• White/Preto
  • Padrão

Current Style: Padrão

Governo do Estado do Pará

Você está aqui:
Subscrever feed Sectet
Atualizado: 29 minutos 43 segundos atrás

Pará Profissional abre vagas para qualificação em 20 municípios do Estado

ter, 30/01/2018 - 11:19
Informações: 

Sectet abre inscrições para cursos oferecidos por meio do Programa Pará Profissional.

ÁUDIO

Categorias: Notícias

Entrega de certificados para Batedores de Açaí

ter, 30/01/2018 - 11:17
Informações: 

Governo do Pará, por meio da Sectet, e Prefeitura de Belém entregam certificados a batedores e vendedores de açaí que participaram de curso do Programa Pará Profissional.

ÁUDIO

Categorias: Notícias

Sectet realiza oficina do Pará Profissional em Icoaraci

ter, 30/01/2018 - 11:11
Informações: 

Sectet realiza oficina do Programa Pará Profissional, em Icoaraci, no intuito de captar as demandas de qualificação no distrito.

ÁUDIO

Categorias: Notícias

Curso para batedores e vendedores de açaí

ter, 30/01/2018 - 11:07
Informações: 

ÁUDIO

VÍDEO

Categorias: Notícias

Início do segundo módulo do curso técnico em Açúcar e Álcool

ter, 30/01/2018 - 11:01
Informações: 

O curso técnico em Açúcar e Álcool ocorre no município de Ulianópolis e faz parte das ações do Programa Pará Profissional.

ÁUDIO

Categorias: Notícias

Indústria Mineral premia inovadores

ter, 30/01/2018 - 10:50
Informações: 

Categorias: Notícias

Sectet em Ação #9 - Semana do Empreendedorismo Inovador em Altamira

ter, 30/01/2018 - 10:43

Mais de 83% da produção de cacau no Pará está localizada na região do Xingu, sendo os municípios de Medicilândia, Uruará, Placas e Altamira os maiores produtores. Porém, a região ainda concentra seus esforços apenas na produção e exportação das amêndoas do cacau, com pouco estímulo à agregação de valor e à inovação na cadeia produtiva. Para tentar mudar esse cenário, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) organizou a “Semana do empreendedorismo inovador para a cadeia produtiva do cacau”, que ocorreu em dezembro de 2017, em Altamira. O evento, que reúne estudantes, empresários, agricultores e gestores públicos, celebra o início da implantação da Incubadora de Empresas do Xingu, que será instalada no Campus de Altamira da Universidade Federal do Pará (UFPA). O projeto é uma idealização da Sectet e conta com a parceria do Fundo de Apoio à Cacauicultura do Pará (FUNCACAU), da UFPA e do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX).

-----

Filmagem e Edição: Igor de Souza

Texto e Entrevistas: Igor de Souza

vídeo: 
Categorias: Notícias

Alunos de São Miguel do Guamá são certificados pelo Pará Profissional

qua, 24/01/2018 - 14:26
24/01/2018

Nesta terça-feira (23), a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) realizou, em São Miguel do Guamá, a primeira certificação do ano aos alunos de duas turmas do Programa Pará Profissional. No total, foram certificados 17 concluintes do curso de Serviço de Garçom e Garçonete e 15 alunos do curso de Porteiro e Vigia. Os cursos tiveram o Senac como unidade executora.

 Na oportunidade, a servidora da Secretaria, Priscila Modesto, explanou sobre o programa que é um dos instrumentos de combate à desigualdade interregional no Estado por meio da qualificação profissional da mão de obra local. Ela ainda aproveitou para realizar o levantamento das demandas, junto ao público presente, de novos cursos a serem oferecidos na região.

 O Programa Pará Profissional, instituído pela Lei no. 8.427, de 16 de novembro de 2016, coordenado pela Sectet, já havia certificado 1.990 pessoas até o final de 2017. A expectativa da Secretaria para o primeiro semestre deste ano é a de que esse número chegue a 5 mil.

 Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Prazo para inscrições no Desafio InovaTur é prorrogado até 23 de março

seg, 22/01/2018 - 10:48
22/01/2018

O prazo para a realização de inscrições no Desafio InovaTur 2018 foi prorrogado até o dia 23 de março. O objetivo da competição é buscar soluções tecnológicas inovadoras para o desenvolvimento de projetos direcionados à promoção do estado do Pará enquanto destino turístico.

O desafio é fruto de uma parceria entre Governo do Pará, por meio das Secretarias de Estado de Turismo (Setur) e de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), com o Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá e a Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec). Os organizadores planejam a realização de um workshop no PCT Guamá, ainda sem data definida, para que os inscritos e interessados possam amadurecer suas ideias por meio de palestras sobre o Plano Estratégico de Turismo “Ver-o-Pará” e sobre a elaboração de um plano de negócios, por exemplo.

A ideia de premiar soluções inovadoras que alavanquem o turismo paraense converge com o Programa Inova Pará, coordenado pela Sectet, o qual tem o intuito de levar a inovação às cadeias produtivas estratégicas do Estado para que este avance no seu crescimento e, até 2030, possa se equiparar à média do desenvolvimento nacional. Como o turismo é uma dessas cadeias estratégicas, a intenção do InovaTur é chamar os talentos que procurem aliar o conhecimento à inovação, além de posicionar o Pará como um dos principais destinos dentro do cenário nacional e internacional de turismo.

O Desafio InovaTur é aberto a estudantes, profissionais, entusiastas ou qualquer pessoa com interesse nos temas turismo, empreendedorismo e inovação. As três melhores propostas recebem premiação em dinheiro, no valor de R$ 10.000, 00 (dez mil reais) para o primeiro colocado; R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para o segundo; e R$ 3.000,00 (três mil reais) para o terceiro lugar. As propostas premiadas ainda receberão três meses de hospedagem no Espaço de Coworking do PCT Guamá, com apoio e orientações para amadurecer as ideias.

Serviço: As inscrições para Desafio InovaTur 2018 podem ser feitas até o dia 23 de março AQUI.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Sectet inicia o projeto “Sextas com Ciência”

seg, 22/01/2018 - 08:16
22/01/2018

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) iniciou nesta sexta-feira (19) uma série de debates sobre temas importantes que visam o desenvolvimento do Pará a partir do espírito inovador, da prática científica e do uso da tecnologia em favor da redução das desigualdades sociais. O projeto intitulado “Sexta com Ciência”, que será realizado mensalmente, sempre às sextas-feiras, trouxe na primeira edição o debate sobre o Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá) enquanto instrumento de desenvolvimento regional.

“O projeto surge para nivelar o conhecimento sobre os trabalhos realizados no âmbito da ciência, tecnologia e inovação pela Sectet e seus parceiros institucionais. O PCT Guamá é um deles e sintetiza muito bem a revolução pela produção, pela gestão e pelo conhecimento, algo que o Pará precisa para alavancar suas cadeias produtivas”, afirmou a secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez, durante a abertura do evento.

O PCT Guamá é o primeiro parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia e  recebeu recursos do governo do Estado, por meio da Sectet, em parceria com o Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para sua construção e consolidação. Gerido, atualmente, pela Fundação Guamá, o Parque se caracteriza por ser um ambiente de estímulo ao empreendedorismo inovador, transformando conhecimento em negócios e serviços inovadores para a resolução de problemas da sociedade. 

Na 1ª “Sexta com Ciência”, o diretor-presidente da Fundação Guamá, Antônio Abelém, apresentou a história, as instalações, os serviços e as ações desenvolvidas pelo Parque nos últimos anos. “Nenhum outro parque tecnológico do Brasil possui os tipos de laboratórios que nós possuímos, e que se concentram nas áreas de biotecnologia, energia, tecnologia da informação e comunicação. Além disso, o PCT Guamá oferece mentorias com profissionais capacitados em gerar soluções e operacionalizar demandas junto às empresas”, explicou Antônio Abelém.

“Esse debate é muito importante para que possamos conhecer o trabalho de outros setores e instituições e, assim, unir esforços para estimular o espírito do empreendedorismo inovador no nosso estado, tendo o PCT Guamá como um dos principais parceiros nessa missão”, opinou a gerente de Ciência e Tecnologia da Sectet, Amarílis Dias.

Paralelo ao projeto “Sexta com Ciência”, a Sectet iniciou, também, o “Cesta Consciente”, uma ação social para arrecadar alimentos não perecíveis e outros materiais para doação a uma instituição de caridade, que será escolhida futuramente. A próxima edição do projeto ainda será agendada, mas já possui tema definido: o debate versará sobre a execução do Programa BioPará, que busca melhorar a gestão sustentável da biodiversidade no estado.

Texto e Foto: Igor de Souza (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Emater e Sectet se reúnem para definir sobre cursos para agricultores familiares

qua, 10/01/2018 - 14:29
10/01/2018

Com o apoio estratégico da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), agricultores familiares que trabalham com cadeias produtivas-chave da economia paraense serão qualificados não só em termos de tecnologia agrícola e veterinária, mas também sob a perspectiva de negócios e empreendedorismo, a partir do Pará Profissional, programa da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet).

Uma reunião na manhã desta quarta-feira (10) com o diretor de educação profissional e tecnológica da Sectet, Luís Blasques,.encaminhou um projeto-piloto, cuja definição a Emater deve apresentar ainda este mês à Sectet, considerando metodologias, saberes do campo e possíveis gargalos operacionais.

"O projeto-piloto tem como base as nove cadeias produtivas que a Emater já trabalha pelo Pará 2030 e o próprio Programa de Assistência Técnica e Extensão Rural Pública [Proater]. São todos programas de Governo do Estado integrados", resume o coordenador técnico da Emater Celso Puget.

"O Pará Profissional é uma política consistente e eficaz de formação profissional e tecnológica em todas as regiões paraenses, que incentiva as importâncias as da Amazônia, como cacau e mandioca. O objetivo é orientar em todas as fases, da produção à comercialização", aponta Luis Blasques.

Texto e foto: Ascom/Emater

Categorias: Notícias

Prazo para inscrições no Desafio InovaTur termina dia 20 de janeiro

qua, 10/01/2018 - 12:55
10/01/2018

Termina, no próximo dia 20 de janeiro, o prazo para realizar as inscrições no Desafio InovaTur 2018. A competição tem o objetivo de buscar soluções tecnológicas inovadoras para o desenvolvimento de projetos direcionados à promoção do estado do Pará enquanto destino turístico. O desafio é fruto de uma parceria entre Governo do Pará, por meio das Secretarias de Estado de Turismo (Setur) e de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), com o Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá e a Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec).

A ideia de premiar soluções inovadoras que alavanquem o turismo paraense converge com o Programa Inova Pará, coordenado pela Sectet, o qual tem o intuito de levar a inovação às cadeias produtivas estratégicas do Estado para que este avance no seu crescimento e, até 2030, possa se equiparar à média do desenvolvimento nacional. Como o turismo é uma dessas cadeias estratégicas, a intenção do InovaTur é chamar os talentos que procurem aliar o conhecimento à inovação, além de colocar o Pará como um dos principais destinos dentro do cenário nacional e internacional de turismo.

A competição é aberta a estudantes, profissionais, entusiastas ou qualquer pessoa com interesse nos temas empreendedorismo e inovação com talento para o desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras. As três melhores propostas recebem premiação em dinheiro, no valor de R$ 10.000, 00 (dez mil reais) para o primeiro colocado; R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para o segundo; e R$ 3.000,00 (três mil reais) para o terceiro lugar. As propostas premiadas ainda receberão três meses de hospedagem no Espaço de Coworking do PCT Guamá, com apoio e orientações para amadurecer as ideias.

Serviço: As inscrições para Desafio InovaTur 2018 são gratuitas e podem ser feitas, até o dia 20 de janeiro, AQUI.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Sectet lança nona edição da Revista Ver-a-Ciência

qua, 03/01/2018 - 11:58
18/12/2017

Nesta segunda-feira (18), a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) publicou a versão digital da nona edição da Revista Ver-a-Ciência. O periódico semestral é um dos eixos estruturantes da política de incentivo à disseminação e à popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação no Pará. A publicação traz informações a respeito de ações, projetos e eventos realizados entre os meses de julho e dezembro de 2017, além de apresentar um balanço do ano do trabalho desenvolvido pelo Governo do Pará, por meio da Sectet e outros órgãos.

A entrevista deste número é com o titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, responsável pela coordenação do Plano Estratégico de Governo, intitulado “Pará 2030”. Ao longo da seção, ele explica de que forma as ações da Sectet convergem para a execução do plano.

Já, a matéria de capa aborda o sucesso da 8ª Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, realizada entre os dias 24 e 26 de outubro, na Estação das Docas, em Belém, em plena Semana Nacional da Ciência e Tecnologia. O evento, que teve recorde de público (mais de 15 mil visitantes), contou com uma programação diversificada, agradando pessoas de todas as idades. Outra matéria abordada nesta edição é o direcionamento do Programa Inova Pará, que, por meio de parcerias, vai consolidando projetos de implantação de novos ambientes de inovação nas várias microrregiões paraenses.

Outro destaque é a participação da Sectet no Fórum de Instituições de Ensino Superior e Pesquisa do Estado do Pará, oportunidade em que foi assinado um Protocolo de Intenções entre a Secretaria e as instituições-membro do Fórum, em favor do programa Inova Pará. O Pará Profissional, por sua vez, é abordado na seção “Caso de Sucesso”, na qual são apresentados os números e os primeiros resultados do Programa, após um ano de publicação da lei que o instituiu. A reportagem é ilustrada com histórias de alunos de alguns desses cursos e antecipa, igualmente, o planejamento das novas ações nesse campo do ensino profissionalizante, para o futuro.

Por fim, a Revista ainda traz matérias interessantes sobre: a relação entre as pesquisas desenvolvidas na Universidade do Estado do Pará e a tradição local; o projeto “Xingu Conectado”, em plena realização na região da Transamazônica; o lançamento do primeiro edital do Programa TecSocial, direcionado ao financiamento de tecnologias sociais voltadas ao atendimento de necessidades básicas de populações vulneráveis; a realização do Fórum do CONFAP, pela primeira vez realizado em Belém, sob a coordenação e o patrocínio da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa); e um registro comemorativo aos 60 anos de história da Universidade Federal do Pará (UFPA), a maior instituição de ensino superior da região Norte.

Serviço: Esta e as outras edições da Revista Ver-a-Ciência estão disponíveis em   http://www.veraciencia.pa.gov.br/

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Concluintes de cursos do Pará Profissional recebem certificação em Belém

qui, 28/12/2017 - 11:56
06/12/2017

“Eu ajudava a minha avó, que cultiva e vende plantas por um valor simbólico, então resolvi fazer o curso para conhecer mais sobre a parte técnica. Agora eu vou produzir plantas melhores, em uma escala maior, e pretendo trabalhar com paisagismo”. O depoimento e os planos são do técnico em Administração Gleysson Rodrigues, que como muitos precisou enfrentar o desemprego em tempos de crise. Após a conclusão do curso de “Produção de flores de corte, flores de vaso e plantas ornamentais”, ele já planeja se juntar a alguns colegas de sala e montar o próprio negócio. Além da turma de Gleysson, os alunos dos cursos de “Agricultura orgânica” e “Processamento de frutas” também receberam os certificados de conclusão de curso na manhã desta quarta-feira (6), no auditório da Casa Civil, em Belém.

Os cursos de qualificação foram realizados pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) e pelo Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), por meio do Programa Pará Profissional, executado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural no Pará (Emater) e Fundo Ver-o-Sol, da Prefeitura de Belém.

Ao todo, 64 pessoas foram certificadas. Na ocasião, a continuidade da parceria foi garantida pela assinatura, entre Sectet e NAC, do Termo de Execução Descentralizada, tendo como objeto a transferência de crédito orçamentário para viabilizar a oferta de cursos de qualificação profissional e tecnológica em nível de formação inicial, no sentido promover ações de qualificação de trabalhadores de Organizações da Sociedade Civil (OSC) para inserção no mercado de trabalho.

Na oportunidade, o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, explicou que, dessa forma, o Programa Pará Profissional consegue atender às diretrizes da política de geração de emprego e renda do Estado, para o combate à pobreza. “O NAC é um núcleo voltado para a inclusão social e cidadania daquela parcela da população considerada mais vulnerável, e o Pará Profissional veio para atender as necessidades de um dos principais programas do governo, o Pará Social e, no âmbito do setor produtivo, ele cobre todas as demandas de formação. Por isso é importante que ele seja assimilado não como um programa da Sectet, mas como um instrumento de que os outros órgãos podem se utilizar, assim como a própria sociedade”, enfatizou.

A diretora geral do NAC, Daniele Khayat, comemorou a continuidade da parceria e destacou a vantagem que a flexibilidade na contratação de instrutores, possibilitada pelo Pará Profissional e instituída na Lei que rege o Programa, oferece. “Podemos atender melhor as necessidades do mercado paraense. O NAC tem uma responsabilidade de articulação nos três setores e a criação do Pará Profissional nos ajudou a melhorar a relação com a sociedade e com esses três setores. Conseguimos alcançar, por meio do Programa, muito mais pessoas por causa da flexibilidade na contratação de instrutores específicos para qualificação de mão de obra."

Outra novidade divulgada foi a de que os concluintes dos cursos passam a fezer parte do banco de cadastro do Portal do Trabalhador da Prefeitura de Belém. “Estamos com uma expectativa muito grande, porque as empresas reclamam da falta de mão de obra qualificada, e essa parceria vai aumentar o banco de cadastro com candidatos que já possuem essa qualificação profissional que o mercado está exigindo”, comemorou o representante do portal, Carlos Magno Filho.

Pará Profissional - O Programa, amparado pela Lei no. 8.427, de 16 de novembro de 2016, é um dos instrumentos de combate à desigualdade  por meio da qualificação profissional da mão de obra local. Ele é executado de maneira a atender as demandas condizentes com as necessidades das cadeias produtivas de cada município ou região, o que o torna mais eficaz no sentido da geração de emprego e renda à população. Os resultados do Programa Pará Profissional, do final de 2016 até o presente momento, apontam para a certificação de cerca de 1.500 pessoas.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Tecnologia de Alimentos

ter, 19/12/2017 - 11:06
19/12/2017

Belém recebe congresso de ciência e tecnologia de alimentos em agosto de 2018

O Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos (CBCTA) é um evento tradicional da área de Alimentos promovido a cada dois anos pela Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos (SBCTA). Desde a sua criação em 1988, o CBCTA reúne os principais representantes da área que atuam diretamente nos órgãos governamentais e nas indústrias, além de pesquisadores, professores e estudantes de graduação e pós-graduação.

Nesta edição, o XXVI CBCTA ocorrerá pela primeira vez na Região Norte de 13 a 16 de agosto de 2018, no Hangar Centro de Convenções, em Belém/PA, que é certamente o cenário perfeito para realizarmos um evento inovador e especial, já que teremos várias atividades em alusão a comemoração dos 50 anos da SBCTA e dos 60 anos da UFPA.

O tema do XXVI CBCTA será “O Uso Consciente da Biodiversidade: Perspectivas para o Avanço da Ciência e Tecnologia de Alimentos” onde serão discutidos os principais aspectos que visam a utilização plena da biodiversidade através de processos e/ou tecnologias limpas e com baixo impacto ambiental com o intuito de desenvolver inovação e sustentabilidade na produção de alimentos seguros e de qualidade.

O congresso terá uma programação científica de elevado nível com a participação de representantes renomados dos mais diversos setores da área de alimentos e ainda oferecerá minicursos e apresentação de trabalhos científicos.

Naturalmente, a rica embalagem cultural irá oportunizar memoráveis momentos de confraternização e aprendizado. Belém te espera!

Dra. Luiza Meller
Presidente do XXVI CBCTA

Saiba mais AQUI.

Categorias: Notícias

Alunos de curso do Pará Profissional realizam degustação de pizzas e calzones

ter, 19/12/2017 - 10:45
19/12/2017

Na ultima sexta-feira (15), no Auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC, os alunos do curso de Pizzaiolo do Programa Pará Profissional apresentaram o Programa Integrador de curso com a degustação de pizzas e calzones para empresários, funcionários do Sindicato de Panificação – SIPCOP, alunos e professores do SENAC, como forma de divulgar diversos sabores de pizzas inventadas e reinventadas pelos alunos concluintes.

Na oportunidade, os alunos contaram a história da pizza, falaram como surgiram as ideias para a produção dos novos sabores de pizzas e por fim iniciaram a degustação das pizzas e calzones.

Para a funcionária e representante da empresa MASSABOR, Sheila Malcher, “os alunos estão de parabéns pela iniciativa e realização do evento que demonstra o esforço dos alunos na apresentação de novos sabores da culinária regional paraense”.

Segundo a Secretária do SIPCOP, Deise Lopes, “o Programa Pará Profissional está sendo de fundamental importância para a qualificação dos profissionais do setor produtivo da panificação, pois à medida que os funcionários se capacitam, as empresas começam a oferecer novos produtos nas suas empresas”, destacou.

Texto e Fotos: Carlos André (Casa Brasil)

Categorias: Notícias

Governo assina contrato para gestão sustentável da biodiversidade no Pará

seg, 18/12/2017 - 10:22
18/12/2017

A consolidação de um modelo de desenvolvimento sustentável, ancorado pelo conhecimento, pela produção e por novas formas de gestão e governança, é o principal desafio do Pará no intuito de superar a pobreza e a desigualdade. Para isso, na noite desta quinta-feira (14), mais um passo foi dado: o Governo do Pará, por intermédio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) assinou, no Hangar, contrato de gestão com a Associação BioTec-Amazônia, selecionada, por meio do edital de chamamento público, para gerir o programa paraense de incentivo ao uso sustentável da biodiversidade amazônica, conhecido como BioPará.

O programa é uma ferramenta norteadora à elaboração de políticas públicas que possibilitem a agregação de valor às cadeias produtivas da biodiversidade estadual e regional, por meio de pesquisa e desenvolvimento e de prospecção de negócios inovadores no setor. Considera-se “gestão do BioPará” um sistema inteligente de governança voltado ao estímulo e apoio ao planejamento e desenvolvimento de uma economia dinâmica fundada no uso sustentável da biodiversidade, com a devida e adequada base científica e tecnológica.

Em consonância, a BioTec-Amzônia foi constituída em 2016 com o objetivo de promover o uso sustentável da biodiversidade amazônica, em especial do estado do Pará, para fins de desenvolvimento econômico e social, bem como difundir o conhecimento e prestar informações e serviços nas áreas de Biodiversidade, biotecnologia e bionegócios. Essas áreas são consideradas prioritárias, mas não exclusivas, de atuação da Organização Social.

O diretor presidente da Organização Social, José Seixas Lourenço, explicou que a ideia é garantir o desenvolvimento sustentável com qualidade de vida para a população. “Queremos transformar essa imensa riqueza da nossa biodiversidade em produtos, processos, patentes, de tal maneira que se possa gerar emprego e renda a partir disso”, destacou.

Os objetivos estratégicos da BioTec-Amazônia envolvem, entre outros, a implantação de ambiente de trabalho promotor de criatividade e formação de parcerias com foco no empreendedorismo inovador, contribuindo para o fortalecimento das políticas públicas inerentes à inovação no âmbito da cadeia da biodiversidade; prospecção e atração de novos negócios relacionados à área.

Além disso, a Organização Social pretende dar suporte à criação e fortalecimento de polos de conhecimento e ambientes de inovação nas regiões de integração do Estado; apoio a órgãos estaduais da área da produção, em articulação com entidades empresariais, na implantação de políticas públicas e na promoção de um ambiente de inovação no Pará, com vistas ao adensamento e verticalização das cadeias produtivas voltadas ao aproveitamento da biodiversidade paraense, com foco na desconcentração e diversificação dos investimentos produtivos.

O titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, considera que a assinatura do contrato com a BioTec-Amzônia significa uma inovação na forma de gestão e governança de uma das mais importantes políticas públicas formuladas em favor do desenvolvimento sustentável do estado. “O Pará está iniciando uma trajetória voltada à consolidação progressiva da cadeia da biodiversidade, de uma bioeconomia que nós não temos, de forma que possamos transformar nossa flora e nossa fauna por meio de pesquisa e desenvolvimento, em produtos inovadores, como fármacos, fitoterápicos, cosméticos, entre outros, em rendimento e emprego”.

Ele ressaltou ainda as vantagens de se ter uma Organização Social gerindo o Programa. “Ao qualificarmos uma organização social de direito privado para cumprir uma função pública de um programa tão importante quanto o BioPará, que visa uma economia do conhecimento voltada para a biodiversidade, estamos colocando, no cenário paraense, uma instituição que tenha flexibilidade, expertise e a capacidade de articular todos os atores e competência de fazer prospecção de negócios”.

Para o presidente da Fiepa, José Conrado Santos, que acompanhou a cerimônia, o evento se traduziu como o acontecimento mais importante do ano. “Tenho certeza que foi uma das melhores notícias que escutamos em 2017 porque este cenário de gestão e governança é perfeito e vem integrar as nossas relações, é uma maneira que podemos mostrar ao empresariado a responsabilidade que se tem de agregar valor a nossas potencialidades”, comemorou.

Também estiveram presentes, durante a assinatura do contrato, o presidente da Empresa Brasileira de Pesquisas Industriais (Embrapii), Jorge Guimarães, e o representante do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Márcio Miranda Santos, que fazem parte do Conselho Administrativo da Organização Social, além de servidores públicos, pesquisadores, empresários, representantes das universidades e de órgãos públicos.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Governo do Estado firma parceria com o Exército Brasileiro para garantir a inclusão digital no Pará

ter, 12/12/2017 - 11:32
12/12/2017

O Exército Brasileiro, por meio do Comando Militar do Norte (CMN), agora é mais um parceiro do Governo do Estado para a implantação e expansão de infraestrutura de telecomunicações na região amazônica. A parceria se consolidou por meio da assinatura do acordo de cooperação técnica entre o CMN, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa) e o Centro de Gestão da Tecnologia da Informação do Amapá (Prodap), ocorrida nesta segunda-feira, 11, na sede do CMN.

O acordo, que trabalha o projeto intitulado “Backbone Amazônia Oriental”, prevê a implantação de infraestrutura de comunicação segura e compartilhamento de estruturas novas ou já instaladas, próprias de cada uma das instituições envolvidas, incluindo serviços em rede de banda larga. A cooperação tem como a principal motivação a criação e ampliação de backbone regional de alta capacidade, a fim de reduzir a dependência do Exército de provedores de comunicações corporativas, assim como expandir e aprimorar a rede corporativa de dados sob a gestão da Prodepa para os munícipios paraenses. 

Para o General e Comandante Militar do Norte, Carlos Alberto Barcellos, o acordo será fundamental para a gestão dos sistemas da instituição. “Essa parceria estabelecida com o Governo do Estado e a Prodap certamente oferecerá um serviço de confiável e de melhor qualidade para o Exército Brasileiro e para as instituições envolvidas. Para o Exército em especial, irá facilitar o cumprimento da nossa missão no que tange o gerenciamento de todos os nossos sistemas que dependem do meio cientifico-tecnológico”, afirmou o General. 

O acordo possui vigência de 60 meses e não envolve repasse de recursos financeiros. As despesas previstas serão custeadas por conta de cada instituição, e o plano de trabalho envolve a cessão de uso da capacidade óptica nos trechos Itaituba-Santarém-Altamira, Tucuruí-Belém, nas redes de fibra óptica da Rede Metrobel e no trecho de Marabá, além da expansão da capacidade óptica na subestação Guamá. 

“O Governo do Estado vem trabalhando e fortalecendo as parcerias no sentido de levar as estradas do século XXI, que são as fibras ópticas, a todos os municípios paraenses. O Exército Brasileiro, que é responsável pela guarda das nossas fronteiras, obrigatoriamente precisa chegar mais longe e estabelecer bases contínuas e eficazes, e essa parceria estabelecida abrirá o caminho para isso”, frisou o presidente da Prodepa, Theo Pires. 

Para o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, o acordo auxiliará no desafio de garantir a inclusão digital no Pará. “O estado do Pará possui uma peculiaridade, pois é o único da Amazônia que cresce fora da sua região metropolitana. Isso representa um desafio enorme para o estabelecimento de políticas públicas que garantam a inclusão digital. A assinatura desse acordo tem uma enorme importância estratégica para enfrentar esse desafio, uma vez que permitirá a utilização de rede de alta capacidade capaz de ampliar a gama de serviços de TI ofertados às Organizações Militares e à Prodepa, promovendo a integração dos municípios, fornecendo conectividade aos órgãos públicos e ao cidadão paraense”, conclui o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello.

 Texto: Igor de Souza - Ascom Sectet

 

Categorias: Notícias

Governo assina protocolo de intenções com instituições de ensino e pesquisa

ter, 12/12/2017 - 08:30
12/12/2017

Na manhã desta segunda-feira (11), o titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Alex Fiúza de Mello, esteve presente em mais uma reunião do Fórum das Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Pará, realizada na reitoria da Universidade Federal do Pará (UFPA). Na oportunidade, foi assinado um protocolo de intenções entre o Governo do Pará, por meio da Sectet, e as instituições que participam do Fórum, no intuito de facilitar a cooperação e formalização de associação interinstitucional, visando estimular e apoiar, por meio do uso do conhecimento científico e tecnológico, o desenvolvimento das cadeias produtivas consideradas estratégicas ao desenvolvimento do estado do Pará.

Fiúza de Mello explicou que a ideia é materializar uma política de ciência e tecnologia que dê uma resposta à Lei de apoio à Inovação, instituída em novembro de 2016, a qual se traduz como base institucional para a realização do Programa Inova Pará, coordenado pela Sectet. O secretário ressaltou que a assinatura do documento compromete, por princípio, as instituições e enfatizou a importância da continuidade das ações. “A ideia é criar políticas de Estado e não de Governo, pois o primeiro passa e o outro fica. "As ações de política e tecnologia são de longo prazo, precisam permanecer”.

O titular da Sectet acredita que a assinatura do protocolo de intenções facilita as ações do Inova Pará, contribuindo, assim, para a minimização das assimetrias regionais, o fortalecimento da capacitação de recursos humanos, a melhor certificação dos principais produtos gerados pela economia local/regional e o estabelecimento de uma economia baseada na inovação. “Não podemos verticalizar a economia, nem inovar, se não tivermos base científica e tecnológica para isso”, concluiu.

Dessa forma, caberá às instituições envolvidas incentivar e implementar ações conjuntas, convergindo esforços e mobilizando suas unidades, agentes e serviços, bem como outras entidades parceiras que assim o desejarem, sejam elas públicas ou privadas, com vistas à consecução do Protocolo. O documento tem a vigência de cinco anos e não contempla repasse de recursos financeiros entre os partícipes.

Para o atual presidente do Fórum e vice-reitor do Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa), Sérgio Mendes, a assinatura do protocolo é um acontecimento histórico. Recorrendo à Teoria dos Sistemas, no campo das Ciências Sociais, Mendes falou da expectativa provocada pelo momento. “Diferentes sistemas que compõem a sociedade (político, econômico e educacional) estão presentes aqui, por isso o nosso desafio é que tais sistemas interajam de forma virtuosa, gerando bons resultados”, explicou.

Além do Cesupa, ainda fazem parte do Fórum das Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa do Pará: a Universidade Federal do Pará (UFPA), a Universidade do Estado do Pará (Uepa), a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária/Centro de Pesquisa Agroflorestal da Amazônia Oriental (Embrapa/CPATU), o Instituto Evandro Chagas (IEC) e a Universidade da Amazônia (Unama). Também estiveram presentes à assinatura, servidores da Sectet, representantes da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá) e da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa).

Bolsa de Estímulo à Inovação

Durante a reunião, o titular da Sectet ainda assinou a Resolução que regulamenta a concessão e a gestão da Bolsa de Estímulo à Inovação (BEI), prevista no inciso I, do artigo 12, da Lei nº 8.426 (Lei de apoio à Inovação. A resolução foi aprovada, por unanimidade, em reunião extraordinária no dia 1 de dezembro, pelo Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Consectet).

A Bolsa de Estímulo à Inovação (BEI) se destina a projetos e/ou ações voltados ao fomento e desenvolvimento de ambientes de inovação, em afinidade com os planos de verticalização das cadeias produtivas estratégicas paraenses, no tocante ao que versa o Programa Inova Pará. A BEI se mostra como um instrumento de gestão novo e flexível. Dessa forma, a bolsa será concedida ao pesquisador público ou prestador de serviço de Instituição Científica e Tecnológica (ICT), sediada no Pará, que tenha qualificação e disponibilidade compatíveis às atividades previstas como objeto da referida bolsa.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Sectet prorroga edital que seleciona projetos de tecnologias sociais

seg, 11/12/2017 - 10:03
11/12/2017

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) prorrogou, até o dia 30 de dezembro, o edital de chamamento público 006/2017, para seleção de propostas de organizações da sociedade civil e/ou instituições de ensino, pesquisa e extensão com atuação no Estado interessadas em celebrar termo de repasse de recurso com o Governo do Pará com objetivo de executar projetos de Tecnologias Sociais voltados à melhoria da qualidade de vida das populações vulneráveis.

Dessa forma, a Sectet pretende colocar em prática as ações do Programa TecSocial, o qual coordena. O Programa considera como “Tecnologias Sociais” os produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, voltados ao uso comunitário, com vistas a promover a inclusão social e a melhoria da qualidade de vida de seus usuários. O edital prorrogado salienta sete formas específicas dessas tecnologias: aquelas voltadas à captação, tratamento e distribuição de água para uso doméstico; tecnologias de saneamento básico; tecnologias sociais de manejo dos resíduos sólidos; tecnologias sociais voltadas à cadeia produtiva da biodiversidade; aquelas voltadas à pesca artesanal; além de softwares livres e tecnologias adequadas à gestão de pequenos empreendimentos; e outras tecnologias sociais que impulsionem o desenvolvimento socioeconômico do estado do Pará.

As propostas das organizações/instituições devem implementar soluções efetivas aos gargalos identificados, gerando a transformação da realidade local; além de incluir os atores sociais locais na maior parte das etapas do projeto. A Tecnologia Social deve gerar ainda um padrão de uso que possa ser reaplicado em outras comunidades e ser social, econômica e ambientalmente sustentável. Serão utilizados recursos do Governo do estado do Pará, por meio da Sectet, oriundos do Tesouro Estadual, ou de outras fontes, captadas em parceria, no valor global de até R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais) por projeto selecionado.

Serviço: Para se inscreverem, as organizações/instituições devem enviar as propostas para editalts@sectet.pa.gov.br, juntamente com os documentos solicitados no edital que está disponível em http://bit.ly/2gOPoD0.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)

Categorias: Notícias

Páginas