Ciência, da Tecnologia e da Inovação Tecnológica, bem como para apoiar a formação profissional no estado, estando vedada a utilização dos recursos para pagamento de pessoal. Já os outros 25% devem ser destinados para promoção e apoio a startups e micro e pequenas empresas inovadoras e/ou de base tecnológica.

“É importante dizer que o Governo não está apenas fazendo investimentos em projetos, pesquisas e em desenvolvimento de práticas e teorias, mas está também fazendo investimento nas pessoas, na sua gente, que é aquilo que o governo entende que é o que o estado tem de maior valor. De novo é a tentativa de abrir aqui um horizonte de exploração econômica que usa a base tecnológica, a inovação, as empresas inovadoras, empreendedores inovadores de tal maneira que se consiga mudar também a base produtiva do estado”, explica Maneschy.

Quanto à aplicação detalhada dos novos recursos, o Secretário esclarece que será discutida em reunião, a ser realizada em dezembro, com o Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Consectet).

Ele destaca também que a responsabilidade pelo recebimento e aplicação dos recursos é da Secretaria, mas a Lei prevê a possibilidade de fazer destaques orçamentários para outras secretarias, caso se entenda que algumas ações desenvolvidas tenham mais adequação à missão daquele órgão em particular.

Para Carlos Maneschy, a publicação da Lei Complementar 133 pelo Governo do Pará resgata a importância de fazer com que a ciência, a tecnologia, a inovação e formação profissional sejam vetores importantes de um desenvolvimento mais inclusivo e com muito maior sustentabilidade no estado.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Páginas